BrasileirasPeloMundo.com
África do Sul Turismo Pelo Mundo

Kruger ou Pilanesberg?

Kruger ou Pilanesberg?

Eu me deparo com a pergunta título desse texto ao menos uma vez por semana! Seja nos grupos de Face, seja uma mensagem de algum amigo, seja em conversas com a família, há sempre alguém querendo saber qual é a melhor opção de parque na África do Sul para encontrar “os bichos”.

Você quer riscar da sua lista “vi os big 5”? Acho que o principal ponto é: vai depender da sorte! Como os rangers dizem, estamos falando de um ambiente o mais próximo possível do selvagem, você não pode “telefonar” para um leão e pedir para que ele apareça perto de seu carro.

Leia também: Dirigir na África do Sul

Logo, é importante não focar somente em ver esse ou aquele animal, e sim aproveitar todo o contexto de um safári: observar os grupos interagindo, as mudanças de vegetação de uma área para outra, curtir o nascer ou pôr-do-sol em meio à natureza exuberante. Ao invés de reclamar de que não aguenta mais impalas pelo caminho (o antílope mais numeroso), por que não tentar estimar o tamanho dos grupos, procurar o filhote mais novo, ou observar um pássaro pousando no focinho de um deles? Normalmente os turistas possuem menos de uma semana para fazer esses passeios, aproveite cada segundo porque acaba logo!

Muitas opções

Há opções para todos os gostos e bolsos: existem ao menos 23 parques nacionais e dezenas de reservas privadas espalhados pelo país. Alguns dos públicos possuem a opção de safári, enquanto outros são locais para explorar as paisagens, fazer trilhas, encontrar cachoeiras e animais menores.

Já as reservas privadas são fazendas imensas cheias de animais selvagens que foram artificialmente inseridos. Por isso, muitas vezes eles são alimentados por tratadores , tornando esse ambiente mais distante do hábitat natural.

Então, por que a dúvida gira normalmente entre Kruger e Pilanesberg? Porque o Kruger é o maior e mais famoso parque, enquanto o Pilanesberg é o mais próximo de Johannesburg, destino dos voos diretos vindos do Brasil. Vamos então aos principais pontos a considerar em seu planejamento.

Acesso

Pilanesberg fica a 230 km do aeroporto OR Tambo, dando um trajeto em torno de 3h20min. As estradas são, na maioria, de pista simples mas tranquilas para trafegar. Muitas agências oferecem safári de um dia, bate e volta de Johannesburg.

Já a viagem ao Kruger vai demorar umas 5 horas para percorrer 500 km, dependendo do portão escolhido para entrar e das condições das estradas menores, e em torno de mais uma hora entre o primeiro e o segundo portões. Parte das rodovias são de pista dupla e bem conservadas, e algumas estradas nas regiões de Graskop e Nelspruit já são mais esburacadas. Quando fomos em dezembro de 2018 havia diversos canteiros de obras, então acredito que estejam melhores agora.

Tamanho

A diferença é monstruosa: Pilanesberg possui 500 km2 com aproximadamente 7 mil animais (dados do site do parque), enquanto o Kruger tem impressionantes 19,5 mil km2, sendo o sexto maior do mundo, de acordo com minha pesquisa! São 360 km de extensão por 40 km de largura, com mais de 252 mil mamíferos (SANParks, 2010).

Matematicamente, os parques possuem quantidades parecidas de animais por quilômetro quadrado. Como ambos têm os big 5 (leão, elefante africano, búfalo-africano, leopardo e rinoceronte, os mais difíceis de serem caçados), a preferência é uma questão pessoal: se você tem mais tempo e está disposto a percorrer muitos quilômetros, o Kruger é uma ótima opção, se você possui pouco tempo na África do Sul e não se imagina muitas horas dentro de um carro procurando bicho, o Pilanesberg vai atender melhor suas expectativas.

Sempre leio nos grupos do Facebook que é mais difícil de encontrar os grandes felinos em Pilanesberg, mas minha experiência pessoal foi contrária: somente lá consegui ver leões, guepardos e rinocerontes, e no Kruger ficamos a maior parte do tempo só vendo paisagem. Por outro lado, somente lá encontramos um grande pássaro que está em risco de extinção.

Selfie com a zebra em Pilanesberg – Acervo pessoal
Preços

Considerando gastos com deslocamento, o combustível gasto no Kruger vai ser praticamente o dobro com relação a ir até Pilanesberg. Para efeitos de cálculo, um litro de gasolina está R$ 4,60 em minha região. Além disso, vai ser necessário contar mais um dia para o deslocamento até o Kruger, portanto mais uma diária de aluguel de carro.

Já a taxa de conservação por dia é de R 110 por adulto (R$ 28) e R 40 por carro em Pilanesberg, enquanto no Kruger é R 372 por adulto.

Com relação a valores de hospedagem, a situação é similar para ambos os parques: uma questão de pesquisa e budget. É possível ficar em restcamps dentro do Kruger com diárias a partir de R$ 200/pessoa na alta temporada. Já o luxuoso Sabi Sabi, pode custar mais de R$ 4mil/pessoa apenas para encostar a cabeça no travesseiro, com pacotes chegando a R$ 54mil para o casal.

Em Pilanesberg, é possível encontrar diária para casal a R$ 260 em hotel próximo ao parque, e em minha pesquisa de outubro, verifiquei que ficar em Sun City em dezembro/2019 está variando entre R$ 670 e R$ 1.400 o casal.

O mais importante é fazer as reservas com antecedência, porque os lugares vão lotando e só sobram os mais caros, caso ainda consiga! Em geral, ainda há boas opções dois meses antes das datas desejadas.

Opções de passeios

Considerando passeios adicionais, em Pilanesberg o game drive (naqueles carros de safári abertos, dirigidos por guia) de 3 horas sai por R 660/adulto, e o famoso passeio de balão custa R 5000/pessoa. Uma grande vantagem desse parque é ter o Sun City Resort como vizinho, um complexo com diversos hotéis, restaurantes, parque aquático, golf e cassino. Caso esteja hospedado lá, é possível acessar todas essas atrações. Caso contrário, o day visit sai R 195 por adulto.

No Kruger, é possível fazer game drives a partir de R 350 por pessoa. E a vantagem dessa região é estar próxima à Rota Panorâmica, uma estrada de 72 km que segue o Blyde River Canyon, o maior cânion da África do Sul. Ela é repleta de cachoeiras e mirantes deslumbrantes, um dos lugares mais bonitos que vi nesse país até agora.

Blyde River Canyon com direito a arco-íris! – Acervo pessoal
Malária

Pilanesberg é uma área livre de malária, enquanto o Kruger fica numa região de baixo risco. Mas ele existe! Portanto, optando pelo segundo, é essencial passar repelente diversas vezes por dia, inclusive antes de ir ao banheiro. Um dos momentos em que os pernilongos mais atacam é quando baixamos as calças!

Leia também: Pontos turísticos da Cidade do Cabo

Espero que esse texto seja útil no planejamento de sua viagem. Independentemente da escolha, tenho certeza de que irá se divertir muito em seu safári! Bom passeio e conte comigo, é só deixar seu comentário!

Related posts

Dicas de turismo em Atenas em 3 dias

Clarissa Gaiarsa

O dia em que choveu na minha ópera em Verona

Marina Mazzoni

Ecoturismo na Costa Rica

Franciane Reis

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação