Museu da vodca polonesa

0
76
Fachada do Museu. Foto arquivo pessoal.
Advertisement

Museu da vodca polonesa.

A mais nova atração de Varsóvia é o recém-inaugurado Museu da Vodca Polonesa. A inauguração do museu vinha sendo aguardada há muito tempo e com muita ansiedade por toda a população.

O museu se encontra em um dos prédios do complexo que vem sendo revitalizado e onde realmente existiu uma fábrica de vodca, que começou a funcionar com o final da construção dos prédios em estilo neogótico em 1897 e só teve sua produção finalizada em 2007. Durante todos esses anos a produção da fábrica contou com uma pequena interrupção na época da Segunda Guerra Mundial. No complexo não encontramos somente o museu, mas no local de 50 mil m², onde antes era só a fábrica, encontramos restaurantes, bares, apartamentos, espaço para eventos, hotel e até o Campus Warsaw a Google Space. No final da revitalização, será, com certeza, um importante ponto cultural da cidade.

A vodca polonesa é, sem sombra de dúvidas, um patrimônio nacional e tem um papel importantíssimo na cultura desse país. O museu nos leva a conhecer a história de 500 anos da vodca. Começamos conhecendo o processo de destilação em terras polonesas na segunda metade do século XV. Descobrimos que nem toda vodca pode ser chamada de “vodca polonesa”. Para ser uma autêntica vodca polonesa, ela precisa ser fabricada a partir do álcool etílico de origem agrícola e para esse efeito são utilizados um dos cinco tipos de cereais (trigo, cevada, centeio, trigo ou triticale) ou batatas. Além disso, toda a matéria-prima deve ser polonesa e toda a produção deve acontecer dentro do país.

Leia também: Alcoolismo na Polônia

Depois passamos para uma sala onde na parede é exibido um aparelho de Pistorius todo iluminado e uma animação nos mostra seu funcionamento. Há 200 anos sua invenção foi um grande marco para a destilação, pois graças a esse aparelho se conseguiu obter 85% de álcool de uma só vez.

Foto arquivo pessoal.

Ficamos sabendo que a vodca realmente caiu no gosto dos poloneses no século XVII e que todos consumiam, desde os camponeses até os magnatas e reis. Na exposição uma sala recria elementos de uma casa da nobreza polonesa do século XVIII, que nos mostram fatos interessantes sobre beber vodca na Polônia de antigamente.

No museu também ficamos sabendo para onde a vodca polonesa era exportada, como conquistou sua fama mundial e quais papéis desempenhou na política e na história do país. Uma das partes que mais me chamou atenção é a sala onde ficam reunidas várias garrafas antigas de vodca. Todas as garrafas expostas nunca foram abertas e a mais antiga é da década de 40. Nessa parte podemos ver como o álcool evapora com o passar do tempo, mesmo com as garrafas lacradas, a mudança na estética das garrafas, a diferença das garrafas que iam para exportação e as que ficavam dentro do país, garrafas assinadas por importantes arquitetos e garrafas de vodca com sabor que só são fabricadas para determinados países.

Terminamos a visita no Bar Akademii Wódki (Bar Academia da Vodca) com uma degustação de três tipos de vodca polonesa. O especialista ali presente vai descrevendo os sabores e a diferença entre cada uma delas.

Visitei o museu dois meses após sua inauguração e achei fantástico, super moderno e interativo. O valor da entrada é de 40PLN, o que é um valor bem acima do que estamos acostumados aqui em Varsóvia, mas a visita é guiada num grupo de 25 pessoas. As visitas guiadas podem ser em inglês, também.

O museu também oferece 3 tipos de workshops: Coquetéis com vodca polonesa, Foodpairing e História da Vodca Polonesa com uma complexa degustação. O museu abre de domingo a quinta-feira, das 10h às 20h; sexta e sábado, das 11h às 21h.

Leia também: Como obter a residência permanente na Polônia

Algumas curiosidades sobre a vodca polonesa:

  • Dizem que em 1915 os soldados do exército russo que estavam saindo de Varsóvia receberam uma ordem para destruir toda a reserva de álcool da fábrica. Por esse motivo, 10 000 000 litros da bebida foram derramados na rua.
  • The Rolling Stones fizeram um show na Polônia há 50 anos em troca de um vagão de trem cheio de vodca. Muita gente acha que isso não passa de uma lenda urbana, mas os organizadores do evento confirmam que isso foi real. Infelizmente os músicos não receberam o “salário”, pois o vagão foi devolvido para a Polônia pela guarda de fronteira britânica.
  • No primeiro vôo do avião Concorde, em 1976, a vodca polonesa Wyborowa foi servida a bordo.
  • O prestígio da vodca polonesa fora do país é muito grande e por esse motivo, muitas pessoas famosas são fãs dessa bebida. Entre um dos mais famosos estava Pablo Picasso. Este fato é comprovado pela famosa frase do artista: “Três invenções extraordinárias do século XX são o blues, o cubismo e a vodca polaca”.
  • A vodca polonesa deve ser servida na temperatura de 6° a 8° graus. Nessa temperatura conseguimos sentir melhor seu sabor.
  • A menor quantidade de álcool na vodca e de 37,5%. Abaixo disso, a bebida não é mais considerada vodca. As vodcas polonesas costumam ter em torno de 40% de álcool.
  • A verdadeira vodca polonesa, patrimônio cultural, tem uma etiqueta na garrafa da Associação da Vodca Polonesa, afirmando que aquela bebida se encaixa em todos os critérios da lei, isto é, é produzido na Polônia, a partir de cereais tradicionalmente poloneses: trigo, batata, centeio, triticale, cevada ou aveia.

Agora se você quer descobrir se a vodca é original da Polônia ou da Rússia, você vai precisar visitar o museu!

Até mês que vem!

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.