BrasileirasPeloMundo.com
Irlanda Turismo Pelo Mundo

Sete regiões de arte de rua em Dublin

O cinza que vem das nuvens já não escurece tanto o olhar. Pelas ruas do centro da capital irlandesa, muita tinta, muita história, palavras de acalento e uma autenticidade que convida a imaginação a se perder no encontro com o mar. É que em Dublin os irlandeses nos abraçam com arte. Esse DNA vem de longe, vem de 3.200 a.C. com as figuras registradas na pedra durante o período neolítico e mais tarde, em 300 a.C, com os desenhos e símbolos celtas que ainda hoje arrepiam o mundo.

Após um passado de muitos conflitos e miséria, a Irlanda viu nas últimas décadas suas portas se abrirem, libertando também a expressão artística de seu povo e uma vontade de espalhar pela cidade um pouco do que estava enclausurado nos quase 800 anos de sua colonização. Ao caminhar na capital, a calmaria e o verde das ruas se contradizem com o barulho das cores, com o anonimato do autor, com o inconformismo que ele desperta individual e internamente. Nas esquinas, uma prova de sua passagem. Nas fachadas das lojas ao cair da noite, um ponto de interrogação. Nos becos e bastidores, um incentivo ao enxergar aqui e além. A forte e bem-vinda diversidade cultural de suas gentes – e o respeito a ela – avisam que a expressão do outro também pode ser nossa, pois ela é humana, ela é do mundo, ela vem de nós.

Fonte: acervo pessoal

Gradualmente, o grafite e os murais vêm ganhando reconhecimento e apoio da Prefeitura, população, comerciantes, empresários e comunidade artística. Inclusive, com frequência, o poder local seleciona artistas para ilustrarem espaços públicos, como hospitais, galerias, prédios desativados e as caixas de energia localizadas no meio dos passeios. Dentre os nomes de maior destaque na cena dublinense e que tambem já conquistaram fama internacional, Connor Harrington, Maser, Canvaz, James Earley e Banksy compõem o topo da lista.

Conheça e visite algumas das principais obras / pontos de arte de rua pela cidade:

1) Área da Camden Street: um verdadeiro oasis para apreciar artistas de rua de diferentes estilos. Percorra os quarteirões entre o canal de Portobello até a Kevin Street Lower. Pare no Bernard Shaw Pub, um bar diferenciado que conta com uma área aberta bastante inspiradora, e siga para a Camden Row.

Fonte: acervo pessoal

2) Windmill Lane: provavelmente o primeiro grande ponto de grafite em Dublin. Tudo começou com os fãs do U2 que frequentavam a região para conhecer o famoso estúdio da banda. Com o tempo, os espaços do entorno foram sendo cobertos de arte, e constantemente novas camadas de tinta são incorporadas aos muros, fachadas e postes da rua.

3) Smithfields: a região concentra algumas importantes obras: Stormzy Mural, do grupo Subset; uma homenagem ao Bob Doyle (soldado irlandês que lutou contra o fascismo) e dois grandes desenhos próximos ao The Cobblestone pub.

Fonte: acervo pessoal

4) Thomas Street: foram pintados 15 obras em alguns prédios abandonados, tornando mais charmoso o caminho que muitos turistas percorrem para ir a fabrica da Guinness. Bem próximo dali fica o Tivoli Car Park, na Francis Street, um amplo estacionamento aberto que permite com que artistas criem grafites de maior escala.

5) Centro (próximo a Dame Lane): o coração da área central é recheado de opções, sobretudo a George Street (atenção ao BP Fallon ao lado da The Button Factory) e a Dame Lane (destaque para a mulher com cabelos azuis).

6) Temple Bar: um dos principais pontos culturais da cidade, o grafite também deixou marcas por lá. Atenção para o tigre celta, a homenagem a Ulysses (livro de James Joyce) e o touro louco na chuva (Black Herds of the Rain). Não deixe de conhecer também a Love Lane e a Temple Lane.

7) Docklands: mais precisamente na esquina entre Sir John Rogerson’s Quay e Britain Quay, onde a construção do arranha-céu U2 Tower teve que ser interrompida em 2008, há vários becos e outros prédios abandonados que ganharam vida por meio dos artistas de rua.

Related posts

Destino de turismo nos EUA fora da rota tradicional do turista brasileiro

Lorrane Sengheiser

Por que conhecer a Ligúria

Ana Patricia da Silva

Dicas de viagens perto da Cidade do México

Ana Paula Almeida

5 comentários

Silvia M Marcelo Miranda Novembro 16, 2017 at 1:50 pm

Cada vez que leio seus textos me encanto com sua capacidade de trabalhar as palavras. Parabens filha por seu talento e percepção deste nosso mundo…..

Resposta
Viviane Miranda Novembro 20, 2017 at 9:54 am

Obrigada por ser minha leitora fiel, enxergando para alem de mim mesma 🙂 beijos

Resposta
R M M Novembro 18, 2017 at 10:06 am

Excelentes dicas para os entusiastas da arte urbana! Ótimo texto!

Resposta
Dimas Carneiro de Miranda Novembro 18, 2017 at 12:11 pm

Parabéns pelo texto.Devagar vamos conhecendo um pouco da Irlanda, que tem tantos atrativos para os turistas.

Resposta
Viviane Miranda Novembro 20, 2017 at 10:45 am

Obrigada, fico feliz que tenha curtido!!! Continue nos acompanhando 😉

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação