BrasileirasPeloMundo.com
Abu-Dhabi Emirados Árabes Unidos

Aprendendo árabe em Abu Dhabi

As-Salamu Alaikum, do árabe  السلام عليكم, quer dizer “Que a paz esteja com você” e é o modo como os habitantes da Península Arábica se cumprimentam. Certamente, essa é uma das expressões mais conhecidas da língua árabe e que provavelmente você já ouviu, seguida por Insha’Allah, ou إنشا الله, que significa “Se Deus quiser”.

De acordo com o site Statista, a língua árabe é a 6ª mais falada do mundo, com mais de 300 milhões de falantes. Segundo o mesmo site, em pesquisa realizada sobre as línguas mais utilizadas na internet, o árabe ficou em 4º lugar, com 4,8%, seguida da nossa Língua Portuguesa, com 4%. Atualmente, 26 países têm o árabe como língua oficial e, o principal, ela é a língua original do Alcorão, o livro sagrado do Islamismo, a religião que mais cresce no mundo.

Com tantas estatísticas expressivas, podemos entender que a língua árabe ocupa um lugar de destaque no mundo atual. Saber inglês é fundamental, mas há outras línguas de significativas importâncias culturais e econômicas e, claro, o árabe é uma delas.

Nunca cogitei, em toda a minha vida, estudar árabe. Jamais imaginei morar em um país árabe, para início de conversa, mas aí reside a pegadinha desse mundo moderno: quem pode ditar e garantir o amanhã? E aqui estou, há 1 ano morando no deserto, cujo país tem como língua e religião oficial o árabe e o Islamismo.

Adquirir a fluência no idioma árabe, sendo nativos da língua portuguesa, é uma conquista para poucos. Pessoalmente, só sei de casos assim de indivíduos brasileiros de origem árabe, criados em ambientes onde a língua era amplamente utilizada. Já que essa não é a minha realidade, procurei um curso de árabe para “compreender” o idioma, mais do que “dominá-lo”. Sejamos realistas, não é mesmo?

Mas então por que resolveu estudar árabe, dentre tantas possibilidades de línguas que há pelo mundo?”, é a pergunta que tanto ouço. Primeiramente, já cheguei em Abu Dhabi com o inglês razoável, não tendo grandes dificuldades de me comunicar no dia a dia. E por que eu digo isso? Porque se eu não tivesse o “domínio” do inglês (entre aspas, já que ainda posso – e preciso – melhorar muito), essa deveria ser a minha prioridade ao chegar aqui. Mesmo sendo o árabe a língua oficial do país, o inglês é muito mais utilizado, devido ao grande número de nacionalidades diferentes que vivem por aqui. Por isso, serve de reforço: se mudou para Abu Dhabi? Saiba, ou aprenda, inglês primeiro.

FullSizeRender (53)
Saber inglês aqui nos Emirados é fundamental; saber árabe é um super bônus que te abrirá inúmeras portas. Foto: Grand Mosque, em Abu Dhabi. Arquivo pessoal.

Em segundo lugar, gosto de pensar pela oportunidade única que estou vivendo. Não sei por quanto tempo vou morar no país e não faço ideia de onde vou morar depois daqui, mas o fato é que ATUALMENTE moro num país árabe, cuja língua oficial é o árabe, então árabe devo aprender. Esse foi mais ou menos o pensamento que tive ao escolher estudar a língua. Simples, não é?

Pois o raciocínio pode ter sido simples, mas o “vamos ver” foi deveras complicado. Escolhi uma escola de línguas bem conhecida e recomendada na cidade: o Eton Institute. Matriculei-me no curso denominado “starter”, ou “iniciante”, voltado para aqueles que não têm nenhuma noção do idioma. Sabe aquele As-Salamu Alaikum que citei no início do texto? Pois é, nem isso eu sabia falar.

A minha escolha foi sensata pois, de fato, o curso iniciante te dá noções básicas e essenciais do idioma que, sem elas, seria impossível acompanhar os outros níveis. Aprendemos sobre a história da língua árabe, que, inevitavelmente, se mistura com a história do Islã, o alfabeto, os números, as frases básicas, diálogos curtos e um pouco de gramática. Não foi diferente do conteúdo disciplinar que aprendi nos cursos de outros idiomas que já estudei. A diferença, porém, é que você se sente como uma criança sendo alfabetizada, tudo a partir do zero. O motivo? Olha isso aqui:

 

Flicker-Arabic_Alphabet
O alfabeto árabe com suas 28 letras. Foto: CC

O alfabeto árabe possui 28 letras e cada uma pode ter até 4 formas diferentes de ser escrita, a depender de sua posição dentro da palavra (inicial, medial, final ou isolada). Resultado: não são 28 letras que precisamos memorizar, mas sim 112 “letras” diferentes. É fácil? Nem um pouco. Mas com uma super dedicação é possível, sim, aprender todas elas e até ler algumas palavrinhas em árabe a partir das primeiras aulas. Ah, e ler da direita para esquerda, não vamos esquecer!

Desde que comecei a estudar árabe, aquela Polly de 6 anos que lia em voz alta na rua ressurgiu. Vibro com imensa alegria quando consigo ler qualquer palavrinha. É muito gratificante aprender idiomas diferentes, mas especialmente quando esse idioma é completamente diferente do seu nativo, com estrutura e alfabetos distintos, essa alegria se multiplica! Para ajudar no processo de aprendizado, além de tentar decifrar todas as placas que via na rua, instalei o teclado árabe no celular e mandava frases aos amigos e ao professor, que respondia sempre com satisfação. Já até consegui utilizar algumas frases aqui em Abu Dhabi e numa viagem que fiz a Salalah, em Omã. Dizer umas 3 frases em árabe durante a negociação do preço de um produto podem servir como mágica, acreditem!

O árabe que aprendemos em escolas de línguas é o “MSA”, ou “Modern Standard Arabic”, ou simplesmente padrão moderno do árabe, o mesmo do Alcorão. Como há muitas formas de falar árabe, entre as diferentes regiões em que ele é utilizado, padronizou-se o ensino do MSA. O curso foi bem puxado, pois era condensado em 7 semanas, o que exigia muitas horas de estudo em casa para acompanhar as aulas. A turma era de 6 alunos: eu brasileira, uma inglesa, um americano, um irlandês, uma ucraniana e uma húngara. O professor? Emiradense! Não é comum ver um local dando aulas de árabe e a oportunidade foi incrível! Ele, como um bom patriota que todos são, falava com orgulho do seu país e sua língua. Aprendemos sobre vários aspectos da cultura local, inclusive temas polêmicos como namoro e radicalismo religioso. O professor até nos levou à sua chácara para um jantar típico, preparado pela sua mãe, onde comemos com a mão, sentados no chão. Sou muito grata pela oportunidade de vivenciar tudo isso e por tudo que aprendi!

Terminei o nível iniciante e já estou me preparando para me matricular no nível 1. Enquanto estiver aqui, não quero parar de estudar o árabe. Como já falei, não sei aonde o meu estudo vai me levar e qual o nível de fluência que posso alcançar, mas posso dizer, sem a menor dúvida, que aprender línguas é uma forma eficiente de mergulhar na cultura, além de um excelente exercício mental. Se me perguntarem se vale a pena investir tempo e dinheiro em aprender árabe, eu digo que com certeza! Ele pode te trazer mil oportunidades e, convenhamos, qual o tipo de conhecimento podemos julgar inútil nos tempos atuais? Boa sorte! Shukran! Ma’a Salama!

Related posts

Custo de vida em Abu Dhabi – Parte I

Pollyane Martins

Abu Dhabi – Providenciando a moradia

Pollyane Martins

Professora de jiu-jitsu em Abu Dhabi

Pollyane Martins

10 comentários

Márcia Setembro 28, 2016 at 9:39 am

Polly queria está disposição sua para estudar línguas, não consegui aprender nem o inglês direito, imagino o quanto deve ser complexo o idioma árabe. Parabéns pela iniciativa, você sempre dedicada, com certeza vai ser muito valiosa sua dedicação e trará resultados, quem sabe quando voltar ao Brasil possa ministrar aulas …

Resposta
Pollyane Martins Setembro 28, 2016 at 12:22 pm

Oi Márcia, obrigada pela visita e pelo comentário. Fácil não é, mas quando colocamos dedicação, é possível aprender qualquer coisa 🙂 Beijo grande.

Resposta
Alexandre Março 1, 2017 at 5:32 pm

Marhaba Marcia., Sobre o inglês caso queira aprender eu sei como. não sou professor só estou usando um ‘metodo’ que estou conseguindo aprender.
Claro, precisa de tento e decicação , sobre o Árabe, não é facil mas nós consegue., Conseguimos aprender portugues rsrs
A salamu 3Aleikum!

Polly sou de goiás tAmbém, de rio verde goiás

Resposta
Diário de PollyBrasileiras pelo Mundo - aprendendo árabe - Diário de Polly Dezembro 29, 2016 at 7:25 pm

[…] Abu Dhabi – Aprendendo árabe […]

Resposta
1 ano como uma brasileira pelo mundo - Diário de Polly Março 23, 2017 at 8:36 am

[…] Aprendendo árabe Isso mesmo, eu decidi aprender árabe! Contei um pouco da minha experiência nesse artigo de setembro. […]

Resposta
Juliana Fernandes Julho 5, 2017 at 4:49 pm

Eu sou brasileira, morei em Oman e falo arabe adoro a lingua mas é verdade que é bem dificil, poucas pessoas apenas tentam, tristemente no caso dos brasileiros em Oman, a maioria nem acha importante estudar o idioma e muitas vezes nem falam ingles…

Resposta
Pollyane Martins Julho 11, 2017 at 4:32 pm

Oi Juliana! Parabéns por ter aprendido o árabe! Realmente, é um grande desafio para nós, brasileiros. Eu continuei me esforçando, mas duvido muito que chegarei a um nível de fluência algum dia. Obrigada pelo comentário!

Resposta
Yasmeen Novembro 25, 2017 at 5:33 pm

Olá Polly, eu estoy querendo estudar árabe em Dubai. Você pode me falar o valor do curso?

Resposta
Pollyane Martins Novembro 26, 2017 at 7:39 am

Oi Yasmeen. Os valores sempre mudam, então é melhor conferir no site da escola. Eu fiz no Eton Institute: https://etoninstitute.com/ Boa sorte!

Resposta
Márcio Dezembro 7, 2017 at 3:53 pm

Tbm estudo gosto do idioma boa sorte para vc aí.

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação