BrasileirasPeloMundo.com
Irlanda

Verão na Irlanda

O verão na Irlanda é realmente uma piada, primeiramente porque ele poderia ser chamado de qualquer outra coisa que não “verão” e, se você nasceu em uma cidade do litoral brasileiro, entenderá o que quero dizer com essa afirmação. Em segundo lugar, porque não somos os únicos a compreender essa piada, o verão também é alvo do jeito joker (piadista) de ser do povo irlandês.  Nas ruas, nos jornais, nos cartões postais, na TV: em todos os contextos é possível perceber que os irlandeses já entenderam que, em se tratando de verão, o que lhes resta é fazer piada.

Este é o segundo verão que passo na Irlanda. Tendo recém saído de um verão de 40 graus, pousei na ilha trazendo na mala uma capa de chuva e, na boca, o discurso “eu adoro frio” – o que não é totalmente mentira, pois eu realmente prefiro o clima frio, exceto quando ele arruina o verão. O fato é que eu estava acostumada às quatro estações, as quais nos permitem sentir falta do frio quando está calor e vice-versa.

O verão de 2014 foi surpreendente pra mim, com dias seguidos de sol – e somente sol – e temperaturas que chegaram a 23 graus, fazendo-me pensar: que exagero falar mal assim do verão irlandês!

Neste ano, no entanto, depois de um inverno habitual de frio e escuridão, não recebemos a luz e o calor dos quais acreditávamos ser merecedores. E, semana após semana, fomos adiando e acreditando: o verão virá mais tarde este ano! Agora, na última semana de agosto, só podemos acreditar que fez bem quem deixou o país em busca do tão sonhado sol. Mas e o que restou para nós que ficamos?

O que posso afirmar é que os irlandeses não perdem tempo quando o assunto é aproveitar o verão, período do ano em que os dias são longos e o sol se põe lá pelas 9 horas da noite – quando ele aparece. A grande maioria dos dias é contemplada com a típica indecisão climática irlandesa, e, assim, no mesmo dia, você poderá experimentar: chuva, sol, vento e, com sorte, talvez até neve ou granizo.

Mas nos premiados dias de sol, com máxima de 20 graus, o povo invade os parques, as ruas, e a área externa dos pubs e restaurantes fica lotada. A frase de cumprimento que não falta é: “Que dia, hein?”. Felicidade define! Nos parques, há pais apreciando a luz do sol junto aos filhos, há casais apaixonados, colegas no intervalo do trabalho, amigos fazendo piqueniques, cães e seus donos, imigrantes saudosos como eu, enfim, todos disputando um lugar ao sol e à grama. E até quem trabalha dá o seu jeito de aproveitar um raro dia de sol:

Fonte: Arquivo pessoal
Imagens: Iveagh Gardens (superior) por Gabriela Almeida. Alimentando os veados no Phoenix Park (inferior). Fonte: Arquivo pessoal

Uma boa pedida para o verão irlandês são as trilhas, já que os dias são longos e agradáveis – quando não frios -, ideais para passar horas caminhando em contato com a natureza. E que natureza! Nas duas trilhas que fiz neste verão, encontrei muitas famílias com crianças, o que prova que a garotada também curte uma aventura!

E por falar nos baixinhos, eles são os que menos se importam com o tempo. Pra eles, é férias, é verão e o importante é curtir. Na praia de Bray, por exemplo, há esse parque de diversões durante a temporada e se torna ótima opção ao ar livre, já que o mar não está pra peixe. Entre um brinquedo e outro, é bom dar uma paradinha para tomar aquele sorvete delicioso do Gino’s. Diversão garantida!

Mas eu gosto mesmo é de viajar de carro pelo interior da Irlanda. As paisagens são arrebatadoras e, com um pouco de sorte, se o tempo estiver bom, você conseguirá fazer boas fotos e aproveitar o dia. Não foi o que aconteceu comigo quando visitei os Rings of Kerry, The Aran Islands e os Cliffs of Moher, mas o mau tempo não me impediu de apreciar os lugares e me divertir. Fica aquele desejo de voltar num dia melhor.

Ainda que com temperaturas na casa dos 10 graus, há quem se arrisque a um mergulho, detalhe: sem vestir long. Praticantes de atividades aquáticas, no entanto, procuram fazer uso desse recurso para suportar a baixa temperatura da água. Assim, todos tentam, de alguma forma, curtir a beira mar. As crianças, claro, não dispensam o bom e velho castelo de areia.

No verão, há festivais por toda parte e os parques são invadidos por uma atmosfera cultural e divertida. É uma delícia sentar-se no gramado e curtir as apresentações, como puder fazer no show da banda irlandesa Key West no Laya City Spectacular, no Merrion Square Park. E melhor: de graça! Além de atrações musicais, o festival contou com apresentações circenses, shows de ciência, workshops de LEGO, aulas de yoga, feira de produtos locais, e diversas brincadeiras para a criançada, afinal, falar de Irlanda é também falar de criança, pois as famílias aqui costumam ter, em média, três filhos. Neste ano, tivemos também os shows do Foo Fighters, Hozier, Ed Sheeran, Paolo Nutini, entre outros; a maioria deles em parques.

Ainda nos parques, o barato é curtir uma sessão de cinema sob as estrelas. É só esperar o sol se pôr, enrolar-se a um cobertor e aguardar a telona ganhar vida. Se bater a fome, há barraquinhas com diversos tipos de comida. A sessão custa apenas 5 euros. Diversão garantida para os amantes do cinema!

As opções de lazer são inúmeras e claro que no verão preferimos as atividades ao ar livre para aproveitar a luz dos longos dias, mas às vezes temos de recorrer às velhas alternativas do inverno: um cinema, o conforto de um café, o aconchego dos pubs, ou quem sabe curtir uma apresentação teatral como o Riverdance, um espetáculo de sapateado que mostra muito da cultura irlandesa e que se apresenta em Dublin de maio a agosto há vinte anos, como diz o próprio slogan deles: “o verão em Dublin não seria o mesmo sem o Riverdance Original”.

Seja de carro, de trem, de bike ou bus, o verão irlandês, apesar de ser uma piada, é uma piada divertida pra quem tem senso de humor e sabe aproveitar bem os dias, mesmo os de chuva e frio. Parecemos doidos fugindo da sombra, olhando para o céu e clamando: “ahh, nuvem, saia da frente do sol, por favor!”. Claro que nem sempre esse bom humor prevalece, pois o clima daqui adora nos pregar peças: às vezes, basta chegar à praia ou ao parque e o clima muda, e, quando você volta pra casa, o sol volta a brilhar. Agora você já sabe: seja persistente! Ficaremos aqui à espera de um verão como o de 2013, registrado como um dos melhores dos últimos anos, com direito a praias lotadas e irlandeses naturalmente bronzeados, se é que podemos chamar isso de bronze. E, no mais, use filtre solar! Não, não é uma piada!

Imagens de Luz Pereira - verão de 2013 em Dun Laoghaire, Killiney. E Inishmore (canto inferior direito) em Agosto de 2015. Fonte: Arquivo pessoal
Imagens de Luz Pereira – verão de 2013 em Dun Laoghaire, Killiney. E Inishmore (canto inferior direito) em Agosto de 2015.
Fonte: Arquivo pessoal

E se vocês ficaram com vontade de curtir um pouco mais do verão irlandês, assistam a este vídeo e entendam por que perdoamos o mau tempo.

Related posts

Filmes irlandeses – Parte 1

Andréa Soares

A beleza do interior da Irlanda

Bárbara Hernandes

Pelas ruas de Dublin

Milene Maciel

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação