BrasileirasPeloMundo.com
Alemanha

O que eu gostaria de ter ouvido antes de me mudar

O que eu gostaria de ter ouvido antes de me mudar

Desde pequena, sempre pensei sobre morar fora. Eu não sabia bem para onde iria ou quanto tempo ficaria, porém eu sabia que isso aconteceria em algum momento. Após muito planejamento e pesquisa, esse momento chegou. E o lugar escolhido foi a Alemanha.

Assim que anunciei que faria as malas, recebi uma série de conselhos, alguns me ajudaram de certa forma, outras coisas descobri com a experiência. Hoje, um ano após a mudança, aprendi algumas coisas e escolhi as cinco principais para compartilhar com quem está se preparando para uma mudança como essa:

1. Pesquise, pesquise muito

Se você pensa em se mudar porque quer mais segurança, ou mais oportunidades de trabalho, ou seja lá o que for, dedique um tempo para pesquisar sobre essa questão no lugar para onde você vai. Busque fontes mais confiáveis que somente a sabedoria popular ou conselhos de grupos de Facebook. Pesquise, leia muito, leia textos de brasileiros e de estrangeiros também.

Outro ponto importante, pesquise sobre como funcionaria as rotinas do seu dia a dia. Por exemplo, se você trabalha fora ou home office, se almoça em restaurantes, se vai à academia, se tem uma pessoa para limpar sua casa. É bem provável que você precise adaptar algo dessa rotina quando mudar. Reflita se você está realmente ciente do que vai precisar ser ajustado, e se está disposto a fazer isso.

Leia também: o que preparar para morar fora

2. Faça uma festa de despedida 

Os últimos dias no Brasil podem ser um pouco tristes. Você vê sua família sofrendo de saudade por antecipação. A ansiedade vai crescendo, o tempo é curto e há uma lista grande de coisas para fazer.

Mesmo assim, considere fazer uma festa de despedida. É uma ótima forma de se despedir dos amigos. Eu fiz algo bem simples, e esse foi o maior dos meus acertos. Estávamos tão cansados e ocupados resolvendo as últimas coisas, que a despedida foi um excelente momento para relaxar e uma forma alegre de dizer “até breve” para aquelas pessoas tão especiais. Isso deu energia para a maratona que veio nos dias seguintes.

3. Venha de coração e mente abertos

Quando vemos algo sendo feito de uma forma diferente, o primeiro pensamento que vem à mente é: que estranho! Aproveite essa percepção para dar sequência com o seguinte pensamento: Será que isso funcionaria para mim?

Na minha opinião, sem dúvida, absorver uma parte de outra cultura é o que há de mais enriquecedor em morar fora. Por isso, ouça e observe tudo, veja como as pessoas fazem as coisas de uma forma diferente, desde os pequenos detalhes. Questione-se internamente; você pode ganhar uma infinidade de coisas que só essa experiência pode lhe trazer. Com o tempo, você vai se preocupar menos com o que as pessoas pensam, vai se sentir menos ansiosa, mais livre, vai aprender muitas coisas legais, descobrir novos hobbies e dar valor ao que realmente importa.

4. Faça as coisas no seu tempo

Cheguei na Alemanha falando uma dúzia de frases em alemão e sem emprego. As duas perguntas que eu mais ouvi eram: Já está trabalhando? E aí? Como está seu alemão? (essa ainda ouço até hoje). Infelizmente, nossa cultura não valoriza muito a dona de casa, a mãe em tempo integral, o estudante, o subemprego. Geralmente, o estereótipo de uma pessoa bem sucedida é aquela que trabalha o dia todo,  é fitness, viaja sempre e é super ocupada. Nossa cultura vem na bagagem ocupando um espaço muito maior do que imaginamos. Por um lado isso é ótimo, mas por outro pode criar uma pressão interna muito grande e desnecessária.

Leia também: os prazeres e angústias de imigrar

Com certeza você vai esbarrar com alguém que já chegou com emprego ou falando o idioma fluentemente, mas não tem problema se esse não é o seu caso e você precisa de tempo para chegar lá. Ao ouvir perguntas como as que citei acima, com carinho, seja sincero com as pessoas e diga que o que elas esperam de você, não é o que você quer para você. Você também não precisa prestar contas de tudo, nem precisa fazer o que a maioria das pessoas faz ou valoriza para se sentir útil. O importante é ter seus objetivos claros e dar o seu melhor para alcançá-los. Seja livre!

5. Não está feliz? Existem 193 países

De acordo com a ONU, existem 193 países. Estamos na era da informação, é super fácil coletar dados sobre saúde, educação, mercado de trabalho, criminalidade, economia, política e outros relevantes, quando se pensa em mudar de país.

É muito clichê, eu sei, mas a felicidade não depende apenas do lugar, depende muito mais de você. Obviamente o lugar, onde você vive, influencia muito no seu bem-estar, assim como no seu trabalho, sua casa, seus relacionamentos… enfim, em tudo aquilo onde você investe uma grande quantidade de tempo e energia. Porém, acredito que não haja lugar perfeito na Terra. Sempre vai faltar algo.

Mas como diz a música “No matter how right or wrong you’ve gone… You can always come home” (Não importa quão certo ou errado você tenha ido, você sempre pode voltar para casa).

Espero que esse texto ajude você que está pensando sobre mudar de país, que está de malas prontas ou que acabou de chegar e se sente perdida. São coisas que eu gostaria de ter ouvido, as quais aprendi ao longo da montanha russa que foi esse primeiro ano. Entender esses cinco pontos me ajudaram e espero que lhe ajudem também.

Related posts

Reciclagem na Alemanha

Clarissa Gaiarsa

Hábitos alimentares alemães

Karina Finke

Casamento homossexual na Alemanha: o que mudou ?

Nathalia Vitola

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação