BrasileirasPeloMundo.com
Portugal

Mulher, esposa e imigrante aos 20 e poucos anos

Mulher, esposa e imigrante aos 20 e poucos anos:

A idade dos “20 e poucos” anos pode ser para a maioria das pessoas uma das etapas mais difíceis da vida; é a fase onde passamos a realizar a maioria das tarefas que antes nem sabíamos que existiam, a fase onde você passa a ter um mundo de responsabilidades e arcar com todas (ou a maioria), a fase em que a sociedade exige que você decida o que será nos próximos anos. UM SACO!

Agora imaginem tudo isso e ainda o fato de ser mulher, morar sozinha num país que não é o seu, compartilhando a sua vida com um marido de uma cultura que não é a sua: uma LOUCURA, né? Pois bem, bem-vindos à minha realidade e a de muitas também!

Hoje vou contar a realidade dos 20 e poucos anos: não, não é fácil, mas quem disse que seria? Ah, claro,os filmes da Disney onde você cresce, vira uma princesa, encontra o seu príncipe e vivem felizes para sempre.

Com certeza, alguma vez na vida você já deve ter dito: “não vejo a hora de ser adulta”, ou “com 18 anos vou sair de casa”; quem nunca disse? Ainda mais se você é uma pessoa que adora a independência, assim como eu, e sempre correu atrás dos seus objetivos, dos seus sonhos, mesmo que não tenha sido fácil, ou mesmo que tenham duvidado de você.

Sim, morar sozinha é bom, bom demais até, mais aos 20 e poucos anos é difícil, complicado. Nesta fase, diariamente temos de decidir assuntos sobre e para o nosso futuro (que ainda nem chegou), às vezes incerto, e que pode ser crucial para quando chegarmos aos 40 dizer: ufa, fiz o correto!

É difícil decidir o que queremos para o futuro quando às vezes não estamos nem seguras do queremos vestir hoje ou sobre qual filme escolher pra assistir amanhã. É, é complicado.

Lidar diariamente com o dinheiro, contas e trabalho também não é nada legal; tem horas em que só queremos gastar tudo com chocolates e besteiras, mas não podemos, devemos pensar “não, tenho contas para pagar”, mas bem que queríamos.

Trabalho e estudo também é algo no que aos 20 e poucos somos extremamente pressionadas com o “você precisa ser alguém no futuro”, “você precisa começar já a trabalhar para se aposentar aos x anos”, ”qual a sua profissão?” , quando às vezes só queremos passar o dia escrevendo textos para os nossos blogs, “mas isso não é trabalho, garota!”.

Mas se você além de tudo isso for casada, “mas já ?”.

É o que diariamente escuto na rua, no trabalho.

Peraí, se temos de ser maduras o suficiente para trabalhar, estudar e ser alguém na vida, porque não podemos ser casadas aos 20 e poucos? É errado querer crescer juntos ao crescer sozinha? Sociedade estranha, né? Ah, mas se eu fosse solteira e livre: “você precisa arrumar alguém”, vai entender.

A fase dos 20 também é a fase onde mais somos julgadas e postas na parede ao ter que algumas vezes lidar com coisas que antes, não lidávamos, problemas que antes não resolvíamos. É uma coisa de louco ter, de um instante para outro, um turbilhão de coisas para fazer, tratar, aprender a lidar com a sociedade e muitas vezes apanhar, apanhar para poder aprender como ela realmente é. E se somos mulheres e imigrantes, a coisa pode piorar bastante, infelizmente.

Leia: expressões portuguesas que você precisa aprender

Aos 20 e poucos também é quando mais sofremos pressão sobre o nosso corpo. Em um mundo onde vemos blogueiras de moda e fitness esbeltas e surreais, sem celulite e com barriga de tanquinho no Instagram, TV e revistas, muitas vezes nos sentimos “desconfortáveis” com a nossa aparência, quando jamais deveríamos sentir.

Mas também há vezes em que nos sentimos fabulosas, de cara lavada, com aquela calcinha velha e o famoso “coque” no cabelo, e estes são os melhores momentos.

Se além disso, você virar bem longe de casa, não é nada fácil. Você vai ter que aprender a lidar com tudo isso em uma cultura totalmente diferente a tua, e se adaptar a ela.

Mas a fase dos 20 e poucos também tem os seus lados bons, mesmo que não pareça. Você vai começar a crescer interiormente, e verá o mundo como antes você não via, perceber coisas que antes você não percebia, perder amizades que antes você achava que eram para sempre, e achar que foi o correto.

Nesta fase, você estará entre o meio termo da juventude e a vida adulta, ora se comportar como uma jovem rebelde e teimosa, ora ser uma mulher decidida e focada. Não é o máximo?

Se você está ou já passou dessa fase, você vai entender tudo o que estou dizendo aqui neste texto, e se ainda não chegou nesta fase, não tenha pressa, deixa ela chegar, ela vai chegar e quando você se der conta, já passou…

Related posts

Viver em Portugal é bom, mas no Minho é melhor

Giselle Costa

A coragem de quem fica no Brasil

Ana Tavela

Como alugar apartamento em Lisboa

Bia Noronha

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação