BrasileirasPeloMundo.com
Curiosidades Pelo Mundo Islândia

Curiosidades sobre a Islândia

Falando em curiosidades sobre a Islândia, eu poderia começar com a primeira presidente chefe de Estado eleita diretamente no mundo, Vigdís Finnbogadóttir, ou com a segunda maior taxa de natalidade da Europa (perdendo só para a Turquia, até onde pude descobrir). Ou com a ausência de exército e forças armadas – apesar de ou justamente por ser membro da OTAN, mas vou citar algumas coisas que me fascinam, porque não tinha visto em lugar nenhum antes.

Vigdís Finnbogadóttir, a primeira mulher a ser eleita chefe de Estado por voto direto no mundo.
Vigdís Finnbogadóttir, a primeira mulher a ser eleita chefe de Estado por voto direto no mundo. Foto: forseti.is

A água fria da torneira é de graça, não existe conta de água.
Paga-se uma taxa fixa, “embutida” no imposto predial. E eu disse fria, porque na Islândia há dois canos diferentes, um para a água fria e outro para a quente, que chega às casas com uma temperatura média de 70°C e esta, sim, custa para o consumidor – apesar de bem pouco, se comparada ao preço de outros países europeus.
Segundo os próprios islandeses, a água que corre direto de fontes para os canos da população é a melhor água do mundo, o que não é difícil de acreditar, pois a natureza aqui é praticamente intocada, e a água de alguns rios de geleira é limpíssima, clara e totalmente insípida, bem como a que bebemos. Isso é confirmado pela OECD, Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico: a água não tem vestígio nenhum de metais nem contaminação e é deliciosa, já que não tem gosto de nada.
Na Islândia, é perfeitamente normal não pedir bebida para acompanhar o almoço num restaurante, só água da torneira. Também pode-se lavar o carro sem pagar nada em postos de gasolina que, geralmente, têm uma mangueira e escovão. Claro que só com água, o sabão é pago.

As ruas e calçadas são aquecidas por canos de água quente
O inverno na Islândia é longo e frio, embora mais ameno do que se possa imaginar, pelo menos na capital, Reykjavik. As estatísticas oficiais relatam uma média de 21 dias por mês de congelamento do solo entre novembro e abril, a temperatura média é pouco abaixo zero nesses meses (a média anual é 5°C). Como aqui abundam gêiseres, fontes termais e água vulcânica, os islandeses tiveram a brilhante ideia de aquecer suas ruas e calçadas para derreter o gelo e a neve, simplesmente encanando o escoamento da calefação das casas. Essa água, mesmo com 30°C a 40°C ainda é quente o bastante para evitar escorregões ou patinação involuntária de humanos e veículos.
Em Reykjavik, somente as principais vias são aquecidas, mas a prefeitura facilita a instalação desse sistema para pessoas que o desejarem ter em sua calçada particular, o que é muito prático quando há tempestades, pois nos livra de ficar tirando a neve com a pá ou quebrando o gelo acumulado na frente de casa.

A emissora de TV pública RÚV só funciona a partir de 16:45 h
A maioria dos países europeus tem uma TV pública que é mantida por taxas, fundos de governo e comerciais, a maior de todas é a famosa BBC do Reino Unido. Em alguns países, faz-se o registro dos aparelhos de TV e rádio por declaração, ou seja, se você diz que só tem um rádio, só paga a taxa pelo rádio. Na Islândia, existe um imposto de “radiodifusão” ou telecomunicação compulsório – todo mundo paga, mesmo que nem possua os aparelhos. Esse imposto e escassos anúncios comerciais sustentam a produção nacional dessa emissora. Mesmo com um orçamento relativamente pequeno, a programação é de alta qualidade, voltada para temas locais, com o intuito de preservar a língua e a cultura do país.
Durante o dia, o canal 1 transmite a programação de rádio da mesma emissora pública e, a partir das 16:45h, os programas televisivos. A maior parte deles é repetida nas manhãs do fim de semana e a noite é reservada para as novidades e filmes estrangeiros.
Há vários canais privados de TV a cabo, também islandeses, mas a RÚV ainda é a mais respeitada e líder de audiência nos noticiários. Eu imagino que todo mundo está mesmo na escola ou no trabalho até o fim da tarde, e os aposentados, que seriam a audiência mais provável, estão na piscina, ponto de encontro típico islandês.

Notícias em linguagem de sinais
E, por falar em TV, os deficientes auditivos têm um noticiário dedicado somente a eles todos os dias, no mesmo horário. Lembro de uma pausa que fizeram uma vez durante um jogo ao vivo da Copa da UEFA para transmitir o noticiário no seu horário infalível.
Qualquer evento público tem tradução simultânea para deficientes auditivos, inclusive concertos, como na abertura do programa de Advento da prefeitura de Reykjavik deste ano, veja a intérprete do lado direito do palco aqui.
Fico emocionada com o respeito e carinho pelos cidadãos portadores de necessidades especiais na Islândia. Praticamente todos os prédios públicos têm acesso para cadeirantes, e há até um programa na TV muito divertido e enriquecedor, feito e apresentado por pessoas com necessidades especiais chamado “Com nossos olhos”.

Med_okkar_augunm
Apresentadores do programa “Með okkar augum” (Com nossos olhos) da TV pública islandesa RÚV. Foto Facebook, Fanpage.

A Islândia não tem árvore
Não é bem assim, mas é verdade que a paisagem lunar impressiona logo no caminho do aeroporto para a cidade, pois somente 2% do país têm florestas. Há duas teorias sobre a ausência de árvores na Islândia: a primeira é a de que a ilha era coberta por coníferas e os vikings derrubaram e queimaram tudo. A segunda é a de que o clima adverso e as erupções vulcânicas não permitem que nada cresça por aqui, além de uma vegetação baixinha de arbustos que gerou a piadinha preferida dos islandeses sobre isso: “o que você faz se estiver perdido na floresta da Islândia? Você se levanta!”
Mas eles estão trabalhando muito para mudar isso e são campeões em reflorestamento, por ano plantam-se 80 mil mudas que já dão uma nova cara às cidades e algumas regiões não urbanas também.

A Islândia é o país que mais lê e produz livros no mundo
Apesar de pequenina, com 330 mil habitantes, a Islândia publica mais de 1.000 títulos por ano, o dobro do que a Suécia, Noruega, Dinamarca e Finlândia produzem per capta, e lança mais autores que qualquer outro lugar no mundo. O livro ainda é o presente mais tradicional no Natal e, apesar de não ser tão barato, ocupa até as prateleiras dos supermercados mais populares do país. O imposto sobre livros é bem baixo, somente 11%, menos da metade dos 24% sobre demais mercadorias.

Às vezes pode parecer exagero dos guias turísticos enumerando esses títulos de “melhor do mundo”, mas o que se pode esperar de um povo que lê muito?
Os caracteres reservados a este texto se esgotaram antes das curiosidades sobre a Islândia, então… bless og takk fyrir!

Related posts

Inverno na Islândia

Erika Martins Carneiro

Dez curiosidades sobre a Romênia

Bruna Roland

Entendendo alguns costumes indianos

Bárbara Oliari

43 comentários

claudia barcellos Janeiro 28, 2016 at 10:33 pm

sou apaixonada pela islândia. ler teu texto me fez ficar ainda mais. parabéns

Resposta
Erika Martins Carneiro Fevereiro 2, 2016 at 11:18 am

A Islândia é realmente fascinante, obrigada por ler, Claudia! Abraço.

Resposta
Tatiana Lazarini Janeiro 29, 2016 at 1:33 am

Excelente!!! Adoro acompanhar as novidades com seus textos! Beijo e bom inverno aí 😉

Resposta
Erika Martins Carneiro Fevereiro 2, 2016 at 11:13 am

Obrigada por ler e acompanhar, querida! Beijo, venha aqui um dia no inverno para ver como é…

Resposta
Bárbara Hernandes Janeiro 29, 2016 at 10:52 am

Nossa, achei essas curiosidades super super interessantes! Eu não sabia que a Islândia produzia tanto livro e nem que eles esquentavam as ruas principais dessa maneira – uma ideia muito boa! Esse país parece ser fascinante, espero poder conhecer um dia! 🙂

Resposta
Erika Martins Carneiro Fevereiro 2, 2016 at 11:12 am

Fico feliz que você gostou, Bárbara. Obrigada por ler, espero que você venha mesmo, é um país lindo! Boa sorte!

Resposta
Erika Martins Carneiro Março 14, 2016 at 12:28 am

Obrigada por ler, Bárbara! Fico feliz que gostou do post. Espero ver você um dia por aqui, abraço!

Resposta
Adriana Mena Janeiro 29, 2016 at 8:26 pm

Parabéns Erika Martins Carneiro, ótima matéria!

Resposta
Erika Martins Carneiro Fevereiro 2, 2016 at 11:11 am

Muito obrigada, Adriana, fico feliz que você gostou! Abraço.

Resposta
Brunno B Branciforte Janeiro 30, 2016 at 2:29 am

É um país muito lindo!

Quando fui em Jan/2015 queria voltar assim que sai! rsrsrs….sobre a agua, ela tem um cheiro estranho mesmo ne? toda vez que eu tomava banho (depois do tour para ir para a rua dos bares rs) eu não queria por causa do cheiro de enxofre srs… ou era soh na casa que fiquei?

voce viu que outro dia uma vaca entrou numa jacuzzi ou algo assim? rsrsr

Resposta
Erika Martins Carneiro Fevereiro 2, 2016 at 11:09 am

Oi, Bruno,
a água quente tem mesmo um cheiro bem forte, mas é só a quente, a fria é totalmente inodora. É um país lindo, entendo sua vontade de voltar.
Muito obrigada por ler o blog, mês que vem tem mais. Abraço.

Resposta
Sonia Gabiatti Fevereiro 1, 2016 at 7:40 pm

Como todos os seus textos anteriores, uma delícia de se ler e muito interessante!

Resposta
Erika Martins Carneiro Fevereiro 2, 2016 at 10:57 am

Obrigada por ler e compartilhar, querida! Beijo, você é muito generosa!

Resposta
Rosário Martins Fevereiro 2, 2016 at 10:14 pm

Muito bom Erikinha, quanta coisa interessante estamos conhecendo através dos teus textos sobre essa linda e desenvolvida terra!!! Bjssssssssssssssss

Resposta
Erika Martins Carneiro Fevereiro 3, 2016 at 10:25 am

Obrigada por ler e compartilhar, tia querida!
Beijo enorme

Resposta
Paula Bastos Fevereiro 8, 2016 at 3:58 am

Oi Erika. Q coincidencia ver seu post acabo de comentar com uns amigos aqui em Ilhabela onde estou de férias q meu sonho eh morar na escandinávia. Sou portuguesa mas professora universitária no Brasil onde moro há 14 anos mãe de duas meninas de nove. Uma com paralisia cerebral cadeirante mas com cognitivo preservado. Desde q me separei morei em sp agora Brasília mas sinto q não tem lugar para minha filha aqui adorei suas estórias como foi parar aí e como faz sendo mãe de duas? presumo q seja sozinha também.

Resposta
Erika Martins Carneiro Fevereiro 8, 2016 at 3:02 pm

Olá, Paula,
fico feliz que você gostou do post. A Islândia é um lugar fantástico para pessoas com necessidades especiais, há muito respeito humano aqui.
Felizmente não estou sozinha com as minhas meninas, meu marido islandês é o motivo da minha mudança para cá. Nem tudo é perfeito, o clima aqui é terrível e a vida é bem cara, mas não posso reclamar, porque a segurança não tem preço.
Desejo tudo de melhor para as suas meninas e, se um dia vier aqui, não hesite em me procurar. Um abraço.

Resposta
Luiz Sergio Fevereiro 8, 2016 at 9:49 am

Esse é um dos lugares que preciso conhecer

Resposta
Erika Martins Carneiro Fevereiro 8, 2016 at 2:55 pm

Venha, mesmo, Luis Sérgio! É só avisar para a gente colocar mais água no feijão!
Obrigada por ler o blog, abração.

Resposta
Ingrid Luiggi Fevereiro 8, 2016 at 2:14 pm

Adorei seu texto Érika! Vou passar a lhe acompanhar! Tenho um blog de viagem, o luigginomundo e sou fascinada por conhecer lugares novos! Beijo grande

Resposta
Erika Martins Carneiro Fevereiro 8, 2016 at 2:53 pm

Obrigada, Ingrid! Que bom que gostou, vou acompanhar seu blog também!
E quando quiser vir aqui se inspirar, será muito bem vinda, é só avisar! Beijo

Resposta
Mateus Souza Fevereiro 9, 2016 at 1:09 am

Mais um excelente texto, parabéns!

Resposta
Erika Martins Carneiro Fevereiro 15, 2016 at 1:21 am

Muito obrigada, Mateus! Abração

Resposta
Lia Fevereiro 9, 2016 at 3:52 am

Que legal Erika. Será que um dia eu vou aí?!?! Tomara, morro de curiosidade de conhecer este pequeno paraíso na terra. Tudo de bom e sucesso pra vc com sua brilhante matéria!????????????

Resposta
Erika Martins Carneiro Fevereiro 15, 2016 at 1:21 am

Venha, sim, tia Lia! Muito obrigada por ler e comentar, fiquei super feliz! Beijo grande a todos aí!

Resposta
Adriana Lamin Março 26, 2016 at 2:44 pm

Olá, adorei ler suas materias,quero muito conhecer a Islandia ,estamos programando para o ano que vem!
Tive uma experiencia maravilhosa , hospedei na minha casa um intercabista Islandes , Saevar , um jovem maravilhoso ,educado ,gentil e muito mais qualidades , incrivel como aprendemos com ele , e ele veio para aprender o idioma e nossa cultura , acho que conseguimos ensinar alguma coisa , mas aprendemos muito com ele , ele foi embora dia 15 de janeiro e sentimos muito sua falta!!

Resposta
Erika Martins Carneiro Março 28, 2016 at 12:45 am

Obrigada, Adriana, fico feliz que você gostou!
A Islândia é um lugar realmente lindo e fascinante, venha mesmo e provavelmente vai gostar muito!
Abraço.

Resposta
Lilian Junho 28, 2016 at 10:45 am

Que delicia de post!! E a vontade de conhecer a Islândia só aumenta! Obrigada por compartilhar conosco suas experiências. Bjkas

Resposta
Erika Martins Carneiro Julho 6, 2016 at 9:21 pm

Obrigada, Lilian!! Venha que a gente se encontra por aqui! Beijo

Resposta
Adriana Gimenes Junho 28, 2016 at 11:38 pm

Estou impressionada! Eu não tinha muito conhecimento sobre a Islândia, agora fiquei com vontade de conhecer. Belo trabalho Erika!

Resposta
Arthur Soares F. de Matos Julho 4, 2016 at 6:21 pm

Cara Érika,
primeiramente agradeço-a por disponibilizar através de seus ótimos textos um pouco do que é a Islândia, sobretudo àqueles que não tiveram a oportunidade de conhecer a ilha ainda. Como já havia lhe falado, sou um amante da Islândia há anos, desde guri, aonde a geografia me fascinava (e ainda fascina) e, no meu Atlas mundi, aquela pequena ilha nórdica me chamou a atenção, aguçando o meu interesse em estudá-la especificamente.
Lá se vão anos (uns 10) e cada dia mais me encanto pela Islândia, ainda que através de papéis, ilustrações e documentários. Venho tentando aprender, diante da correria do dia a dia e ainda que basicamente, a língua Viking, e tenho me divertido muito, apesar da dificuldade. Quem sabe algum dia não consiga estudar por algumas temporadas o Islandês “in loco” rs, apesar de ter me relatado não ter gostado muito e, também, por ser um método “islenska fyrir alla”! Me inspiro muito na história do gaúcho e islandês naturalizado Luciano Dutra, não sei se o conhece; vira e mexe dou uma espiada na editora que o mesmo fundou, a Sagarana Forlag, ainda que não entenda muito muita coisa, mas, é até mesmo para me familiarizar com a escrita da língua.
Enfim, aproveito para agradecer também por ser tão atenciosa para com nós, leitores e admiradores de seus textos e da Ilha, não só por aqui como também pelas redes sociais.
Obrigado.

Resposta
Erika Martins Carneiro Julho 6, 2016 at 9:52 pm

Muito obrigada, Arthur! Fico feliz que você gostou e que continua acompanhando as postagens do blog.
Conheço o Luciano Dutra, sim, a comunidade brasileira é super pequena lá e ele é famoso. Ele é a prova de que você consegue tudo se se esforçar, ele se dedicou muito à língua e hoje é um tradutor respeitado.
Espero que você realize seu sonho de estudar islandês por lá, sim!
Te mando dicas sobre islandês em breve, tenho que me atualizar.
Abraço

Resposta
Arthur Julho 5, 2016 at 4:50 pm

Belíssimas matérias, cara Érika.

Resposta
Erika Martins Carneiro Julho 6, 2016 at 9:17 pm

Muito obrigada por ler e comentar, Arthur! Abraço

Resposta
Jussanam Outubro 5, 2016 at 8:13 pm

Mesmo vivendo num lugares mais lindos do mundo, a Riviera Francesa, sinto muita saudade da Islandia principalmente porque eh um pais do qual podemos nos orgulhar. Eu me orgulho. Bjs Erika querida.

Resposta
Erika Martins Carneiro Outubro 6, 2016 at 12:03 am

É verdade, Jussanam, a Islândia tem muita coisa boa, mesmo morando longe, dá saudade.
Beijos. Obrigada por ler e comentar.

Resposta
Thiago Outubro 7, 2016 at 1:39 am

Olá Erika ! Fascinante seu relato sobre a Islândia. Mas conte-me, como faz mais ou menos para se mudar para a Islândia e se integrar na sociedade? Vejo muitos relatos de pessoas que moram nesses países, mas muitos deixam de fora o que fizeram para conseguir fixar residência ai. Talvez essa possa ser até uma sugestão de tema de uma próxima coluna, mas é uma pergunta para a qual eu e muitos outros, indubitavelmente, almejamos a resposta, visto que, principalmente, a situação do nosso país está indo de mal a pior, e ninguém mais aguenta a baderna que se instalou aqui. Obrigado. Muito sucesso e felicidades!

Resposta
Erika Martins Carneiro Outubro 7, 2016 at 4:42 pm

Olá, Thiago,
muito obrigada por ler e comentar. Devo confessar que eu não teria vindo parar aqui se não fosse meu marido islandês que conheci na Alemanha, há muitos anos. Estudávamos em Berlim naquela época e, na verdade, essa é a minha cidade preferida até hoje.
Por coincidência, escrevi um post respondendo a perguntas frequentes que recebo por aqui: “há trabalho na Islândia? Posso ir para aí como turista e depois conseguir visto?”. Não e não. Essas são as respostas. Se você só tem a cidadania brasileira, será muito difícil conseguir permissão de trabalho e residência na Islândia. A não ser que seja um especialista muito bom na área de TI ou design de jogos eletrônicos, dois setores que sempre têm vagas aqui e que contratam estrangeiros de qualquer nacionalidade.
Se você tem dupla cidadania de algum país da União Europeia ou Espaço Econômico Europeu, pode vir tentar algum emprego menos especializado no setor de serviços, como hotelaria (arrumadeiras, faxineiras, etc). vendedor, etc. Ou também como auxiliar em asilos de idosos, um setor com vagas constantes.
O problema é o excesso de mão de obra especializada no mercado, os islandeses mesmos têm mestrado e estão trabalhando em cemitérios ou como garçons em restaurantes porque o mercado não comporta tanta gente bem formada…
Tudo de bom para você, espero que leia o próximo artigo, esse das perguntas, sai no fim deste mês de outubro.
Felicidades!

Resposta
lutaconsumidor Dezembro 16, 2017 at 6:17 am

Existem árvores na Islândia, plantações, hortaliças, frutas. Cria-se o quê? Caprinos, ovinos, galinhas, porcos, etc. Cavalo já sei que tem.

Resposta
Sistema de ensino islandês Janeiro 3, 2018 at 1:18 pm

[…] – não é à toa que estamos no país que mais lê (per capta) no mundo, já mencionei isto aqui. Obviamente a grade de matérias é composta da velha e boa matemática, do islandês, estudos […]

Resposta
OTÁVIO OLIVEIRA Agosto 13, 2018 at 8:26 pm

BOA TARDE, GOSTARIA DE SABER COMO FAÇO PARA IR MORAR AI, ESTOU REALMENTE FASCINADO COM O PAÍS E SE PUDER ME DAR UMA AJUDAR GOSTARIA MESMO DE UMAS DICAS PARA PODER IR MORAR AI…
UM ABRAÇO DO SEU NOVO FÃ, OTÁVIO OLIVEIRA

Resposta
Liliane Oliveira Agosto 14, 2018 at 5:07 pm

Olá Otávio,
A Erika Martins Carneiro parou de colaborar conosco e, infelizmente, não temos outra colunista morando no país.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta
Carmen Março 15, 2019 at 7:57 am

Bom dia Erika!

Obrigada pelo textos.

Minha filha está inscrita para fazer Erasmus ai, como mãe preocupada que sou, estou a procurar todas as informações possíveis para conhecer a Islândia. Pois não é fácil ter uma filha tão longe e ficaremos mais descansados se estivermos preparados para o que ela vai enfrentar.
~
Mais uma vez muito obrigada, estou mais descansada com o que me transmitiu com os seus textos.

Muitas felicidades

cármen Campos

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação