BrasileirasPeloMundo.com
Abu-Dhabi Emirados Árabes Unidos Turismo Pelo Mundo

Al Ain, o oásis dos Emirados Árabes

Nem só de Abu Dhabi ou Dubai é feito os Emirados Árabes Unidos! Além dos outros 5 emirados que formam o país, há outras cidades espalhadas pelo seu território e que possuem a sua importância econômica, cultural e histórica. Hoje, vou falar para vocês sobre uma cidade que fica no emirado de Abu Dhabi, já na fronteira com Omã: Al Ain.

Al Ain é a 4ª cidade mais populosa do país, com aproximadamente 650 mil habitantes (2013) e a maior proporção de árabes locais (30,8%). Ao contrário das outras principais cidades do país, ela não está na costa, mas a mais de 100 km no interior. E se te ocorreu que ela deve ser por isso mais quente, não se engane: Al Ain tem o título de a “cidade jardim do Golfo“, por possuir muitas áreas verdes e ter o clima mais agradável, já que não é tão úmida quanto o litoral. Inclusive, já foi refúgio de verão dos antigos líderes do país.

parque oásis al ain
Parque Al Jahili, Al Ain. Foto: arquivo pessoal

Embora esteja fora do circuito turístico mais comum dos Emirados Árabes, Al Ain tem riquezas e atrações que são raros de serem vistos por aqui: montanhas, fontes minerais, oásis e sítios arqueológicos que datam 4.000 a.C.

Por estar localizada na fronteira com Omã, é a parada ideal para quem viaja de carro entre Abu Dhabi ou Dubai e Mascate. As estradas, principalmente as emiradenses, são super bem conservadas e a vista da janela promete ser inesquecível: fazendas verdinhas margeando a estrada enquanto dunas exuberantes fazem o segundo plano. Um contraste que é possível graças à disponibilidade de água que Al Ain possui, além de sistemas de irrigação tradicionais (falaj) aliados aos mais modernos recursos agrícolas da atualidade.

Um dos principais pontos turísticos da cidade é Jebel Hafeet, uma montanha de 1.249 m que se estende por 26 km em um território onde o deserto impera, ou seja, é realmente muito imponente na geografia da região. Há uma estrada que leva até o topo, de onde se pode ver a cidade de Al Ain e Omã. Nos pés da montanha há o parque “Green Mubazzarah”, com áreas verdes e fontes de águas minerais, um verdadeiro paraíso para um país de clima hiper-árido.

jebel hafeet al ain emirados árabes
Vista do topo de Jebel Hafeet, a montanha mais alta da região. Foto: arquivo pessoal

Ainda falando em verde, o motivo do respeitado título da cidade, qualquer visitante que esteja por lá não pode deixar de conferir o “Al Ain Oasis”, uma área de 1.200 hectares, com cerca de 470 mil tamareiras, de mais de 100 variedades diferentes. Aposto que você nem sabia que há tantos tipos diferentes de tâmaras! O oásis foi o primeiro monumento tombado como Patrimônio pela UNESCO no país. Em sua visita, não deixe de apreciar os sistemas de irrigação falaj e provar as variadas tâmaras plantadas no local.

Um pequeno mas interessante museu guarda uma das entradas do oásis: o Al Ain National Museum, com uma coleção de artefatos, imagens e vídeos que remontam as variadas épocas de ocupação humana na região, desde a pré-história até os dias de hoje. Aos amantes de arqueologia e história, é uma atração imperdível! Outra atração turística interessante para quem gosta desse tema é o Forte Al Jahili, que foi construído em 1981 e é um dos prédios de maior importância histórica dos Emirados Árabes. Ele foi todo restaurado e está em uma área com um bonito parque. A visita certamente vale muito a pena, veja só:

forte al jahili al ain emirados árabes
Forte de Al Jahili, Al Ain. Foto: arquivo pessoal

E para quem gosta de mais ação, a cidade tem um parque aquático, o Wadi Adventure, pista de kart, parques de diversão, campos de golfe, clube de equitação e um dos mais importantes times de futebol da região, o Al Ain FC. Há também corridas de camelo em certas épocas do ano e o mercado de camelo (camel souk), onde é possível observar comerciantes árabes negociando os animais, que são utilizados para os mais diversos fins pela cultura local. Prefira visitá-lo bem cedinho, pois é quando a “ação comercial” acontece.

A cidade tem boa infraestrutura, com grandes shoppings e variado comércio. Possui também universidades e grandes hospitais. O Al Ain International Airport tem voos para países da região e outras cidades dos Emirados Árabes, e as estradas que ligam Al Ain a Abu Dhabi e Dubai são ótimas, com velocidade máxima permitida de 140 km/h, ou seja, é um “pulo” até essas cidades maiores.

Um dos hotéis mais tradicionais de Al Ain, o Hilton, já foi visitado pela Rainha Elizabeth II, em 1971. Hoje, a cidade possui várias outras opções de acomodação, de todos os gostos e bolsos, onde eu destaco o Mercure Grand Jebel Hafeet, que fica quase no topo da montanha previamente citada, os vários hotéis da rede Rotana e os incríveis e super charmosos resorts no deserto, de onde você pode ter um nascer ou pôr do sol inesquecível do seu quarto.

nascer do sol no deserto emirados árabes
Nascer do sol no deserto de Al Ain. Foto: arquivo pessoal

 

Dois dias, muito intensos, diga-se de passagem, são o suficiente para conhecer os principais pontos turísticos da cidade. Se quiser fazer tudo com calma e ainda aproveitar a hospedagem no deserto, separe uns 5 dias. Eu gostei muito de ter conhecido essa cidade e, como falei antes, vi coisas por lá que não vi em outro lugar do país. Portanto, se você está vindo para cá e tiver tempo suficiente para explorar além do circuito Dubai-Abu Dhabi, não deixe de incluir Al Ain em seu roteiro, tenho certeza que irá se surpreender com o banho de verde e história que essa cidade-oásis tem a oferecer!

Related posts

Dicas de passeios fora de Kuala Lumpur

Janaína Barreto

Emirados Árabes Unidos – Abu Dhabi, o lugar de mil e uma opções

Renata Salas Collazo

Atrações turísticas mais imperdíveis de Berlim

Clarissa Gaiarsa

1 comentário

Al Ain, oásis dos EAU - Brasileiras pelo Mundo - Diário de Polly Novembro 19, 2017 at 8:48 am

[…] ler mais? Então clique aqui e veja o conteúdo completo no site Brasileiras pelo […]

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação