BrasileirasPeloMundo.com
Dicas de planejamento para imigrar Nova Zelândia

Como me sinto em ter deixado o Brasil

Muitos têm a vontade de sair do Brasil, de tentar uma vida nova, mas o medo do desconhecido e o pensamento pessimista fazem pessoas desistirem dos seus sonhos. Todos podem, muitos querem, mas poucos realizam. Por que?

Sempre me perguntam se eu não sinto saudade do Brasil e das pessoas que deixei. Pensar nesse assunto não vai ajudar a tomar uma decisão tão séria e, muitas vezes, sem volta. É preciso encarar esse lado “negativo” de uma mudança de vida de forma natural. Faz parte do processo deixar para trás coisas e pessoas. Não existe decisão fácil e, muito menos, que não tenha ônus.

Quem deixou o Brasil em busca de uma vida melhor, não é melhor do que quem não teve essa coragem. Apenas acreditou que seria capaz e colocou em prática um sonho que, para muitos, é uma loucura.

A vida é feita de escolhas, abdicação, dúvidas. A decisão de ir embora ou de ficar não é fácil. Ambas irão te fazer perder o sono. Decidir ficar no Brasil também não é errado, faz parte do planejamento e cada um sabe seu limite e até onde está disposto a arriscar para ter uma vida nova.

É preciso refletir o que se ganha e o que se perde ao deixar o Brasil. Saber o que se quer, aonde quer chegar e focar em um planejamento financeiro, emocional, acadêmico, profissional. Esse é o caminho para ter segurança e paz.

Leia também: tudo que você precisa saber para morar Nova Zelândia

Uma decisão dessas não se toma de forma impulsiva. São meses pensando e refletindo até decidir e, depois, meses planejando e arrumando a viagem.

Sempre sonhei com uma estabilidade para mim e minha família e eu tinha. Ser concursada no Brasil é um alívio diante de tanto desemprego, mas eu queria mais, muito mais. A garantia de um salário no final do mês e um plano de saúde é muito pouco e está longe de ser garantia de qualidade de vida.

O que adianta um salário se não temos como gastar? Para que ter um carro se não podemos sair de casa? Afinal, no Brasil estamos cada dia mais presos. Comecei a pensar só nas coisas ruins, afinal, precisava decidir sair do país e as coisas boas só iam me fazer perder a coragem de largar tudo. Por isso, pense na corrupção, insegurança, falta de saúde, escolas caras, desrespeito ao consumidor, cidades sujas, inflação…

Quando saia com meu filho, morria de medo de sequestro; se saia à noite, tinha pavor em pegar um sinal fechado; se uma moto ficava ao lado do carro, tinha vontade de acelerar. Andar de vidro aberto? JAMAIS. Usar uma corrente de ouro? JAMAIS! Andar na rua passeando? JAMAIS!

Vivia um pânico constante, apavorada, em alerta de que algo de ruim poderia acontecer a qualquer momento com meu filho, ou então comigo e eu não veria meu filho crescer e ele não teria o amor da mamãe.

Outro fator que pesou muito foi o econômico. Nos matamos de trabalhar, horas extras abusivas, assédio e, mesmo assim, não conseguimos realizar nossos sonhos de consumo. Na Nova Zelândia, um casal que cada um ganhe o mínimo, consegue morar em uma casa legal, ter um carro legal e o poder de consumo maior do que muito médico no Brasil.

Quando refletia sobre esses problemas, qualquer estabilidade empregatícia e financeira se tornavam insignificantes. Merecemos muito mais do que um salário na conta, no final do mês. Merecemos liberdade, dignidade e, realmente hoje, na minha opinião, o Brasil não oferece isso.

Vim em busca de uma vida melhor, mesmo que seja com um emprego mais simples, numa casa menor, começando do zero. Mas poder ir e vir sem medo, meu filho crescer livre em parques, andar de vidro aberto, isso não tem preço!

Na vida corrida que estou levando, esqueço de refletir e agradecer por estar aqui. Tudo aconteceu muito rápido e hoje, atolada de trabalho, me pergunto se é isso que quero.

Claro que sim! Não vim em busca de vida mole, ficar rica, trabalhar pouco. Vim em busca de trabalhar duro, trabalhar que nem uma louca de manhã, tarde, noite, madrugada, finais de semana e, assim, pagar com alegria, cada centavo de imposto.

Vim em busca de um governo que me dê retorno no imposto que pago.

Tinha um sonho simples e humilde. Eu só queria segurança, todo resto seria lucro.

Aqui a vida está longe de ser fácil. Realmente, temos que lutar muito. Começar do zero é muito mais complexo do que planejamos.

Quando penso que, quando cheguei, não tinha um garfo, uma casa, um emprego. Saí do Brasil, apesar de muito planejamento, sem saber em quanto tempo algo iria acontecer.

Acredito que o que faz a diferença é acreditar que vai acontecer. Que nós podemos fazer acontecer e, se deu certo comigo, pode dar certo com você. Você escreve sua história.

Sei que nem todos têm essa coragem, às vezes até eu acho que é uma decisão louca. Mas, quem é certo nesse mundo?

Louco é estar aqui ou estar no Brasil, um país sem perspectiva e violento?

Louco é estar aqui ou ficar no Brasil, por medo de mudar?

Fácil não é e nem vai ser. Compensador? Isso, SIM!

Em resumo, me sinto uma vitoriosa por estar aqui. Por ter montado minha casa de uma forma simples e humilde, com várias coisas de segunda mão. Por ter comprado um carro usado e velho; por andar de ônibus no frio, na chuva; por meu filho estudar em uma escola pública.

Me sinto orgulhosa de, aos 35 anos, ter falado SIM para o meu sonho e falaria SIM milhões de vezes.

Não vivo um conto-de-fadas, não vivo uma vida fácil, mas vivo uma vida digna e isso não tem preço.

Related posts

10 motivos para se fazer intercâmbio na Nova Zelândia

Rosana Melo

Custo de Vida na Nova Zelândia – Parte 1

Gabriela Nunes

Como retomei a minha carreira na Nova Zelândia

Gabriela Nunes

23 comentários

Daiana Reis. Outubro 19, 2017 at 12:48 pm

Parabéns pelo texto Renata.
Uns dos meus sonhos: ir embora do Brasil e dar uma qualidade de vida para meu Miguel (meu filho de dois anos).
Meu esposo estar fazendo faculdade na área que gosta (Analise e desenvolvimento de sistema) e enquanto isso estamos planejando em ir morar em Portugal (por enquanto é nossa única opção). Que Deus nos abençoe.
bjos….

Resposta
Mariana Outubro 20, 2017 at 9:00 am

Amei amiga! Vc esta certa sim e sinto orgulho da sua loucura e determinação em fazer o q fez pq esse era seu sonho e sonhos temos q realizar. Aqui realmente a situaçao não é fácil e sonhar com algo melhor é constante mas abrir mão de outras tantas coisas q sim prendem a gente não é fácil mesmo não. Vc teve todo apoio e companhia da sua família e isso p mim foi o q te mais te sustentou e encorajou na decisão de ir e na transição do processo de ficar tbm pq sem eles tenho certeza q vc n teria toda essa força p suportar tantas mudanças. Torço demais por vc pq sei q é a sua felicidade e realização e agradeço a Deus por sim estar TUDO dando mais certo do q o imaginado. Saber q aqui sempre terá p onde voltar e quem te abraçar tb é garantia de muita coisa pq vc tb sabe q sim nossos sentimentos e as pessoas q amamos e tudo q conhecemos sendo perigoso, injusto ou desestimulante ainda assim é nossa raiz e jamais devemos esquecer dela. Te amo, continue crescendo aproveitamento tudo isso q vc buscou e conseguiu realizar, trate e ficar rica sim p poder me levar c João p pelo menina passear nas férias e matar a saudade da minha amiga e irmã e vizinha e louca q tanta falta me faz aqui nesse submundo de merda mas q é bom p kraleo tbm!?????Saudades demais viu! Sucesso!!!

Resposta
Renata Abu Chacra Outubro 24, 2017 at 8:29 pm

Obrigada pelo carinho amiga! saudades. bjs

Resposta
gabriela scur almudi Outubro 20, 2017 at 7:36 pm

Essa edição do “brasileiras pelo mundo” parece que foi escrita para mim. Assim como o outro texto do desapego, esse seu texto acertou em cheio o meu coração. Parece que era eu que estava escrevendo… amei! Estou indo para Espanha e me vi em vc. Obrigada!

Resposta
Renata Abu Chacra Outubro 24, 2017 at 8:29 pm

Que bom que te ajudou. bjs e boa sorte

Resposta
Dev Outubro 20, 2017 at 10:20 pm

Concordo com tudo o que disse! A última frase foi a melhor de todas: “Não vivo um conto-de-fadas, não vivo uma vida fácil, mas vivo uma vida digna e isso não tem preço.

Resposta
Renata Abu Chacra Outubro 24, 2017 at 8:29 pm

Fico feliz que tenha gostado. bjs

Resposta
Suellen Outubro 22, 2017 at 9:13 pm

O que eu tenho a dizer com este texto?????
Muito obrigada!!!!!
Você conseguiu traduzir tudo o que eu estou sentindo hoje!
Eu tive essa coragem há 1 ano atrás e vim morar fora, agora me encontro em uma situação que tenho que decidir se volto pro Brasil….
Estou muito indecisa com relação ao que devo fazer…sinto falta do meu trabalho, das pessoas…mas o medo da violência que me fez largar tudo e vir tentar ter uma qualidade de vida melhor, chega a doer só de pensar!
Como vc disse ali em cima…nenhuma decisão é fácil….parece que eu estou com meio caminho andado e se eu voltar vou dar 10 passos pra trás….
Ótima reflexão a sua,
Uma boa noite!!!!!

Resposta
Luiz Antonio Fantussi Outubro 23, 2017 at 9:38 am

Aos 63 anos resolvi viver em outro pais ……para meus filhos loucura pura……encontrei o que muito fiz no Brasil, local onde se cumprem as leis e respeitam-se as pessoas e claro que no estou no paraíso, tem problemas por aqui, mas de longe muito menos que os do nosso querido amado chão tupiniquim……portanto não devo encorajar ninguém, cada qual deve tomar suas decisões,mas que é muito difícil tomá-las é, mas se não tivesse vindo, por certo ficaria sem saber o que sei hj.

Resposta
Claudia Outubro 25, 2017 at 4:02 pm

Fui embora do Brasil em 1989. Sofri a dor da saudade da família, dos amigos, do arroz e feijão, das frutas, do sol quente na minha pele, e da música brasileira q até hoje me comove. Vivi em alguns países por conta do trabalho e hoje resido na Europa. Não tenho planos de voltar a viver no Brasil. A segurança q tenho na minha vida diária e a educação que pude dar aos meus filhos compensam toda a saudade q sofri por tantos anos. Hoje em dia nem penso mais em Brasil. A saudade se esvaiu, já não existe. Me sinto em casa em todos os países q vivi menos no Brasil. Amo a música brasileira. Apesar de não estar ligada diariamente com a música do Brasil, quando ouço, me toca o coração de uma maneira doce. Sou feliz!

Resposta
Renata Abu Chacra Outubro 31, 2017 at 4:47 am

Muito legal sua historia. Parabens pela coragem!!! bjs

Resposta
Leticia Outubro 27, 2017 at 2:06 pm

Muito bom!! Vim do RJ para morar nos EUA há dois meses e você resumiu tudo que estou vivendo! Continue escrevendo, seus textos são muito bons!

Resposta
Renata Abu Chacra Outubro 31, 2017 at 4:49 am

Obrigada pelo retorno! Boa sorte nessa nova caminhada. abçs

Resposta
Lilian Outubro 29, 2017 at 2:20 pm

Excelente, muito bom,pode ter certeza que lendo isso só me fez ter mais certeza do que quero,sair do Brasil!!!

Resposta
Renata Abu Chacra Outubro 31, 2017 at 4:49 am

Que bom que gostou. Obrigada. Abçs

Resposta
marcos Outubro 30, 2017 at 3:09 am

Muito bom ler seu relato, estou numa situação parecida com a sua, sou servidor público, não ganho as mil maravilhas, mas também não me fala materialmente algumas coisas aqui no Brasil, mas aspectos como segurança, filhos futuros, educação, liberdade, qualidade de vida e poder de compra tem me feito refletir bastante para mudar para um país decente. Estou nesse planejamento e espero realmente conseguir tudo que desejo. Um forte abraço.

Resposta
Renata Abu Chacra Outubro 31, 2017 at 4:48 am

Espero que dê tudo certo. Se pensar em vir para a NZ me avisa. Açs

Resposta
Alexandre Wanguestel Novembro 3, 2017 at 11:42 pm

Obrigado pelo relato.
Tenho pesquisado muito sobre morar em Portugal e não consigo encontrar na internet motivos para ficar no Brasil. Pelo visto vou começar a me empenhar para que no próximo ano esteja respirando novos ares…

Resposta
Fabio silvano de Lacerda Novembro 18, 2017 at 10:15 am

Bom dia Renata!
Seu texto contem palavras que nos faz refletir sobre nosso cotidiano, ao terminar de ler seu texto me peguei em lagrimas, não que eu seja dramático ou emotivo.
Em 2010 Deixei o Brasil ruma a Paris, queria viver uma vida que no Brasil eu jamais teria, pois bem tudo que você vivenciou, eu também passei por isso.
Decide deixar a nação que tanto amo por conta da violência, preconceito entre outros fatores, deixei o pais em lagrimas, pois estava deixando o bem mais precioso que Deus me presenteou, minha amada velha mãezinha.
Nos primeiros meses vieram às dificuldades, mas não desisti, fiz bastante amizade com pessoa que queriam me ajudar, também fiz amizade com aqueles que queriam meu fim naquele país, mas quando a pessoa e justa de coração Deus não permitam que ninguém toque em um fio de cabelo da pessoa.
Pois bem, consegue me estabilizar dentro de um ano dentro de um país que não sabia nada dele, só sabia que na cidade que eu morava havia uma torre que é famosa no mundo todo. (risos)
Mas um belo dia, eu estava saindo do trabalho meu celular tocou, um chamada do Brasil…
Meu coração saiu pela boca, atendi, Era meu irmão dizendo que a senhora minha mãe estava indo para o Hospital da capital de Goiás com inicio de infarto, entrei em desespero não sabia o que fazer, estava de pé e mãos Atadas.
Resolvi pedir conta do restaurante que eu trabalhava no mesmo dia e fui ate a companhia TAM e comprei um bilhete de retorno ao Brasil, mesmo contra a vontade dos meus amigos retornei, ao chegar a Goiânia me deparei com minha mãe ótima, meu irmão que transmitiu de uma forma totalmente preocupante a noticia da saúde de nossa mãe.
Fiquei feliz de ver minha mãe linda bem de saúde, mas o arrependimento de ter voltado doí em mim ate hoje.
Hoje planejo deixar o Brasil novamente no meio do ano 2018, Quem conhece uns pais onde as leis funcionam não da conta de VOLTAR para o Brasil.
Resolvi mandar esse comentário para conscientizar as pessoas que tudo pode acontecer quando você não esta em seu país, tem que ser forte para se desligar da sua vida que deixou pra trás, se fosse hoje eu saberei me comportar de uma forma diferente.
Que Deus lhe abençoe Renata onde estiver nesse mundo que e pequeno, e que Deus abençoe o Brasil, que um dia a nossa Nação possa dar aos seus filhos amados um lar que todos nos merecermos com paz, tranquilidade, segurança, saúde e lazer!
Fabio Silvano de Lacerda
Goiânia 18 de novembro de 2017

Resposta
Diego Novembro 20, 2017 at 11:07 pm

Eu estou me divorciando e a muito tempo quero ir embora do Brasil, essa é é oportunidade nada me prende aqui, mas não sei se é melhor portugal ou outro lugar,falo Portugal pela facilidade da língua, sou formado em pedagogia mas sempre atuei como vendedor de medicamentos. Será que e difícil conseguir emprego e começar do zero, pois vou ter como me sustentar por u ns 6 meses e se é difícil conseguir moradia ,se alguém souber me ajudar.

Resposta
Daniela Dezembro 4, 2017 at 9:13 pm

Morar fora não é nada parecido a um conyo de fadas. Realmente são muitas as dificuldades e alegrias encontradas em terras estrangeiras. Mas acho que existe sim um preço para viver sem o medo e insegurança brasileira : viver longe de pessoas amadas, da nossa cultura, da nossa língua, da nossa história. Sei exatamente porquê vivo na França, mas sei também o preço que pago por esta escolha.

Resposta
Glícia de Alvarenga Assis Agosto 29, 2018 at 2:02 pm

Compreendo bem os sentimentos de vitória, consciência de si e de suas realizações. Tudo isso é maravilhoso, inspirador. Mas são coisas que dizem respeito a várias situações na vida de uma pessoa adulta, em busca de uma vida equilibrada. Coisas que podemos realizar também sem ter que sair do país e viver um auto exílio, o que pode ser muito doloroso para quem valoriza aspectos de identidade, sensação de pertencimento e valores coletivos de consciência cidadã em relação ao seu país.

Resposta
Paulo Julho 9, 2019 at 1:07 am

Veja bem, eu sai do Brasil e morei nos EUA por 18 anos onde tive meus filhos. Voltei para o Brasil e precisei ficar 12 anos esperando meu green card. Meus filhos nascidos aqui viveram suas infâncias no Brasil. Retornei há 4 anos e tudo que tenho experimentado aqui e discriminação e ódio por parte dos americanos. Eu pelo contrário sinto falta dos meus amigos, meus familiares, meus vizinhos, seu João da feira. Por favor, violência existe em todo lugar. Violência não é só tiro e morte, violência e ser desrespeitado e visto como ninguém. E olha que temos ótimos empregos aqui. Portanto, sabendo viver, e com uma vida simples, não existe outro lugar melhor no mundo que sua terra. Estamos voltando para minha Vitoria|ES em breve!. Abraço . Paulo – BOSTON

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação