BrasileirasPeloMundo.com
Canadá Empregos Pelo Mundo

Mercado de trabalho em Québec, por onde (re)começar?

O trabalho é certamente uma das áreas mais significativas na vida de qualquer pessoa economicamente ativa, que buscou uma formação de qualidade, que tem ambições para a carreira e sonhos de vida. Ao optar por viver o sonho no exterior, conhecer as regras do mercado em que se pretende atuar, é  tarefa essencial, pois a falta de informações pode facilmente contribuir para uma grande decepção profissional sem falar na desilusão pessoal.

As três principais categorias de imigração para o Canadá envolvem reunificação de família, refugiados e imigração econômica. Essa última abrange trabalhadores qualificados, profissionais liberais, empreendedores e investidores, representando uma modalidade em que o tratamento do processo de imigração pode ser acelerado porque existe uma preferência pelo perfil do imigrante candidato à residência permanente. No caso do candidato já ter uma família constituída, é possível realizar a demanda incluindo todos os membros. Atualmente, o discurso de imigração valoriza mais a demandas por profissionais qualificados de algumas áreas que sofrem um “apagão”, e que envolvem TI, enfermagem, ciências, serviços financeiros, dentre outras.

Uma parte dos procedimentos de imigração compete ao governo provincial (Québec) e outra parte ao governo federal (Canadá). Essa consideração é importante porque cabe ao imigrante avaliar  quais requisitos ele atende, ou seja, se às demandas de nível federal ou provincial. Tem sido cada vez mais frequente a realização das chamadas Missões de Recrutamento, em que equipes da província de Québec realizam palestras e buscam por profissionais específicos nas principais cidades brasileiras. Essas missões também podem ser virtuais, num formato em que o brasileiro se candidata online e as primeiras etapas de seleção ocorrem via Skype e em francês. Para quem consegue uma colocação aqui através dos programas de recrutamento internacional do Québec, a permissão de trabalho pode ser permanente ou temporária. Depende se o candidato pretende imigrar em definitivo ou apenas passar um tempo no país.

De qualquer forma, quando a pessoa ainda não é residente permanente, é essencial ter uma permissão de trabalho. Existem várias categorias, sendo que em alguns tipos de atividades ela pode não ser necessária. Para quem tem uma formação mais completa, com graduação e pós-graduação e pretende fazer carreira numa área específica, é certo que será preciso obter essa autorização. Só que aí entra mais um porém: atividades regulamentadas por ordens ou conselhos exigem equivalência de disciplinas, aprovação em exames específicos e obtenção de títulos para poderem ser exercidas. Nesses casos, pode ser necessário até mesmo voltar para a sala de aula. Eu mesma seria um exemplo: sou arquiteta de formação e não poderia exercer essa atividade sem passar por todo esse processo, pois existe uma Ordem de Arquitetos que me proibiria de atuar legalmente. Mas como não queria trabalhar com isso, não me preocupei a este respeito.

Além disso, é preciso submeter seus diplomas para equivalência de cursos, o que significa que o ministério de imigração avalia  quais cursos no Canadá equivale a formação obtida no Brasil e se os documentos são válidos. Tudo isso é uma espécie de avis d’expert, ou seja, é um parecer formal que não cria nenhum tipo de obrigação junto aos empregadores. Serve como referência para os mesmos, que invariavelmente solicitam antes de contratar alguém, ainda mais se forem cargos mais técnicos, que exigem maior qualificação ou se são para o governo.

Logo na minha chegada, em julho de 2015, fui convocada para uma entrevista de seleção da missão de recrutamento virtual de Quebec International. Havia submetido minha candidatura online meses antes, quando o processo foi aberto para 2015. Por já estar aqui, consegui realizar a entrevista pessoalmente, no entanto, não consegui avançar para a etapa seguinte. Caso tivesse sido aprovada, a empresa tomaria as providências para a concessão de um visto de trabalho temporário até que a residência fosse obtida. Nessa época, ainda não havia dado entrada na papelada de imigração, o que só ocorreu em outubro.

O prazo de tratamento da permissão de trabalho foi longo, concedida apenas 5 meses depois de iniciar todo o processo de imigração. Com ela, eu poderia começar a procurar qualquer emprego (desde que não envolvesse bares de strippers e casas de massagem, parece brincadeira, mas está escrito no documento). Mesmo antes de ter essa autorização formal, comecei a sondar o mercado, participar de eventos de empresas de RH para imigrantes e pesquisar empresas com perfil que me interessasse. Cheguei a fazer candidaturas espontâneas online, até porque existem órgãos do governo que aceitam postulações de pessoas que já tenham iniciado o processo de imigração. Nos casos de empresas privadas, essa flexibilidade depende da permissão de trabalho. De qualquer forma, não custava nada lançar a linha na água,

A principal dica que fica é : Planejar-se é sempre a melhor coisa, ainda mais porque um projeto de imigração com todas as suas variáveis custa, no total, alguns milhares de dólares canadenses! Além disso, dificilmente a coisa vai andar a ponto de você ter de sair voando do Brasil amanhã. Avalie o que você busca realizar como profissional, que competências o mercado exige, se será preciso passar por avaliações e, principalmente, se você está disposta a dar alguns (vários) passos para atrás. Afinal, imigrar é sinônimo de recomeçar.

Dicas de links úteis :

Para quem quer conhecer as áreas chaves de atuação e o funcionamento dos processos de recrutamento. Também são disponibilizadas estatísticas econômicas.

Para quem busca informações sobre o mercado de trabalho da província.

Para quem precisa de informações sobre viver e trabalhar em Quebec, assim como exigências de vistos, residência permanente e estudos na província.

Para quem tem qualificação em áreas de demanda sem profissionais capacitados suficientes no país e gostaria de imigrar pelo Express Entry – Skilled Workers.

Related posts

Empregos na Polônia

Ann Moeller

A vida universitária em Montreal

Marcella Santiago

Dez curiosidades sobre os canadenses

Grasiela Martins Vicentini

2 comentários

ROBERTO MAGALHAES Maio 31, 2017 at 10:10 am

Ola, bom dia

Tenho visto de turismo para o Canadá para permanecer no máximo de 6 meses no país. Para eu ir à Provincia do Quebec, precisarei de alguma permissão ?

Tenho permissão eTA e gostaria de fazer um intercâmbio na cidade de Quebec ou Montreal de 1 mÊs.

obrigado
att

Resposta
Ana Carolina Sommer Maio 31, 2017 at 1:54 pm

Olá Roberto! Uma vez que vc tenha um visto de turismo, vc pode se deslocar por todo o país sem problemas. No caso de Québec, se vc deseja imigrar, existe uma aceitação formal da província que precisa ser obtida: Certificado de seleção do Québec (CSQ). Para seu objetivo de fazer turismo isso não é necessário. A permissão eTA não está associada a realizar estudos. No entanto, se vc deseja fazer um curso de intercâmbio de apenas 1 mês (ou no máximo 6 meses), vc não precisa de um visto específico. Recomendo que vc acesse o site http://www.cic.gc.ca/english/study/study-who.asp e verifique os detalhes. Abs

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação