BrasileirasPeloMundo.com
Indonésia

Dez motivos para morar na Indonésia

Dez motivos para morar na Indonésia.

Morar na Indonésia pode parecer excêntrico, diferente, interessante e até meio maluco (ou Maluku?!) Sempre que comento que moro na Indonésia observo as mais diversas caras e expressões – algumas bem nada a ver, tipo “Que chique!”- como se eu tivesse citado os Alpes suíços! Pois bem, isso me fez pensar que estava na hora de fazer o meu top 10 e apresentar-lhes minhas 10 razões para morar na Indonésia. Deixo claro que moro em um lugar que não é a capital, Jacarta, e nem Bali. Então, qualquer coisa que disser que não se pareça muito com outros costumes que conheçam de lá, sejam compreensivos. O país é muito heterogêneo, ok?

Vamos lá?

1.Cultura: Se você nunca pisou na Ásia, o choque cultural ao chegar na Indonésia é grande. E ISSO é exatamente o que pode fazer você amar ou detestar ficar por aqui. Se for pouco adaptável ou impaciente, esse será seu purgatório. Do contrário, se chegar de cabeça aberta, atento às diferenças culturais, terá uma escola para a vida toda!

Hindus durante cerimônia em Kuta, Bali.

 2. Pessoas: O melhor da Indonésia é o indonésio, sem dúvidas! As pessoas, de modo geral, são muito solícitas, alegres e amigáveis, mas também têm um jeito desajeitado, meio não-sei-se-vou-ou-se-fico, e adoram perguntar o seu conselho para a dúvida. São um pouco desordenados. No entanto, tudo isso faz parte da personalidade encantadora do indonésio. São extremamente otimistas e curiosos, perguntam sem cerimônias quanto você ganha, quanto paga de aluguel, quanto custou seu carro etc. É tudo tão natural que você jura que eles são ingênuos. Mas cuidado, isso não vale para todos os casos, obviamente! Principalmente em Jacarta ou em lugares de muito turismo, você continua sendo presa fácil para golpes mal intencionados. Olho vivo!

Leia também: custo de vida em Jacarta

DSC_7691
O indonésio é sempre muito sorridente.

3. Lugares: Posso falar com convicção que alguns lugares da Indonésia são os mais belos do mundo! Os templos Borobudur (Java) e Uluwatu (Bali), vulcões como Monte Bromo e Rinjani, as ilhas de Gili, só para citar os mais conhecidos. Depois, estão outras áreas menos divulgadas como Palu e Manado – Sulawesi ou Celebes, em português, com paraísos para mergulho e Kalimantan (Bornéu) com parques de preservação de orangotangos e praias como as de Derawan, com água cristalina e águas-vivas que não causam queimaduras! Só aqui mesmo!

DSC01836
Ruínas templo hindu Prabanam
DSC01456
Borobudur (templo budista)

4. Comida: Eu não sei se coloco a comida nas razões para morar ou para morrer de saudades do que você comia no Brasil. Seja como for, aqui certamente você vai aprender sobre culinária! Onde mais você imagina que abóbora, banana e leite de coco, tudo junto, servidos como uma sopa quente chamada kolak, é sobremesa? Ou que a crocante “batata palha” do seu prato brasileiro foi substituída por minúsculos peixinhos secos que são servidos sobre alguns pratos como arroz ou frango? Experimente o famoso nasi goreng (arroz frito), o bakso, uma espécie de sopa de almôndega ou satay/satê, espetinhos de carne ou frango com molho de amendoim… É muito bom!

2012-04-01 21.42.46

5. Esportes: Na Indonésia você vai sempre encontrar uma boa oportunidade para praticar esportes: não tem desculpa! Corrida, caminhada, mountain bike, futebol, mergulho – dizem que é hobby, mas eu acho que pode se enquadrar aqui; golfe, badminton, surfe e por aí vai.

DSC01548
Bicicletando em Borobudur (Jogjakarta).

6. Ser bule: Se ao chegar na Indonésia você vir alguns flashes em sua direção, não é algum famoso passando logo atrás de você, não! É você mesmo o alvo das fotos ou talvez o seu filho de cabelo loiro, por exemplo. É engraçado como o indonésio de classe mais humilde é encantado com o estrangeiro. Certa vez, fui à manicure e ela soltou o que pensou que para mim seria um elogio: “sua perna é tão branca!” – demorei uns 5 minutos para entender que para ela aquilo era algo admirável. Estranhamente, num país de milhões de pessoas com tons pardo de pele, a maioria descendentes de indígenas, o padrão de beleza é “quanto mais branco, melhor!” Eis, então, que surge a palavra “bule” (bulê) que, literalmente, significa branco, caucasiano; mas que tem um sentido estereotipado de “gringo com grana”. Nunca sabemos como estão usando o termo, mas vale o seu bom senso. Geralmente é apenas uma saudação “Hello, bule!”… Eu não gostava muito; porém, decidi aceitar e me acostumar. Achava meio racista a priori, mas depois entendi que era uma “classificação” que geralmente eu me enquadrava mesmo e fim de sofrimento.

Estudantes visitando Borobudur, foto com a "bule".
Estudantes visitando Borobudur, foto com a “bule”.

7. Custo de vida: O custo de vida na Indonésia é relativamente barato. Alimentação, transporte, vestuário e um cineminha de vez em quando não são caros. Não saberia dizer em questões de aluguel ou contas mensais porque eu não tenho custos com moradia. No caso de roupas e sapatos, principalmente esportivos, aqui é muito barato. Sabemos que há razões como o trabalho escravo e falsificações, mas nem tudo se enquadra aí. Porém, se você gosta de uma “birita”, prepare o bolso: bebidas alcoólicas, principalmente os destilados, aqui são mais caras que no Brasil!

8. Serviços: Não é segredo que a mão de obra na Ásia é barata. Muitas vezes, não acreditamos no valor que alguns trabalhadores recebem pelo trabalho que fazem. Costureiras, por exemplo, há várias pelo bairro e algumas fazem verdadeiros vestidos de passarela! O problema é que nem sempre você poderá hastear a bandeira da justiça e igualdade e resolver pagar o que considera “justo”. Então, paga-se o que o mercado paga, mas sem exploração, por favor. Gorjetas, muitas vezes não esperadas por eles, trarão sinceros sorrisos!

9. Artesanato: Reserve lugar na mala, ou melhor, em um container, para tudo de lindo que a Indonésia produz, a começar pelo tecido chamado de “batik” que, originalmente, é desenhado à mão com cera quente e colorido num processo muito artesanal, seguindo pelos objetos de decoração, cestas e principalmente os famosos móveis de teca. Bali, Yogyakarta e Jepara são os principais fabricantes de móveis, mas em Jacarta há uma rua inteirinha só para eles. Ai, ai… Não inclua isso no item 7 mencionado… rsrs.

264605_10150258177442593_882660_n
Objetos em madeira e cestas são artesanatos típicos.
375481_10150426047632593_1635587634_n
Fabricação de batik.

10. Relaxe e vá pro SPA! Isso mesmo, spa daqueles de filme, com musiquinha balinesa de fundo, moças vestidas em sarong (ou sarongue) e flores boiando em banheiras de pedra. Quase em toda parte que você for, encontrará um desses e não são caros se comparados ao padrão de preços europeu, americano e até mesmo brasileiro. Escolham um de boa procedência, viu, meninas e MENINOS!

Ofurô do Spa Aston Hotel Bali.
Ofurô do Spa Aston Hotel Bali.

Enfim, a Indonésia é um lugar encantador, com suas pérolas e suas pedras no caminho. Apegue-se ao que há de bom e SELAMAT DATANG! (Bem-vindo!)

Fotos: arquivo pessoal.

Related posts

Uma viagem pela Ásia

Simone Dias Moreno

Bali, a ilha dos deuses

Mariana Neder Petrini

Indonésia – Pena de morte e sociedade

Gisele Altoé

45 comentários

Renata Salas Collazo Outubro 21, 2015 at 2:57 am

Otimas razoes Gisele….Essa serie 10 motivos para morar….. da vontade de morar em varios lugares….Acho que manter a mente aberta e o que mais engrandece qualquer experiencia….

Resposta
Gisele Altoé Outubro 28, 2015 at 10:47 pm

É verdade, Renata! Cada vez que leio os “10 motivos” de algum lugar também fico me imaginando por lá…rsrs Obrigada por acompanhar os posts! Um abraço!

Resposta
kacia Dezembro 4, 2016 at 7:27 pm

como falar com vc ??? estou inclinada a morar em Bali… vc tem contato skype?

Resposta
Cristiane Leme Dezembro 7, 2016 at 7:18 pm

Olá. A Gisele voltou para o Brasil e parou de colaborar conosco.
Edição BPM

Resposta
Charles Novembro 4, 2017 at 9:33 pm

Estou no Japão quero ficar um tempo na indonésia [email protected] br
Quero saber tudo dai

Resposta
Erika Martins Carneiro Outubro 21, 2015 at 2:23 pm

Sou fã dos seus posts, Gisele! Eu adoro comida indonésia (de restaurante daqui), acho que comeria tudo aí!

Resposta
Gisele Altoé Outubro 28, 2015 at 10:52 pm

Oi Érika! Obrigada! Que bom saber que tenho uma fã, rsrs! Fico realmente muito feliz e grata!
A comida indonésia é muito interessante: a princípio a gente fica com receio de provar, mas quando prova…hummmm é um perigo! E viva o Nasi Goreng! kkkk Beijoca!

Resposta
Francisco Nobre Novembro 25, 2015 at 5:52 pm

É o primeiro post que leio aqui. Será que homem pode opinar? Sei não, mas vou opinar assim mesmo. Gostei de seus comentários. Mas, infelizmente, fica difícil avaliar o “bom de morar” em um local sem ter um parâmetro de custo de moradia que, normalmente, é a parte mais significativa e cara de uma experiência de vida.

Resposta
Gisele Altoé Novembro 27, 2015 at 1:47 am

Olá, Francisco, seja bem vindo! Claro que homem pode opinar, sim! Fique à vontade, sempre que quiser.
Entendo seu ponto de vista, e concordo com você. Entretanto, acho complicado dar um parâmetro uma vez que a variação de preços em relação às cidades é muito grande e considerando que eu não pago aluguel aqui. Mas posso pesquisar essas informações e talvez fazer até um post sobre isso no futuro. Fique ligado! Abraço.

Resposta
Valéria Dezembro 10, 2015 at 6:36 pm

Olá Gisele,
Tenho muita vontade de largar tudo no Brasil e ir para a Indonésia, mais especificamente Bali.
O que me recomendas para fazer essa loucura toda?

Obrigada!

Resposta
Gisele Altoé Dezembro 13, 2015 at 3:23 am

Olá Valéria, tudo bem? Olha, Bali realmente é apaixonante e toda informação que chega ao ocidente é bastante encantada, ao estilo “comer, rezar e amar”. Porém, viver o dia a dia num país diferente ao seu é um desafio. E como todo desafio, é importante um bom planejamento para ser bem sucedido. Então eu sugiro que você procure mais informações sobre o lugar, sobre condições de trabalho e como permanecer legalmente no país. Segue aqui o site da Embaixada brasileira em Jacarta (http://jacarta.itamaraty.gov.br/pt-br/Main.xml), onde poderá encontrar mais informações úteis. Abraço e boa sorte!

Resposta
André Vasques Dezembro 11, 2015 at 5:35 pm

Ótimo relato, Gisele! Eu já fui pra Bali e fiquei extremamente apaixonado pela cidade e pelo país! Estou estudando formas de fazer um intercâmbio para aí. Só que estou em dúvida sobre Jakarta ou Bali. Poderia me dar algumas dicas? Grato desde já!

Resposta
Gisele Altoé Dezembro 13, 2015 at 2:41 am

Olá André, tudo bem? Obrigada por acompanhar o blog! Bem, são cidades bem diferentes, como você já esteve por lá deve ter percebido que Bali é mais tranquila, tem outro ambiente, mais descontraído. Já a capital Jacarta é mais caótica, mas provavelmente poderia oferecer mais oportunidades laborais, dependendo do tipo de intercâmbio que você esteja buscando. Há várias instituições e centros de intercâmbios reconhecidos que tem sede no país. Conte-nos depois para qual cidade você foi e compartilhe conosco sua experiência! Abraço e boa sorte!

Resposta
Ana Carolina Dezembro 22, 2015 at 9:47 am

Ola Gisele, gostei da forma breve que escrevestes sobre como é morar aí na Indonésie. .estou ha um ano e meio na França e a empresa que meu marido trabalha prétende manda lo para aí..eu particularmente iria com à cara é à coragem pois tenho muita afinidade com à cultura dai porem meu receio sao meus filhos pequenos, principalmente o mais velho (3 anos) que tem autismo. ..vc tem informaçoes de como o TEA (transtorno do espectro autista) é tratada aí?

Resposta
Gisele Altoé Fevereiro 1, 2016 at 1:08 pm

Olá Ana,
Você sabe exatamente para qual região ele vai ser transferido? Isso é um dado importante, porque cidades menores como a que eu moro são carentes de tratamentos específicos. Mande-me a cidade e procuro obter alguma informação. Abraço

Resposta
Mariana Janeiro 17, 2016 at 8:11 pm

Gisele, seu blog foi o que me deixou com mais vontade de realmente ir para a Indonésia. Obrigada! Mas não encontro muitas informações sobre estrutura de vida, trabalho e,principalmente tipos de visto. Pode me ajudar com algum site em que eu consiga obter essas infos?

Obrigada desde já!
Beijos!

Resposta
Gisele Altoé Fevereiro 1, 2016 at 1:08 pm

Olá Mariana! Que bom que meus textos te animaram a conhecer a Indonésia! É mesmo um lugar fascinante! Sobre as questões de trabalho e estrutura de vida eu sempre digo que é muito relativo. No meu caso, viemos já com trabalho e casa, o que facilita muito. Então, sempre recomendo que primeiramente entre em contato com o consulado brasileiro em Jacarta. Há informações desse tipo na página deles e, caso suas dúvidas não sejam esclarecidas, sempre são muito solícitos em ajudar se você entrar em contato. Alguns sites que dão informação para “expats” (estrangeiros) na Indonésia são o http://www.expat.or.id, http://www.internations.org/indonesia-expats, entre outros. A maioria das informações estão em inglês.
Boa sorte! Abraço

Resposta
Miguel Goerck Janeiro 25, 2016 at 3:33 pm

Vou todos anos para a Indonésia a negócios, mas nunca tive a oportunidade de conhecer os pontos turísticos.
O país tem muita pobreza, mas o povo é sensacional. Já tenho 33 anos e um bom emprego no Brasil, mas não aguento mais viver nisso aqui. Tudo vai de mal a pior e tenho certeza que o Brasil nunca vai deixar de ser o “país do futuro”. Vai piorar muito ainda…

Se você ficar sabendo de oportunidades e vagas para extrangeiros, por favor compartilhe com a gente aqui do Brasil!
Muito bom o seu post! Obrigado!

Miguel

Resposta
Gisele Altoé Fevereiro 1, 2016 at 1:13 pm

Olá Miguel! Que sorte poder conhecer a Indonésia e ainda visita-la anualmente! Acredito que, como você vai a negócios, deve ter uma rede de contatos. Mantenha sempre contato com empresas e pessoas que você conheceu nesse ambiente. Particularmente não tenho muito para recomendar porque não trabalho, mas se souber de alguma oportunidade, certamente publicarei no blog. Fique ligado e boa sorte!

Resposta
Julio. Cezar Março 6, 2016 at 9:19 pm

Olá.
Acabei de ler seu post..
Parece ser tudo maravilhoso…
Mas, acredito que você tem grana pra viver aí, já que não tem despesa com moradia. E quanto a custo de vida pra quem precisa trabalhar pra se manter? O que tem a dizer sobre quem ganha pouco ou quase nada?
E o que me diz sobre professar essa ou aquela religião?
Quem não pode frequentar um SPA vai pra onde?
E o clima?
E os tremores de terra e ameaças de tsunamis?
Como conviver com essas questões?
Abraços.

Resposta
Gisele Altoé Março 31, 2016 at 4:15 am

Olá Julio, realmente a Indonésia é maravilhosa, entretanto eu diria que “grana” como você menciona é indispensável para viver em qualquer lugar do mundo. Aqui trabalhamos para nos manter, aliás, foi o trabalho que nos trouxe até o outro lado do mundo. Por isso, sempre que me perguntam sobre vir ou não morar na Indonésia, eu sou sincera e recomendo que avaliem as condições financeiras para se manterem por aqui. Muitos gostariam de aventurar-se a conhecer um lugar diferente, mas é preciso ser prático e considerar que a vida tem custos, onde quer que seja. Aqui, por exemplo, os custos com alimentação e vestuário não são tão abusivos. Faço compras nos atacadistas e feiras onde os nativos compram, aproveito para consumir frango e peixes que são muito mais baratos que as carnes, principalmente as importadas (sabe, aquelas do churrasco no Brasil? Esquece! Aqui são caras, só em aniversário e olhe lá!). Quanto às pessoas que ganham pouco ou quase nada, lamentavelmente elas estão por toda a Indonésia (e por muitos outros países do mundo, inclusive o nosso amado Brasil). A desigualdade é grande, mas o indonésio não é um povo infeliz por isso. E a própria religião pode ser um fator importante nessa “aceitação” que as pessoas tem de suas condições. Certo ou errado, quem sou eu pra julgar. Mas ainda que alguns casos isolados de ataques relacionados à religião tenham acontecido por aqui, o país tem uma política de aceitação religiosa bastante admirável se consideramos tamanha população, majoritariamente muçulmana, mas com outras religiões que também podem ser professadas. Quanto aos SPAs, ao contrário do que se pensa, aqui não são só para “os ricos”. Há uma cultura da massagem, do toque e calor das mãos para curar qualquer enfermidade. Os indonésios aprendem isso desde cedo. É muito comum encontrar os nativos locais nos Spas ao invés de turistas (claro que não em Bali ou cidades turísticas…lá o preço também é outro). O clima é perfeito, é muito quente já que estamos em plena linha do Equador, mas pra um brasileiro, é como estar em casa. Tremores de terra, tsunamis? Bom, isso é a natureza quem decide onde vai acontecer e, quanto a isso, não há muito o que se fazer. Desculpe-me pela demora, espero ter sanado todas as suas dúvidas! Obrigada por acompanhar o blog!

Resposta
Tatiane Julho 18, 2016 at 12:24 pm

Oi Gisele, tudo bem? Vi em algum post que você mora ou morava em Balikpapan. Você poderia me dizer um pouquinho mais sobre a cidade. Questão de saúde e remédios, tenho uma filha pequena, e vc sabe que sempre temos que manter uns remedinhos em casa né. Existe alguma comunidade americana para convivermos e não nos sentirmos muito sozinhos?
Saúde é o que mais me preocupa.

Resposta
Mariana Neder Petrini Novembro 30, 2016 at 3:01 pm

Olá Tatiane, tudo bem sim e você?
A Gisele não é mais colaboradora do BPM então infelizmente não tem acesso à sua pergunta.
Tomei a liberdade de entrar em contato com uma amiga (que descobri ser muito amiga da Gisele) que morou em Balikpapan durante três anos e a resposta dela foi:
‘Com relação à saúde, tem o hospital do Siloan. Ele é muito bem equipado, mas os pediatras que vi não são muito bons. Em geral, os expatriados de Balikpapan viajam à Singapura ou à Malásia para se tartar. Siloan só em caso de urgências ou coisa simples de se resolver. Por exemplo: tive uma amiga que os dois filhos fizeram cirurgia de apêndice no Siloan e correu tudo bem.
Com relação à comunidade de expatriados em Balikpapan, neste momento, praticamente 90% foram embora de lá. As escolas americana e francesa fecharam, restando somente a escola australiana. A maioria dos expatriados que ficaram, ou não tem filhos em idade escolar, ou as crianças ainda são pequenas.’
Espero ter ajudado!
Se precisar de mais informações, busque pela comunidade de brasileiros na Indonésia, pelo Facebook.

Resposta
Alex Março 8, 2016 at 8:42 pm

Ola Gisele…foi muito útil suas dicas.
Sou surfista desde criança e meu sonho sempre foi me mudar pra Bali…ou pras ilhas Mentawai e montar um pequeno hotel voltado para receber surfistas também. Te pergunto, vc sabe como funciona a lei aí para estrangeiros montarem negócios por ai? O governo é receptivo? Existe escola bilíngüe? Tenho 2,filhos e tenho essa preocupação tb
Muito obrigado.

Resposta
Gisele Altoé Março 10, 2016 at 3:31 am

Olá Alex, para os surfistas realmente a Indonésia é um paraíso. Entretanto, quando a questão é negócios o governo é um tanto conservador. Uma das leis, por exemplo, dificulta a aquisição de imóveis por estrangeiros e também exigem a participação de um nacional como sócio. Seria interessante que você tente entrar em contato com algum consultor da área no país. Em Bali sei que há colégios internacionais (americano, australiano, etc.), bem como na capital Jakarta. Geralmente nas outras regiões já são colégios nacionais com ensino de inglês. Boa sorte!

Resposta
Thais Cunha Maio 8, 2016 at 1:21 am

Oi Gisele, tudo bom? Achei maravilhoso seus textos. Gostaria de saber mais sobre sua vida aí, se vc trabalha, se seu filho se adaptou por exemplo. A vida aí é realmente fascinante! Parabéns pela coragem de se mudar para o desconhecido.
Já visitei o país e gostaria e vou voltar quando puder.
Aguardo retorno,

Resposta
Mariana Neder Petrini Novembro 30, 2016 at 2:22 pm

Olá Thais,
Conforme comentário da Editora do BPM abaixo, a Gisele atualmente mora na Argentina. Eu cheguei no país há cinco meses e moro em Jacarta. Não tenho filhos, então não posso responder a essa pergunta 🙂
Que bom que gostou da Indonésia, volte sim! O país é maravilhoso!

Resposta
Anna Maio 16, 2016 at 2:07 pm

Gisele,
vc mora em qual região da Indonésia ?

Resposta
Cristiane Leme Maio 16, 2016 at 8:17 pm

Anna, a Gisele atualmente mora na Argentina.
Edição BPM

Resposta
Denis Junho 16, 2016 at 2:53 pm

Olá bom dia , você conhecer a cidade de bogor ae na indonésia, estou mantendo contato com a amiga q conheci . Mas não conheço muito bem as coisas por ae, você pode mim dar umas dicas

Resposta
Mariana Neder Petrini Novembro 6, 2017 at 2:31 pm

Oi Denis, tudo bem? Conheço a cidade de Bogor sim, está localizada bem próxima de Jacarta e é uma cidade super agradável.
Que tipos de dicas está procurando? Posso te ajudar sim!

Resposta
Lyli Julho 28, 2016 at 9:48 pm

gostaria de entrar em contato com a Gisele, estou mudando pra indonesia estou louca cheia de duvidas .precisava da ajuda de uma brasileira ai.

Resposta
Cristiane Leme Julho 28, 2016 at 10:20 pm

Lyli, a Gisele voltou para o Brasil e parou de colaborar conosco.
Tente procurar grupos de brasileiros na Indonésia pelo Facebook.
Edição BPM

Resposta
João Henrique Hoppe Setembro 26, 2016 at 9:08 pm

Olá,
estou analisando a montagem de uma fábrica de calçados esportivos na Indonésia. Região se SEMARANG.
Nosso gargalo é a questão da língua, pois nossos técnicos falam português.
Você tem contato com brasileiros aí na Indonésia que possam se interessar em fazer parte de um projeto como esse ?

Resposta
Mariana Neder Petrini Novembro 30, 2016 at 2:25 pm

Olá Jõao,
Cheguei há pouco tempo então não tenho contatos para te informar.
Tente procurar grupos de brasileiros na Indonésia pelo Facebook.
Espero que encontre ajuda.

Resposta
Heloisa Novembro 19, 2016 at 12:12 am

Olá ! Estou indo passar 15 dias em bali ( meu irmão resolveu casar ai) só q antes eu vou para a nova Zelândia e lá vai estar muito frio e depois vou para bali onde vai esta muito quente! Ai pensei sobre como vai caber tantas roupas para o inverno e verão! Pois bem, queria comprar as roupas de verão ai, como é o estilo, parece com o do Brasil? Aguardo anciosa o seu comentário! Rs

Resposta
Camila Dezembro 26, 2016 at 3:41 am

Oii, tenho vontade de ir a Bali mas tenho medo de fazer esta viagem sozinha.

Resposta
Washington Julho 16, 2017 at 1:07 pm

Bom dia
Gostaria de saber sobre trabalho, na indonésia existe alguma área expecifica com oportunidades melhores para algum ramo de profissão?

Resposta
Marcia Julho 27, 2017 at 3:42 am

Oi Gisele adorei seu post. Tenho vontade de ir morar ai quando meu marido aposentar. Moramos no Japão. E muito cara uma casa em Bali? E VC sabe como conseguir visto de residencia?

Resposta
marcia regina favoretti Agosto 15, 2017 at 4:11 pm

Boa tarde Gisele
Uma pessoa que vai sozinha pela primeira vez, como fazer para se virar ai na Indonésia ?

Atenciosamente

Márcia Regina

Resposta
Nelly Agosto 5, 2018 at 1:22 pm

Oi Marcia,

Vi seu interesse em se mudar pra Indonésia .Moro aqui há mais de 20 anos, caso queira informaçoes sobre o pais , poderá me contatar que terei o prazer de ter dar algumas informações que estão ao meu alcance.

Resposta
Guilherme Pinhel Gil Agosto 25, 2018 at 7:58 pm

olá Nelly, tudo bem? estou interessado também, se puder me ajudar, agradeço! tem whatsappp?
+5517992429596, grato! abraços.

Resposta
tuanny Janeiro 17, 2019 at 1:44 am

Nelly tudo bem? queria também conversar contigo sobre morar por um tempo na Indonésia, poderia me adicionar no Facebook tuanny fernanda gonçalves ou mandar um oi por email [email protected].. eu nem saberia como te agradecer! As coisas estão bem feias por aqui.

Resposta
Claudia Janeiro 14, 2019 at 2:42 pm

E quanto custa comprar casa em bali? Eles dão residência pra quem compra imóvel? Tenho vontade de morar em bali!

Resposta
Liliane Oliveira Janeiro 15, 2019 at 2:42 pm

Olá Claudia,
A Gisele Altoé parou de colaborar conosco e, infelizmente, não temos outra colunista morando no país.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação