BrasileirasPeloMundo.com
Arábia Saudita Maternidade Pelo Mundo

Arábia Saudita – A Saga das Escolas

Surgiu uma oportunidade para trabalhar no Oriente Médio. A oportunidade é atraente e você e sua família decidem que a mudança vale a pena. Mas pára tudo! Tem escola? Tenho certeza que, com crianças em fase escolar, um dos itens principais da sua lista de prioridades é a escola para as crianças.

Os meus pequenos nasceram em Dubai – são os nossos, carinhosamente chamados de “Dubaianos”. No começo, a mãe de gêmeos de primeira viagem aqui, não se preocupava com escolas – com gêmeos e sozinha fora do país, você pode imaginar que eu já tinha bastante para me preocupar, não é mesmo? Aos 13 meses de idade, então os matriculei numa ótima creche em Dubai, afinal eu estava me preparando para voltar ao mercado de trabalho. Consegui voltar a trabalhar, e eles ficavam o dia inteiro na escolinha. Até aí tudo “tranquilo” (tranquilo é apenas uma expressão, né meninas?) Até decidirmos mudar para a Arábia Saudita.

Ao me mudar para as Arábias, nossos pequenos por volta de 2 anos, e considerando todas as restrições com mobilidade, nossa prioridade era encontrar um condomínio que tivesse uma escolinha dentro. Missão dada, missão cumprida. Com uma diretora Britânica, a escolinha é reconhecida como sendo uma das melhores da área.

Hora de ir para a escola
Hora de ir para a escola

O detalhe é que a “pre school” só aceitava crianças até os 4 anos de idade. Começava então a minha saga em busca de uma escola (só que agora escola de verdade), para os meninos. Com 1 ano e meio de antecedência visitei a escola número 1 da minha lista e os coloquei na waiting list (era essa que eu queria). Conversei com outras mamães e era certo que os meus filhos entrariam na escola – afinal vi tudo com bastante antecedência. Depois de 2 testes e todo esse tempo de espera, o resultado: a escola não tinha vaga.

Toda essa situação (claro), gerou um grande estresse para nossa família. Viemos de famílias muito simples e sabemos a importância de uma educação de qualidade na vida de uma pessoa. Afinal foi a nossa educação que nos proporcionou uma vida melhor, com um pouco mais de conforto. A idéia de não poder proporcionar a educação que gostaríamos para os nossos pequenos, ainda que fosse nessa fase inicial da vida, foi devastadora.

Hoje eles estão matriculados numa escolinha, em cunho temporário, até que a vaga na escola ideal finalmente apareça. O que quis demonstrar com o meu exemplo? Que é preciso estudar bastante sobre as escolas no Oriente Médio. Ninguém me falou que seria difícil assim. Hoje mesmo acabei de conversar com uma Britânica, que chegou há 2 semanas e que está desesperada tentando encontrar uma vaga na escola para o seu filho. Como as vagas nas escolas de qualidade são limitadíssimas (e a quantidade de expatriados aumenta a passos largos, devido a necessidade da mão de obra qualificada na região), muitas pessoas acabam se encontrando na mesma situação (between the rock and the hard place).

Abaixo deixo algumas lessons learned na hora de conseguir uma vaga na escola para os seus filhos no Oriente Médio:

  1. Mesmo se o seu filho ainda não estiver em idade escolar, já comece a pesquisar as escolas disponíveis, suas metodologias de ensino, processos de matrícula com no mínimo 1 ano e meio de antecedência;
  2. Vale fazer a pesquisa mesmo se você ainda não fez a sua mudança, ou seja, se você ainda não estiver por aqui;
  3. Não ponha todas as suas fichas em uma sacola: coloque o nome do seu filho na lista de espera em mais de uma escola – mas vale um passarinho na mão do que dois voando, já dizia o ditado da vovó;
  4. Visite todas as escolas com bastante antecedência: nada melhor do que sentir a energia que a escola tem e conhecer aqueles que lá trabalham;
  5. Confira com a sua empresa o sistema de benefícios escolar. Lembrando que no Oriente Médio o ensino público é somente disponível para os locais. Os expatriados terão que matricular os seus filhos em escolas particulares. Algumas empresas oferecem o benefício a partir dos 4 anos, outras a partir dos 5. Já ouvi casos de empresas que não oferecem benefício algum – então fique atento para isso na hora negociar o seu pacote de benefícios. Escolas de qualidade, como em todo o lugar, são caras.

Lembrando que citei apenas o meu exemplo na Arábia Saudita. Mas já tive relatos de amigas em Dubai e no Catar por exemplo, que passaram pela busca longa e frustrante por uma vaga na escola que desejavam para os seus filhos, e tiveram que desembolsar horrores.

Então literalmente deixo aqui a minha dica, desejando ótimas aulas e muito aprendizado para a criançada.

 

Related posts

Empregadas domésticas no Oriente Médio

Carla Ferreira

Ano Novo Islâmico

Diene Buffon

Coisas boas e ruins na Arábia Saudita – Parte 2

Gabriela Lirio Delfino

2 comentários

Maria Martins Maio 13, 2016 at 5:53 pm

Olá Carla , tenho uma filha com 13 anos estou a pensar me mudar para riade na Arábia. Mas não estou conseguindo encontrar uma escola para ela estudar.
Se me poder dar umas dicas ????. Obrigada
Maria

Resposta
Cristiane Leme Maio 16, 2016 at 8:31 pm

Olá. A Carla parou de colaborar com o BPM.
Edição BPM

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação