BrasileirasPeloMundo.com
EUA

Austin, a capital hippie da tecnologia

O Vale do Silício localizado na Califórnia sempre foi considerado a Meca do mercado tecnológico; porém, aos poucos, está perdendo a fama e o espaço para a capital texana, Austin. Anteriormente conhecida como uma cidade universitária por seus vários eventos musicais, um estilo de vida tranquilo com um toque hippie incluindo uma prainha de nudismo, hoje Austin se projeta no cenário nacional como a cidade que mais cresce economicamente nos Estados Unidos.

Austin carrega características atípicas de uma cidade do sul dos Estados Unidos. O governo é democrata, o que vai na contramão das outras cidades do Texas, tem uma população profissional jovem, competitiva e muito criativa. Muitos vieram para Austin para estudar e decidiram estabelecer residência depois de concluírem a universidade. Com um jeito tão distinto, tom eclético e alternativo, os próprios moradores deram o seguinte lema a cidade: “Keep Austin weird” ou seja “Mantenha Austin esquisita”. Na verdade, acredito que a tradução mais adequada seria “mantenha Austin original”.

Nos últimos 20 anos Austin tem atraído diversas empresas de tecnologia. Dentre as maiores e já reconhecidas mundialmente estão a Dell, Apple, Google, Samsung, Oracle, Facebook e Yahoo, que chegou mais recentemente no final de 2014. A Oracle anunciou este ano que vai construir um campus no área central da cidade. A Dell tem suas raízes aqui e nasceu quando Michael Dell ainda era um estudante da Universidade do Texas, a UT. A Dell foi criada e continua operando aqui com vários edifícios espalhados pelas áreas metropolitanas da cidade. Sua matriz está localizada em Round Rock, que fica nas imediações de Austin. A Apple, também se estabeleceu aqui nos últimos anos e vem se consolidando fortemente. Entre 2014 e 2015 a Apple já construiu um campus com 7 edifícios, todos sustentáveis e ecologicamente corretos.

Uma das novas tecnologias que vem chamando muito a atenção é a do drone. Mas, o que é o drone? É aquela pequena aeronave sem tripulação guiada por um controle remoto. Tem inúmeras utilidades para diferentes tipos de serviços. Por exemplo: para o bombeiro tirar fotos de uma áreas em chamas, filmar um projeto do alto, etc. Este é um mercado crescente, novo e polêmico. Há uma empresa de drones instalada aqui também. Todas estas empresas contribuíram para aquecer a economia, que já criaram uma média de 42.000 empregos. A cidade ganhou mais visibilidade e consequentemente, atraíram empresas terceirizadas e investidores de diversas áreas.

Mas, por que Austin? Quais são as razões que atraíram essas empresas para esta cidade universitária?

Baixo custo de vida
Isenção de imposto estadual
Inverno ameno (neve é raríssimo)
Bom nível de escolaridade
Segurança
Programa de reciclagem
População equilibrada: 49% mulheres e 51% homens

Em meio a essa parafernália digital o tempo parece passar mais rápido e tudo se transforma diariamente. Quando cheguei aqui há 2 anos, Austin ainda carregava características mais locais e com uma população de aproximadamente 1 milhão de habitantes. Hoje já está chegando a casa dos 2 milhões, vê-se estradas novas sendo construídas em áreas antes inabitadas, velhas “highways” estão sendo ampliadas assim como muitos edifícios novos e sofisticados construídos no centro da cidade. A cidade tenta se recriar e dar continuidade a uma boa infraestrutura. Obviamente, o custo de moradia aumentou bastante, o número de carros também aumentou e o transporte público não atende a todas as regiões. Nesse ritmo acelerado, Austin está abraçando diversas nacionalidades, suas habilidades e seu profissionalismo. Vê-se pessoas do mundo todo diariamente.

Atualmente, eu trabalho com um time super diverso formado por brasileiros, mexicanos, cubanos, italianos, americanos. É muito interessante!
O ambiente de trabalho no universo tecnológico funciona de forma horizontal e aberto a todos. Vê-se gerentes e seus gerentes gerais na mesma área de trabalho dos outros funcionários do time, em cubículos comuns, abertos e acessíveis a todos. O vestuário de trabalho é sempre casual. Na verdade, o “uniforme” diário sempre envolve aquele jeans favorito e tênis. Num mercado favorável a economia outros tipos de eventos como Fórmula 1, esporte que não é tão popular entre americanos agora ocupa seu espaço todo mês de novembro, assim como GP Motors que ocorre todo mês de abril.

Produção de filmes independentes também é outra atividade popular da cidade. Todo mês de março milhares de pessoas visitam Austin para participar do evento mais popular, o SxSW (South by Southwest). Este evento reúne cinema e música em duas semanas de muitas atividade cultural e diversão.

Neste cenário tech, ser bilíngue significa ter uma vantajosa habilidade. A tecnologia como um todo é abrangente e global. São inúmeras as posições de emprego, que requerem segundo idioma que vai de serviço ao consumidor a desenvolvimento de futuros softwares e os famosos projetos de “caixa preta”. A competição é grande em todas as áreas e estudantes de mestrado ou doutorado são candidatos com mais vantagens e benefícios. Existe uma demanda por indivíduos que falem português e espanhol. O segundo idioma é mais valorizado do que nunca e paga-se mais por posições bilíngues.
Portanto, a tecnologia e os idiomas são melhores amigos e aproximam as pessoas.

Related posts

Depressão na vida de um expatriado

Gabriela Albuquerque

Consumismo nos Estados Unidos

Larissa Rinaldi

Dicas para imigrar para os Estados Unidos

Renata Salas Collazo

5 comentários

Regina Abril 12, 2016 at 12:50 am

Oi Alessandra….muito bom seu artigo….e muito útil a quem quer trabalhar aí nos Estados Unidos. Estou lendo pela primeira vez seu blog , e achei muito bom , você escreve muito bem.
Um abraço
Regina

Resposta
Alessandra Abril 21, 2016 at 1:44 am

Oi Regina,

Obrigada! Que legal que você gostou.

Resposta
Helena Mello Abril 26, 2016 at 7:11 pm

Parabéns pelo texto! O Texas é descrito como um lugar bem conservador e eu nunca tive muito interesse em conhecer, mas tenho lido muito sobre Austin e estou ficando encantada!
Obrigada por compartilhar!

Resposta
Jairo Setembro 18, 2017 at 7:10 pm

É incrível quanto já mudou em Austin desde Abril 2016. Explodiu em população, trânsito, e custo de vida. Sim, continua sendo um centro maior de tecnológica. Sem dúvida.

Resposta
Alessandra Ferreira Setembro 20, 2017 at 4:22 pm

Oi Jairo! Concordo com voce. Austin tem crescido rapidamente infelizmente agregado a prosperidade vem este transito, custo de vida mais alto e a cidade se descaracterizou-se um pouco.

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação