BrasileirasPeloMundo.com
Cheguei e agora? Imigração Suécia

Cheguei na Suécia, e agora?

Aqui estão 10 dicas essenciais para iniciar o ciclo da vida nova. Essa é a primeira parte. Vamos lá?

1) Emissão do CPF sueco ou ‘personnummer’

Aviso de antemão que é fundamental que você tenha obtido um visto para morar aqui ou tenha o passaporte da União Europeia (EU) para a emissão do ‘personnummer’, que é um “abre portas” aqui na Suécia.

O ‘personnumer’ nada mais é do que uma certificação ou assinatura digital, que prova de que você é você. Quando chegar aqui, com o seu visto ou passaporte da EU, prepare-se para ir à agência da Receita Federal Sueca (‘Skatteverket’) mais próxima de você.[1]

Preencha e imprima o formulário de mudança para a Suécia, em inglês ou sueco, contendo informações gerais sobre a sua circunstância e de sua família.[2]Se você não tiver acesso a uma impressora, então já deixo a dica de antes de preencher o formulário, ir numa agência do governo para fazer esta impressão, como por exemplo no próprio ‘Skatteverket’. Esse serviço não é cobrado. Depois de impresso e preenchido, você precisará levar esse formulário no Skatteverket, acompanhado de diversos documentos de todos os membros da família que estão mudando-se à Suécia, para dar entrada ao pedido de emissão do CPF sueco.

Veja aqui alguns exemplos de documentos relevantes:

(1) passaporte;

(2) certidão de casamento (se houver);

(3) certidão de nascimento;

(4) outros documentos importantes.

Seria interessante e prático ter os documentos (com exceção do passaporte) previamente traduzidos para o inglês, antes mesmo da mudança, já que isso tudo leva tempo. O ‘personnumer’ é um documento muito importante e facilitaria muito a sua vida, se você conseguisse emiti-lo o mais rápido possível. Porém, muitas pessoas optam em não traduzir esses documentos no Brasil devido ao alto custo e acabam fazendo a tradução deles aqui na agência governamental de trabalho ‘Arbetsförmedlingen’. A emissão do ‘personnumer’ pode demorar até alguns meses.

Apenas quando você tiver em mãos o ‘personnummer’ é que você conseguirá, por exemplo:

(1) abrir uma conta bancária;

(2) contratar um serviço de telefonia;

(3) contratar um serviço de internet para a sua casa.

Conseguiu emitir um ‘personnumer’? Então vamos a dica seguinte.

2) Contratar um serviço de telefonia móvel e internet (já que telefonia fixa está quase em extinção aqui)

Ter um celular local não é apenas uma comodidade aqui na Suécia, mas sim uma necessidade, por diversas questões. A primeira básica e fundamental é para auxiliá-la na adaptação aqui. Por exemplo, os nomes das ruas são bizarros para quem nunca ouviu sueco na vida, então ter um gps funcionando, assim como um tradutor para fazer mercado, é mais do que um luxo, é sobrevivência. Já fiz um estrogonofe com iogurte natural porque achei que o iogurte era creme de leite. Além disso, a maioria dos estabelecimentos e serviços tem um aplicativo próprio para transmitirem informações e receberem pagamentos.

A Suécia é um país praticamente ‘cash free’ (livre de dinheiro físico), ou seja, muitos estabelecimentos aceitam apenas cartões de débito/crédito ou pagamento via aplicativo. Por exemplo, se você for andar de ônibus, trem ou metrô nas cidades como Estocolmo, Gotemburgo, Malmo e Lund, você não consegue comprar o ticket no ônibus e nos bondinhos, apenas nas estações de metrô, lojas oficiais e autorizadas.

Leia também: Pagamento com cédulas e moedas na Suécia vai acabar

A escolha da companhia telefônica é muito pessoal, por isso me limito a informar que as empresas que oferecem o serviço de telefonia móvel, também oferecem o serviço de internet em casa. Talvez a empresa peça uma confirmação da sua renda, já que você chegará aqui sem histórico de renda. Uma curiosidade, imposto de renda é uma informação pública, e empréstimos realizados podem ser consultados pela empresa prestadora de serviço. Listei abaixo algumas empresas que oferecem estes serviços e que são as mais conhecidas:

3) Abrir uma conta bancária

Com o seu ‘personnumer’, endereço e telefone para contato, você pode abrir uma conta bancária aqui. Cada banco tem o seu procedimento para realizar esse serviço de abertura de contas e, talvez, sejam exigido outros documentos. Aviso que aqui na Suécia, diferentemente do Brasil, não é comum ir em agências bancárias. Eu moro aqui praticamente há 8 anos e fui sem exagerar apenas umas 5 vezes em uma agência bancária. Legal né?! Porém, por ser a primeira vez, talvez seja interessante e indispensável ir numa agência bancária para abrir a conta. Veja com o banco.

Aqui estão os nomes dos bancos mais comuns, na Suécia:

  • Swedbank;
  • Nordea;
  • Handelsbanken;
  • Danskebank;
  • Skandia
  • SEB

Leia também: Como abrir conta bancária na Suécia

4) Assinatura (certificação) digital através de uma identidade bancária, chamada de ‘Bank-id’

Coloquei o ‘bank-id’ num item próprio para ressaltar a importância dessa certificação digital. Praticamente todas as empresas prestadoras de serviço disponibilizam um atendimento online aos seus clientes, através de uma conta pessoal em seus sites e aplicativos. É possível cancelar contrato, verificar faturas, uso do serviço prestado entre outras funções. Porém, para acessar a sua página pessoal e todas as informações e serviços, você precisará fazer um login na sua conta com o seu ‘bank-id’. A certificação digital serve, inclusive, para acessar a sua conta bancária no site ou aplicativo do seu banco, para fazer a sua declaração de renda, entre outras ações relevantes. Enfim… é muito utilizado por aqui e o ‘bank-id’ diminui o risco de alguém se passar por você.

Imagino que a sua pergunta seja: tá, mas como faço isso aí? A resposta é simples, o banco, que você escolheu abrir a sua conta, lhe proverá esse serviço de certificação digital. Siga as instruções do seu banco e, se tiver dúvidas, ligue no SAC do seu banco (‘kundtjäsnt’ ou ‘kundservice’).

5) Aprender sueco ou inglês

Aqui na Suécia é possível viver sem o sueco, já que é raro encontrar alguém que não saiba falar inglês. Em todos esses anos de Suécia, eu nunca encontrei nenhum sueco que não soubesse falar inglês suficiente para o propósito de uma comunicação simples. A escolha é pessoal de cada um. Muitas pessoas, quando mudam para cá, não possuem um inglês fluente e querem primeiro melhorar o inglês. Se esse é o seu caso, o curso de inglês mais comum oferecido aqui é pela Folk Universitet.[3]O curso é pago, e o valor varia de acordo com o curso escolhido.

Porém, se você quiser aprender o sueco, o governo oferece esse curso, chamado SFI, de graça para os imigrantes legais em diversas escolas espalhadas por todos o país. Dependendo do seu visto e circunstância, você terá direito a receber uma “bolsa estudo” (‘studiemedel’) do governo.[4] Aprender o sueco é muito bem visto pelos suecos e poderá ser um dos fatores decisivos para conseguir um emprego aqui.

Se você optar em estudar o sueco, este artigo é bem elucidativo para quem irá cursar o SFI:  “SFI: falha do governo, experiência pessoal e dicas para iniciantes”

Boa sorte e välkommen!

[1]Para encontrar uma agência do Skatteverket, você pode procurar neste link, que está em sueco.

[2]Você encontra o formulário neste link.

[3]Aqui vai a lista de cursos ofertados em inglês, em diversas cidades suecas, pela Folk Universitet.

[4]Todas as informações sobre essa bolsa de estudo estão disponíveis no site do CSN, agência nacional (clique aqui).

[5] IKEA

[6] 1177 Vårdguiden

[7] Embaixada do Brasil em Estocolmo

Related posts

Quando não falando a língua local pode nos levar a mal entendidos

Marcele Rask

Cheguei na Bélgica e agora?

Marcela Bueno

Como os suecos criam os filhos

Elaine Dali

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação