BrasileirasPeloMundo.com
Espanha

Transição continental: de Malta à Espanha

Ciudad de las Artes y las Ciencias -

Quando decidimos deixar o Brasil e partir para um novo país, uma avalanche de sentimentos nos toma. Sair de uma zona de conforto e deixar família e amigos, cultura, ritos e idioma, nos coloca a prova se realmente vale a pena. Porém, do outro lado pesa o desejo por novas descobertas, aventuras e muita vontade de vencer e de provar a si mesmo que podemos ser fortes como um leão, mesmo quando, por muitas vezes, o gatinho indefeso nos aplaca.

Sentimentos similares são compartilhados pelos forasteiros que não se satisfazem ou que são levados ao movimento de mudança; aqueles que têm tatuados em seus corpos a famosa expressão alemã wanderlust (eu, literalmente a tenho), têm uma sensação de desconforto nas pernas e um desejo incontrolável de seguir um rumo, em qualquer direção. Um eterno recomeço. Não se sentir pertencente a um lugar que não seja o seu próprio corpo.

Vivenciei recentemente uma nova experiência: sair de um pais com características tão diversas do Brasil, mas que adotei com todas as suas estranhezas e, por isso, aprendi a amar e a me adaptar, e recomeçar em outro lugar. Não voltar para casa, mas buscar um novo lar, mesmo que temporário. Uma espécie de tester da AirBnB, experimentando habitações por um tempo limitado e com uma história material que cabe em duas malas.

Deixar Malta, não foi simples e menos doloroso, mas claro que não se comparou a primeira partida. Reviver os mesmos jantares e encontros de despedida, repassar por lugares prediletos para guardar a imagem na memória, refazer as malas…tudo isso gerou uma incerteza, a tal pergunta implacável: “Será que estou tomando a decisão certa?”. Mas, por outro lado, o vírus epidêmico dos “pés flutuantes” me trouxeram até a Espanha.

Minha vida não é uma ficção que me permite girar o globo e apontar um próximo destino com os olhos fechados. Bons e fortes argumentos e vantagens me trouxeram a Espanha.

Sou neta de um espanhol que fugiu da Guerra Civil. Meu avô, assim como muitas famílias, se fixou no Brasil, e através da Lei da Memória Histórica promulgada em 2007, pelo então primeiro ministro espanhol José Zapatero, obtive o direito à dupla cidadania e ao tão almejado passaporte europeu. Alem disso, já havia residido na Espanha, quando fiz meu primeiro intercâmbio aos 20 anos de idade. Facilidades, não superior ao amor pela terra de cores e festas, me trouxeram até aqui. Por fim, realizei meus planos de seguir meus estudos e minha vida no país que meu avô foi obrigado a abandonar, mas que nunca deixou de amar.

Em princípio, minha idéia era ir direto a Granada, mas conversando com uma amiga francesa que estava com viagem marcada para Valência, resolvi segui-la, assim me sentiria um pouco mais amparada, pelo menos nas primeiras semanas. Cheguei em Valência no início de novembro último, em princípio para estudar 6 semanas em uma escola de idiomas e melhorar minha gramática e escrita espanhola, porém acabei ficando.

Não era minha primeira vez na cidade, mas vir a passeio e viver são coisas bem diferentes…O início foi bem parecido com Malta. Estudar em uma escola com estrangeiros, falar e ouvir muito inglês, participar de festas com muita música e bebida, são coisas que nos abstém da cultura e costumes locais; é como viver apartado de uma rotina que se mantém a sua volta.

Conheci pessoas maravilhosas, mas que estavam de passagem. Em Malta, minhas maiores amizades foram com residentes e trabalhadores que tinham sua rotina estabelecida e viviam como autênticos malteses, mesmo não nascidos na ilha. Em Valência, conheci pouquíssimos brasileiros; mesmo acompanhando os grupos de redes sociais, aos poucos (bem lentamente) estou me inteirando dos valencianos e do seu dia a dia.

Acredito que a formação de uma rede de amigos, quando se vive em outro país, se diversifica de acordo com a origem e o intuito da mudança. Mulheres que acompanham seus maridos transferidos a trabalho, aventureiros que largam seu país em busca de uma melhor qualidade de vida, mesmo para viver ilegalmente, encontros frutíferos pela internet que resultam em abandono não só de estado civil, mas de todo o resto para estar ao lado da pessoa amada, estudantes e “wanderlusters”…cada um com seu motivo e com direções distintas.

Em Valência, estou me readaptando, me reinventando para parecer o mais local possível em um país, que apesar dos laços e proximidades, não é o meu. Malta está a apenas 1.300 quilômetros daqui, pertencem ao mesmo continente e pertencem a comunidade européia, mas as semelhanças param por aí. Ambos possuem praias e climas agradáveis, mas cada uma com a sua proporção.

Dizer que me arrependi ou que talvez não fosse o momento exato é meio precipitado, mas garanto que meu coração está na Espanha. É o mais próximo de um lar que pude chegar.

Minha saga por Valência continua e assim, aos poucos, minha rotina vai tomando forma e vou incorporando o estilo de vida valenciano, que proporcionará artigos talvez mais funcionais, mas sem perder a sensibilidade de quem vive e escreve com a alma.

Uma coisa posso antecipar: Valência é uma cidade encantadoramente linda, onde o medieval e o contemporâneo caminham lado a lado.

Related posts

Despedida de Solteiro na Espanha

Marcela Bueno

Custo de vida em Madri

Juliana Bezerra

Visto de residência para autônomo e investidor estrangeiro na Espanha

Marianna de Castro

8 comentários

Vivian Castanho Junho 8, 2017 at 3:03 am

olá marcela
gosto muito dos seus textos…
estou indo em agosto pra Valência ..estou indo em família…marido e filhas.
queria saber mais informações sobre moradia e bairros..tem algum e-mail para podermos conversar?

Resposta
Marcela Bueno Junho 8, 2017 at 11:25 am

Olá Vivian, obrigada por acompanhar o blog e pelo elogio aos meus textos. Escrevo com muito amor…
Pode me enviar suas dúvidas e questões para meu email: [email protected]

Beijos,

Marcela

Resposta
Transição continental: de Malta à Espanha – Caminhamente Junho 15, 2017 at 12:08 pm

[…] texto original encontra-se no Blog Brasileiras Pelo Mundo, onde sou colunista juntamente com outras brasileiras incríveis espalhadas pelo […]

Resposta
Juliana Janeiro 8, 2018 at 1:29 am

Marcela, novamente eu… Acabei de escrever no post dos bairros e achei mais textos seus, fantasticos. 2 primas minhas acabaram de vir de Malta, apaixonadas! pela pequena grande ilha 🙂
Sobre estudar espanhol, pretendo morar uns meses em valença e uma das primeiras coisas é aprender espanhol, o meu é zero praticamente, ja viajei mto, mas sempre países de lingua inglesa e agora chegou a hora de aprender algo novo. Me indica sites de pesquisa? Escolas? Gostaria de fugir da horda de intercambistas e pegar algo mais local, mais com “moradores” do que com pessoas de passagem. O primeiro bairro que morou foi perto da escola? Obrigada desde ja! Abraços! Ju

Resposta
Marcela Bueno Janeiro 8, 2018 at 5:43 pm

Olá Juliana,
Para encontrar a escola de espanhol aqui em Valencia, como outras escolas de idiomas, eu utilizei o site da : languegecourse.net. La você opta pelo idioma, pais e cidade e tem os valores com e sem acomodação, pelo prazo e nível estipulado. É super pratico e você já faz a reserva pelo site que a envia a escola. Você so tem que pagar uma entrada pelo site (fiz com cartão de credito sem problemas) e o restante você paga diretamente a escola, no primeiro dia de aula. Alem de fugir de agencias e intercambistas, você ainda tera um pequeno desconto se fechar através do site. Eu estudei na Hispania Valencia que é uma das mais populares e baratas por aqui. Não é das melhores, mas tem uma boa aprendizagem, poucos brasileiros e é super flexível quanto aos horários, ou seja, você monta o seu horário de acordo com a sua disposição. Ela fica próximo a Av Blasco Ibanez, uma avenida muito importante em valência, próximo as universidades e ao bairro de Benimaclet, onde residi.
Abraços,

Marcela

Resposta
Juliana Janeiro 8, 2018 at 6:21 pm

Que maximo! Era essa a ideia. Obrigada! Beijos! Ju

Resposta
Katia Camilo Agosto 29, 2018 at 1:47 am

Oi Marcela! Entrando no google para ober informaçoes sobre viver um tempo e estudar ingles em Malta, dei com seu blog. O interesante é que sou brasileira e também tenho a dupla nacionalidade, porque sou casada com um Español desde 2002. Na verdade, gostaria muito de te contactar para saber como é a vida em Malta, porque pretendo ir passar uma temporada para estudar ingles. Vocè poderia indicar-me alguma escola de idiomas lá ou algum contato que fale español, de preferencia. Também gostaria de saber se existe alguma comunidade de españois vivendo em Malta. Para mim seria melhor, já que vivi 16 anos em León e domino perfeitamente o castellano. Espero que você responda essa mensagem, que ainda esteja escrevendo nesse Blog tao simpático. Aguardo sua resposta e agradeço desde já sua atençao. Katia

Resposta
Marcela Bueno Agosto 30, 2018 at 11:41 am

Olá Katia, tudo bem?
Então, a vida em Malta é bem tranquila. O país é lindo e seguro e há comunidades de toda a europa por lá, principalmente espanhóis. Eu particularmente não fazia parte de nenhuma comunidade, mas se buscar no facebook com certeza irá encontrar grupos. Os espanhóis que convivi eram estudantes da minha escola, que por sinal te indico: se chama IH – International House, porém não falam espanhol, apenas inglês. Acredito que a maioria dos atendimentos das escolas sejam apenas em inglês, ao menos que tenha a sorte da recepcionista ser uma imigrante.
O que pode fazer para facilitar é buscar e comprar o curso através do site languagecourse.net (https://www.languagecourse.net), ja o utilizei e é super de confiança e também chega a ser um pouco mais barato do que diretamente com a escola. Desta maneira chegara a escola com o curso ja comprado; mesmo assim, terá que fazer teste de nível. Tranquila, a intenção deles é sempre ajudá-la e com certeza encontrara espanhóis ou latinos para conversar e tirar dúvidas na escola (como alunos).
Malta é ótimo também pelo clima, a temperatura é agradável o tempo todo e pelas praias paradisíacas. Tem um transito caótico haja vista o tamanho da ilha, mas com isso você acaba se adaptando.
Se precisar de mais informacoes especificas, me escreva.
Boa sorte!
Abraços,
Marcela

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação