BrasileirasPeloMundo.com
Luxemburgo

Delícias e dificuldades de morar em Luxemburgo

Delícias e dificuldades de morar em Luxemburgo.

Para nós, brasileiros, acostumados ao gelo do ar-condicionado para tudo, acostumar-se a ter 30 graus dentro de casa não é uma tarefa fácil e, pensando nesses “percalços” e diferenças de ambientação, que resolvi escrever o texto desse mês.

Clima

Tivemos um verão realmente maravilhoso por aqui esse ano (ao menos é o que todos me dizem). De acordo com uma propaganda que vi do município, 2018 registrou o julho mais ensolarado dos últimos tempos no país, com uma média alta de temperaturas e pouquíssima precipitação. A parte boa disso é que tivemos sol/claridade das 5h da manhã às 22h30min, o que nos permitiu aproveitar muito o dia, as pessoas estão sempre nas ruas, as ruas estão sempre floridas e a população está sempre sorrindo e aparentemente alegre. Parte ruim para quem vem do Brasil e está acostumada ao ar-condicionado limitado nos 22 graus: ter a temperatura dentro de casa mais alta ainda que na rua. Dormir com uma temperatura média de 27 graus não é nada confortável.

Como a maioria dos países europeus, Luxemburgo está extremamente preparado para as nevascas e para o frio, com calefação por tudo. Porém, por outro lado, não está nada preparado para um verão intenso com temperaturas tão altas. Este ano foi considerado um dos verões mais extremos dos últimos tempos na Europa, em virtude de uma onda de calor que esteve no continente vindo da África. A orientação do município nestes últimos dias era para as pessoas irem para repartições públicas ou comércios onde houvesse ar-condicionado – sim orientação oficial, acreditem!

Apesar do leve desconforto de alguns dias (porque geralmente à noite o clima é bastante agradável na cidade onde moro), o verão europeu e luxemburguês é extremamente convidativo para atividades ao ar livre. Como temos a liberdade de andar a qualquer horário nas ruas livremente e sem medo (essa é uma das delícias de morar por aqui), ir para um bar, happy hour, fazer esportes, tudo é possível, ainda mais quando se tem claridade nas ruas até 22h/23h em geral. Além disso, apesar da ausência de praia em Luxemburgo, a população explora ao máximo os parques da região, os rios (eu mesma moro de frente para um rio) e os lagos.

Dia a dia

A “prainha” apreciada pelos luxemburgueses fica aqui no norte do país e é de água doce. Aos finais de semana está sempre cheia e disputada por famílias, amigos, pessoas vindo fazer churrasco, praticar algum esporte (até mesmo oferecido pelo município) ou mesmo aproveitar o calor em um ambiente mais ameno. Considerando ser época de férias escolares e, portanto, época em que os pais também tiram de férias, a cidade fica bem vazia e os serviços reduzem bastante, bem como a frequência de público em casas noturnas e locais fechados – todos querem estar na rua e aproveitar o verão ao máximo.

Leia também: 9 coisas negativas da vida na Armênia para um estrangeiro

No meu caso, jogo em um time de futebol da cidade, estou inscrita no time de volei e de futebol oferecidos pela empresa, mas somente os treinos do futebol do time seguem ocorrendo. O resto só retorna a partir de setembro, quando acabam as férias escolares. Seria o equivalente ao mês de janeiro para nós do Brasil.

Tirando a parte do calor, estamos nos habituando e adaptando à vida em uma cidade pequena. Ir ao mercado é praticamente um compromisso na agenda. Ao contrário de Porto Alegre, onde tínhamos a facilidade de ter supermercado aberto durante os 7 dias da semana até às 24h por aqui, os mercados ficam abertos até 20h durante a semana e, aos finais de semana, até 19h.

Hoje, sábado, por exemplo, queríamos ter ido ao mercado, porém tivemos outros compromissos ao longo do dia e, quando nos demos conta, já eram 18h40min e não dava mais tempo. Por sorte, moramos por mais de um ano em Munique, onde também enfrentávamos essa dificuldade, então estamos mais acostumados. Mas, para quem vem do Brasil, pode ser um baque no começo até se adaptar aos horários de abertura e de funcionamento de lojas e mercados.

Opções de transportes

Além dessa mudança, há outras diferenças e adaptações a uma vida em um país pequeno. Enquanto no Brasil havia Uber para tudo e, em Munique, o trem circulava a madrugada toda, em Diekirch, onde moramos, o trem circula das 5h da manhã até 0h. Ou seja, se temos algum evento ou compromisso na vila (como chamamos Luxemburgo capital), precisamos nos programar para sair até no máximo 23h, para poder chegar em casa no mesmo dia, caso contrário, somente às 4h do dia seguinte para ter trem.

Não há Uber e vejo pouquíssimos táxis circulando. Não há “pontos” de táxi como havia em Porto Alegre, por exemplo. Uma colega apenas me indicou um aplicativo de táxis, porém, em comparação com a passagem de trem, que é muito barata, o táxi é bem caro.

Fonte: Pixabay

Entretenimento

A oferta de serviços e entretenimento também é limitada aqui em Diekirch. Há apenas um cinema (muito bom, por sinal!), poucos e pequenos restaurantes, que ficam abertos em horários bem específicos e obviamente não há tele-entrega. Apesar de Luxemburgo capital ser conhecida por reunir diversos restaurantes com estrelas Michelin, em Diekirch a oferta é proporcional ao tamanho da cidade.

Já ouvi brasileiros contando que chegaram tarde de viagem em Luxemburgo, por exemplo, e não havia nem McDonald’s aberto para comer. O supermercado também não era uma opção. Então, para morar aqui, é necessário se adaptar, principalmente para quem vem de capitais no Brasil e está acostumado à facilidade dos transportes privados, das tele-entregas, restaurantes e mercados abertos 24h, enfim, morar em um país pequeno tem as suas delícias (segurança, tranquilidade, senso de coletividade, etc), mas também tem suas dificuldades.

Por outro lado, para os brasileiros, temos um grupo e uma comunidade que sempre oferece diversos serviços em domicílio, o que torna a adaptação mais fácil (manicure, podologia, depilação, cabeleireiro, pintura, quitutes brasileiros e afins). Sempre há troca de informações, contatos, etc, que tornam os primeiros meses e o caminho mais fácil. A comunidade de brasileiros me ajudou e me ajuda bastante, até mesmo ligar para a IKEA da França para mim, um membro do grupo do Facebook ligou, pois eu não falo francês ainda.

Além disso, o governo oferece programas de integração para os novos moradores. Passamos por um curso de 6h divididas em duas manhãs de sábado, onde descobrimos sobre a cultura, política, economia, festas do país e pudemos conhecer novas pessoas, além de um minicongresso com palestras, estandes e afins e ainda ganhamos três vouchers de desconto para curso de línguas, pelo qual pagaremos EUR 10,00/semestre. Em setembro, devemos começar o francês.

Em três dias, completamos seis meses de mudança para Luxemburgo. As mudanças não foram poucas, a adaptação está recém começando, mas a experiência até aqui tem sido maravilhosa. A saudade de casa sempre está presente, a saudade dos abraços, do carinho que só o Brasil tem é uma parte cotidiana da vida de se morar fora, que só torna a ansiedade de visitar novamente o Brasil ainda maior.

Nos próximos textos já estaremos começando o outono por aqui. Mais novidades para contar.

Até outubro.

Related posts

Quero morar em Luxemburgo – como faço?

Patrícia Souza

As perdas que os brasileiros aprendem a viver morando em Luxemburgo

Carla Cunha

Morar fora e o medo da violência

Patrícia Souza

26 comentários

ANA PAULA FERNANDES Outubro 29, 2018 at 12:58 pm

Adorando acompanha os seus posts. Muito bom o conteúdo, parabéns!

Resposta
Patrícia Souza Outubro 29, 2018 at 4:09 pm

Obrigada pelo carinhoso feedback, Ana Paula. Abraço

Resposta
Azevedo Maio 15, 2019 at 10:30 pm

Boa noite so queria saber como somos casados em portugal se ele pode vir para o luxamburgo trabalhar com o documento de certidao de casamento e fazer o registo na comuna eu estou legal e o meu contrato de trabalho e efetivo mt obrigada

Resposta
Patrícia Souza Maio 16, 2019 at 1:54 pm

Olá, então, conforme comentei na minha resposta, depende. Depende do visto que você tem e do visto que o seu cônjuge possui. Caso você tenha um blue card, será necessario solicitar o visto para cônjuge que, no início, não permitirá trabalho, mas poderá ser alterado. Certidão de casamento não é permissão de residência e nem de trabalho. Caso você possa me passar mais detalhes tanto do seu visto quanto do seu cônjuge, eu posso ser mais específica na resposta….infelizmente somente com esses dados, fica bastante vago. Abraço carinhoso.

Resposta
Silvia Elaine Geraldi Fevereiro 3, 2019 at 5:35 pm

Vc conhece algum grupo De empregos para me add???

Resposta
Patrícia Souza Fevereiro 8, 2019 at 1:40 pm

Olá Silvia, infelizmente, não conheço, mas imagino que no Facebook deva haver opções.

Resposta
Karen Belmudes Fevereiro 27, 2019 at 6:34 pm

Oi Patrícia, tudo bom? Eu e meu esposo moramos atualmente nos EUA, estamos estudando inglês pois não falamos fluente ainda, depois de adquirirmos uma fluência maior pretendemos ir para a Itália reconhecer a cidadania dele e posteriormente nos mudarmos para Luxemburgo. Você tem alguma dica para a gente? Eu também faço faculdade online aqui de técnico em Negócios Internacionais, você acha que esse curso seria bom para mim aí no país? Seria mais fácil arrumar emprego ele tendo cidadania europeia?

Resposta
Patrícia Souza Fevereiro 27, 2019 at 7:23 pm

Olá Karen, tudo bem? Depende de quais dicas voce procura. Conseguir emprego em Luxemburgo sem graduação restringiria vocês à prestação de serviços e, nesse mercado, sem falar francês, as possibilidades são poucas. Eu sugiro vocês começarem a estudar francês em paralelo e concluirem ao menos algum curso t’ecnico. Não sei até que ponto cursos à distância são aceitos aqui. Espero ter ajudado, abraços

Resposta
Azevedo Maio 15, 2019 at 2:59 pm

Sou casado com uma braseira e trabalho no luxamburgo mas ela esta portugal posso trasela para ca mas para estar mos juntos e trabalhar mas casamos há pouco tempo 2 meses

Resposta
Patrícia Souza Maio 15, 2019 at 3:45 pm

Olá Azevedo, tudo bem? Fica um pouco vago eu lhe dizer qualquer coisa somente com as informações que você me apresentou. Qual seu visto/permissão em Luxemburgoi? Com qual visto/permissão ela está em Porgugal? Qual a qualificaçâo de vocês? Para qual mercado estâo buscando…enfim. Caso você ou ela sejam da comunidade europeia, isto é, tenham residência ou permissão ou passaporte de algum dos países da CE, ela pode transitar livremente pela Europa, assim como você e se estabelecer em qualquer país e a Europa determina que famílias não possam ser separadas, portanto vocês poderiam residir no país do cônjuge, caso tenham a permissão. Caso você esteja aqui com visto de trabalho ou similar, precisa aplicar para um visto para ela (e daí vai depender do visto que você tiver). Inicialmente ela teria de vir sem permissão de trabalho, apenas como cônjuge, mas posteriormente, vocês podem conseguir a mudança dependendo das qualificações dela e da necessidade do mercado de trabalho numa profissional como ela. Além disso, você precisará ter renda que compprove que consegue financiar vocês dois aqui com todos os custos, a’em de ter contrato de trbalaho e/ou situação legal de trabalho e estar vinculado ao sistema de seguridade social, pois ela deverá ser segurada sob seu sistema. Espero ter ajudado e fique à disposição para entrar em contato. Abraços

Resposta
Karen Belmudes Fevereiro 27, 2019 at 8:43 pm

Entendo Patrícia, muito obrigada pela resposta. Minhas principais dúvidas são realmente com relação a serviço, no Brasil eu também sou formada em técnico em Eletromecânica pelo CEFET/RJ, já essa graduação que eu estou fazendo é a distância mas o diploma é americano, eu teria que validar esses diplomas, tanto do técnico como da graduação, para serem válidos aí? A cidadania italiana então não influenciaria em nada se nós não tivermos uma graduação ou uma certa fluência no francês? Vou começar a estudar francês também, obrigada pela dica!

Resposta
Patrícia Souza Fevereiro 28, 2019 at 12:53 pm

Oi Karen, eu tive de traduzir os meus diplomas, mas eu já estava com a proposta de emprego na mão. A cidadania não é o problema. Luxemburgo e a Europa em geral estão com muitas ofertas de emprego e o visto não é um empecilho para quem est<a dentro do quadro de pessoas que eles precisam. Mas, sim, falar alguma das línguas do país é o primeiro passo. A menos que voce tivesse um conhecimento específico ou fosse da ´~area de TI onde somente com o inglês já seria suficiente. Abraços

Resposta
Lúcio Rech Março 5, 2019 at 6:26 pm

Oi patrícia tudo bem , tirei minha cidadania agora pretendo ir mora em Luxemburgo tal vez este ano ainda não mas gostaria de saber qual as possibilidades de emprego e concorrência

tenho algumas áreas de conhecimento específicos
formação acadêmica em processos gerencias , pretendo exercer na are
ou possibilidade em manutenção industrial
se você puder me ajudar , ou alguns sites que possa estar pesquisando agradeço pela ajuda
dez de já muito obrigada.

ATT; LÚCIO RECH

Resposta
Patrícia Souza Março 6, 2019 at 4:44 pm

Olá Lucio, não consigo lhe ajudar muito com as informações que voce me passou. Não sei se voce é graduado, as línguas que fala. Mas, se voce falar alguma das línguas oficiais do país, além do ingles, e tiver um bom currículo, que eles estejam precisando, existem muitas possibilidades. Usei sempre o LinkedIn, para mim sempre foi uma fonte bastante confiável. Abraços

Resposta
Rosali Kellermann Março 14, 2019 at 3:30 pm

Oi Patricia Souza sou gaucha, moro em Porto Alegre. Tenho familiar
que está morando e trabalhando em Luxemburgo e que agora está
procurando alugar apartamento para levar sua esposa e filha para Lux.
Que dicas voce pode nos dar? O que é necessário para firmar a locação?
abraço fraterno, Rosali Kellermann (email: [email protected])

Resposta
Patrícia Souza Maio 15, 2019 at 3:38 pm

Olá Rosali, peço desculpas, pois aparentemente a minha resposta não entrou na página. Para ele poder trazer esposa e filha, ele precisa de um apartamento de, pelo menos, dois quartos. Para tanto, o salário dele deverá ser líquido pelo menos 3x o valor do aluguel, caso contrário, ele terá dificuldades para encontrar locador que o aceite. Além disso, tem que analisar o tipo de visto/permissão que ele tem, pois o contrato deverá ser firmado com alta probabilidade apenas se todos estiverem em situação regular. Abraços

Resposta
Margarida Março 23, 2019 at 1:37 pm

Oi Patrícia, sou Angolana e vivo em Angola, mais pretendo me mudar para Luxemburgo, eu e o meu irmão. Sou licenciada em Economia EO o meu irmão em Contabilidade e auditoria, estámos a estudar francês nesse momento, mais Também temos noções de inglês ele inclusive fala e escreve.. Achas que teríamos facilidade em trabalhar aí? Eu trabalho como Contabilista já a 9anos, ele a 2 anos como tesoureiro e caixa. Ambos solteiros, mais eu tenho uma filha.

Resposta
Patrícia Souza Março 24, 2019 at 11:09 am

Olá Margarida, tudo bem? Sem falar uma das línguas oficiais, acho difícil vocês conseguirem na área de vocês. A não ser que seja uma experiência muito específica de demandada por uma empresa daqui, porém não me parece o caso. Eu investiria nas línguas antes de vir, a menos que vocês estejam dispostos a trabalhar fora da área de vocês (como caixa de mercado, atendendente, enfim profissões que não exijam universidade). Sucesso para vocês

Resposta
André Manuel Abril 3, 2019 at 4:12 pm

Oi Patrícia,
sou Angolano e vivo em Angola, mais pretendo me mudar para Luxemburgo, eu e a minha. sou Técnico medio em Matemática e Física e ela é Técnica media em Contabilidade e gestão, falamos e escrevemos fluentemente o inglês pois trabalhei mais de 8 anos como Material Handling and Clerk material controle na Industria petrolífera, mais Também temos noções básicas Francês. somos casados , com dois filhos uma de 14 anos e o outro de 10 anos. A nossa maior dificuldade e como adquirir uma carta de chama para facilitar a solicitação de visto. Razão pelo preciso uma ajuda se conheces uma instituição que pode nos ajudar neste sentido ficaríamos muito grato. Aqui esta o meu email: [email protected].
Obrigado
André Manuel

Resposta
Patrícia Souza Abril 3, 2019 at 9:47 pm

Olá André Manuel, obrigada pela mensagem e solicitação. Infelizmente, desconheço uma instituição que auxilie a conseguir qualquer facilitação para o visto, eu conheço somente as autoridades migratórias e para eles o processo é bem padronizado, não há diferenciação. De qualquer forma, creio que para conseguir o visto de forma mais confortável, além da experiência, é necessário ter a graduação e domínio de uma das línguas oficiais do país, ainda mais em áras em que haja bastante oferta. Boa sorte e sucesso no seu caminho. Abraço, Patrícia

Resposta
Ricardo dos Santos Rodrigues Maio 27, 2019 at 3:16 pm

Ola Patricia tudo bem?
Sou Farmacêutico, brasileiro e pretendo passar uma temporada em Luxemburgo, gostaria de saber se possível se e muito difícil conseguir validar o diploma. ou trabalhar na area como balconista atendente de farmácia.

Resposta
Patrícia Souza Maio 27, 2019 at 8:36 pm

Olá Ricardo tudo bem sim e contigo? Nâo acredito que seja fácil, mas acho que vale a pena tentar. Contudo, tenha em mente que, para vir para cá, você precisa primeiro da permissão de trabalho, que seria a etapa concomitante ou anterior à validação. Ouvi dizer por outros conhecidos que não era fácil validar, mas não tenho conhecimento suficiente para afirmar isso. Abraços e fique à vontade para entrar em contato comigo se tiver qualquer dúvida.

Resposta
Victoria Maio 27, 2019 at 8:22 pm

Olá Patricia, tudo bem?
Prentedo aprender frances em breve e logo em seguida me mudar para Luxemburgo. Tenho uma tia que mora na França e isso facilitaria em parte a questão de acomodação e afins. Sou formada em secretariado exceutivo e falo inglês fluentemente, minha dúvida é: A partir disto, por onde deveria começar a procurar emprego? Como faço para validar meu diploma? existe algum programa que considere o diploma brasileiro para complementar os cursos superiores daí ? um tipo de “equivalência”.

Resposta
Patrícia Souza Maio 27, 2019 at 8:43 pm

Olá Victória, tudo bem? Vamos por partes: primeiro, você tem passaporte europeu? Se sim, eu acredito que baste traduzir o diploma uma vez que chegue aqui, mas não tenho informações concretas para te passar, pois comigo somente apresentei meu diploma.Se você não tiver passaporte europeu, teria que conseguir um visto especial para residir na França e trabalhar em Luxemburgo. Além disso, jâ teria de vir com o visto e autorizaçâo direto do Brasil, pois você não pode vir para cá sem visto de trabalho para procurar emprego. Sobre procura de emprego, sugiro você utilizar o linkedin. Acredito que a partir do momento que você for aceita em algum emprego eles vao pedir seu diploma traduzido, ao menos foi assim comigo. Caso contrário, tem que fazer a validação e nao seria um processo muito simples. Espero ter ajudado mas fique à disposição para me escrever caso tenha quaisquer dúvidas.

Resposta
Viviani Junho 1, 2019 at 1:26 pm

Olá, sou engenheira bioquímica e tenho mestrado e doutorado na área ambiental, falo espanhol, inglês e francês. Agora tenho cidadania Luxemburguesa também. Como posso fazer para conseguir me enquadrar em algum trabalho em Luxemburgo? Poderia ser empresa ou universidades ou Ainda algum órgão do governo. Desde já agradeço a orientação.

Resposta
Patrícia Souza Junho 3, 2019 at 8:51 am

Olá Viviani, tudo bem? Você tem um bom curriculo e todas as cartas possíveis para conseguir emprego aqui. Eu sugeriria você enviar applications pelo LinkedIn. Grandes indústrias daqui são a Arcelor Mittal e a Goodyear, acredito que sejam bons pontos de partida. Por favor, mantenha-me a par! Você pode entrar em contato com a ADEM que é a agencia de empregos daqui e eles certamente irão lhe ajudar!

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação