BrasileirasPeloMundo.com
Nova Zelândia

Sistema bancário na Nova Zelândia

Sistema bancário na Nova Zelândia.

Banco e dinheiro é sempre um assunto delicado. No Brasil, na maioria das vezes este assunto é sinônimo de burocracia, perda de tempo e taxas, muitas taxas. Cada país tem a sua política e é difícil entender como são as regras e requisitos para um estrangeiro abrir conta e realizar transações simples do dia-a-dia. Outro obstáculo é o envio de dinheiro de um país para outro. Na Nova Zelândia, todos esses processos são simples e diretos.

Você encontra no país 15 bancos diferentes no total, sendo sua maioria pertencentes a redes Australianas. O Kiwi Bank é, no momento, o único banco totalmente Neozelandês, e o Citibank é o único banco que também tem agências no Brasil. Em casos como esse último, pode haver maior facilidade no envio de remessa, do Brasil para a NZ. No entanto, sob meu ponto de vista, caso viajar pela Austrália ou Ásia esteja na sua “to do list” (lista do que fazer), optar por bancos com agências nos países que deseja conhecer pode ajudar bastante, e fazer com que economize em taxas.

As regras para abertura de contas para estrangeiro, na Nova Zelândia, mudaram recentemente. Até o último ano, para qualquer pessoa era basicamente ir até o banco com documento de identificação e comprovante de endereço para abrir facilmente a conta bancária, independentemente do tempo de permanência ou status no país. Estudantes, apresentando documentação da escola, abriam contas sem nenhum tipo de taxas e com algumas vantagens no pacote. Aproximadamente desde junho de 2016, somente pode abrir conta de estudante, sem taxas, quem for estudar no país por 1 ano ou mais.

Leia também: tudo que você precisa saber para morar na Nova Zelândia

Alguns bancos oferecem alternativas, ou seja, contas bancárias também sem taxas, desde que a pessoa não use os serviços da agência física. Caso seja necessário sacar dinheiro direto no caixa, por exemplo, uma taxa é cobrada para este serviço. Para os estudantes, a mudança não é um grande problema, já que tudo pode ser feito online. Com um cartão na mão, o aplicativo do banco no celular e os muitos caixas eletrônicos espalhados pelas ruas, ir a agência será uma opção remota. As pessoas afetadas por essa mudança são aquelas que vêm para o país com visto de turista, ou seja, estudantes que vêm estudar, menos de 3 meses, ou turistas que vêm viajar pelo país. Nesse caso, fica sob a decisão do banco abrir, ou não, a conta bancária da pessoa.

O legal é que com toda essa tecnologia é possível pré-ativar uma conta bancária online em bancos da Nova Zelândia e já enviar o seu dinheiro antes mesmo da sua chegada ao país. É bem seguro e sua conta só será ativada quando comparecer, fisicamente, à agência e apresentar todos os documentos solicitados. Não há muita burocracia. Na maioria dos bancos, você precisa levar seu passaporte e comprovante de endereço. Não é necessário nenhum depósito inicial caso não queira fazê-lo. O cartão de débito é entregue de 3 a 5 dias úteis na sua residência e, em alguns bancos, a entrega é feita na hora.

Outra coisa bem bacana é não ter que sofrer para fechar sua conta se precisar. Você pode simplesmente enviar um e-mail pra sua agência com a solicitação e pode inclusive fazê-lo quando já estiver fora do país. Fácil e eficiente.

Caixas eletrônicos são encontrados nos shoppings, supermercados e pelas ruas das cidades. Como o país é muito seguro, retirar dinheiro no meio da rua a qualquer horário, do dia ou da noite, não assusta muita gente.  Ah, lembrando que as máquinas são um pouquinho diferentes das que estamos acostumados no Brasil e a primeira operação em caixas eletrônicos por aqui já deu trabalho pra muita gente. Elas recolhem o seu cartão no início da operação e só o retornam quando tudo é processado e finalizado. Muita gente se assusta e pensa que tem algo errado e tem gente que esquece que tem que esperar o cartão e vai embora. É sempre bom prestar atenção. Assim como no Brasil, você pode utilizar os terminais para saques, extratos, depósitos e outros serviços.

Outra curiosidade é que não se tem porta giratória ou detector de metal na entrada, não se tem também seguranças nas agências como no Brasil. E os bancos abrem de 9 as 5 da tarde durante a semana e alguns fazem plantão nos finais de semana. Como uma loja.

Caixa eletrônico no centro de Auckland homenageando os gays com o “GAYTM"
Caixa eletrônico no centro de Auckland homenageando os gays com o “GAYTM”. Fonte: acervo pessoal

O limite máximo de saque é NZ$800 por dia e você pode utilizar qualquer terminal, de qualquer banco, para fazer o saque. Sacando de terminais que não são do seu banco, você pagará uma pequena taxa.

Com a conta aberta é possível enviar dinheiro do Brasil através de depósito bancário internacional. Em alguns bancos, isso é bem simples e pode até ser feito online, em outros, é mais burocrático e demorado. Consulte seu banco para saber como ele opera.

Outra opção é enviar o depósito através de uma casa de câmbio. O que vale mesmo é pesquisar as taxas cobradas (bancárias, valores do câmbio e de remessa) por cada entidade e comparar também o valor da moeda cobrada por cada opção. Com essas informações disponíveis, vai ficar fácil decidir.

Outra coisa interessante que percebi, assim que cheguei no país, é o quanto é comum o uso de cartões. Você compra com cartões de débito ou crédito não só online e em lojas, mas em qualquer feirinha de rua ou carrinho de café. Cheques, como vemos nos Brasil, praticamente não existe.

Ninguém carrega talões na carteira e se você disser que quer pagar com cheque vão entender que é cartão de débito, pois é assim que é chamado este tipo de cartão na NZ. Cartões internacionais com bandeiras Visa ou Mastercard também são amplamente aceitos.

Assim como o país, o sistema bancário da Nova Zelândia é descomplicado e entra-se na agência provavelmente uma vez para abrir a conta e pronto! Problemas são resolvidos online ou por telefone e podemos aproveitar nosso valioso tempo com assuntos mais interessantes.

Related posts

Dicas de planejamento estratégico para migrar

Renata Abu Chacra

Em busca de acomodação na Nova Zelândia

Rosana Melo

Como é o ensino superior na Nova Zelândia?

Natália Souza

6 comentários

Francisco Nobre Setembro 15, 2016 at 2:16 pm

Oi. Bem legal seus posts sobre a vida e os negócios na Nova Zelândia. Parabéns pelo trabalho. Não fosse a distância (e meu pânico de ficar tanto tempo em um avião) eu já teria ido há muito tempo. Em relação a seu último artigo, o sistema bancário brasileiro tem se mostrado moderno e seguro nos últimos anos. A regulamentação deixa os bancos bem livres para fazer o que querem, e, infelizmente, aqui no Brasil isso funciona sempre contra o consumidor, pois nossas empresas parecem que não entendem a importância de uma parceria e fidelização com o consumidor. Assim, de fato, nosso sistema bancário prefere ganhar muito de poucos, ao invés de ganhar pouco de muitos. Dessa forma, cria obstáculos para abertura de conta, como exigência de renda, depósito mínimo e manutenção de saldo médio, além de exigir a concordância com pacotes de tarifas, muitas vezes absurdas. É uma falha da mentalidade de nossos banqueiros, que, também infelizmente, vem dando certo para eles, pois os bancos brasileiros são dos mais rentáveis do mundo. Outro grande problema, e esse, para mim, é mais grave, sendo o principal motivo de muitos quererem se mandar daqui, é a questão da segurança. Explodir agências e caixas automáticos é o crime do momento, que tem compensado bastante para os criminosos, pois poucos são presos por conta disso.

Resposta
Rosana Melo Setembro 15, 2016 at 9:52 pm

Oi Francisco muito obrigada pelo comentário. Fico feliz em saber que acompanha os textos. Eu sei que a viagem é longa, mas nem parece que você está dentro de um avião por tanto tempo, o vôo é bem estável. Sobre o sistema bancário do Brasil concordo que está bem moderno também, mas não entendo porque ainda temos tanta fila por aí…rsrs. Quanto aos problemas de segurança nem comento, mas não é culpa dos bancos nesse caso é a sociedade como um todo mesmo,muita coisa pra ser melhorada, acho que esse é um dos motivos pelos quais as pessoas tem pensando em sair do país nesses últimos tempos. Bjao!

Resposta
Marina Oliveira Agosto 22, 2017 at 9:53 am

olá Rosana
Vou pra Nova Zelândia em setembro e ficarei 23 dias
Quero abrir um conta em algum banco só pra compra de passagens e hospedagens online
Posso comparecer somente com passaporte e comprovante endereço!certo ?
Qual banco você me indica
E se essa operação é possível

Resposta
Rosana Melo Agosto 24, 2017 at 8:56 am

Oi Marina, as regras bancárias por aqui mudaram recentemente. Veja que não estão mais abrindo contas bancárias pra quem está no país a turismo. Você pode ir a agência e tentar, mas fica a descrição da agência abrir ou não a conta pra você. Tivemos alguns estudantes de curto prazo que não foram autorizados a abrir a conta devido ao curto tempo que ficariam no país. Tenha isso em mente e tente já pensar em um plano B. 🙂 Bjao e curta bastante a NZ!

Resposta
adriano Fevereiro 10, 2018 at 9:33 pm

ola rosana , eu queria visitar a nova zelandia por 30 dias , mais fico com medo deme deportar ao chegar no aeroporto , seria amavel me dizer se e dificil para entrar por turismo , se sao muito complicados como estados unidos e a europa , agradeçooooooooooo

Resposta
Liliane Oliveira Fevereiro 11, 2018 at 3:49 pm

Olá Adriano,
A Rosana Melo parou de colaborar conosco, mas temos outras colunistas na Nova Zelândia que talvez possam te ajudar.
Você pode entrar em contato com elas deixando um comentário em um dos textos publicados mais recentemente no site.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação