BrasileirasPeloMundo.com
EUA

Pandemia nos EUA: Excesso de otimismo no momento?

pandemia, covid-19

Pandemia nos EUA: Excesso de otimismo?

Nesse momento de vacinação em massa nos Estados Unidos, existe um otimismo sobre a possibilidade de retorno à normalidade a curto prazo. O que é completamente compreensível, estamos todos cansadíssimos emocionalmente e fisicamente, além da necessidade de acabar o quanto antes essa pandemia em função dos enormes prejuízos financeiros e sociais.

Esse otimismo, em um primeiro momento tem sido justificável também pelos números de casos e de mortes diminuídos com o início da vacinação, há três meses, como ocorreu na Califórnia por exemplo.

Pandemia nos EUA: Excesso de otimismo?

Porém, na data desse artigo, em maio de 2021, várias situações estão acontecendo nos Estados Unidos: pelo menos 1 em 4 americanos recusam a se vacinar (PBS text ) , por volta de 8% das pessoas não voltaram às farmácias para tomar a segunda dose da vacina ( NY Times ), muitos estados americanos relaxaram (ou retiraram completamente) as restrições de uso de máscaras/distanciamento social e a pandemia continua a ser uma pauta politica.

Essa realidade e a transmissão de novas variantes do Covid-19 podem certamente desacelerar o progresso no combate à pandemia nos Estados Unidos. 

E infelizmente, já são vistos sinais dessa situação  com os números de casos aumentando nos Estados Unidos em início de abril, apesar da campanha em massa de vacinação, como descrito nesse artigo.

E por que isso acontece? A vacina não é suficiente para acabar com pandemias?

Na verdade, historicamente, uma pandemia não se resolve apenas com a vacinação em massa em um primeiro instante. Embora isso seja importante, todos os cuidados de distanciamento físico, máscaras e higienização, ainda se fazem necessários por algum tempo.

Aos que ja foram vacinados, o CDC lançou novas diretrizes para orientar as pessoas: CDC – Diretrizes para os vacinados . Apos 2 semanas da segunda dose ou da dose única (no caso da vacina da J&J), espera-se que a pessoa esteja imunizada e possa circular sem máscaras na maioria dos ambientes, visto que seu potencial de transmissão é bem baixo, bem como o perigo de se infectar e desenvolver as formas graves do Covid.

E Com o passar dos meses, espera-se atingir o chamado herd immunization que é uma imunização em massa obtida pela vacinação de grande parte da população e pela imunização natural através da exposição ao vírus. E só então, podemos ter mais tranquilidade quanto ao futuro da pandemia.

Leia Também: A pandemia vai acabar após a aprovação das vacinas contra o COVID-19?

Como expliquei nesse artigo acima, pandemias são multifatoriais e sendo assim, sua resolução também é multifatorial. Vacinação deve ser vista como um importante fator para acabar com a pandemia, mas precisa ser acompanhada, em paralelo, pelos cuidados individuais, comunitários e governamentais até que todos estejam imunizados e haja um verdadeiro controle.

E minha opinião, embora eu ache pertinente reabrir o comercio, turismo, viagens, entretenimento e uma boa parte dos trabalhos presenciais, como já tem sido feito, toda essa reabertura e ‘volta para o normal’ necessita seguir uma estratégia. Os números diminuídos de mortes e casos, inegavelmente tem há ver com maior entendimento do tratamento, dos cuidados de distanciamento e vacinação.

Precisamos entender que a pandemia ainda não acabou, esse é um momento de transição!

Portanto, acho que esse é um momento muito crítico na resolução da pandemia nos Estados Unidos. E isso se deve porque enquanto uma parte da população está sendo imunizada, uma parte significante (25%) não está se vacinando, e a re-abertura tem sido rápida demais e sem uma direção mais clara.

Existe inclusive o risco das diretrizes do CDC para vacinados (principalmente no que diz respeito ao não uso de máscaras) serem mau interpretadas e extrapoladas à todos de uma forma indiscriminada. E isso pode facilitar a transmissão de novas variantes e um ressurgimento de ‘novas ondas’ da infecção pelo Covid.

No meu entendimento, agora não é hora de negligenciar cuidados como o uso da máscara, isolamento social e higienização. E acredito que a vacinação nesse momento, vai ajudar em muito com a resolução dessa pandemia.

O risco-benefício da imunização é maior do que a devastação da doença causada pelo Covid.

A pandemia só acaba quando parar totalmente ou significantemente o risco de transmissão rápida e do número progressivo de casos graves e de hospitalização. Ou seja, viroses e doenças infecciosas sempre ocorrem mas de forma endêmica, que são transmissões naturais e esperadas dentro de uma localização particular sem esse caráter global e rápido/devastador como vemos em uma pandemia. 

Até o fim da pandemia  é imprescindível que as pessoas se vacinem enquanto continuam com todos os cuidados principalmente em situações de risco como por exemplo em locais fechados, em abrigos de idosos e ao visitar pessoas com problemas de saúde.

Obs.: Como médica e cientista (já trabalhei no desenvolvimento de vacinas nos Estados Unidos), e como profissional de saúde pública, eu acredito na ciência e no benefício das vacinas, e portanto não vou entrar na polêmica das campanhas anti-vacinas. Respeito a liberdade de cada um em querer se vacinar ou não, embora no meu entender isso tenha uma consequência no coletivo, mas cada um faz o que quer. Porém, esse meu artigo reconhece a vacina como um dos fatores importantes para o fim da pandemia.

Creio que estamos caminhando para o fim dessa pandemia nos próximos meses, mas até o fim de 2021 ainda é crítico mantermos a consciência da necessidade do cuidado individual e coletivo.

Otimismo é necessário mas o otimismo exagerado e/ou a negação da realidade pode potencialmente prolongar o fim dessa pandemia. E pior ainda, abrir a possibilidade de um retrocesso em todos os avanços que tem ocorrido com a diminuição drástica de casos e mortes nos últimos 2 meses principalmente.

Veja informação abaixo para lhe orientar nessa fase. Busque conversar com pessoas e canais que tenham conhecimento fidedigno nessa área, pois fake news, mitos e falta de comunicação adicionam stress desnecessário a uma crise que já ultrapassou todos os limites de preocupação, tristeza e estragos.

Informação útil sobre a pandemia e vacinação nos Estados Unidos – Clique nos links:

American Public Health Association – Covid19 guidance

NIH – Covid19

CDC – Covid19

Infectious Diseases Society of America (IDSA)

New York Times

Washington Post – Covid19

American Medical Association – Guidance for Physicians

Quer saber mais sobre o BPM? Siga-nos também no Instagram e no Facebook

Related posts

EUA – Violência, um fantasma à espreita

Gabriela Albuquerque

Quase em Nova Iorque

Gabriela Castanha

EUA – Brazilphobia

Felicia Jennings-Winterle

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação