BrasileirasPeloMundo.com
Empregos Pelo Mundo Inglaterra

Dicas para preparar um CV e arrumar emprego na Inglaterra

Dicas para preparar um CV e arrumar emprego na Inglaterra.

Encontrar trabalho qualificado na Inglaterra pode parecer um pouco difícil a princípio, mas a realidade é mais animadora do que se pode imaginar! O mercado de trabalho inglês continua aquecido, mesmo após Brexit.

Para quem realmente está disposto a batalhar por uma vaga em empresa Inglesa ou multinacional a boa notícia é que existem muitas oportunidades, especialmente nas grandes cidades como Londres e Manchester.

Alguns pré-requisitos, no entanto, são sim importantes de se levar em consideração: o primeiro é a documentação. Estar legalizado para trabalhar em empresa na Europa é uma condição fundamental. Saber se o candidato pode trabalhar legalmente na Inglaterra é sempre a pergunta inicial de um recrutador. As empresas não contratam pessoas em situação ilegal.

Leia também: Tudo que você precisa saber para morar na Inglaterra

O segundo requisito é ter um nível avançado de inglês. De maneira geral, o contato inicial da empresa ou agência se dá por telefone, logo, conseguir conversar, entender as perguntas e saber responder corretamente em inglês é fundamental.

Em terceiro e não menos importante vem a experiência e conhecimento na área, que deve ser explicada em um bom currículo, o famoso CV (abreviação do latim curriculum vitae).

A área de recrutamento é altamente especializada, existem agências específicas trabalhando com vagas em cada área. Portanto se você é engenheiro, deve pesquisar e descobrir quais são as agências especializadas em engenharia. O mesmo vale para quem tem formação em marketing, tecnologia, RH, finanças, direito, vendas e etc.

Existem também os sites que agregam vagas de todas as áreas, como Reed, Indeed, CV LibraryMonster e muitos outros. E claro, o LinkedIn. A rede social voltada para o mercado profissional é das melhores ferramentas para começar a entender as oportunidades disponíveis e para fazer contatos.

O currículo bem feito também é essencial, não só na Inglaterra como no mundo todo! Será através do “CV” que o recrutador irá ou não se interessar pelo candidato. Existem algumas regras básicas para escrever um bom currículo, aqui vão as principais.

Gramática e linguagem correta

Como dizem, “a primeira impressão é a que fica”, por isso um currículo com erros gramaticais, falhas ortográficas ou mal traduzido, certamente não será muito atraente. É muito importante verificar, reler, usar um corretor e se possível pedir que alguém qualificado na área faça uma revisão para garantir. Não utilizar gírias, abreviações e “smilies” também é essencial para ter um CV profissional

Tamanho do CV e quantidade de informação

Recrutadores recebem centenas de currículos por dia. Se você quiser ter certeza que o seu será lido, não faça um documento muito longo, com 4, 5 páginas, pois será rapidamente descartado. Por outro lado, ao se apresentar em apenas um parágrafo ou dois, também não vai conseguir dizer muita coisa. Currículo de uma ou duas páginas é o ideal.

Informações de contato

O cabeçalho do CV deve conter as informações para que se possa entrar em contato com o candidato: nome, e-mail, telefone e endereço. Se você tiver um site ou blog, com exemplos do seu trabalho, ou link para um portfólio também podem ser adicionados. Se o trabalho envolve visitas comerciais e reuniões de carro, você pode mencionar que tem carteira de habilitação. O que NÃO precisa colocar: números de documentos, conta bancária, quantidade de filhos, filiação (nomes dos pais), estado civil, idade, ou qualquer informação que seja puramente pessoal e não profissional. Na Inglaterra, idade, raça, estado civil, orientação sexual… são questões muito respeitadas pelos empregadores e existem leis rígidas para punir empregadores que não tratem a todos os candidatos com igualdade.

Organização do conteúdo

Depois das informações de contato, escreva sua experiência profissional em ordem cronológica a partir do seu emprego mais recente. Conte sobre suas responsabilidades e resultados atingidos, mencione as tarefas mais importantes e os projetos que você entende que tenham a ver com a vaga. Depois de listar a experiência em cada trabalho/projeto, sempre citando os nomes das empresas e datas, adicione as informações sobre education, os seus estudos, graduação, mestrado, cursos e certificados (de novo, em ordem do mais recente para o mais antigo). A seguir devem vir seus conhecimentos na área de informática, ferramentas relevantes e tecnologias que domina. Por fim, os idiomas que fala, nesse caso o ideal é dizer a língua e o nível de conhecimento. Por exemplo: English – Fluent / Spanish – Advanced / Portuguese – Native. Aqui o melhor é colocar primeiro os idiomas que você precisa utilizar no seu trabalho.

Leia também: Dicas para conseguir o emprego dos sonhos no exterior

Sobre esse ponto também acho válido acrescentar que se você não tem muitos cursos ou certificados na sua área, pode dar uma olhada em alguns respeitados cursos online que hoje são amplamente aceitos por empregadores. Alguns bem interessantes estão disponíveis no Coursera e na Open University e têm preços acessíveis ou são até mesmo gratuitos.

Hobbies e trabalho voluntário

Percebo que acrescentar atividades que não foram de fato trabalho remunerado podem valer a pena para enriquecer o CV, mas APENAS se forem de alguma forma relacionadas com a sua profissão. Por exemplo, manter um blog, se você é social media ou produtor de conteúdo. Ou fotografia, caso você trabalhe com eventos e moda; desenho ou pintura, no caso de um arquiteto. Por outro lado, apenas citar que você gosta de viajar, faz yoga ou crossfit, sendo jornalista ou engenheira, fica bastante fora de contexto e acaba sendo uma distração desnecessária para quem está avaliando o currículo. Da mesma forma, mencionar um trabalho voluntário pode ser bacana em um segundo momento, durante uma entrevista. Mas não é necessário incluir no CV ao não ser, como no caso dos hobbies, se o seu trabalho voluntário estiver relacionado com a sua área de atuação. Devemos lembrar que a regra de ouro é ser sucinto e descrever experiências profissionais.

Honestidade

Muito importante! Vale lembrar que você deve ser sempre verdadeiro no seu currículo. Não diga que conhece ferramentas que nunca utilizou, que trabalhou em empresas onde nunca passou, ou que fala fluentemente idiomas que de fato não domina. Se você se colocar como experiente em alguma coisa, seu empregador pode pedir que você utilize esses conhecimentos no seu dia a dia de trabalho. E você pode se ver numa complicada saia justa para explicar que, na verdade, não sabe muito sobre aquilo que disse que sabia. Sem falar que muitos processos seletivos pedem referências dos antigos empregadores e até cópias dos diplomas e certificados. Por isso, não se complique e aja com honestidade sempre.

Formato, tipo de letra, cores

O formato de documento ideal ainda é o bom e velho Word, sem imagens, cores ou nada que possa complicar a abertura pelas ferramentas usadas pelas empresas. Hoje em dia é muito comum as empresas usarem algum sistema que lê o currículo e passa as informações para uma base de dados interna. A maioria desses sistemas está melhor preparada para entender o CV em formato Word, seguindo essa ordem de conteúdo mencionada acima. Usar outros formatos pode fazer com que a informação apareça muito truncada na base de dados. Por mais que de vez em quando se fale em formatos muito diferentes que podem chamar a atenção, o mais aceito e utilizado ainda é o simples Word com fontes comuns como Arial, Times ou Calibri, na cor preta, e sem muita “confusão” para quem está lendo.

Com essas dicas em mente é possível elaborar um bom currículo para enviar para agências de recrutamento e para empresas diretamente.

Se for viável, peça a opinião de alguém que já esteja no mercado de trabalho para fazer uma revisão, isso pode dar uma extra segurança e garantir um CV formatado corretamente, antes de começar a se candidatar no mercado de trabalho inglês.

Boa sorte!

Related posts

Sete anos em busca de um emprego na Alemanha

Larissa Da Costa

Cidadania inglesa

Maria Eduarda Johnston

Como ser monotributista na Argentina?

Sara Martins

15 comentários

Gabriel Maio 14, 2018 at 7:25 pm

E mais uma vez, a importância de se ter o inglês. Sem ele não da nem pra começar a conversa. Ótimas informações, muito obrigado.

Resposta
Fabíola Pinheiro Junho 6, 2018 at 8:39 am

Legal que gostou, Gabriel! Com certeza falar bem inglês ajuda muito sim.

Resposta
mateus Março 7, 2019 at 2:38 pm

muito bom !!!!!

Resposta
Guilherme souza Abril 4, 2019 at 5:14 pm

EXCELENTE, MUITAS PESSOAS DEVERIAM LER ESSE POST. GANHAR A VAGA DE EMPREGO COMEÇA NA FORMATAÇÃO DO CV.

PARABÉNS!!!

Resposta
Felipe Marques Junho 11, 2019 at 11:29 pm

incrível como o inglês vem sendo primordial na vida cotidiana, e a propósito, excelente artigo, obrigado por compartilhar esse conhecimento conosco!

Resposta
Guilherme Bambu Junho 26, 2019 at 4:22 am

Me ajudou muito, obrigado por compartilhar esse conhecimento nota 1000!!! Adorei demais!!!

Resposta
Skellie Julho 2, 2019 at 8:01 pm

Quantas dicas incríveis e práticas! Amei a sua descrição 🙂

Resposta
Cláudia Langeani Agosto 8, 2019 at 11:34 am

Olá Fabíola, tudo bem? Estive em Londres em julho com minha família e amei. Gostaria de voltar em dezembro com minha filha mas em outro esquema. Falo inglês e tenho cidadania alemã. Pensei em arrumar um trabalho temporário em lojas onde tenho muita experiência ou outro trabalho que precise de português, talvez. Para ajudar com minha estadia enquanto ela faz um curso desses gratuitos que têm em Londres. Você acha que é possível?
Obrigada
Claudia

Resposta
Liliane Oliveira Agosto 8, 2019 at 4:52 pm

Olá Cláudia,
A Fabíola Pinheiro, infelizmente parou de colaborar conosco.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta
Bia Agosto 11, 2019 at 1:18 am

Com este artigo, mais uma vez vimos a importância de focar em um currículo bem feito independente de onde estamos. Dicas valiosas! Obrigada

Resposta
Luciane Agosto 27, 2019 at 11:37 pm

Quantas dicas incríveis! Obrigada por compartilhar

Resposta
bruno guedes Setembro 20, 2019 at 4:12 pm

o curriculo realmente é tudo

Resposta
rose Setembro 26, 2019 at 2:55 pm

um curriculum realmente faz toda diferença, é ele que é a porta de entrada

Resposta
Marcos Setembro 28, 2019 at 5:26 pm

Depois de ler esse artigo vou melhorar o meu cv

Resposta
Renan Novembro 4, 2019 at 3:53 am

Excelente! Belas dicas.

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação