BrasileirasPeloMundo.com
Curiosidades Pelo Mundo Islândia

O que a Islândia tem em comum com o Brasil?

Há muito mais entre o céu e a terra do que pode sonhar a nossa vã filosofia e muito mais semelhanças entre brasileiros e islandeses do que eu jamais poderia imaginar antes de conviver com eles.

Comecemos pelo “não tem país igual ao nosso”. Brasileiro reclama da crise, diz que quer emigrar, mas no final das contas, adora o Brasil e sempre diz que “não tem comida melhor”, nem “lugar melhor no mundo”, apesar de tudo. Islandês também. Embora após o colapso do sistema financeiro da Islândia em 2008 muita gente tenha saído daqui à procura de emprego em outras partes da Europa, a maioria acabou voltando quando as coisas melhoraram.

Os islandeses amam a sua terra e a primeira pergunta que fazem a um estrangeiro é “How do you like Iceland?” (O que você acha da Islândia?), mas é claro que a pergunta é retórica: ai de você se fizer alguma crítica a qualquer outra coisa que não seja o clima daqui.

E se você pensa que o islandês padrão é o estereótipo do nórdico certinho e pontual ou que todo mundo é bem educado, engana-se, infelizmente. Bem, em matéria de impontualidade, o brasileiro é praticamente “hors concours”, entretanto, chegar atrasado uns 10 minutinhos aqui não é tão grave – inclusive na escola – quanto em certos cantões da Europa central. Claro que pedem desculpas e eu, como sou brasileira, aceito sem problemas. Às vezes, contudo, fico chateada, sim, como por exemplo quando ninguém confirmou ou desmarcou a presença das crianças no aniversário da minha filha mais velha. Fiz uma festinha para 12 e só vieram 3 meninas. A mesma coisa aconteceu no Brasil; será que é azar meu?

Porém algumas das coisas boas que temos em comum com eles são a flexibilidade e uma maneira relaxada de ver as coisas. Aqui nem sempre tem “jeitinho”, mas muito otimismo; a frase clássica þetta reddast, ou­ “tudo vai dar certo” ­ define esse modo islandês positivo de ser. Apesar de a vida não ser um carnaval constante, nada aqui é muito sério nem constitui grande problema.

Islandeses também são calorosos e gentis com crianças e parecem os brasileiros, que sorriem, apertam as bochechas, pegam e dão beijo em criança desconhecida na rua. Aqui as manifestações de carinho são mais comedidas, mas crianças são sempre bem vindas e bem tratadas na maioria dos lugares. Estou falando da maioria e em geral, não entremos em detalhes sobre problemas profundos da nossa sociedade ou da timidez e frieza de povos nórdicos.

Islandes têm sempre um sorriso aberto para crianças.
Islandeses têm sempre um sorriso aberto para crianças

 

Muito simpáticos com os pequeninos
Muito simpáticos com os pequeninos

Outras semelhanças de comportamento são práticas e, geralmente, negativas, como falar ao celular dirigindo e não prestar atenção no trânsito, estacionar sobre a calçada e na vaga para deficiente físico. Esta, aliás, é a infração mais cara de pau e frequente que tenho visto por aqui, parece que não se teme muito a multa nem blitz – só aquela com bafômetro, dessa sim, todo mundo tem pavor!

Muito normal por aqui esta forma de estacionar
Muito normal por aqui esta forma de estacionar

Mas, voltemos às positivas: o carinho e o cultivo das relações familiares também me surpreenderam e encantaram aqui. A amiga de uma amiga, que é americana, desabafou um dia: “não sabia estar casando também com uma família italiana, quando disse “sim” a um islandês no altar”. Os islandeses são super ligados aos parentes e também são muito espontâneos – não precisa marcar com antecedência se quiser ir à casa de um irmão ou primo: você liga na hora ou simplesmente toca a campainha. Se estiverem em casa, vão recebê­-lo, servir alguma coisa e até pedir uma pizza, assim, na hora, e a visita vira festinha.

Café da tarde improvisado para visita surpresa.
Café da tarde improvisado para visita surpresa

E os islandeses são muito prestativos. Se o seu carro tiver uma pane no meio de um cruzamento grande, pode crer que vão aparecer várias pessoas perguntando se você precisa de ajuda ou vão empurrar o carro para um canto, fazer uma “chupeta” na bateria, rebocá-­lo com você etc. Isso, claro, se você não der a sorte de estar no meio de uma tempestade de neve ou de madrugada; aí, duvido muito que alguém parasse…

Como no Brasil, aqui as pessoas se tratam pelo primeiro nome, com a vantagem de não haver nenhuma formalidade como “senhor/senhora”, nem mesmo “Vossa Excelência” ou “Magnificência”, a única exceção são os pronomes de tratamento “Vossa Majestade” ou “Alteza”, em respeito a nobres estrangeiros.

Ah, e o amor por carro e bacalhau. O primeiro, eu nem preciso comentar, fica por conta de vocês: o número (relativo) de veículos per capita na Islândia é praticamente o mesmo da cidade de São Paulo: um carro para cada par de habitantes, sendo que a ilha tem 330 mil pessoas. O último é uma questão de gosto, verdade, mas os fatos nos aproximam de novo: a Islândia é o segundo maior produtor de bacalhau salgado do mundo e o Brasil, o maior consumidor. Agora, só aqui entre nós, as nossas receitas são melhores…

Related posts

Curiosidades sobre a Russia

Giulianna Louis

O primeiro dia de verão na Islândia é na primavera

Erika Martins Carneiro

O que são Brocantes?

Lilian Moritz

53 comentários

Ana Paula Novembro 26, 2015 at 9:08 pm

Valeu pela matéria. Eu e uma amiga pretendemos visitar a Islândia ano que vem para conhecer as belezas do país!

Resposta
Erika Martins Carneiro Novembro 27, 2015 at 2:24 am

Obrigada, Ana Paula, fico feliz que gostou!
A Islândia é belíssima, venham mesmo! Se quiser dar uma olhada nos meus outros posts aqui, falo sobre o verão, a língua e um pouco de como foi mudar para cá.

Resposta
Ana Paula Janeiro 29, 2016 at 12:56 am

Adoro ler todos os seus posts e aumenta ainda mais a nossa vontade de conhecer a Islândia! E com bom planejamento conheceremos o país ainda esse ano no segundo semestre! Parabéns pelas matérias!

Resposta
Erika Martins Carneiro Fevereiro 2, 2016 at 11:15 am

Obrigada, Ana Paula! Venha, mesmo, a Islândia é linda e você vai gostar!
Boa sorte com o planejamento, mês que vem estamos aqui de novo, abraço.

Resposta
Rosário Martins Novembro 27, 2015 at 2:29 am

Então não dá pra sentir taaaaanta diferença, não é? Parabém Erikinha por mais este texto muito gostoso sobre os simpáticos islandeses e sua terra. Bjsssssssssssss

Resposta
Erika Martins Carneiro Novembro 27, 2015 at 9:08 am

É bem assim, mesmo, tia, tem muita coisa parecida.
Beijo e muito obrigada por curtir e compartilhar!

Resposta
Vicky Novembro 27, 2015 at 2:44 am

Como sempre seus textos sao otimos! Mas sabe que estava comentando uma coisa que vc falou esses dias. Essa coisa de achar as coisas do nosso país melhores, principalmente a comida. Aquí no sul da Espanha, as pessoas acham que nao existe comida melhor que aqui em nenhum lugar do mundo! Eu nem discuto… Discutir com espanhois eh perda de tempo e energia! O clima tambem, porque aquí no sul eles se comparam com o resto da Europa, e como nao neva, o clima pra eles eh excelente… Mesmo que vc congele no inverno com ventos absurdos e derreta no verao com 45 graus, nunca fale que no seu país o clima eh melhor! Kkkkkk

Resposta
Erika Martins Carneiro Novembro 27, 2015 at 9:07 am

Adorei saber isso, Vicky. Às vezes acho que nem é por mal que as pessoas fazem essas comparações, pode ser pura ingenuidade. Tem gente que nunca saiu de férias para outro país, mas acha que o seu é o melhor do mundo…
Beijo, fico feliz que você gosta dos textos, muito obrigada!

Resposta
Lyria Novembro 27, 2015 at 10:22 am

Oi Erika!
Que interessante né! Somos todos diferentes do “lado de fora”: um mais alto outro mais baixo, um mais claro outro mais escuro, um mais magro e outro mais gordo, uns nascem no norte outros no sul, mas… lá no fundo… somos todos pessoas e muito parecidos!
Abraço! 🙂

Resposta
Erika Martins Carneiro Novembro 27, 2015 at 10:45 am

É isso mesmo, Lyria, somos todos humanos, no fim das contas. Claro que existe muita coisa diferente, também ainda vou escrever sobre isso, mas aquela ideia do europeu nórdico perfeito já não é mais atual faz tempo. Beijo para você

Resposta
Lis Mianda Novembro 27, 2015 at 1:07 pm

As receitas paraenses, em especial, são as melhores do mundo! Gostei de conhecer um pouco mais sobre a Islândia. E agora que você falou em receitas, poderia nos enviar uma boa receita de bacalhau e de um doce islandês.

Resposta
Erika Martins Carneiro Novembro 27, 2015 at 1:13 pm

Minha linda, vou mandar, sim. O bacalhau que mamãe faz é o melhor do mundo, segundo muitos.
Beijo enorme, obrigada por ler!

Resposta
Inger E.Langfeldt Novembro 27, 2015 at 1:45 pm

Bravo Erica! Uma boa e nova perspectiva!
Concordo muito com você!
Posso acrescentar ainda, a bagunça geral nos diversos sistemas: bancário, construção, política!
A diferença é que na Islandia atinge pouca gente, no Brasil são muitos os prejudicados…
Enfim, eu me sinto muito em casa na Islândia !
Pais ótimo! Meu marido é um verdadeiro islandes e adora o Brasil!!! Porque será?????

Resposta
Erika Martins Carneiro Novembro 27, 2015 at 4:31 pm

É mesmo, Inger, acho que é por isso que os islandeses se sentem tão à vontade no Brasil.
Obrigada por comentar e compartilhar! Beijos

Resposta
Ney Souza Novembro 27, 2015 at 2:34 pm

Muito legal o texto! As comparações entre brasileiros e islandeses dá uma sensação de “aconchego” sobre um país que eu nunca pisei, mas que com certeza quero um dia conhecer =D

Resposta
Erika Martins Carneiro Novembro 27, 2015 at 4:32 pm

Obrigada pelo comentário, Ney! A Islândia é linda, vale a pena mesmo conhecer. Abraço

Resposta
andrea schaeffer Novembro 27, 2015 at 3:25 pm

Frau Carnairro, adorei teu texto, dá uma saudade… Parabéns pelas publicações e obrigada por compartilhar teu mundo conosco. Um beijo! Andrea

Resposta
Erika Martins Carneiro Novembro 27, 2015 at 4:33 pm

Menina! Eu é que agradeço a paciência de vocês de ler e compartilhar.
Saudades, beijo grande

Resposta
Everton gehlen Novembro 27, 2015 at 5:29 pm

Muito legal o texto!!!

Resposta
Erika Martins Carneiro Novembro 27, 2015 at 10:21 pm

Obrigada, querido Everton! Beijo

Resposta
Celia M M Fortunato Novembro 27, 2015 at 9:03 pm

Texto super bem elaborado. Parabéns Erika, você é realmente sensacional em tudo que faz.
Quero muito conhecer esse país e estar com voces aí. Saudades!!
Beijos na “isterinha” ( como dizia a japonesa) e na Luna.

Resposta
Erika Martins Carneiro Novembro 27, 2015 at 10:21 pm

Obrigada, Celia querida! Venha aqui, vou adorar! Beijos

Resposta
Domingos Carneiro Novembro 28, 2015 at 2:55 am

Parabéns, querida filha, pela concisão e inteligência na escrita do texto, mas conhecendo bem os dois lados, permita*me discordar das comparações e tentativa de assemelhar os dois povos. Aí não existe político safado, desonesto, cínico, enganador, mentiroso…Aqui só temos políticos dessa laia, a começar do posto mor *presidência* e embora paradoxal, tratando*se, reciprocamente de Vossa Excelência. Aí nem cadeia existe. Aqui está faltando vaga nas prisões, ou como queiram, construir novos presídios. Aí eu não vi controlador de trânsito e nem precisa. Aqui tem em excesso, mas só p/ multar. Aí as crianças como as nossas netinhas, vão e voltam sozinhas de casa p/
escola na maior segurança e tranquilidade dos pais. Aqui é raro o dia que não acontece assalto aos alunos e professores dentro das escolas ou na volta p/ casa….E olha que dá p/ escrever outro texto sobre os contraditórios…Acho que só ganhamos daí na extensão territorial, no desgoverno, no futebol, no carnaval e na diversidade das comidas. Bjs nas princesinhas queridas e abç a todos.

Resposta
Erika Martins Carneiro Novembro 28, 2015 at 2:08 pm

Claro que não dá para comparar tudo, Pai, mas a gente nunca imagina que um povo tão bem educado não tenha a menor vergonha de estacionar na vaga de deficiente ou em cima da calçada. Ou fale ao celular o tempo todo quando no volante…
Beijo, obrigada por comentar.

Resposta
Renata Salas Collazo Novembro 28, 2015 at 3:19 am

Adorei Erika, como sempre seu texto sempre regado a muito bom humor….Só me dá mais vontade de conhecer a Islândia. Bjs

Resposta
Erika Martins Carneiro Novembro 28, 2015 at 2:06 pm

Obrigada, Renata! Venha, mesmo, você vai gostar! Beijo

Resposta
Cintia Novembro 28, 2015 at 7:53 pm

OLá Erika,

texto muito interessante. Realmente não imaginava tantas semelhanças. Bjs

Resposta
Erika Martins Carneiro Novembro 29, 2015 at 12:07 pm

Obrigada por ler e pelo comentário, Cintia! Beijos

Resposta
Aline Arruda Dezembro 3, 2015 at 10:38 am

Que interessante, Erika pensar que um pa’is como a Islandia tem tanta coisa parecida com o Brasil. Nao imaginava 🙂

Resposta
Erika Martins Carneiro Dezembro 9, 2015 at 12:19 am

Obrigada por ler o post, Aline! Que bom que gostou, fico feliz! Beijo

Resposta
Eunice Dezembro 4, 2015 at 2:55 am

Muito bom saber de tudo isso, Erika! Mais aprendemos sobre povos.

Resposta
Erika Martins Carneiro Dezembro 9, 2015 at 12:18 am

Obrigada por ler, querida Eunice! Beijos da Islândia, espero que você continue acompanhando o blog.

Resposta
Bree Dezembro 4, 2015 at 4:42 pm

Delícia de texto! Muito bom 🙂 Adorei saber dessas semelhanças com os islandeses, eu nem imaginava! E sobre estacionar mal/na calçada, será que não é um costume europeu não? Porque aqui na Espanha se faz a mesma coisa… Hahaha, e fiquei sabendo que em Portugal isso também é comum!
Beijos!!

Resposta
Erika Martins Carneiro Dezembro 9, 2015 at 12:17 am

Obrigada, Bree! Fico feliz que você gostou, muito bom ouvir isso.
Quanto a estacionar mal, acho que não dá para generalizar, morei na Alemanha isso lá dá multa feia e reboque do carro, todo mundo morre de medo e anda bem na linha. Lá não pode nem estacionar com o carro virado para o outro lado que não seja o da mão da rua, imagina!
Beijo para você

Resposta
Regina Oki Janeiro 6, 2016 at 6:38 am

Oi, Erika! Parabéns pelo texto: leve, divertido e interessante. Estou pesquisando a Islândia para uma visita e ler sobre suas experiências aguçou ainda mais a vontade de ir. Um grande abraço!

Resposta
Silvana Junho 28, 2016 at 12:01 pm

Muito legal ! E agora os islandeses devem estar felicíssimos por terem tirado a Inglaterra da Eurocopa e se classificado!

Resposta
Erika Martins Carneiro Setembro 18, 2016 at 11:14 pm

Obrigada, Silvana. Foi uma felicidade total essa Eurocopa!

Resposta
Graziela Junho 28, 2016 at 7:01 pm

Fera ! Fico cada vez mais fã da Islândia e de ti , Érika , ???? Torço pro time de vcs.

Resposta
Erika Martins Carneiro Setembro 18, 2016 at 11:15 pm

Obrigada, querida Grazi! Beijo grande, continua torcendo…

Resposta
Odete Junho 29, 2016 at 12:25 am

Adoro o site e principalmente seus comentários bem humorados! Parabéns!

Resposta
Erika Martins Carneiro Setembro 18, 2016 at 11:15 pm

Obrigada, querida! Beijo grande

Resposta
Andrea Junho 29, 2016 at 12:26 am

Querida, sempre bom ler vc!
Bjs!

Resposta
Erika Martins Carneiro Setembro 18, 2016 at 11:15 pm

Obrigada, querida. Beijo

Resposta
Anneke Junho 29, 2016 at 6:09 am

Sehr gut, Erika. Amei. Só esqueceu de mentionar, que nos dois países vivem as mulheres mais bonitas do mundo. E que o costume de casar e ter crianças cedo é o mesmo ????????

Resposta
Erika Martins Carneiro Setembro 18, 2016 at 11:13 pm

É verdade, Anneke! Beijo

Resposta
Alex Setembro 16, 2016 at 5:24 pm

Adorei esse seu post. Vou visitar Reykjavik pela primeira vez no dia 23 de Setembro de passagem para a Itália. Eu já tinha uma premonição boa quanto à Islândia e os islandeses. Seu post é uma super confirmação. Agora só falta você dar umas dicas de onde comer mas barato aí.

Já estou pensando em planejar uma semana de viagem só para conhecer o país inteiro.

Obrigadíssimo pelo seu post.

Resposta
Erika Martins Carneiro Setembro 18, 2016 at 11:13 pm

Oi, Alex,
obrigada por ler e comentar o post. Comer barato na Islândia é realmente difícil, não estou exagerando. Com o crescimento de mais de 30% do turismo neste ano, está ficando pior ainda.
Uma dica que eu posso dar é o cachorro quente mais famoso da cidade, o “Bæjarins Beztu”, que fica bem no centro da cidade e todo mundo conhece. Mesmo assim, você pagará aproximadamente ISK 400 pela iguaria. Além disso, se tiver a possibilidade de preparar comida em casa, pode comprar no supermercado “Bónus” (há dois deles bem no centro da cidade), o mais barato daqui, mas como horários restritos: 11:00-18:30. Evite as lojas de conveniência “10-11”, são caríssimas, só são úteis em emergências.
Boa sorte e aproveite a sua viagem, a Islândia é mesmo linda!

Resposta
Cesar Outubro 10, 2016 at 11:09 pm

Erika, parabéns pelo blog. Estou indo para a Islândia entre fim de outubro e começo de novembro. Adorei as dicas do cachorro quente e do mercado , também 🙂
Você sugere algum roteiro de viagem, pois, pelo que li, muitos locais estão fechados para visitação. se conhecer alguma companhia de turismo boa e barata rs, poderia me indicar por favor?
A paisagem do país deve ser mais bonita ainda ao vivo e aurora boreal será um bonus( pois li depende de muitos fatores para ser vista) tem um serviço chamado Reikjavic sailors, você pega um barco no harbour na cidade e eles fazem um passeio para tentarmos ver a aurora, já ouviu falar? me interessei 🙂
Viva a Islandia!

Resposta
Erika Martins Carneiro Outubro 11, 2016 at 12:15 am

Oi, Cesar,
obrigada! Fico feliz que gostou do blog e dos textos!
Como o turismo vem crescendo bastante nos últimos 2 anos, muitos passeios que só eram feitos no verão são feitos no inverno também.
Quanto tempo você fica? Um roteiro depende de quanto tempo você fica e quais seus interesses. Os lugares imperdíveis eu mencionei no meu artigo que você já deve ter lido aqui
Também trabalho com turismo, podemos conversar por e-mail, se você quiser um roteiro mais personalizado e com guia em português.
Vou torcer para que a aurora apareça durante a sua estada aqui. Tudo de bom!

Resposta
Excalibur Fevereiro 2, 2017 at 4:40 am

Muito bom o texto, estava procurando exatamente algo do tipo para me familiarizar com a Islândia ! Estou planejando minha viag para aí , qua do digitei brasileiro na Islândia veio o teu bloh. Que sorte . Abraços de Mossoró

Resposta
Erika Martins Carneiro Fevereiro 3, 2017 at 11:01 am

Muito obrigada, Excalibur,
fico feliz que gostou do texto.
Boa sorte com a sua viagem, você vai gostar, a Islândia é realmente belíssima.
Abraço ao Rio Grande do Norte!

Resposta
Maria Fernanda Julho 27, 2017 at 8:07 am

Chegando em 4 dias com duas meninas cansadas de bater perna! O que mais divertido para crianças??? Obrigada!

Resposta
Erika Martins Carneiro Agosto 21, 2017 at 2:15 am

Oi, Maria Fernanda,
que bom que você vem com as crianças, a Islândia as respeita demais e as pessoas são extremamente simpáticas com elas aqui.
Coisas interessantes para fazer com as crianças em Reykjavik:
1. O jardim zoológico. É pequeno e quase não tem animais estrangeiros, com exceção de uma iguana e uns bichinhos adquiridos para um pequeno “terrário” no zoo. Informações em inglês, você encontra aqui.
2. Observação de baleias: é muito interessante! Há várias empresas de navegação que oferecem passeios 2 a 6 vezes por dia, ficam todas no porto antigo de Reykjavik, bem no centro da cidade.
3. Montar a cavalo: há vários sítios com cavalos de aluguel, o mais famoso e bem pertinho de Reykjavik é o Laxnes, veja aqui.
4. Piscinas públicas: são ao ar livre, mas também têm área coberta. Este é um programa tipicamente islandês que você não pode perder!
5. Museus e exposições: O Saga Museum na região do porto antigo é bem interessante, com bonecos de cera e história viking. Tem também a “Volcano House”, com explicações sobre as erupções na Islândia; ou museu nacional, com acervo arqueológico muito interessante, ou o próprio museu das baleias. Todos os museus aqui têm sempre explicações e partes interativas para crianças em suas exposições.
Programas de comida: Tomar o “soft ice” (aquele sorvete de máquina) é tão obrigatório, como comer um cachorro quente no Baejarins Beztu (bem no centro da cidade), o melhor do mundo, segundo Bill Clinton.
Muito obrigada por ler e comentar!
Boa sorte! Precisando, é só perguntar aqui!

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação