BrasileirasPeloMundo.com
EUA

O que aprendi sobre a Bible Belt nos Estados Unidos

O que é Bible Belt?

Bible Belt, ou seja, o Cinturão Bíblico é uma denominação informal para descrever uma vasto território dominado pelo protestantismo social conservador. Nos EUA, as igrejas protestantes e conservadoras exercem forte influência na política e na vida social dos seus membros, moldando padrões de pensamento e comportamento.

O Cinturão Bíblico engloba quase todos os estados do sul e centro-sul dos Estados Unidos. No entanto, há outros estados ou regiões menores tão religiosos quanto os estados que compõem o Cinturão. Aqui vocês podem ver um mapa especificando as regiões que o Cinturão Bíblico cobre.

Quando morei no estado do Tennessee, localizado no centro-sul dos EUA, eu nem sabia da existência do termo Cinturão Bíblico ou Bible Belt. Porém, não precisava saber o que era. Para minha surpresa, havia uma igreja em cada esquina, de diversas denominações. Obviamente, predominavam as igrejas Batista, Presbiteriana e Metodista, mas havia igrejas católicas também. De cara notava-se que religião era assunto sério e ninguém brincava em servir a Deus.

O que as igrejas têm em comum?

Qualquer que seja a denominação, quase todas elas funcionam como uma grande corporação em nome de Deus.
A começar pela organização, geralmente são bem estruturadas e equipadas. O coral é sempre profissional. Durante os serviços, telões enormes são baixados – como se faz nos grandes eventos musicais – para que toda a plateia possa acompanhar. Algumas igrejas também produzem os seus próprios filmes de curta-metragem para serem mostrados durante o serviço. Todas contam com um time de voluntários bem disposto, para ajudar em atividades e eventos diversificados da igreja.

As maiores igrejas têm suas próprias escolas. Todas, sem exceção, promovem atividades e serviços para atender a todos os gostos e necessidades de seus membros. Além de aulas de dança de salão, salsa, jazzexercise ou inglês, há grupos de apoio a divorciados, noivos, solteiros; ALANON, AA ou qualquer outro grupo de anônimos. Tem até aquelas que se tornaram polêmicas por ministrar cursos para converter homossexuais em heterossexuais.

Para quem mora em Memphis, # fica a dica:

A Saint Mary Episcopal tem uma escola de balé e um anfiteatro, o The Buckman.  Este anfiteatro possui uma das melhores acústicas e assentos da cidade. Durante as temporadas de apresentações, grupos de arte circense a dança moderna, contemporânea e outras formas de entretenimento, apresentam espetáculos maravilhosos e os ingressos são super acessíveis.

Os chamados de Deus

Há fiéis que frequentam uma igreja por muitos anos mas, um dia, a deixam para criar a sua própria congregação porque, segundo eles, é um chamado de Deus.

Por isso, o menu religioso é vasto e há igrejas para todos os gostos. Já vi uma igreja que tem uma réplica da Estátua da Liberdade na entrada. Frequentar determinadas igrejas também pode indicar a origem ou garantir o status social de um indivíduo.

Nas campanhas organizadas para atrair novos fiéis vale tudo, incluindo algumas aberrações. Antes de escrever este artigo, decidi investigar mais sobre o assunto. Juntamente com textos informativos, encontrei, no meu acervo pessoal, algumas notas antigas, como a cópia de um texto curto de um jornal local sobre a mensagem no outdoor (foto abaixo) de uma igreja.

Lembro-me que fui almoçar num restaurante e peguei uma tiragem do Memphis Flyers para ler, enquanto esperava pela comida. A reportagem fazia referência a este outdoor, cuja mensagem de Páscoa era bem controversa. Foi escrita em inglês e espanhol e dizia o seguinte: “Jesus said: Bring that ass here.” Tradução suave: “Jesus disse: Traga aquele bundão aqui.”

Na semana seguinte, eles lançaram uma nova mensagem que deveria ser de paz, amor e compreensão. No painel dizia: “Sunday: It’s still time to get violent.” Traduzindo: “Domingo: ainda há tempo para ser violento.”

Enquanto pesquisava mais sobre este assunto, descobri que havia alguns grupos de ateístas dentro do Cinturão Bíblico. Eles coexistem neste universo religioso de uma maneira tão organizada quanto igrejas convencionais.

O vídeo do YouTube mencionado aqui é de um ateu, Neil Carter. Segundo ele, é possível saber quando moramos no Cinturão Bíblico se:

– No consultório dentário ou mecânico toca somente música cristã.
– Na clínica médica tem uma Bíblia.
– Em vez de despedir-se dizendo “até mais”, diz-se “Deus te abençoe”.
– Ir a um café e ver grupos reunidos para estudo bíblico.
– Deixar uma gorjeta em forma de uma nota falsa de 20 dólares com um plano de salvação no verso.

Esta matéria foi baseada no que vi e ouvi das pessoas locais e em fatos. A religiosidade tem muitas facetas e depende do ângulo que a olhamos. A espiritualidade é inerente do ser humano e ocupa um lugar mais íntimo com Deus. Acredito que a espiritualidade e religiosidade nem sempre andam de mãos dadas.

Nascidos crentes ou incrédulos, todos passamos, em algum momento, por uma organização religiosa. E questionar organizações e estruturas hierárquicas é parte de uma evolução saudável.

Related posts

Escola elementar em Fairfax, Virgínia

Isabella Lawen

A língua inglesa no nosso português

Debora L. Juneck

Morar na cidade ou no subúrbio em Houston

Thais Amaral Tellawi

4 comentários

Lorrane Dezembro 5, 2016 at 4:47 pm

Muito legal o texto, Ale!

Quando morei em St. Louis, Vi bem de pertinho como funciona essa cultura do Bible Belt e fiquei impressionada. Dificil entender como uma nação tão desenvolvida para certas coisas consegue ser tão conservadora em outras.

Beijos

Resposta
Mariana Carvalho Julho 11, 2017 at 4:15 pm

Alessandra, muito interessante e explicativo seu artigo. Estou morando em Memphis ha um mes e meio e ainda nao presenciei e nao havia notado isso. Vou comecar a reparar mais e prestar mais atencao. Sou catolica/espirita e nao tenho tanto contato com as igrejas aqui como eu tinha no Brasil, talvez por ter ido em poucas em Little Rock, AR, e Jackson, MS, e nao ter me sentido ‘em casa’ por nenhuma – e’ engracado isso, ne? Beijos e obrigada por compartilhar!!

Resposta
Alessandra Ferreira Julho 11, 2017 at 6:40 pm

Oi Mariana, que bom que você gostou do texto. Eu gostei de morar em Memphis, é uma cidade bonita. As vezes, sinto saudades, mas tem uma cultura única. Mas, pode ser um choque cultural também. Eu também sou católica/espirita e não me sentia bem nas igrejas. Uma amiga minha começou a frequentar uma igreja sem denominação (não lembro o nome) que fica na Cooper Ave ao lado do restaurante Beauty Shop. Esta é a area mais “liberal” de Memphis e o pessoal é mais progressivo. Somente uma referencia para você. Tudo de bom para você! Beijo.

Resposta
andrea Janeiro 15, 2019 at 6:08 pm

Oi Alessandra. Preciso saber a respeito da música A Biblle the a belt

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação