BrasileirasPeloMundo.com
Entrevistas Profissões Pelo Mundo Profissões Pelo Mundo - Inglaterra

Profissões Pelo Mundo – Obstetriz & Doula em Londres

O blog hoje entrevista a Suzan Correa, Midwife (Obstetriz), funcionaria do NHS (Sistema Nacional de Saúde), educadora perinatal, Doula e consultora em amamentação, em Londres. É também autora de artigos publicados sobre maternidade em jornais de Midwifery.  Suzan mora fora do Brasil há mais de 20 anos, dez deles nos EUA e há 11 está em Londres, onde mora com o marido e os filhos. Suzan é extremamente apaixonada por todos os aspectos da maternidade, gestação e parto, é ativista e militante dos direitos femininos e do parto humanizado. Tem um enorme interesse pela experiência das brasileiras no Reino Unido em relação à maternidade.

BPM – Como tem sido a sua trajetória profissional? 

 Suzan – Minha trajetória começou em 2007 quando decidi me tornar Midwife/Obstetriz após o nascimento da minha filha, que nasceu no St Mary’s Hospital, em Londres. Durante meu curso fiz estágios em todos os setores de serviços de maternidade incluindo unidade neonatal, UTI, clinicas sexuais e ginecológicas. Tenho um enorme interesse em serviços humanitários e faço também um trabalho voluntário com as brasileiras em Londres para conscientizar e auxiliar na educação e informação para maternidade. Já estive no Brasil dando palestras sobre meu trabalho de Midwife/Obstetriz na USP-SP, GAMA-SP, entre outros locais. Em breve estarei dando inicio ao meu curso de pós-graduação como Health Visitor.

 

BPM – Você fez faculdade ou algum outro curso específico da sua área, na Inglaterra?

Suzan – Sim, me graduei em Midwifery pela UWL- University of West London (antiga TVU).

BPM – Que cursos você recomendaria para as brasileiras que queiram ingressar na mesma profissão e seguirem carreira, na Inglaterra? 

Suzan – Primeiramente eu recomendaria fazer um curso que se chama Access to Nursing e depois o curso de Midwifery. Porém recomendo também pesquisar muito sobre a profissão, pois além de ser muito reconhecida e recompensadora requer muita dedicação, paciência e tempo.

BPM – Como é a sua rotina?  A que horas começa a trabalhar e qual é a sua carga horária?

Eu poderia dizer que é meio louca rs. Eu trabalho por rota, ou seja, não tenho dias e horários fixos. A minha carga horário depende muito do local onde estou trabalhando, por exemplo, se eu estiver no delivery suíte (sala de parto) faço turnos de 12.5 horas diárias  que podem ser das 08:00-20:00, ou noturnos 20:00-08:00. Eu trabalho somente meio período (por opção).

BPM – Quais as diferenças da sua profissão, se houverem, entre o Brasil e a Inglaterra?

Suzan – Uma das maiores diferenças entre Brasil e Inglaterra sobre a profissão de Midwife/Obstetriz é a autonomia. Aqui temos total, trabalhamos em conjunto com médicos e outros profissionais, tomando decisões, respondendo e representando os pacientes. No Reino Unido a profissão tem um conselho, uma cooperativa, é altamente reconhecida e muito respeitada e tem um estatuto o que no Brasil ainda não existe.

Suzan3

BPM – Qual a média de salários, para uma pessoa iniciante e já no topo da carreira?

Suzan – Isso depende do hospital, tempo de experiência, da cidade e horários. Porém a média de salário de uma midwife iniciante e de £27,900 por ano e para uma Midwife que tenha anos de experiência e no topo da carreira o salário pode chegar até £75-80 mil, ou mais,  por ano.

BPM – Qual seria o aspecto mais positivo e o negativo (se houver) de ser profissional na sua área, na Inglaterra?

Suzan – Positivo seria o fato de ser uma profissão privilegiada a qual me da à oportunidade de estar com a mulher e sua família no momento mais importante e marcante da sua vida – o parto. É extremamente gratificante poder estar presente e muitas vezes fazer parte do empoderamento desta mulher. Eu simplesmente amo estar com as mulheres e poder auxiliar e acolhe-las de alguma maneira.  Negativo- eu diria os horários de trabalho.

BPM – Você acha que teria as mesmas chances na carreira, se estivesse no Brasil, ou o fato de estar na  Inglaterra lhe proporciona mais opções profissionais?

Suzan – Eu acredito e sei por fato que as chances e opções seriam diferentes. Se eu estivesse no Brasil com certeza não estaria trabalhando em um hospital como faço aqui. Seria bem provável que eu estivesse trabalhando em uma instituição de educação para auxiliar a formação das Obstetrizes devido a grande experiência daqui. Porém aqui as opções são diferentes, sendo elas a especialização na minha área,  que ainda não existe no Brasil.

 

BPM – Como você concilia a vida de mãe e profissional em uma cultura diferente do Brasil, onde ajuda de fora  é raro?

Suzan – Como citei anteriormente a profissão de Midwife/Obstetriz requer muita dedicação e organização. Eu consigo conciliar, pois desde o início da minha faculdade sempre tive o apoio do meu esposo que foi uma das pessoas mais importantes para que eu pudesse conquistar a minha graduação.

Não é fácil conciliar o meu trabalho com a vida familiar. Muitas vezes não posso estar presente em reuniões escolares, festinhas, e eventos com amigos e familiares devido ao meu trabalho, porém por outro lado o meu trabalho me traz muita satisfação pessoal.  Ser organizada com horários, agenda e etc é um dos requisitos fundamentais para o sucesso em qualquer profissão e na minha não e diferente, pois faço papéis diferentes como o de mãe, esposa, Midwife/Obstetriz, etc.

Related posts

Ironi Ribeiro – Missionária na Tanzania

Ann Moeller

Entrevista com Ana Camila, que viajou sozinha pela Índia

Joice Santos

Profissões pelo mundo – Dentista no Qatar

Thais Cunha

8 comentários

celia Outubro 26, 2015 at 1:15 am

Minha filha Suzan, meu orgulho.

Resposta
Isabela Outubro 27, 2015 at 3:02 pm

Muito legal e esclarecedora a entrevista !

Resposta
Gisele Altoé Outubro 28, 2015 at 11:16 pm

Muito interessante como a assistência da midwife é reconhecida e valorizada por aí. Lamento que no Brasil isso não seja da mesma forma, nem sempre recebemos o apoio na introdução à amamentação e muitas mães se sentem inseguras num momento tão importante. Admiro seu trabalho e espero que um dia o Brasil reconheça devidamente a categoria. Um abraço.

Resposta
Guilherme Fevereiro 1, 2016 at 5:37 pm

Muito bom o post. Gostaria de saber se vocês sabem em qual Hospital de Londres a Suzan trabalha. Pois minha esposa está grávida e estamos prestes a escolher o Hospital onde faremos o acompanhamento pré-natal e o parto. Caso o Hospital da Suzan seja em uma localização boa pra gente, pode ser interessante optarmos por ele, já que haverá uma brasileira na equipe de midwives. Obrigado.

Resposta
Ann Moeller Fevereiro 4, 2016 at 11:17 am

Olá Guilherme, entre em contato com a Suzan através do Facebook. Obrigada
https://www.facebook.com/suzan.correa?fref=ts

Resposta
Maria Lúcia da silva Março 6, 2017 at 1:12 am

Muito bom saber que tem doula em outro lugar do mundo, porque sou doula mas não tenho muito campo de trabalho aqui no Brasil, e pretende sair pra ter novas espécies em minha vida.

Resposta
Anna Luiza Outubro 17, 2017 at 4:57 am

Oi! Tudo bem: Adorei essa entrevista! Eu to formando em enfermagem no Brasil e quero fazer residência em obstetrícia aqui. Se eu for pra outro país, como Canada ou Reino Unido, tenho como fazer uma especialização ou residência em Midwife?

Resposta
Ann Moeller Outubro 23, 2017 at 2:55 pm Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação