BrasileirasPeloMundo.com
República Dominicana

Segurança na República Dominicana

Segurança na República Dominicana.

Recentemente, foram veiculadas na imprensa mundial algumas notícias que assustaram muita gente: as misteriosas mortes de turistas na República Dominicana. Foram contabilizadas pelo menos 10 mortes de turistas norte-americanos desde junho/2018, em circunstâncias ainda não explicadas. As vítimas tinham entre 41 e 67 anos, e apesar das autoridades locais categorizarem quase todas as mortes como “causa natural”, com ataque cardíaco como evidência comum entre elas, em um dos casos a turista foi brutalmente agredida dentro das dependências de um famoso resort.

Uma das hipóteses que surgiram para explicar as mortes, seria o envenenamento por metanol, utilizado na fabricação de bebidas alcoólicas adulteradas. Há a confirmação de que algumas das vítimas tenham passado mal após consumir bebidas dos frigobares nos hotéis.

Sobre as mortes mencionadas acima, o Ministro do Turismo declarou que “esses casos são lamentáveis, mas isolados”. E apesar dos tristes fatos, vale mencionar que a República Dominicana bateu o recorde de visitantes em 2018, com a chegada de 6,5 milhões de turistas.

Mas afinal, o país é seguro para viver?

Foram esses acontecimentos que me fizeram querer escrever sobre a segurança daqui. Infelizmente, nesse artigo não vou contar para vocês sobre as maravilhas desse país. Assim como todo lugar, aqui tem o lado bom e outro nem tanto. E a segurança (ou a falta de) pode ser um fator não favorável.

A começar por Santo Domingo, capital do país. Essa é uma das maiores – senão a maior – cidades do Caribe e está em pleno desenvolvimento. Porém, a impressão que tenho é que está se desenvolvendo de forma desordenada. Em algumas partes da cidade você verá bastante sujeira, sensação de abandono e pessoas vivendo na rua.

Segundo notícias veiculadas pela imprensa nacional, a República Dominicana manteve altos níveis de criminalidade nos últimos três anos. Uma das principais evidências desse problema são os homicídios causados ​​pela delinquência, que vêm aumentando. Neste período, vários planos de segurança aos cidadãos foram implementados. Patrulhas de agentes da Polícia Nacional e até mesmo as Forças Armadas são vistas frequentemente nas ruas.

As recomendações mais comuns das autoridades de segurança são, em primeiro lugar, não percorrer áreas isoladas do centro da cidade ou do “Malecón” (que seria uma espécie de calçadão), principalmente à noite. Também não é aconselhável exibir jóias abertamente em ruas e mercados lotados.

Para os turistas, existe a Polícia Turística, conhecida como “Politur”, que está presente em toda a ilha e oferece um tratamento muito cortês aos viajantes. Se necessário, é aconselhável utilizar este serviço, que é tão confiável quanto a Polícia Nacional. É possível reconhecê-los facilmente por seu uniforme, que é composto por uma camisa branca e um short azul.

Em relação às drogas, esse é um assunto que deixa as autoridades sempre atentas. A posse de drogas, por exemplo, pode gerar prisão de até um ano, sem possibilidade de fiança.

Já Punta Cana, um dos destinos mais procurados do país e onde ocorreram a maior parte dos casos de mortes e violência, é considerada uma região muito segura por ser uma área de resorts de luxo, com taxas de crime inferiores ao resto do país. Eu estive lá na semana seguinte às notícias, e em nenhum momento senti clima de insegurança.

Leia Também: Dez motivos para morar na República Dominicana

Minha visão como residente

Claro que a segurança é um dos principais fatores que consideramos quando decidimos, ou quando nos é proposto, mudar de país e sabemos que esse é um dos maiores motivos que levam muita gente a deixar o Brasil ultimamente.

Pois bem. Se a sua intenção é morar em Santo Domingo, onde vive a maioria dos brasileiros que residem aqui, o que posso dizer é que não existe o caos da violência urbana que infelizmente se instalou no Brasil. Você não vai presenciar tiroteios em plena luz do dia, nem arrastões, ou algo do tipo. Sinceramente, eu me sinto mais segura aqui. Mas como eu disse antes, tem o lado que não é tão bom também (porque não gosto de chamar de ruim), e nesse primeiro ano vivendo aqui, claro que já escutei casos de pessoas que sofreram pequenos assaltos na rua, por exemplo.

Por isso, meu conselho é que ao chegar, tome as mesmas precauções básicas que você tomaria ao chegar em qualquer novo país ou cidade grande do mundo. Não deixe visíveis os seus objetos de valor, como smartphones e câmeras. Tente usá-los discretamente. Deixe as jóias em casa, vista-se com simplicidade e não ande por ruas isoladas durante o dia ou à noite, seja sozinho ou acompanhado.

Quem acompanha os meus artigos, sabe que eu vivo com minha família no interior da República Dominicana. Um povoado simples, pacato e muitas vezes demasiadamente tranquilo. E sobre a segurança aqui, eu realmente não tenho do que reclamar.

Como na maioria dos países, inclusive o Brasil, viver no interior nos proporciona mais qualidade de vida no que diz respeito à segurança. Me sinto tranquila de andar com os vidros do carro abertos, sair com relógio no pulso e, se for necessário, atender uma chamada no celular enquanto caminho na rua. Mas sempre atenta e lembrando que o bom senso deve prevalecer em qualquer lugar ou situação.

Até a próxima!

Related posts

A culinária dominicana

Taiane Mazzé

Uma brasileira na República Dominicana

Taiane Mazzé

Datas comemorativas e feriados na Republica Dominicana

Taiane Mazzé

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação