Nova Zelândia – A verdade sobre agências de intercâmbio

0
134
Advertisement

Quando pensamos em viajar por um tempo mais longo, uma das primeiras opções é, sem dúvida, um intercâmbio: uma viagem que permite agregar conhecimento e fazer turismo ao mesmo tempo. Tudo isso estando de maneira legal no país de destino e, muitas vezes, tendo também a possibilidade de trabalhar durante esse período. Ao se organizar um intercâmbio, um dos passos iniciais possíveis é escolher uma agência educacional adequada. No entanto, a dúvida vem ainda antes disso: devo ou não contratar uma agência?

Muita gente afirma que é mais vantajoso fazer tudo sozinho. Sim, o assunto deste texto será bastante polêmico e esclarecedor. Muitas questões de como uma agência funciona não são divulgadas, dando margens para interpretações diversas e conceitos às vezes errôneos, que influenciam decisões e que, posteriormente, podem custar caro.

Quando decidi vir para NZ, contratei uma agência no Brasil, mas já para o meu segundo curso na NZ, decidi organizar tudo sozinha, pois não tinha observado nenhuma vantagem no serviço da agência que havia contratado inicialmente. No meu ponto de vista, tal agência me vendeu o curso e pronto, não fazendo nenhum acompanhamento e não tendo ideia se estou viva, se gostei do curso e se estou ainda na NZ ou no Brasil. Até pouco tempo, não entendia se eu tinha expectativas erradas ou se tudo foi devido a agência em questão não ter suporte no país de destino, no caso a NZ.

Neste sentido, um ponto fundamental é entender o papel de uma agência de intercâmbio e como elas sobrevivem, ou seja, como ganham dinheiro. A agência é responsável por intermediar a matrícula entre o estudante e a escola. Ela poderá apresentar possibilidades diversas de estudo, discutir o que é interessante para o estudante de acordo com o seu objetivo e realidade e auxiliar em todo o processo, facilitando o contato com a instituição escolhida, cuidando de burocracias e documentação necessária. Vale destacar que todas as agências trabalham basicamente no mesmo formato: fazem acordos de representação com escolas diversas, apresentam as opções para potenciais estudantes, através de campanhas de marketing e, quando vendem um curso, a escola em questão paga uma comissão para a agência.

O intercambista costuma pensar que, como a agência está ganhando comissão, se ele for direto na escola, conseguirá preços melhores, já que a escola não terá que pagar a agência. Faz sentido, mas veja que essa ideia é totalmente ilusória. A matemática é simples: a agência representa a escola para um (ou vários) países, faz com que a mesma fique conhecida e contribui para que ela tenha estudante ao longo de todo o ano. As agências contribuem para o crescimento da escola e redução de custos com marketing em países onde eles não entendem a cultura e, muitas vezes, não sabem como chegar ao cliente.

Por esse motivo, as agências muitas vezes têm preços diferenciados e mais em conta, pois representam uma série de estudantes com as escolas. Outra questão são as promoções pontuais negociadas para determinados mercados em que as agências podem se envolver. Caso o aluno opte por se matricular direto com a escola, não terá acesso a esses descontos, ou seja, acabará pagando mais do que se tivesse contratado uma agência.

Em casos nos quais a escola cobra o mesmo preço da agência, o estudante terá que fazer suas próprias pesquisas, não contará com o conhecimento para tomada de decisões, o apoio com relação a burocracia necessária e o suporte durante um período que pode ser bem estressante para quem não conhece o processo.

Optando por fazer sozinhos, é difícil entender as possibilidades em termos de cidades, o que é oferecido e que se aplica ao seu perfil e objetivos, bem como a diferença entre as escolas. Lembro que fiquei muito confusa com as descrições em website e o que lia nas redes sociais, a maioria das informações me pareciam bastante contraditórias. Além disso, é necessário entender o que é exigido para que o intercâmbio aconteça e providenciar o requerido, que apesar de simples, toma muito tempo.

Quando optei por escolher sozinha o meu segundo curso, assumi todos os riscos das minhas escolhas. Infelizmente, admito que minhas decisões incoerentes, por sorte, não me trouxeram maiores problemas, mas me arrependo de ter feito um curso que não me acrescentou de forma adequada, devido ao nível desfavorável da escola que escolhi por falta de conhecimento e por achar que eu conseguiria fazer tudo sozinha.

Demorou um tempo para eu entender como uma agência séria pode fazer diferença. O conhecimento e a recomendação de uma agência, além de passar segurança e diminuir os riscos, evita surpresas na chegada.

Como trabalho no ramo desde 2013, posso afirmar que algumas grandes empresas optam por trabalhar com um leque menor de escolas para facilitar o treinamento de consultores e a venda. Infelizmente, essa escolha às vezes é baseada apenas no valor da comissão e não na qualidade da instituição. Convenhamos que, quando se trabalha com inúmeros países, fica complicado mesmo entender e conhecer todos os produtos oferecidos. Outras empresas menores podem não conseguir contratos com muitas instituições ou não conseguem atender a demanda de conhecer todas as escolas que trabalham, pode ser também que não tenham conhecimento de certas áreas ou certos cursos.

É importante ficar atento também com as muitas ofertas nas redes sociais, nas quais pessoas comuns se dizem agentes. Pesquisem sempre a veracidade das informações encontradas, pois da mesma forma que podem ser legítimas, pode ser golpe. Além destes pontos, é importante notar as taxas extras cobradas na hora da escolha, como taxa administrativa, taxa de vistos, taxa de suporte e outras que podem ser embutidas em outros itens.

Entender suas vantagens e desvantagens pessoais pode ajudar bastante no processo de contratar ou não uma agência de intercâmbio. Analise como a agência poderá contribuir para seu processo, no tempo em que poderá te economizar em pesquisas, no leque de opções que poderá te fornecer e no conhecimento que poderão dividir. Verifique também que tipo de suporte oferecem já no país de destino e se realmente não esquecerão de você uma vez que o intercâmbio se iniciar.

Coloque na balança o custo-benefício e tudo ficará bem fácil de decidir. Esteja também ciente das limitações, já que as agências facilitam o processo e oferecem diferentes tipos de ajuda durante o curso, mas de maneira nenhuma poderão fazer tudo por você. São empresas com horários de funcionamento e possuem uma descrição dos serviços oferecidos, não espere que sejam seus melhores amigos, que te recebam pessoalmente no aeroporto ou que arrumem um trabalho para você.  Profissionalismo pode ser facilmente confundido em um mundo que todos esperam respostas no exato momento em que enviaram a pergunta. Serviço customizado e de qualidade é construído – e confiança só se alcança com o tempo.

Após tanto tempo morando fora e estando na indústria da educação, não só aprendi a valorizar o serviço executado por agências diversas como entendi que eu poderia ter tido resultados melhores se entendesse como as agências funcionam e tivesse, na época, tido orientações corretas. Logo, faça a sua pesquisa e caso opte por uma agência, procure saber sobre a empresa e a seriedade da mesma.

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui