BrasileirasPeloMundo.com
EUA

Como economizar morando nos EUA

Em setembro de 2014, o Estadão divulgava uma matéria sobre o aumento da cotação da moeda americana, neste momento da história especulavam-se os motivos da subida repentina da moeda que atingia R$2,14 . Um ano depois, em setembro de 2015, o Estadão publica uma matéria sobre a maior cotação do dólar desde 2002, nesse momento a moeda americana chegou a atingir R$3,90. Na sessão de Economia da UOL é possível verificar a variação cambial do dólar em um certo período de tempo e somente neste ano, de janeiro a julho/2016, o dólar variou entre R$4,16 e R$3,21, dificultando os planos para quem quer realizar intercâmbios, sair de férias e até mesmo cursar um MBA no exterior.

Apesar desta insegurança e imprevisibilidade econômica, ainda é possível viajar a turismo ou mesmo morar nos Estados Unidos. Esta tarefa, no entanto, requer mais planejamento, muita pesquisa e muito comprometimento!
Se você está no processo de decisão, se vai morar, estudar ou passear nos Estados Unidos, algumas questões podem lhe ajudar a se preparar melhor para as oscilações cambiais:

1) O que esta viagem/mudança irá causar na sua vida? Quando estabelecemos um propósito bem específico e valioso, qualquer sacrifício que façamos deixa de ser sacrifício e passa a ser algo que lhe traz mais perto do seu propósito. Ex. É meu sonho conhecer os Estados Unidos, dar uma guinada na minha carreira, fazer um MBA, quero aprender inglês de uma vez por todas e buscar uma promoção no trabalho.

2) Como estou me relacionando com o dinheiro? Faço muitos contatos profissionais no Brasil diariamente, e sinto que o clima é de escassez, pânico e desmotivação. Você está se relacionando com o dinheiro desta maneira?  Quanto mais pensamos e verbalizamos essas nossas preocupações, maior a chance de nos afastarmos cada vez mais do dinheiro. Sim! Até nosso relacionamento com o dinheiro pode ser modificado para melhor e aqui vai uma dica: imagine, por um instante, que o dinheiro está em todo lugar, está disponível e acessível para todos nós. Imagine que sempre existe alguém, em algum lugar, disposto a pagar por alguma coisa que você possui, sejam habilidades, produtos, pensamentos ou o que quer que seja. Você só precisa encontrar a sua porta de entrada para este mundo de possibilidades.

3) Planeje-se! Antes de viajar ou se mudar para os Estados Unidos, pesquise a cidade para onde você está indo. Pesquise restaurantes na área, pesquise supermercados, pesquise o salão de beleza, a gasolina, a farmácia, pesquise o seguro-saúde, o ingresso do cinema, as lojas de outlet. Inclua nesta pesquisa todas as atividades que você gosta de fazer. Estruture a sua entrada e saída de dinheiro, saiba e entenda os números e planeje também uma reserva para gastos emergenciais. Esse não é o momento de restringir nenhuma atividade ou valores.

4) Faça duas listas: uma de gastos Essenciais e a outra de gastos Extras. Some os itens das duas listas separadamente e descubra quanto você terá de gastos aproximadamente.

• Se você está somente viajando, na lista de Essenciais, inclua tudo aquilo que você gostaria de adquirir enquanto viaja e tudo que você gastar para se acomodar nos Estados Unidos, como hotéis, aluguel de carro, seguro saúde, alimentação, transporte e atividades turísticas. Na lista de Extras, você inclui tudo que você gostaria de fazer ou comprar, caso sobre dinheiro.
• Se você está de mudança, na lista de Essenciais, inclua tudo que precisa para viver confortável e seguramente. Compras de mercado, gasolina ou transporte público, móveis (incluso somente no primeiro mês da lista), seguro saúde, medicamentos básicos, aluguel, seguro do carro, TV a cabo, internet, celular, etc. E na lista dos Extras, inclua tudo que gostaria de fazer, caso todo o resto esteja pago.

5) Seja consistente com o seu plano. Siga o seu planejamento, com responsabilidade e faça os ajustes necessários quando preciso.

6) Por último: sempre que conseguir fechar seu orçamento com os valores certos ou com sobra, permita-se uma regalia! Escolha algo da sua lista de Extras e se dê um presente! O reconhecimento e a satisfação são muito importantes nesse processo, uma vez que nos relembram que todo esse planejamento é para o nosso bem e está alinhado com nossos objetivos a longo prazo!

Como tudo o que é novidade, os primeiros meses serão de adaptação. Lembre-se de ser flexível e aberta a novas possibilidades. Troque ideias com pessoas que passam por estes processos, ouça cuidadosamente e teste o que melhor funciona pra você. Depois de algum tempo, a rotina entra em ação e mal lembramos das variações cambiais e da instabilidade econômica do Real, no entanto vale a pena ficar de olho e revisitar seu plano financeiro de tempos em tempos!

Boa sorte!

Related posts

5 dicas para se tornar uma empreendedora nos EUA

Patrícia Penna

Quanto custa fazer supermercado nos EUA

Liliane Oliveira

Itens curiosos na lista de compras dos brasileiros

Cristina Wollenberg

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação