Polícia Religiosa na Arábia Saudita

10
889
Foto: Pixabay.com
Advertisement

Polícia Religiosa na Arábia Saudita.

Polícia Religiosa?? A poucos anos atrás eu também não fazia a menor idéia que isso sequer existia. Mas a Polícia Religiosa existe sim, e faz parte da realidade de vários países árabes – provavelmente a mais famosa sendo daqui da Arábia Saudita.

Os chamados “Muttawas” são responsáveis por instruir e monitorar o cumprimento da lei “Sharia” no país. Posso citar como exemplos:

• Demonstrações de afeto em público de casais não são permitidas (alguns muttawas implicam até mesmo com casais de mãos dadas);

• Abayas emperiquitadas demais (coloridas, com grandes fendas) não são bem vistas;

• Unhas pintadas também não são bem vistas por eles;

• Cabelos ao vento (sendo esse o mais comum), entre outros.

Eles tem o poder de prender homens e mulheres, e são o verdadeiro terror não somente para as mulheres árabes, mas também das expatriadas que andam por aqui livremente sem cobrir os cabelos. Geralmente os Muttawas ficam nos principais shoppings da cidade, a espreita, sem uniforme (quase que camuflados), vigiando se a lei está sendo respeitada à rigor.

Eu, graças ao bom Deus, nunca fui parada por um Muttawa pedindo para cobrir meus cabelos. Mas já ouvi várias histórias de expatriadas que foram paradas e perseguidas, e que ao final, tiveram que cobrir a cabeça. Por isso, principalmente no Oriente Médio, eu sempre recomendo levar um lencinho na bolsa. Não apenas por esse motivo, mas sabemos que um lencinho é um coringa de mil e uma utilidades: para o frio, dar um charme, e principalmente nessa região, cobrir o que é por aqui considerado “descoberto”.

Um caso recente e que foi bastante divulgado na mídia internacional foi o de uma Saudita que estava passeando em um grande shopping, e foi perseguida pela Polícia Religiosa por ter suas unhas pintadas. Ela achou a situação um grande absurdo e bateu boca com a autoridade, gerando uma grande polêmica, já que esse confronto não é comum por aqui. Veja mais detalhes desse caso aqui.

Leia também: expressões em árabe

A Polícia Religiosa também é responsável por controlar se os comerciantes cumprem a lei de fechar as portas durante as 5 orações diárias. Explico: aqui na Arábia Saudita, o comércio fecha as portas completamente por alguns minutos quando começa a oração. Eu tenho um aplicativo instalado no celular que me diz o horário exato das orações (já que elas variam todos os dias, conforme a posição do sol e da lua). É mais ou menos assim: se você está no supermercado, e começa a oração, as portas se fecham, e você é obrigada a ficar lá dentro, terminando suas compras, até as portas se abrirem novamente (o que leva em torno de uns 20 minutos mais ou menos nos supermercados, porém em alguns lugares chega até uma hora).

photo

No início isso me incomodava bastante, mas tudo na vida é uma questão de adaptação (principalmente na vida de uma expatriada), não é mesmo? Agora eu planejo meu dia com bastante antecedência para não ficar presa, ou dar de cara na porta literalmente de algum estabelecimento comercial fechado. Os empregados são obrigados a parar de trabalhar durante o horário das orações: os que são muçulmanos vão lá fazer a sua oração (creio eu), os demais, vão tomar um cafezinho, olhar as novidades no Facebook, Youtube… Simples assim.

Leia também: visto de trabalho na Arábia Saudita

Os Muttawas fazem parte do Comitê para a Promoção da Virtude e Prevenção do Vício, um órgão considerado muito importante e com muita influência dentro do governo Saudita.

A verdade é que em pleno século XXI, ter alguém responsável por monitorar e instruir como uma sociedade deve se comportar e até se vestir é algo, digamos, bastante incomum para o resto do mundo.

Mas, enfim, como estou na terra deles, o melhor a fazer nessa situação, é respeitar as regras: assim a Polícia Religiosa passa bem longe de mim.

10 Comentários

  1. Nossa, que fantástico texto. Tem muita coisa sobre o mundo árabe que a gente meio que imagina, mas ler relatos mais pessoais e próximos é enriquecedor. Nao sei se me adaptaria a ficar me monitorando com a vestimenta e os cabelos, mas é como vc diz, em terras alheias, temos que respeitar os costumes locais. Bj

    • Oi Georgina, muito obrigada pelo seu comentário. Você tem toda razão, no início é difícil (ser humano tem sempre resistência a mudança), mas quando “dançamos conforme a música” e nos adaptamos direitinho, fica tudo bem 🙂 Um beijo grande

  2. Carla, eu tenho que dizer que muitas são as coisas que acho realmente unicas no mundo islâmico, aqui na Suica, muitos teem casas de ferias e veem pra ca fazer compras, e eles trazem seus hábitos com eles, as vezes acho surreal as historias que ouco. Tenho vários alunos também árabes, e tenho que dizer que realmente de todas as zonas culturais, com certeza é a que menos compreendo ou que me atrai. Tirar foto também parece que pode ser problema não? aqui me lembro quando os telefones começaram a ter câmara, havia muitos problemas de reclamação de mulcumanos, pois as vezes as pessoas faziam fotos em lugares públicos e eles as vezes apareciam no fundo das fotos e queriam que a gente criasse leis pra proibir. Naturalmente não tiveram sucesso. Eu me lembro em viagens de trabalho, este habito de parar reuniões, pro polvo ir rezar, muito estranho, quando não estamos acostumados. Mas não sabia que poderia existir policia religiosa. Voce sempre tem que colocar um lenço no cabelo quando sai? ou basta prender, pra não ficar solto ao vento? Muito interessante o texto! as mulheres também não podem dirigir né, é lei, não é? Bjus Carla ótimo texto como sempre! 🙂

    • Oi Ana, adoro ler os seus comentários aqui, muito obrigada! Sei bem o que estás falando. Outro dia vi uma matéria na Al Jazera sobre a idéia de colocar essa polícia religiosa em Londres. Na verdade parece que em algumas regiões onde a comunidade se faz mais presente, grupos que fazem o papel da polícia religiosa já até existem. Já pensou?
      Então, pra sair eu não preciso colocar o lenço nos cabelos, mas sempre tenho ele na bolsa, just in case eu vá a alguma área mais conservadora e seja prudente colocar. Um beijo grande 🙂

  3. Nossa! Carla adorei saber desses detalhes pois acompanhei o episodio da mulher pela TV e achei meio absurdo, mas enfim, cada povo com sua cultura e costumes diferentes, e nos temos o privilegio de poder compartilhar tudo isso aqui. bjs.

    • Oi Emilia, realmente quando se está nessa região muitas vezes temos a impressão de que entramos numa “máquina do tempo”, de volta ao passado rsrs Mas creio que a graça de tudo está nisso mesmo, nessa diferença cultural toda. Muito obrigada pelo seu comentário. Um beijo grande 🙂

  4. Ola CArla,

    A Ann Moeller me disse que voce pode tirar minhas duvidas com relação ao custo de vida na Arabia. Me foi oferecido uma oportunidade e gostaria de saber varias coisas para tomar uma decisão. Vc tem um email em que eu possa enviar minahs duvidas..

    Grande Abraço

  5. queria aprender mais sobre a arabia saudita,queria ir mudar para ai com minha esposa,as mulheres estrangeiras tem que cobrir todo o corpo também? vc poderia me explicar os detalhes A linguá e difícil de aprender? queria ir como missionário..

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.