BrasileirasPeloMundo.com
Chile Entrevistas

Entrevista com Cintia Coelho, empresária na DW no Chile

Cintia Coelho, empresária na DW no Chile.

Só existe uma coisa que os brasileiros amam no Chile mais do que a neve: os vinhos. Sem dúvida alguma, o vinho chileno conquistou não só fama e reconhecimento internacional por sua qualidade, como também conseguiu seduzir um povo sem nenhuma tradição para a bebida de Baco. Contrariando todas as expectativas pessimistas, o vinho chileno conquistou o paladar e o coração dos brasileiros.

PicMonkey CollageBPM
Foto: Arquivo pessoal

Ciente desse casamento perfeito entre brasileiros e vinhos chilenos a empresária Cintia Coelho viu uma oportunidade para empreender no Chile. Proprietária da empresa DW (Destination Wedding, Enoturismo e Eventos), criou uma empresa especializada em literalmente combinar essas paixões. A empresa organiza casamentos nas vinícolas chilenas, os famosos “destination weddings”, bem como experiências que aliam enofilia e turismo e outros eventos.

Esta brasileira de São Paulo mora no Chile desde 2013. Chegou acompanhando o marido que veio com o emprego garantido e estava disposta a tentar uma oportunidade no mercado de trabalho chileno; entretanto, quando conheceu de perto a realidade local, percebeu que uma rede de contatos seria fundamental, porém no Chile essa rede se estabelece desde a infância e a dela demoraria muito tempo para se consolidar pelo fato de ser recém-chegada. Além disso, a desigualdade de gênero em posições de gerência executiva também seria um empecilho para uma bem-sucedida retomada da carreira que ela já tinha bastante consolidada no Brasil. O que fazer? Empreender foi a solução.

Cintia conversou com o BPM e relatou a sua experiência, que é uma história inspiradora para muitas outras brasileiras que também estão em busca de oportunidades.

Destination Wedding na Cordilheira dos Andes
Foto: Arquivo pessoal

Quando você chegou ao Chile e como foi a sua chegada?

Cintia – Cheguei ao Chile em maio de 2013. Meu marido recebeu uma proposta da empresa para trabalhar na filial em Santiago e como eu estava decidida a mudar minha carreira, optamos por encarar juntos este desafio e oportunidade.

Qual era a sua expectativa profissional no Chile? Quais são as principais diferenças que você percebeu com relação ao mercado profissional para a mulher em comparação com o Brasil?

Cintia – Minha expectativa era de me inserir no mercado de trabalho em minha área de atuação, Comunicação e Marketing. Com o passar do tempo, percebi que pelo fato de ser estrangeira e ainda não possuir uma rede de contatos no país a recolocação tomaria mais tempo que o imaginado, além de ter que retroceder um pouco em posição profissional para me recolocar. As redes de contato aqui são estabelecidas desde a infância e é muito relevante para a sociedade a escola onde se estudou. Percebi também que há menor igualdade de gênero em posições de gerência e executiva, o que me fez focar em oportunidades de empreendedorismo, que me deixavam animada desde o Brasil.

Qual é a sua formação profissional? Você trabalhou na sua área de formação logo que chegou aqui?

Cintia – Eu sou formada em Letras nos idiomas português, inglês e francês com especialização em tradução. Durante a faculdade, descobri minha paixão por Comunicação e Marketing e logo após a graduação, comecei a trabalhar nesta área. Acabei me “jogando” nesse mundo e fui estudar, fiz pós-graduação em Comunicação na USP e um mestrado em Marketing na França. Construí minha carreira nesta área.

Logo que cheguei a Santiago, uma amiga me convidou para dar aulas de português em uma escola de idiomas. Aceitei na hora porque queria estar em contato com as pessoas, a cultura e me inserir na sociedade. Foi uma experiência curta, mas bastante enriquecedora, pois até hoje tenho contato com meus antigos alunos.

Ao mesmo tempo em que dava aulas, decidi fazer uma pós-graduação no Chile para trocar experiências, aumentar a rede de contatos e seguir evoluindo. Escolhi a melhor universidade do país, a Universidad Católica de Chile, onde cursei Comunicação Corporativa.

Por que você decidiu abrir uma empresa no Chile?

Cintia – Sempre tive o objetivo de empreender. No Chile encontrei algumas oportunidades. Visitando suas vinícolas, descobri uma grande paixão: o vinho chileno. Decidi oferecer ao turista brasileiro roteiros enogastronômicos diferenciados e exclusivos. Além disso, percebi que as vinícolas ofereceriam a paisagem perfeita para um casamento. Aproveitando a grande tendência de casar-se fora, surgiu a ideia do “Destination Wedding” no Chile, que organiza casamentos para brasileiros e estrangeiros nas vinícolas e outros belíssimos destinos que este país oferece. E aproveitando meu conhecimento em comunicação, marketing e eventos, trabalho também com empresas brasileiras instaladas no país, prestando assessoria nessas áreas.

Qual é a sua expectativa com o seu negócio no Chile?

Cintia – A empresa está em crescimento e com uma grande aceitação por parte de agências de viagem e público em geral. Estou satisfeita porque consegui aliar o trabalho a atividades prazerosas. Empreender tem sido uma experiência enriquecedora.

Que dicas você daria a brasileiras que pensam em abrir um negócio no Chile?

Cintia – Abrir um negócio no Chile é fácil e sem burocracia; você pode abrir a empresa pela Internet em um dia. Minha dica é consultar um advogado ou contador para que você conheça os tipos de empresa que pode abrir e também para entender como funcionam os impostos no país – isso vai lhe dar as bases para um início correto. Tudo que é novo exige determinação e persistência. No início parecia bem complicado, mas hoje posso dizer que não é. Acredite no seu potencial e siga em frente!

Entre em contato com a DW por WhatsApp: +56 9 57482491, ou e-mail: [email protected] Depois de ler essa entrevista e ver as fotos do trabalho da empresária Cintia Coelho você certamente vai se inspirar pelas novas oportunidades que o Chile oferece!

 

Related posts

Testamentos e Tutelas – entrevista com Natasha Rocha, consultora em Dubai

Pollyane Martins

Entrevistas: Luciana Azevedo, ilustradora infantil do Lalelilolu, no Canadá

Ann Moeller

Guarda de filho compartilhada na Alemanha

Larissa Da Costa

2 comentários

como trabalhar pela internet e ganhar dinheiro yahoo Novembro 28, 2017 at 11:48 am

Mais adequado nesse caso seria termo fazer dinheiro.

Resposta
Debora Pedroni Fevereiro 22, 2019 at 2:08 pm

Ola, como posso entrar em contato com a Cintia, o email do texto nao esta disponivel, obrigada.

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação