Sinterklaus e Natal na Indonésia

4
348
Advertisement

É dezembro e o comércio já começa a exibir seus laços e luzes. É o Natal se aproximando. E como será o Natal na Indonésia?

Acredito que uma das coisas que mais mexe com a cabeça e com o coração de um brasileiro que vive no exterior são as datas festivas. São elas que nos recordam há quantos anos estamos longe, nos remetem às ausências, à saudade. São aqueles números em vermelho no calendário, que nos alertam que há algo a celebrar, há um feriado com sol, praia e amigos, há uma festa em algum lugar seguindo tradições com as quais você cresceu e você não está lá pra curtir! Tradições que certamente mudam de família para família, de região para região. Agora, imaginem de país para país!

IMG-20151125-WA0014
Árvores de Natal e enfeites enchem as gôndolas da principal loja de artigos para casa em Balikpapan. (Foto: colaboração de Ionara Carvalho)

Quando eu vim pra Indonésia e cheguei em pleno Ramadã, me preocupava um pouco o fato de talvez não ter possibilidades de celebrar datas como Natal ou Páscoa, por exemplo. Sabia que poderia festejar entre amigos, mas não tinha certeza de poder “expor” minha crença. Mas foi chegando dezembro e os primeiros sinais da pluralidade religiosa começaram a aparecer.

Apesar de ser um país majoritariamente muçulmano (85% da população pratica o Islamismo), os 10% de Cristãos são respeitados e celebram o Natal, que também é feriado por aqui; como todas as datas importantes das demais religiões oficiais: Islamismo, Protestantismo, Catolicismo, Hinduísmo, Budismo e Confucionismo! A lei indonésia garante a liberdade religiosa ainda que ela diga que você “tem” que pertencer a uma das religiões oficiais e não possa ser ateu ou seja, liberdade aos parâmetros indonésios, né? Mas já está bom! Entretanto, todos os anos, em igrejas com grandes concentrações nesta data há um operativo de segurança, afinal os radicais estão por aí e deixaram um gosto amargo na boca indonésia durante o atentado de Bali, em 2002.

As similaridades entre o Natal indonésio e o brasileiro começam pelo nome. Aqui Natal é Natal mesmo, herança portuguesa. Também o jeito de celebrar, quase que unanimemente em família, com idas à igreja, uma grande fartura de comidas, troca de presentes ou envelopes com pequena quantia de dinheiro às crianças e visitas de amigos que podem durar a semana toda – já que durante o Ramadã as festas duram de 3 a 7 dias e confunde-se o costume cristão – e terminam por aí.

Conforme a região do país, há peculiaridades nas tradições natalinas. Em Jogjakarta, por exemplo, o nascimento de Jesus é encenado com os tradicionais fantoches de couro e suas sombras, conhecidos como wayangs. Em todo o país, as pessoas usam o batik , roupa tradicional para festividades importantes nas celebrações. Também há rituais relacionados a preparação dos alimentos e ao sacrifícios de animais. Bem, no Brasil não é muito diferente, sem muitos rituais e lá se vão perus ou leitões! A árvore de Natal é facilmente encontrada por aqui, inclusive nas redes de supermercado. Porém, nem todas são como os tradicionais pinheirinhos MADE IN CHINA. Em Bali, por exemplo, algumas árvores são pequenas e feita com penas de aves!

Também é interessante observar como as pessoas, mesmo as de outras religiões, são contagiadas com a alegria desta época. Obviamente, assim como nós nos contagiamos com o Ramadã, não é pelo motivos religioso, mas pelo apelo comercial, quando as lojas estão com promoções, e pela dinâmica social de “fim de ano”.

Em Balikpapan e em Jacarta, existem algumas associações de mulheres estrangeiras que dão suporte umas às outras e também são voluntárias em ações beneficentes. Na época do Natal, por exemplo, organizam a “adoção” de crianças dos orfanatos cristãos para que sejam “apadrinhadas” e recebam presentes  e o mesmo é feito durante o Ramadã, aos residentes de abrigos islâmicos. Veja aqui o vídeo do trabalho da AIA (Associação Íberoamericana) em Jacarta.

DSC_0594

Minha experiência pessoal de Natal na Indonésia foi excepcionalmente latina e familiar, graças aos amigos que hoje tenho como irmãos, muito além do sentido cristão da palavra. Durante os dois anos que estive na Indonésia neste período, nos reunimos por nove noites e realizamos as tradicionais novenas, que com o latin touch, são bem mais animadas e fartas de comida que as brasileiras!

Uma comilança todas as noites, as crianças tocam instrumentos e, mais do que seguir rituais, apenas oramos pela paz e pela saúde das famílias presentes e seus familiares distantes. Na noite de Natal, uma missa foi celebrada em inglês, tocamos violão e cantamos com as crianças as canções natalinas de alguns países e realizamos um jantar, como a “ceia”, onde cada família colaborou trazendo algo para compartilhar. E, à meia-noite, é quando Sinterklaus passa por aqui, é assim que se chama o bom velhinho graças aos holandeses. Ele passa deixando presentes para nossas crianças, debaixo da árvore que preparamos como nas minhas lembranças de criança, como nas lembranças da infância de muitas de nós.

Selamat Natal a todos neste 2015 e Selamat Tahun Baru (Feliz Ano Novo)!

Nos vemos em 2016!

Leia sobre o Natal Pelo Mundo!

4 Comentários

  1. Adorei Gisele!!! Amo a época de Natal, das tradições e fico feliz de aprendermos sempre alguma coisa nova aqui no BPM. Compartilho da mesma opinião: épocas festivas mexem com qualquer coração e quando temos filhos? Uma vontade de vê-los vivendo o Natal na totalidade, por isso já estou de malas prontas!!! Feliz Natal e um Ano Novo cheio de saúde, alegrias,novidades e realizações pra você!!!

    • É verdade, Renata. Este ano não irei para o Brasil e já estou sentindo a falta que faz para meu filho. Amo Natal e acredito que está totalmente relacionado ao ambiente familiar e tradições. Sinto muita falta dos meus Natais de criança… Beijo e Feliz Natal pra você e sua família!

  2. É realmente o natal é uma união de famílias que se encontram pra celebrar o nascimento do menino Jesus.
    E através desse encontro dividir e compartilhar a alegria do mesmo.
    E quando estamos distantes isso se torna um tanto mais difícil , ai bate a saudade é a vontade de estar perto de alguém que está longe.
    Mas como Natal é a alegria de ter DEUS ao nosso lado , Ele sempre da um jeitinho pra que possamos estar todos juntos , mesmo que seja em pensamento ,ou até mesmo por um telefonema ,ou…pelo skype né Gisele….beijos minha linda.
    Adoro os seus textos ,você escreve muito bem.
    Parabéns e beijos, com a alegria de um Feliz Natal é um próspero Ano Novo.

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.