BrasileirasPeloMundo.com
Polônia

Primeiros Passos na Polônia

Em 2010 fui pedida em casamento. Fizemos um combinado, eu prepararia tudo para a festa, e meu marido cuidaria de toda a programação da lua de mel. Para minha surpresa, ele decidiu que iríamos viajar para a Europa e realizar um antigo sonho nosso, de conhecer como é viver fora! Dentre os países que visitamos, a Polônia era a mais esperada porque faz parte da história das nossas famílias descendentes.

A imagem que eu tinha era de muito frio e neve! Ainda assim nosso desejo só aumentou e em Maio de 2012, nós desembarcamos em Varsóvia, com muito desejo que tudo desse certo, uma pequena reserva de dinheiro e uma certeza que por um tempo nossa unica ocupação seria o cursinho de polonês, que estavamos matriculados.

Chegamos na primavera e descobri uma nova Polônia! Fazia calor, as árvores e flores estavam florecidas e ainda me lembro do caminho do aeroporto até a casa onde nos hospedamos, a visão de parques com vários tons de verde! Eis a imagem que nunca vou esquecer!

Ficamos duas semanas na casa de um casal de amigos da minha sogra, poloneses tambem.  Logo foi possível ver como as nossas culturas são diferentes e tão parecidas! Muito família, nos tratavam como filhos, e tudo fizeram para nos oferecer conforto e ajuda. Mas não nos deixavam ajudar nos afazeres da casa, lavar uma louça, ou varrer o chão! Se saíamos, tinhamos sempre de falar o horário que voltaríamos e para dois adultos isso era bem estranho!  Percebemos que precisavamos ter nosso canto! Então alugamos um kitchnet, kawalerka como é chamado aqui, e começamos nossa vida!

Quanto a cultura e em especial a comida, como tantos me pergutam, não tivemos MUITOS problemas! Nós já conhecíamos, porque minha sogra sempre cozinhou pratos polacos para nós! Já a cultura, o que me assustava e as vezes ainda me espanta, é a forma como alguns (não todos), nos tratam no comércio. Difícil um sorriso. Os mais velhos não falam inglês, ou se falam preferem dizer que nao… nem sempre tratam bem os estrangeiros e isso é tão atípico do nosso querido Brasil, onde todos tratam seus clientes com carinho e boa vontade!

Mas, hoje já sei que trata-se de uma herança forte de um comunismo que foi restritivo e um tanto agressor!

Fazer compras em abundância, como muitos de nós fazemos no Brasil, enchendo seus carrinhos de supermercado de comida e besteiras, aqui é quase uma afronta! Eu e meu marido sentimos na pele isso.  Várias vezes logo no início ainda fazíamos compras para “o mês”.  Isso atraía muitos olhares no supermercado, e alguns comentários que nós nao entendíamos! Só depois alguem nos explicou que o normal são pequenas compras, diárias ou semanais…

A comida, a qual nós já conhecíamos, ao contrário de muitos brasileiros que aqui chegam,  sempre apreciamos muito e portanto não era nada ruim. Nossos cafés da manhã, eram regados a muita comida e isso fazia muita diferença porque não tínhamos este costume de tanto comer… era mesmo um almoço!

Os primeiro amigos foram brasileiros, mas percebia que eram descofiados e não se entregavam a amizades logo. Ainda não entendo muito a razão, mas respeito muito. Não foi nada facil!

No início, nós começamos a nos estranhar! Não havia nada a fazer! Não tínhamos planos para nada pois não haviam perspectivas! Nós estudávamos duas vezes por semana e mais nada! Faltavam documentos para terminar a cidadania, e isso levava tempo! Quando tudo se resolveu, cerca de 4 meses depois, e a cidadania do meu marido saiu, tudo clareou! Logo ele conseguiu trabalho em uma empresa inglesa, onde está até hoje… eu pude renovar meu visto como esposa de um polonês, arrumei emprego em seguida e tudo foi se encaixando!

Há muito que contar, e depois prometo falar sobre o processo da cidadania polonesa, sobre meu visto e como foi lidar com os poloneses no comércio e na intimidade!”

No geral é um povo sofrido, pobre, lutador! Alguns são amantes do samba, da capoeira, do futebol, e das praias brasileiras! Muitos quando sabem que somos brasileiros logo ja dizem que estamos muito longe do nosso pais, e por que trocar um país com sol o ano todo por um frio como a Polônia? Como se o Brasil fosse um paraíso de praias e belezas intensas, sem qualquer crise e ou violência e seus problemas críticos!

Eu aprendi muito aqui! Nunca imaginei poder saber mais sobre a história da Polônia, do país do meu bisavô! De um povo guerreiro, que lutou bravamente na segunda guerra! De um povo que respira a guerra, se orgulha em ensinar desde cedo as crianças toda a sua luta.

Estou aprendendo o idioma aos poucos, agora tenho tido aulas pela empresa que trabalho… brinco sempre que vou levar mais uns 5 anos! Mas de verdade, creio que em menos tempo poderei dizer que ao menos me comunico!

Tenho orgulho dos meus antepassados! Sou muito grata de ter tido a oportunidade de viver e ser feliz aqui!

 

Related posts

A brasilidade que faz falta

Isadora Mendes

Cracóvia Encantadora

Regiane Iwanowicz

Há possibilidade de ataque terrorista na Polônia?

Vivian Kulpa

14 comentários

Tati Sato Novembro 13, 2013 at 12:56 pm

Oi Regiane,

Ler o seu texto quase me fez voltar a Zakopane onde passei alguns dias ha alguns anos… Gente, eu nao sabia que brasileiros estranhavam a comida polonesa!!! Para mim, quando vivi na Europa, muito da culinaria polonesa (como a kielbasa e a kabanossi) substituiam meu desejo insano por comida brasileira!!! Eu amo uma kielbasa frita com cebola porque me lembra a calabresa brasileira! Hoje, honestamente, acho ainda melhor!!! Hehe!

E os pierogis??? Amo muito!!!

Bem, eh isso!!! Um beijo!

Resposta
Rê Iwanowicz Novembro 13, 2013 at 10:15 pm

Tati Sato, tudo bem?
Primeiro obrigada pelo comentário! Você é a “first one”!!! =)
Acredite, ainda não estive em Zakopane! Eu ía no final do ano passado, mas estava no meio de um processo de visto. Já este ano, vamos viajar para fora! Mas, sei das suas belezas e das suas delícias!
Olha, muitos brasileiros falam da comida polaca! Para mim e meu marido não fez diferença como eu citei, e ao contrário, no geral nós adoramos!

Quanto aos pierogis, gosto mesmo dos caseiros, feitos por mãos polacas, de preferência por alguma Babcia (avó), porque os comprados nos superercados não agradam!

Bem, grande beijo e obrigada por passar por aqui! <3

Resposta
karla Novembro 13, 2013 at 4:29 pm

Nossa estive na Polonia por 15 dias simplismente amei !!!
Pessoal sempre foi bem cortez … faltam sair da casa para voce ficar a vontade !!!!
Olha tenho saudades de Krakovia, acho que e assim que se escreve !!!!!!

Resposta
Ana Cristina Kolb Novembro 13, 2013 at 5:07 pm

Parabens Regiane, gostei muito do seu texto e visitei também seu canal no youtube e gostei muito da sua inicitiava! Parabens!

Resposta
David Novembro 14, 2013 at 11:30 pm

Gostei bastante do texto, só não concordo com a parte onde você enquadra o povo polonês a um povo “pobre e sofrido”. Talvez tenha sido a sua experiência pessoal. A Polônia hoje é a sexta maior economia da EU e tem PIB per capita quase 3 vezes maior do que o do Brasil. Tem um dos mais altos IDHs do mundo, menores índices de violência, e por aí vai… Tente ler um pouco mais sobre os dados oficiais do país, e vai se surpreender. Se você morou em Varsóvia, até entendo a sua perspectiva, mas não se pode ver a Polônia inteira por essa lente. Seria como visitar Berlin e descrever a Alemanha.

De qualquer forma, boa sorte com tudo! Espero que vocês estejam felizes agora.

Abraço.

Resposta
debora mateus Novembro 15, 2013 at 3:29 pm

CONHEçO VARIAS POLACAS AQUI NA ITALIA,ALGUMAS TENHO AMIZADE E MI DEI CONTA QUE MUITAS SAO MEIA DESCOFIADAS,FINALMENTE ENTENDI OS MOTIVOS,PARABéNS PELA TUA HISTORIA…;)

Resposta
Especial Natal -Polônia Dezembro 18, 2013 at 10:49 am

[…] Leia mais sobre a Polônia! […]

Resposta
jose Janeiro 29, 2014 at 3:39 pm

OI Regiane.
Gostei muito do seu texto; Tenho um filho que mora na Cracovia. Fui pra lá nesses últimos 5 anos.. Tenho uma visão diferente da sua em relação as pessoas. São gentis, Como existem muitos jovens. Também é uma cidade com grande fluxo de turistas. Não existe problema de comunicação pois a juventude fala inglês. Nos supermercados não encontro dificuldade de comprar alimentos como no Brasil. Vejo que lá as pessoas não desperdiçam os alimentos. Entendo que os mais velhos são mais sérios. Talvez mais educados. Outra coisa interessante é que de ano para ano os preços se mantem. Eu e minha esposa temos pensado muito em morar um tempo na Polônia. Moro em Santos. Lá o transporte público funciona. Não tem flanelinha pedindo dinheiro. Poderei sair do caixa eletrônico e não sofrer um sequestro relâmpago. Poderei voltar pra casa a hora que quiser. Não existe nenhuma possibilidade de ter um revolver apontado pra cabeça ou um estilete espetando meu pescoço. Wroclaw, Zakopane e emuitas outras cidades são lindas. Estudo polones pela internet. Infelizmente não encontro ninguém por aqui pra me auxiliar. Grande abraço pra vcs.

Resposta
Polônia – A Decisão Certa Janeiro 30, 2014 at 12:17 pm

[…] Leia mais sobre a Polônia! […]

Resposta
Kamilla Outubro 21, 2014 at 6:31 am

Ola, esse texto foi a qyase um ano heim Regiane, so agora tive a oportunidade de ler e saber um pouco mais da historia da chegada de vcs aqui na Polonia.
Me orgulho em poder dizer que tenho uma amiga tao corajosa quanto eu…

Resposta
Ângela Março 26, 2015 at 6:25 pm

Ola Regiane, espero que veja esse recado logo, rsrs
Então, moramos em Manaus a uns 4 anos e temos dois filhos e meu marido recebeu uma proposta de emprego para trabalhar em Wroclaw. O que você acha? Em relação a moradia, alimentação…sera que vale a pena sair do Brasil e começar tudo novamente?
Gostaria de algumas dicas de como se vive ai na Polônia.
Gostei muito do seu texto.

Ângela.

Resposta
Cesar Silvs Agosto 29, 2016 at 12:38 am

Pretendo ir para Wroclaw, alguém poderia alguma coisa sobre essa cidade? Faz umas duas semanas que venho pesquisando , mas se alguém puder contribuir eu agradeço!

Resposta
Cintia Loureiro Outubro 11, 2016 at 8:48 am

Oi você mora em Varsovia atualmente?

Resposta
Ana Catarina Outubro 25, 2016 at 8:50 am

Retornamos de um tour pelas principais cidades da Polônia. O país é encantador com uma história incrível. País de primeiro mundo, onde tudo funciona. O povo é educado e religioso. Porém o sofrimento da guerra e a reliogidade para os ensinaram amar uns aos outros. Poucos falam inglês. O polonês na impressão são antipáticos e por vezes até grosseiros. Não sabem receber o turista. A viagem valeu pelas paisagens, pela experiência. Mas, não retornaria a Polônia novamente.

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação