BrasileirasPeloMundo.com
A Mulher na Sociedade Pelo Mundo Chile

A beleza da mulher chilena

Falar de beleza é muito complicado, principalmente, porque trata-se de um assunto extremamente subjetivo. Tentei evitar até hoje entrar nesse tema delicado, mas depois de ler vários comentários de brasileiras que me chamaram a atenção, achei que era necessário. Portanto, seja lá qual for a sua opinião a respeito da beleza das chilenas, prepare-se, porque trago verdades.

Mito: as chilenas são mais desligadas com a aparência

Epa, epa, epa! Toda vez que leio ou ouço esse tipo de comentário me dá uma comichão na língua. Manas, as chilenas não são relaxadas com o visual, elas apenas têm um estilo diferente da gente. Aliás, nem tão diferente assim. Cansei de ver chilenas usando esmalte vermelho, maquiagem, salto alto e roupas da moda. Jamais vou esquecer da empresa onde trabalhei em que as meninas iam todas com o mesmo blazer da Zara, pelo menos uma vez por semana.

Como eu sou jornalista, fui atrás de depoimentos de chilenas para saber se era apenas uma sensação minha. Mandei um questionário com várias perguntas sobre cuidados com a beleza e as respostas apenas reforçaram o que eu já sabia.

A mulher chilena é tão vaidosa quanto a brasileira. Elas usam maquiagem, sim, cortam e pintam o cabelo. Muitas vão ao salão de beleza para fazer pé e mão. Algumas optam por depilação a laser para economizar e evitar tantas idas e vindas. Usam e abusam de cremes hidratantes para o rosto e o corpo. Soa familiar?

Leia também: Nova lei de migração no Chile

Assim é se lhe parece

O conceito de feio e bonito é muito relativo, por isso, nesse artigo quero deixar claro a minha admiração pela beleza da mulher chilena. Para mim, assim como as brasileiras, elas têm seus traços típicos, seu jeito de ser e todas as características que as tornam mulheres especiais.

Uma das perguntas que minhas entrevistadas responderam foi justamente sobre o quê é que define a beleza da mulher chilena, na visão delas. Elas foram praticamente unânimes ao afirmar que a atitude traduz a alma das chilenas, por dentro e por fora. Muitas fizeram referência também ao sangue mapuche, à influência da mulher indígena, guerreira, lutadora, como a essência da beleza.

Apesar disso, dificilmente você vê uma modelo que retrate esse estereótipo na publicidade local. Em geral, parece que todas as chilenas são loiras, magras e altas. Isso mesmo: nada a ver com a realidade, com raríssimas exceções. A Miss Universo do Chile eleita em 1987, Cecília Bolocco, é uma delas. Basta olhar para ela e você pode pensar que todas as chilenas têm ascendência nórdica. Só que não!

Leia também Dicas de beleza na Itália

O que a sociedade diz?

Em 2016, uma grande loja do Chile (Paris) junto com a consultora GFK Adimark fez um levantamento para descobrir o que define a mulher chilena. O estudo coincide com o que dizem minhas entrevistadas. Com base nas respostas ouvidas, a pesquisa revelou que a mulher chilena é lutadora, trabalhadora, aperrada (destemida), valente. Apenas 8% delas se consideram feias ou pouco atraentes.

Essa campanha foi super legal porque tocou no ponto forte que várias das minhas entrevistadas apontaram: a pressão da sociedade para estabelecer um tipo físico. Na realidade, o que nos defina é justamente a diversidade e isso serve para brasileiras e chilenas. Uma das mulheres que respondeu ao questionário afirmou que a verdadeira beleza da mulher chilena está nas ruas, no ponto de ônibus, no centro das cidades, nos barzinhos à noite e não nas celebridades e famosas.

Quem disse isso?

Algumas brasileiras também costumam afirmar que esse estilo “relaxado” das chilenas seria uma oposição ao patriarcado e uma forma de não ser submissa numa sociedade machista. Mais uma vez preciso discordar dessa afirmação. Na minha humilde opinião, quando uma mulher chilena opta por um visual desleixado pode ser por várias razões, uma delas seria justamente o medo de se expor e “mostrar demais”, como dizem por aqui.

Recentemente, por conta das denúncias de assédio na indústria cinematográfica nos Estados Unidos, vieram à tona vários casos semelhantes no Chile envolvendo diretores de novelas e filmes. (Um deles, Herval Abreu, é filho do diretor brasileiro Heval Rossano.) Na ocasião, o professor Daniel Halpern, da Universidade Católica do Chile, repercutiu o assunto. Ele publicou um texto numa rede social onde reproduz exatamente essa visão machista que, infelizmente, ainda prevalece por aqui.

O post tinha como objetivo dar conselhos às mulheres chilenas para evitar situações de assédio. O professor alegava que cabe à mulher ser enfática para que fique claro que não significa não (oi?). Para fechar com chave de ouro, o infeliz ainda aconselhava recato, já que, nas palavras dele: “Se a mulher deixa pouco para a imaginação e vai para todos os happy hours com o colega, mas verbalmente diz não, seu ato pode ser interpretado de forma diferente”. Hello?

Sororidade

Por isso, queridas amigas brasileiras, vejam bem, muitas vezes a mulher chilena adota o estilo discreto justamente porque a pressão da sociedade machista é punk. São poucas as que têm coragem e atitude para encarar uma cara feia por causa do batom vermelho. Chamar a atenção pode ser, como o ilustre acadêmico manifestou em sua rede social, um convite e quando a mulher diz não, no final, a culpa é de quem? Todas nós conhecemos bem essa mentalidade.

Além disso, manas, não vamos esquecer da disparidade salarial que existe no Chile, apontada pelas chilenas no próprio estudo da GFK Adimark como uma das maiores formas de discriminação. Outra questão que as incomoda bastante é terem de pagar mais nos planos de saúde por serem mulheres. Enquanto a mulher está em idade reprodutiva, ou seja, pode engravidar, paga bem mais! Isso explica muita coisa, já que o fator econômico é importante na hora de você priorizar seus gastos com a beleza.

Portanto, não custa nada ter um pouco mais de empatia e sororidade com as chilenas, já que estamos todas na mesma. Pode até parecer que o estilo “natural” inspire as brasileiras, mas muitas vezes trata-se de uma conduta social que apenas atende às expectativas do patriarcado. Considero um retrocesso romantizar essa situação e não refletir sobre tudo o que está por trás disso.

E você, o que pensa a respeito desse assunto? Deixei a sua opinião nos comentários porque, como disse no início do texto, a beleza é um tema muito subjetivo.

Related posts

8 aplicativos para usar no Chile

Isabela Vargas

Ser imigrante me fez feminista

Gabriela Albuquerque

7 anos em Santiago do Chile

Gislaine Morais

2 comentários

Sandra Dezembro 21, 2018 at 11:40 am

Eu vivo no Chile há 5 anos e de início achava que as chilenas eram “desleixadas” mas percebi que na verdade, diferente no Brasil, se cuidar esteticamente aqui é caro. Quando vc pergunta a uma mulher comum e corrente porque não faz a sobrancelha ou a unha elas dizem sempre que é pelo valor. E acredito que isso que se como no Brasil em qualquer esquina há uma Salão de beleza que vc pode fazer a unha, cabelo, sobrancelha no mesmo lugar e com preços razoáveis se dando o luxo de escolher qual vc prefere, elas fariam com todo certeza. Prova disso que fiz uma pacote c uma brasileira para fazer design de sobrancelha e convidei umas amigas chilenas 7 delas aceitaram…
Assim que para resumir as chilenas são lindas da sua forma mas não pouco vaidosas…

Resposta
RAFA Fevereiro 16, 2019 at 11:43 pm

Não consegui entender essa parte do texto:

“Chamar a atenção pode ser, como o ilustre acadêmico manifestou em sua rede social, um convite e quando a mulher diz não, no final, a culpa é de quem? Todas nós conhecemos bem essa mentalidade.”

Então se um homem convida uma mulher para algo, INDEPENDENTEMENTE DA RESPOSTA, é necessário se “apurar culpados” ?

Meio ridículo isso não ???

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação