Filmes Argentinos

2
141
Advertisement

Filmes Argentinos.

Quando eu era criança me contaram uma história de um peixinho que tinha muito medo do escuro. Isso me impactou, porque eu também tinha esse medo. Mas o que me fez gostar tanto da história foi descobrir, no final dela, que na verdade o peixinho só tinha medo do escuro porque estava com os olhos fechados.

E assim eu me senti quando saí do Brasil e entrei em contato com a cultura latino-americana… um peixinho que por anos viveu com os olhos fechados.

Início

Me explico. No Brasil, talvez por questões históricas, talvez pelo idioma, não temos contato algum com o que acontece ao nosso redor. Os últimos filmes de Hollywood não tardam em chegar ao cinemas, mas saber quais as novidades do showbizz colombiano, por exemplo, só se for à Colômbia.

O que sabemos de verdade sobre os países que fazem fronteira com o Brasil? Aliás, sabemos quais países fazem fronteira com o Brasil?

Não estou falando de estereótipos, assim como os que já sabemos sobre nós: mulata, samba, caipirinha, praia e futebol…. #sóquenão, né? Falo da cultura, das artes, dos livros, dos filmes, das músicas. Será que não há ninguém interessante por aí pelas Américas? Tirando EUA, ok?

Leia também: O cinema polonês

Meio

Foi numa mesa de bar, onde haviam argentinos, venezuelanos, colombianos, uruguaios e eu (única brasileira) onde me senti envergonhada pela primeira vez por tamanha ignorância. Todos pareciam conhecer os cantores, os escritores, os diretores de cinema de quem estavam falando… menos eu.

Pedi desculpa, tentei explicar, tentei me esquivar, mas voltei para casa pensando. Caramba, por que será que no Brasil não ficamos sabendo de – quase – nada o que acontece pela América Latina?

Ainda quando eu vivia em Fortaleza posso dizer que tive algum “pequeno” contato com música caribenha. Afinal o grupo de dança de salão do qual eu fazia parte dançava um pouco de salsa e bachata. Mas parou por aí…

Depois fiquei lembrando dos livros que li. Quase todos de autores brasileiros, portugueses, alguns ingleses, franceses, alguns poucos alemães, checo, russo, um italiano e uma espanhola. Por aqui, não encontrei nada.

Filme, não é possível, devo ter visto algum. Revirei e fucei toda a minha memória em busca de um filminho mais alternativo, latino, mas nada. Só co-produções comerciais que valorizam demais estereótipos, muitas vezes pejorativos.

Artes cênicas e plásticas então, prefiro nem comentar…

Fim

Depois de alguns dias me sentindo mal mesmo por ter passado tanto tempo da minha vida sem vivenciar aventuras que estavam logo ali ao lado resolvi fazer algo. Lápis e papel na mão saí em busca de um mundo novo, pronto para ser explorado.

E o que eu encontrei? Verdadeiras pérolas que hoje deixo aqui como recomendação para momentos de lazer:

  1. Histórias Mínimas – um filme delicado, singelo, que te mostra um pouco da verdadeira cultura argentina longe de Buenos Aires.
  2. Luna de Avellaneda – Avellaneda é um bairro grande da zona sul da grande Buenos Aires, e este filme mostra como vivem as pessoas dessa zona. É um dos meus preferidos.
  3. Tiempo de Valientes – comédia policial que eu considero genial. Os diálogos são impagáveis. E a situação em si muito cômica. Só um spoiler, Bruce Wayne (Batman) em castelhano é Bruno Diaz, por isso a piada logo no início.
  4. Relato Salvaje – um dos melhores filmes que já vi na vida. Quem nunca teve um dia de furia (ou de cão) que atire a primeira pedra.
  5. Nueve Reinas – daqueles filmes que dão reviravolta, mas com fim muito imprevisível, vale a pena!
  6. Un novio para mi mujer – comédia romântica que tinha tudo para ser água com açúcar, mas é hilária.
  7. Dos más dos – no mesmo esquema da anterior, vai sem preconceito que as risadas são garantidas. Aliás o ator/produtor é o mesmo.
  8. Un Cuento Chino – surreal e divertida. Como a maioria dos filmes argentinos.
  9. El mismo amor la misma lluvia – um drama na minha lista. Quem me conhece sabe que não sou muito fã deste genêro, mas este me conquistou.
  10. Los Simuladores – não é filme, é seriado, e tem só duas temporadas. Se fosse por mim teria mil. É o melhor seriado que já vi. Esquece tudo o que você já viu no Netflix e veja esse (já vi venderem o box de DVDs no Free Shop do Aeroporto de Ezeiza e também no site da Amazon). Eles fizeram tanto sucesso que foram regravados em vários países, menos no Brasil, claro.

Depois do Fim

Teatro

Eu só recomendo depois que seu espanhol estiver bem afiado. Os argentinos falam rápido e com expressões muito próprias. O primeiro espetáculo que vi entendi metade, a outra meu marido ia me ajudando. Foi difícil.

Museu

Morando ou visitando Buenos Aires uma parada obrigatória é o MALBA – Museo de Arte Latino Americano de Buenos Aires. Lá tem obras de vários artistas daqui, do Brasil e de toda a América. Inclusive é onde está O Abaporu, da Tarsila do Amaral.

Música

Sair para dançar kumbia, reggaeton, rock an roll, salsa, bachata ou tango. Assistir gratuitamente a um concerto de alaúde ou de música clássica. Ver uma ópera no Teatro Colón são algumas das opções musicais de Baires.

Livros

Esses eu volto num próximo post para explicar com mais detalhes quais são os meus favoritos.

2 Comentários

  1. Adorei as dicas, já anotei dois filmes pra ve assim que puder! Me senti exatamente dessa forma quando fiz minhas primeira viagem a Argentina e ao Uruguay, me senti estúpida, cega e surda. Me assustei com o fato de que nós, barsileiros, nao conhecemos nada da cultura dos nossos vizinhos! A partir daí, como proofessora de idiomas, passei a levantar a bandeira do quanto a America Latina é rica culturalemente. Quanta literatura e musica de qualidade fora do Brasil e bem pertinho.
    Sou colunista do BPM e vou dar uma voltinha pela Argentina em Julho! Podemso marcar um cafe e um passeio mais cultural, o que acha
    Besitos!

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.