BrasileirasPeloMundo.com
Noruega

Dez dicas para lidar com a saudade de tudo e de todos

Dez dicas para lidar com a saudade de tudo e de todos

Mudar-se para o exterior, independentemente da razão – estudos, trabalho, casamento – é complicado. Qualquer um que disser o contrário está mentindo ou possui um jatinho particular estacionado no aeroporto à sua disposição.

A experiência de morar no exterior pode ser emocionante, energizante e abre os olhos para muitas questões, mas também pode ser mais desafiador do que aprender a lidar com uma cultura em que se come um pequeno lanche às 11 horas da manhã em vez de um bom prato com arroz, feijão, bife e batata frita.

A saudade de casa pode surgir a partir de uma série de fatores: dificuldades de adaptação a um novo ambiente, sentimento de solidão, falta de controle sobre o que está acontecendo ao seu redor, choque cultural, idioma, e a lista continua. Essa saudade não vai embora da noite pro dia. Eu não estou falando do tipo de saudade que some depois que você conversa meia hora no Skype com a sua mãe ou encontra pão de queijo no mercado de comida importada. Falo daquela saudade que faz o seu coração e o seu corpo doer. Aquela que faz você chorar. Essa saudade requer trabalho e esforço para enfrentá-la. Às vezes pode parecer impossível, mas ela é manejável.

Cada indivíduo tem sua própria forma de superar a saudade e os sentimentos negativos quando estamos vivendo um momento difícil, especialmente como expatriados, mas aqui estão algumas estratégias que podem ajudar:

Leia também: dicas para alugar imóvel na Noruega

  1. Inicie como turista; depois, como expatriado

No início, conheça sua cidade em seu novo país como se você estivesse de férias. Quando você se sentir à vontade, arrisque-se a conhecer pessoas novas, procure seu nicho, lugares em que você se sinta confortável em estar, um café aconchegante, um parque para caminhar ou correr, ou o que for mais importante para a sua vida no dia a dia.

"Turistando" em Bergen. Foto: Arquivo pessoal.
“Turistando” em Bergen. Foto: Arquivo pessoal.
  1. Aprenda a língua do país onde você está

Você é fluente em inglês? Ótimo pra você! Mas se no país onde você está a língua oficial não for o inglês, aprenda a língua do país. Isso facilitará muito a sua vida social. Afinal, você está aqui pra mergulhar nessa cultura, baby!

  1. Crie uma rotina. Mantenha o seus hábitos. Exercite-se regularmente

Muitas coisas mudam quando você muda para o exterior, mas nem tudo tem que mudar. Faça um plano para sua rotina diária e semanal. Se você tinha atividades no Brasil, por que não tentar encontrar uma versão dessas atividades em seu novo país? Pode demorar algumas semanas para que você se oriente em seu novo espaço, mas uma vez que você descobrir onde as coisas estão, faça um plano que permita a você tomar um ar fresco todos os dias.

Gosta de ler? Visite a biblioteca da sua cidade. Gosta de fotografar? Visite um parque e tire fotos. Gosta de se exercitar? As opções são muitas. Ande de bicicleta ou apenas tente andar o máximo possível – o que você preferir. Faça um esforço para criar hábitos saudáveis. Isso ajuda a trazer equilíbrio e rotina para sua vida, além de combater o estresse e a ansiedade.

  1. Dê um tempo do Skype e outras redes sociais

Acompanhar o que todo mundo está fazendo – ou pelo menos o que eles querem que você veja – está mais fácil do que nunca hoje em dia. É importante, claro, manter contato com as pessoas que você ama, mas se você usa mais de duas horas por dia nas redes sociais, você não está aproveitando seu tempo para explorar e se conectar com seu novo país. Limite o uso dessas ferramentas virtuais no seu dia a dia. Isso é vital para o seu desenvolvimento, assim como para a sensação de pertencer ao seu novo espaço.

Todo mundo já está careca de saber que você está morando no exterior, então ao invés de submergir no mundo virtual por horas a fio, aproveite para estar presente no mundo real e criar histórias novas e interessantes pra contar no Skype e publicar nas redes quando você tiver tempo, afinal, você vai estar muito ocupada vivendo.

Leia também: pratos famosos da culinária norueguesa

  1. Encontre um bom amigo do seu país de origem

Fazer amigos em sua nova cidade pode ser uma maneira incrível de se envolver na cultura local, mas isso deve ser dito: um amigo/amiga que entende exatamente o que você vive, com quem você pode falar seu próprio idioma, compartilhar experiências e crescer juntos não tem preço. Ter um amigo/amiga com quem você compartilhe uma afinidade especial, respeito mútuo e pensamentos e pontos de vista semelhantes pode ser encorajador, motivador e fazer com que você se sinta menos sozinha, não só no início, mas ao longo de sua jornada como expatriado. Não tenha medo de conhecê-los.

  1. Agende um tempo só para você

Usar 30 minutos do seu tempo para estar só, pelo menos uma vez por semana, em um ambiente calmo pode ser muito útil. Aproveite esse tempo só seu para pensar sobre as questões que lhe preocupam, para agradecer as experiências que vive, para encontrar ideias e soluções para sua vida, para desenvolver resiliência e para se conhecer melhor. Dê-se de presente cuidados com você mesma, seja uma massagem num spa, meditação, um cappuccino, uma taça de vinho, uma caminhada. Ame-se e cuide-se.

  1. Cultive o pensamento positivo

Sentimentos negativos são como uma bola de neve: você começa irritado porque justamente na hora em que voce sai de casa para o trabalho a temperatura está abaixo de zero e está ventando horrores lá fora. E para completar, o ônibus está atrasado e você está tremendo de frio dos pés até o último fio de cabelo. Por fim, você acaba culpando o país inteiro por isso – e mais um pouco – e começa a procurar na Internet o voo mais em conta para matar a saudade do Brasil o mais rápido possível.

Saiba que isso é normal, mas essa irritação pode ficar facilmente fora de controle se você permitir. Então, qual é a melhor maneira de combater essa avalanche de emoções negativas? Resposta: com emoções positivas!

Se você está se sentindo mal humorado, escreva pensamentos positivos em algo como um caderninho e leve-o sempre na bolsa. Procure maneiras de colocar pra correr pensamentos negativos tais como ”eu nunca vou me adaptar a esse lugar”. Bem, você nasceu e faz parte do planeta Terra; portanto, você se encaixa em qualquer lugar. Aprenda a ser mais resiliente.

Encontre um tempo para dedicar-se a si e pratique o pensar positvo como um esporte. Foto: Unsplash
Encontre um tempo para dedicar-se a si e pratique o pensar positivo como um esporte. Foto: Unsplash
  1. Converse sobre o que você está sentindo

Você pode sentir muita pressão em estar bem o tempo todo em seu novo país, mas não há nenhuma vergonha em se sentir cansado e nem sentir saudades de casa de vez em quando. Acontece com quase todas as pessoas. Você não precisa colocar uma cara feliz e disfarçar toda vez que você está no Skype com a sua família.

Confie e conte para sua família e amigos próximos o que está sentindo. As chances são de que ele estão passando ou passaram por um processo semelhante ao seu e pode ser o conforto e o apoio que você precisa nesse momento.

Leia também: carga tributária na Noruega

  1. Faça da sua nova casa um lar

Dedique um pouco de tempo para tornar sua casa um lugar ao qual você deseja voltar todos os dias. Decore-a com carinho, coloque fotos da família e alguns itens que reflitam a sua personalidade dentro do seu novo lar. Tenha um bom contato com seus vizinhos e faça deste novo lugar, mesmo que ainda estranho pra você, a sua segunda casa. Pequenas ações como estas são fundamentais para a criação de um espaço onde você se sinta mais confortável.

  1. Não se sinta culpada em praticar sua própria cultura

Viver num novo país não significa apagar completamente as suas raízes ou ignorar os eventos que são importantes para você. Não há problema algum em se reunir com amigos para ouvir uma boa música brasileira e degustar um jantar com delícias do nosso país, ou mesmo assistir à sua novela favorita na Internet. Isso ajuda você a se sentir perto daquilo que lhe é familiar. Ninguém vai e nem pode julgar você por isso.

Sem culpa de praticar a nossa brasilidade. Foto: Arquivo pessoal.
Sem culpa de praticar a nossa brasilidade. Foto: Arquivo pessoal.

Saudade pode, sim, se tornar um problema de ansiedade muito real, mas não é ela que vai impedir você de viver melhor e com mais qualidade. Cada um encontra seu próprio ritmo para aprender a lidar com ela. Lembre-se de que é uma reação muito normal e completamente compreensível ao se mudar para o exterior, e que não há problema em sentir falta de casa de vez em quando.

Eu mesma sinto saudades de tudo e todos que deixei no Brasil, claro. Mas quando eu estou no Brasil eu também sinto falta da minha casa aqui na Noruega. Então eu percebi que eu não pertenço mais a “aqui ou ali”. Pertenço a todos os lugares onde compartilhei e compartilho laços de amor com família, amigos e outras pessoas maravilhosas que conheci no meu caminho.

Não gaste todo o seu tempo desejando que você estivesse em outro lugar e não deixe que os períodos mais intensos de saudade derrubem você. Você pode optar por seguir algumas destas dicas ou usar as suas próprias estratégias, o que você achar necessário para que a sua vida em outro país seja aquela da qual você se lembre lá na frente com um belo sorriso.

Related posts

Transporte público na Noruega

Michele Silva

Carga tributária na Noruega

Gabriela Rocha

Noruega – A Arte de Recomeçar

Denise Assis

11 comentários

Sabrina Dantas Fevereiro 19, 2016 at 12:46 am

Nossa Maninha que fofo, super dicas para as pessoas que deixaram seu país, parabéns pelo texto riquíssimo!!!

Resposta
Wendy Dantas Fevereiro 19, 2016 at 11:48 pm

Mana, minha linda! Obrigada por ler e comentar! Vocês são parte fundamental nessa história. Sem o apoio de vocês, minha família, näo existiria essa pessoa aqui para contar essa história. Amo você! Beijos!

Resposta
Pollyane Martins Fevereiro 19, 2016 at 8:42 am

Oi Wendy, parabéns pelo texto! Adorei!! Me identifiquei bastante com ele e já me pego praticando várias coisas que vc sugeriu. Acho que independente do lugar, aí na Noruega ou aqui nos Emirados Árabes, nós brasileiros temos o nosso jeitinho de sentir saudade e de matá-la de vez em quando. Tudo tão nosso! Obrigada por compartilhar essas dicas conosco. Beijo grande!

Resposta
Wendy Dantas Fevereiro 19, 2016 at 11:44 pm

Pollyana, você é uma linda! Obrigada pelo seu comentário! Me emociono em ver que as pessoas se indentificam! Muitas vezes me sentia só nesse barco de emoções! E é isso mesmo que você disse: “tudo tão nosso”! Por isso que é gostoso demais quando afogamos essa saudade seja do jeitinho que for! 😀 beijos no coração!

Resposta
Simone Souza Fevereiro 19, 2016 at 4:04 pm

Wendy, gostei muito das suas dicas. Fiquei bastante emocionada principalmente porque no próximo mês estarei me mudando para Dinamarca. Obrigada e por favor continue a escrever, acompanho seus artigos.
Simone (carioca também, rsrs).

Resposta
Wendy Dantas Fevereiro 19, 2016 at 11:35 pm

Querida Simone, eu quero agradecer de coração por acompanhar os artigos. Sinta orgulho por ter a coragem de se mudar para a Dinamarca! Eu desejo força, sorte, amor e muito sucesso no seu caminho. Ninguém nos antecipa sobre o acontece dentro de nós quando vivenciamos deixar nosso país para viver em outro. E é sobre isso que eu gosto de escrever sobre, compartilhar experiências e de ajudar. Mas uma coisa é certa, será uma experiência inesquecível pra você. 🙂 beijos! Wendy

Resposta
Maria Elisa Lago Fevereiro 22, 2016 at 6:36 pm

estou adorando as dicas do brasileiras pelo mundo, está me ajudando muito! queria tirar uma dúvida não muito relacionada com o tema mas queria muito sua ajuda. na Noruega é difícil conseguir emprego quando se é novo no país? Quais áreas são melhores para se conseguir emprego? e só uma ultima perguntinha kkk, apartir de quantos anos se pode ter independência de modo que possa morar só e construir uma vida na Noruega? muito obrigada desde já pelas dicas!

Resposta
Wendy Dantas Março 8, 2016 at 10:37 pm

Olá Maria Elisa! 🙂 As oportunidades de emprego na Noruega são muitas, dependendo do seu nível de formação. É mais comum conseguir trabalho no comércio, como lojas de rua e em Shoppings. No caso, para os estrangeiros, é fundamental que se domine o idioma norueguês. Isso já abre muitas portas e facilita nas entrevistas de emprego. Com relação a sua segunda pergunta – caso eu tenha compreendido corretamente – para quem nasce aqui, é normal as pessoas já buscarem uma independência cedo. Muitos jovens começam a trabalhar já aos 16 anos para adquirir experiência. Aos 17 anos, a maioria saem de casa para estudar e morar sozinhos. Muitos, já com trabalho estável, adquirem seu primeiro imóvel antes dos 30 anos. Claro que cada indivíduo tem planos e focos diferentes, mas é muito comum ver isso aqui. Espero que tenha ajudado. Beijos!

Resposta
Ludmilla Maio 17, 2016 at 9:07 pm

Nossa, que lindo a sua história e o texto! Parabéns pela sua força e garra, acredito que deve ser a parte mais difícil a saudade, mas você mostrou com uma leveza tão grande como consegue lidar com ela, que nos motiva a fazer o mesmo. Parabéns! Beijos! Obs: Sou quase vizinha” da sua mãe e seu irmão, curti um pouco da minha infância na casa da sua mãe em Campos dos Goytacazes. Beijos!

Resposta
Julia Lainetti Novembro 28, 2017 at 1:06 pm

Que post mais especial! Adorei!

Resposta
Expatriados com crianças na China Janeiro 26, 2018 at 5:07 pm

[…] Veja 10 dicas para lidar com a saudade de tudo e de todos […]

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação