BrasileirasPeloMundo.com
Suécia

Curiosidades suecas

Quando nos mudamos para um país novo, além de uma nova casa, nova escola, novo emprego, novos amigos e novos amores, precisamos também nos acostumar com os costumes locais.
Abaixo eu listo alguns costumes locais, deixando para vocês um “mini manual de etiqueta” de convivência/sobrevivência sueca, e que também pode livrar vocês de algumas saias justas!

Tire seus sapatos, por favor

Regra número um: sempre tire seus sapatos dentro de casa (e até mesmo em alguns escritórios!). Eu não sei bem o motivo, mas eu acredito que seja por questão de saúde e de limpeza, mesmo.
Estranhei muito esse costume ao chegar por aqui, mas depois acabei me adaptando. Dentro de casa as pessoas normalmente têm carpete ou piso aquecido, o que faz com que seja bem mais confortável.

No Brasil eu não suportava andar descalça, sempre tinha minhas fiéis havaianas comigo, mas aqui, havaianas? Não é uma boa ideia. Em alguns locais, como algumas escolas, as pessoas não ficam de meia, mas usam “indoor shoes”, que nada mais são que sapatos que você só usa dentro de casa, as famosas pantufas. Assim, o sapatinho de transição – da porta de casa, caminhar na rua e chegar ao destino – não precisa ser todo bonito, mas ainda melhor que seja apropriado para a estação e confortável.

Entra assim em cena um acessório bem pouco valorizado no Brasil: as meias! Aqui, as meias são mais elaboradas, coloridas, com desenhos, e estas não são exclusivas para crianças; seu uso é livre de julgamentos e é para todos: meninos, meninas, adultos e idosos, em todos os tipos de cores e estampas!

A Happy Socks é super famosa por aqui e também, minha favorita! Eles têm muitas estampas originais e hoje em dia você pode encontrá-las também no Brasil.

stockholm-1041683_640

Cordialidade não é intimidade

Limites, aqui, são bem especificados e cumpridos. Os suecos não são muito adeptos do contato corpo-a-corpo; eles são mais reservados. Não há exatamente uma razão, é apenas uma questão de espaço e intimidade. Os beijos e abraços não são bem vistos de uma forma geral, e você pode inclusive causar uma má impressão e desconforto. Beijinho e abraço? Só para os íntimos, e olhe lá. Assim, segure o seu ímpeto e comece com um aperto de mão e um sorriso. Isso não falha nunca.

Traga sua própria bebida

Uma coisa que estranhei muito: alguém te convida para uma festa, você chega, super feliz, e tal… Passam alguns minutos e ninguém te oferece uma bebidinha, então você repara no povo sentado, confraternizando com a sacolinha do Systembolaget “no pé”, contendo suas latinhas e/ou garrafas.

Explico: Aqui na Suécia, álcool é bastante caro, e bebidas acima de 3,5% de teor alcoólico apenas podem ser adquiridas em uma única rede de lojas chamada Systembolaget. O Systembolaget é uma loja estatal controlada pelo governo que, impondo impostos altos sobre este tipo de produto, visa controlar rigorosamente o consumo de álcool no país, para assim evitar os problemas causados por seu consumo exagerado. As lojas abrem de segunda a sexta-feira, das 10:00 às 18:00 ou 19:00, dependendo da localidade, e aos sábados, das 10:00 às 15:00. Aos domingos elas não abrem. A venda de bebidas é somente autorizada a maiores de 20 anos, mediante apresentação da identidade, e não são vendidas para pessoas embriagadas ou em quantidade que possa levantar suspeita de venda ilegal. Então, nas festas, as pessoas levam sua própria bebida, e dividir com alguém não é comum. Quando o anfitrião for oferecer algo, normalmente se avisa com antecedência. Portanto, ponha na sua agenda a passadinha no “Systemet” para garantir a sua birita.

Igual a coração de mãe… Aqui, não!

Não leve um amigo sem avisar. Não leve nem sequer sua cara metade! Sério? Seriíssimo. Os suecos são muito educados e cordiais. Ponto. As festas normalmente são reservadas para pessoas especiais, amigos de fato, ou com um propósito definido: kick-off do trabalho, festa de graduação, batismo, ou até mesmo um aniversário. A lista deve ser respeitada, e se você deseja levar alguém que não está na lista, recomenda-se perguntar ao anfitrião se você pode levar um convidado. Ah, às vezes a resposta é não. Não se ressinta. Vá a festa ou não. Com o tempo aprendemos que, por fim, saber quem vem à nossa festa e ainda ter direito a vetos e evitar surpresas desagradáveis pode ser bem interessante e libertador.

Festa com hora para começar e para acabar

Ok, você foi convidado para uma festa. Muitas vezes o convite irá conter o horário de início e de término da festa, e sim, a festa irá terminar nesse horário. Não tem essa de “ah, mas a festa está tão boa…”, até mesmo porque ninguém força a barra: acabou, beijo e tchau. Em lgumas festas a que compareci o anfitrião enviava um e-mail com o “programa” da festa e as dicas deixavam bem óbvio o que e como iria rolar. Vou dividir com vocês uma parte de um dos convites que recebi:

“14:00 – Bem-vindo: welcome drinks para matar a sede e canapés para os famintos! Misturem-se, falem uns com os outros e sintam-se bem! O que acontece, mais do que o óbvio?
Bingo (para uma causa de caridade!)
Um Somelier irá guiar-nos para a temporada Rosé 2016
Serviremos bolo e lanches durante a tarde, mas de bom grado almoçar antes. 
Estamos ansiosos para vê-los todos, e especialmente para vocês conhecerem uns aos outros. Apenas nossos melhores amigos estão convidados, por isso, não pode ser outra coisa senão um sucesso!
Cada um é livre para planejar suas atividades noturnas individualmente depois!
Vejo você no sábado, dia 8!”

Deu para reparar na sutileza da mensagem?
Analisando num primeiro momento, é um pouco chocante, eu sei. Porém, uma vez que você passa a ser parte integrante dessa cultura, você aprende o bom e o ruim dela. E o bom mesmo, é o direito da escolha: eu me encantei pela Suécia e pela sua cultura. Eu achei estranho no começo, mas também muito legal e respeitosa a forma de viver, de conviver e de tratar a si e aos outros, por isso, escolhi aqui para ser o meu lugar.

Quando nos mudamos para um país tão diferente do nosso país de origem é importante abrir a cabeça e incorporar o melhor das duas culturas. Esse é o melhor jeito de aproveitar cada pedacinho do que há de melhor, sem perder nossa identidade, mas também sem impô-la.

Related posts

Conheça as doenças de inverno que assustam os suecos

Verônica Ferreira Iwarson

Como abrir conta bancária na Suécia

Vânia Romão

Como se vestir no inverno na Suécia

Vânia Romão

10 comentários

Regiane Novembro 10, 2016 at 10:02 pm

Amei o texto! Amei as dicas! Quero conhecer a Suécia! Parabéns pelo texto!

Resposta
Juliana Teles Novembro 12, 2016 at 9:57 am

Obrigada Regiane.
Venha!
Você irá se encantar.
Abraço

Resposta
FRANCISCO TELES Novembro 12, 2016 at 11:47 am

Essas informações são ótimas, nos dão uma visão melhor de outras nações, como vc mesma retrata, excelente trabalho de divulgação do país (Suécia), com seus costumes e as dificuldades de enfrentar e se adequar a essas realidades, que são novidades para gente como nós, que estamos no outro lado do mundo.
Parabéns pelo texto, mais uma vez ótimo, bjos e continue sempre produtiva…

Resposta
Juliana Teles Novembro 12, 2016 at 12:50 pm

Muito obrigada meu querido!
Receber um retorno tão positivo é gratificante.
Vou continuar retratando a Suécia do meu ponto de vista da forma mais verossímil possível.
Mais uma vez obrigada pelo comentário e pela visita.
Volte sempre!!!
Beijos

Resposta
Karyna Rossetto Novembro 12, 2016 at 12:35 pm

Ju, excelente texto.
As suas descrições são impecáveis, parabéns!
E na verdade não acho esses costumes muito estranhos não, rs, e cada vez amo mais ainda a Suécia!

Resposta
Juliana Teles Novembro 12, 2016 at 12:53 pm

Obrigada Karyna!
Como disse anteriormente, tento colocar as minhas percepções da forma mais verossímil possível.
Quanto aos costumes, tenho certeza que você é pelo menos 1/10 Sueca!
Espero te ver por aqui (Suécia e blog), mais vezes!
Beijo

Resposta
Aline Bella Novembro 12, 2016 at 2:18 pm

Muita vontade de conhecer a Suécia. Deve ser realmente chocante no começo (principalmente na questão das bebidas e festinhas…rs). Mas suas palavras me deixam aliviada. Sei que está feliz e adaptada. Você é meu orgulho. Te amo e parabéns!

Resposta
Juliana Teles Novembro 12, 2016 at 10:54 pm

Sim!
Quando chegamos e começamos a nos adaptar o choque cultural é grande!
Muito obrigada por sempre ter apoiado e admirado munha paixão em escrever.
Te amo de volta.
Beijos

Resposta
Marcus Ljunggren Novembro 12, 2016 at 9:38 pm

Interesting to read about these quirks of my home country. Great text, will love to read more! 😀

Resposta
Juliana Teles Novembro 12, 2016 at 10:51 pm

Really happy to hear you!
Be aware: every month I will be here bringing more curiosities about your wonderful land!
Puss puss

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação