BrasileirasPeloMundo.com
Melhores bairros e onde morar Suécia

Bairros para morar em Gotemburgo

Gotemburgo é uma cidade que abriga gente de toda parte do mundo. Há lugar para os mais excêntricos e até os mais reservados. Dá para se morar em uma casa fenomenal estilo minicastelo, em uma fazenda colonial ou, então, em uma casa numa ilha no meio do arquipélago com dias de sol e pescaria garantidos logo do outro lado do portão. Neste texto irei citar pelo menos 4 bairros para morar em Gotemburgo em que se pode morar bem, de acordo com gosto, estilo, bolso e praticidade.

Hisingen/Kungälv

Hisingen é a quinta maior ilha habitável na Suécia e a maior ilha situada no município de Gotemburgo. Com cerca de 142.000 pessoas, a ilha oferece os mais diversos ambientes e bairros para se morar. O transporte coletivo é tão eficiente quanto no continente e praticamente existe tudo na ilha (tirando o cinema).

Alguns dos principais bairros em Hisingen são Torslanda, Säve, Tuve, Skogome, Hisings Backa, Hisings Kärra e Biskopsgården.

Os quatro primeiros bairros citados acima são majoritariamente habitados por famílias de classe média alta, porém, não se trata apenas de suecos, mas também se encontram por lá famílias de origem alemã, da antiga Iugoslávia, do Chile e dos países bálticos. Em Torslanda é possível escolher o lado mais costeiro, próximo às ilhas do arquipélago norte ou o lado campestre, como na região de Björlanda, onde se localizam vários estaleiros com cavalos de posse privada, como centros de equitação.

Em quesito de segurança pode-se dizer que são bairros relativamente seguros, porém, eles não estão livres de depredações ou mesmo acertos de contas entre gangues.

Já os três últimos bairros citados acima são predominantemente habitados por famílias de classe média baixa. Mesmo sendo bairros sem tanto prestígio são bairros bastante práticos pelo relativo baixo custo de aluguel.

Hoje em dia, principalmente o centro de Hisingen, tem sofrido uma expansão e investimento fenomenal com a construção de novos prédios habitacionais, a construção da Ponte de Hisingen (Hisingsbron a ser inaugurada em 2020), a Torre de Carla (Karlatornet) um prédio residencial que irá revolucionar o conceito de luxuosidade sem sair de casa, além de um imenso ambiente empresarial, trazendo várias lojas ao redor da torre, o que proporcionará aos habitantes da ilha o mesmo estilo urbano e moderno vivido no continente.

Sem esquecer de mencionar o Backaplan, que é o terminal mais conhecido depois do Terminal Nils Ericsson (Estação Central) pois é lá que ocorre a troca de ônibus de cidades como por exemplo Kungälv e bondes vindos desde Biskopsgården interligando a ilha ao continente.

Kungälv é mais uma região independente do que um bairro, mas para nós brasileiros, a sensação é bem parecida a morar em um bairro mais afastado do centro devido a sua localização bem próxima a Hisingen e Gotemburgo. Kungälv é uma ótima cidade-bairro para se morar com custo-benefício bastante razoável. Os habitantes desta cidade-bairro são majoritariamente idosos aposentados ou famílias com crianças pequenas. Logo pode-se presumir que a cidade é bastante tranquila e sem todo o alvoroço e agitação da cidade grande. Há boas comunicações com ônibus e próxima a centros de compras como Bäckebol e Gamla Stan no lado do continente.

Além de se morar na cidade de Kungälv há também a opção de se morar no campo como em regiões tais como Kode ou Romelanda.

Majorna/Masthugget

Estes são bairros mais boêmios repletos de bares latinos com música ao vivo, pubs, boliche, ruelas apertadas, avenidas com árvores em toda sua extensão e um trilho de bonde no meio… romântico para muitos. Majorna é uma parte da cidade repleta por história, música, amor pelo café e paixão pela vida. Há museus, biblioteca, a famosa pedra vermelha (Röda sten) onde é perfeita para se fazer um piqueniqu, um churrasco com os amigos ou simplesmente sentar e admirar os cruzeiros do Stena Line entrando e saindo pelo canal rumo à Dinamarca.

No quesito de habitação, em Majorna se dá preferência para aluguel de apartamentos a mães solteiras, porém há muitos que alugam seus apartamentos para estudantes devido a sua localização próxima à Universidade de Gotemburgo situada nos arredores de Linné, do Hospital Universitário Sahlgrenska, da Universidade Técnica Chalmers e do parque Slotskoggen.

Masthugget pertence à freguesia de Majorna e foi predominantemente habitado no princípio por marinheiros e operários dos estaleiros que antes funcionavam no porto de Gotemburgo. As modestas casas de madeiras ocupadas por tais habitantes hoje deram lugar a enormes complexos residenciais, lojas e hotéis. Também há o predomínio de estudantes no local como casais de idades variadas sem filhos ou mesmo pessoas maduras que vivem sozinhas, aposentadas ou divorciadas.

Gotemburgo central

Há também muitos que tem condições e estilo necessário para morar no centro de Gotemburgo. Por que não? Os principais bairros no centro que muitos almejam morar, porém poucos têm bolso ou estilo para tal são Mölndal, Olskroken, Johanneberg, Linné, Haga e Vasa. A cidade em si é cheia de atrações turísticas tais como a Igreja de Peixe (Feskekôrka), Café Husaren com seus bolos de canela colossais, Museu de Arte de Gotemburgo, Orquestra Sinfônica de Gotemburgo também oferece uma série de apresentações para iluminar a sua passagem pela cidade (ou mesmo suas noites de sexta com os amigos ou seu companheiro de aventuras!) e sem esquecer de citar o maior parque de diversões da Escandinávia: Liseberg!

Muitos que trabalham no centro de Gotemburgo ainda preferem morar em regiões mais afastadas do centro da cidade,

mas ainda consideradas dentro da região metropolitana de Gotemburgo tais como Lerum, Ale, Stenungsund, Alingsås e Lilla Edet.

Todas estas regiões têm em comum o fato de serem bem calmas, predominantemente de famílias com crianças pequenas e de classe média alta.

Mesmo tendo de dirigir ou pegar ônibus ou trem para chegar ao centro de Gotemburgo, as vias rodoviárias e malhas ferroviárias são constantemente revisadas e passam por controle e manutenção para que estejam sempre em ótimas condições. O que talvez atrapalhe bastante seja o enorme tráfico na hora de pico e acidentes constantes principalmente nas vias entre Partille e Alingsås ou no trecho Lerum – Alingsås. Fora isso custo benefício é também algo que atrai muitos a se mudarem para tais regiões.

Leia também 5 motivos para morar em Gotemburgo

Related posts

Os distritos de Varsóvia

Gizelli Gliwic

Os bairros de Copenhague – Parte 1

Camila Vicenci Witt

SFI: falha do governo, experiência pessoal e dicas para iniciantes

Vânia Romão

1 comentário

Gla Fevereiro 17, 2018 at 9:31 am

Obrigada! Estava procurando uma matéria como está ☺️

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação