E isso aqui, pode botar na mala?

6
1334
Advertisement

Se você me acompanha por aqui ou lá no Carioca Travelando já sabe que a Arábia Saudita é um país, digamos, bem diferente da maioria dos outros lugares. Sabe também que o país proíbe (e pode até dar cadeia), bebidas alcoólicas, sem exceção, bem como o consumo de carne de porco. Isso mesmo que você leu: aquela cervejinha estupidamente gelada com uma linguicinha no churrasco no final de semana ou o vinhozinho acompanhando da sua pasta preferida na Arábia Saudita meu amigo, nem pensar.

Mas a lista de proibições que às vezes parece maior do que as lista do que realmente é permitido não para por aí. Muitas empresas fornecem uma extensa lista dos itens “não bem vindos” aos seus empregados antes de iniciarem a sua relocação, mas eu confesso que ainda recebo muitas mensagens de pessoas que estão vindo viver no país com as mas diversas dúvidas, às vezes creio que por simplesmente não acreditar na informação repassada. “Sou cristã, posso levar a minha Bíblia?”, “E os meus santinhos e imagens, também posso levar na mala?”, “Posso levar a minha essência de baunilha para os bolos que faço – tem só um pouquinho de álcool, mas acho que não tem problema, né?

Quando nos mudamos para a Arábia Saudita, vindos de Dubai, seguimos à risca as determinações fornecidas pela empresa. O que era permitido foi na mudança, o que não era, doamos, vendemos ou enviamos de volta para o Brasil. A vigilância na Arábia Saudita é tão séria que quando os nossos pertences chegaram, percebemos que muitas das nossas caixas tinham sido rasgadas, como se alguém as tivesse revirado (e foram, né!). Os pertences dos expatriados ao chegar no país passam por uma rigorosa vistoria que inclui, inspeção com raio-X, cães farejadores treinados e inspeção manual. O negócio é sério gente.

Para te assustar, entreter e acabar com todas as suas dúvidas, segue abaixo a lista com os itens proibidos de acordo com as leis Sauditas (fonte: customs.gov.sa):

  • Bebidas alcoólicas;
  • Itens contendo álcool, extratos aromatizantes, vinhos de cozinha, bebidas, itens contendo licor;
  • Kits de vinificação, equipamentos de destilação de álcool, livros sobre fabricação de tais bebidas ou quaisquer alimentos com álcool como ingrediente, tais como extrato de baunilha – Desculpa aí boleiras;
  • Narcóticos – pensa nas execuções;
  • Medicamentos sem receita médica para uso pessoal são proibidos e sujeitos a eventual confisco). Todos os tipos de medicamentos, incluindo injeções para pacientes diabéticos são permitidos, desde que sejam acompanhados por prescrição médica, dizendo que são apenas para uso pessoal;
  • Produtos químicos perigosos;
  • Pérolas naturais (pérolas cultivadas são permitidas em pequena quantidade);
  • Equipamentos de rádio transmissor / comunicação (incluindo walkie-talkies, de ondas curtas, VHF, marinho, equipamentos de banda da polícia, etc.);
  • Binóculos, equipamentos de visão noturna ou equipamento telescópico;
  • Os produtos que contêm carne de porco – e a lágrima desce pelo rosto dos amantes de uma linguicinha;
  • Os produtos que contêm carne de rã – nem o sapinho foi poupado;
  • Todos os tipos de estátuas ou objetos de forma humana ou animal que podem ser utilizados para fins religiosos, como estatuetas de Buda, esculturas religiosas, altares etc. *Não inclui brinquedos infantis, como bichos de pelúcia e bonecas;
  • Jogos de azar (xadrez, dados, gamão, fichas de pôquer, roleta, etc.) – as vezes o banco imobiliário “se perde”;
  • Todas as armas e armas de fogo (reais ou ornamentais), incluindo armas de fogo, munições, explosivos, fogos de artifício, lanças e outras armas afiadas, etc. (proprietário sujeitos a inquérito, multas e/ou prisão);
  • Todo o material pornográfico, como livros, DVDs, revistas etc. *revistas de moda feminina com imagens de modelos em roupas reveladoras podem ser confiscados – tipo assim, mostrou a pele – perdeu a coleção da revista Caras;
  • Material politicamente sensível;
  • Artigos e livros contrárias as crenças ou a moralidade árabes-muçulmanos ou sauditas não serão autorizados a entrar no país – livros claramente espíritas, budistas ou católicos, se em português, você talvez tenha sorte;
  • O famoso “etc…”: que são as várias outras coisas que dependem do “humor do dia” –não está escrito, mas não não se assuste se fizer tudo certinho e ainda ter confiscado seu eletrodoméstico 110v, ou o jogo de videogame dos seus filhos.
Vinho, na Arábia Saudita, nem pensar
Vinho, na Arábia Saudita, nem pensar

Eita lista longa, hein? A verdade é que há muitas pessoas que levam Bíblias, quadros, artigos religiosos e conseguem entrar no país tranquilamente. Mas é aquela história, meus amigos; levar itens proibidos é um risco que cada um se responsabiliza pessoalmente. Cada experiência é uma experiência, eu já ouvi vários relatos bons, péssimos e outros nem tanto. Algumas pessoas conseguem passar ilesas nessa revista feita na entrada ao país mas eu particularmente não quis pagar pra ver. País deles, leis deles – “Yes Sir!”. Prefiro seguir o roteiro direitinho. Vai que dá bode, né?

Mas como em todo país, nem tudo são flores. Há pouco tempo, por exemplo, um escândalo tomou conta da mídia, ao divulgar que um príncipe Saudita teria sido pego em um aeroporto do Líbano com um avião privado recheado de drogas rumo à Arábia Saudita.

Então pessoal, fica a dica: se você está vindo viver na Arábia Saudita, ou vem visitar o país a trabalho, a fim de garantir uma boa estadia para você e sua família, seja por um longo ou curto período, é importante respeitar as leis locais. Concordando com as regras ou não, cabe a nós que estamos apenas de passagem, cumprir com as determinações legais de cada lugar. Tem que dançar conforme a música, já diz a minha sábia avó.

Leia todas as regras, seja prudente, cruze os dedos e diga: “Inshallah”, que tudo vai ficar bem.

6 Comentários

  1. Oi Carla, excelente artigo! Mesmo morando tão pertinho, aqui nos Emirados Árabes, ainda me surpreendo com a rigor das leis saudistas. Até comentei no meu último artigo que tive “sorte” de não ter os meus artigos religiosos confiscados, mas acho que se estivesse indo para a Arábia Saudita a coisa seria bem diferente. Fiquei bastante encucada com alguns dos itens proibidos.. Vou investigar melhor! hehehe.

  2. Otimo artigo Carla – super util. Meu marido esta negociando uma oferta de trabalho na regiao e ja mandei o link para ele.
    Adorei seu blog tambem, foi o que me fez aterrissar aqui … vire fa ao dobro.

    • Ei Lidiane! Que coisa boa de se ouvir. Muito Obrigada pelo seu comentário.
      Qualquer dúvida, por favor é só falar. Confirmando a mudança da família, me escreva.
      Muito boa sorte pra vocês! Um grande abraço

  3. Olá Carla! É verdade que cachorros não são bem vindos? Meu marido recebeu uma proposta de emprego para trabalhar em Dammam, temos um cachorro, não será possível levá-lo?

    • Ola Larissa, a Carla não colabora mais com o BPM. Aconselho a seguir as outra colunista do país de deixar um comentário em algum dos textos dela, para obter resposta. Obrigada. Equipe de Editoras BPM

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.