Como são as feiras de casamento na China

Ainda existem?

0
208
Acervo pessoal
Advertisement

Como são as feiras de casamento na China.

Muito já se falou sobre as feiras de casamento na China, e o que imaginamos é que essa era uma prática curiosa porém antiga. Mas a verdade é que em pleno 2018 elas ainda funcionam a todo vapor por aqui! 

Mas afinal, o que e como são essas feiras?

Eu já escrevi no post “Tradição x inovação na China: os dilemas da nova geração” como é a paquera na China, e além da maioria dos chineses serem bastante tímidos, eles ainda são pressionados pelas famílias e pela sociedade para se casarem jovens. No caso das meninas, aos 27 anos já começa o estado de alerta, ou seja, aos 27 a mulher está chegando no limite de idade aceitável para um casamento normal. Já para os homens, aos 30 anos.

Quando essa idade vai passando e a garota ainda não tem um namorado que possa virar marido logo, começa o desespero: os pais e avós começam a mexer seus pauzinhos para encontrar um pretendente à altura, que possa lhe dar estabilidade financeira e uma família.

No caso dos pais de mulheres, a família do noivo geralmente oferece uma casa ou uma quantia em dinheiro, para ajudar no futuro dos pais, pois depois do casamento a mulher passará a ser oficialmente parte de uma outra família, com outro sobrenome, e os pais já não podem contar com toda a sua assistência durante a velhice.

Leia também: Novas regras para visto de trabalho na China

No caso dos pais dos noivos, eles têm que garantir ainda um bom status social para a garota, com casa e carro, discutidos abertamente em praça pública como um contrato de compra e venda de um imóvel.

É muito importante que os filhos sejam bem casados, e amor é um tópico que nunca importa muito nesse contrato. Ao menos não para os pais. Alguns dizem que o amor vem depois, outros dizem que o amor não importa.

Existe uma feira de casamento bem tradicional em Shanghai, em People’s Square, onde centenas de pais vão aos domingos e colocam papéis com a descrição de seus filhos e requisições em troca de um casamento. Atributos como “branca/o, saudável, sem vícios” são facilmente encontrados, juntamente com o ano de nascimento, peso, altura e a província de nascimento. Podemos encontrar também informações sobre qual faculdade cursou, se fala outras línguas, e todos as características que os pais julgam importantes para gerar interesse na “freguesia”.

A província de nascimento é algo bastante importante, pois se a família tem interesse em se mudar ou abrir empresa em outra província, será muito mais fácil perante ao governo se o/a filho/a for casado/a com uma pessoa daquela região. Se você é de uma região x não pode simplesmente se mudar para outra região y, existem taxas, documentos, preços diferentes inclusive para a escola dos filhos se você não é nativo daquela cidade.

Existe ainda uma parte internacional na feira, com descrições em chinês e inglês para as pessoas que procuram pretendentes de outras nacionalidades! Sim, chegamos a ver o papel de uma moça de 29 anos que mora no Canadá e trabalha em um dos top 5 bancos do mundo, procurando marido em Shanghai. Fiquei me perguntando se essa moça realmente sabia e concordava que os pais estavam ali negociando e tentando de tudo para trazê-la de volta à China… Nunca saberemos!

Isso pode parecer um absurdo para nós ocidentais, mas devemos lembrar que para eles, apesar de ser uma tradição que já vem perdendo força, ainda acontece em pleno 2018, e que na China o peso das decisões familiares é muito maior do que para nós. Não se casar até os 30 é uma vergonha para a família, não ter filhos é um desgosto para os pais que anseiam por serem avós, e aqui cada casal tem entre um a dois filhos apenas, por conta da lei que aprovava somente um filho por casal no passado, e hoje aprova no máximo dois. Ir para fora do país sem intenção de voltar nem se fala… é quase como abdicar da família.

Leia mais sobre a minha história: Uma estilista na China: como eu vim parar aqui

Algumas mulheres filhas únicas e que vêm de famílias ricas, ainda sofrem muita rejeição pois os pais querem que o futuro marido aceite que ela mantenha o mesmo sobrenome, mas poucas famílias aceitam, mesmo oferecendo quantias altas para isso.

Os tópicos mais importantes para ter um casamento bem sucedido na China são:

  • idade para as mulheres até 27 anos e para homens até 30 (a mulher não pode ser mais velha que o homem e nem ser mais bem sucedida, é uma regra velada);
  • para a mulher é melhor ser baixa e magra, e o mais branca possível, e para os homens, o mais alto possível (acima de 1,73 metros é raridade e eles são disputadíssimos);
  • casa;
  • carro;
  • possibilidade de colocar o sobrenome.

Se esses requisitos forem cumpridos, tanto faz se eles vão se dar bem ou não. Para falar a verdade, recentemente ouvi um caso de uma aluna do meu marido, casada, que não soube explicar com o que o marido trabalha. Disse que não sabe porque nunca se interessou em perguntar, e riu. Com este exemplo, podemos imaginar que alguns casais não conversam muito, mas não saberia dizer se isso é comum ou um caso isolado.

Tudo isso só é possível porque os chineses não são encorajados a demonstrarem sentimento publicamente. Cansamos de ver casais que não se tocam, e dizem minhas companheiras de escritório que o sexo é algo bem raro por aqui. Bem diferente do cenário que estamos acostumados no Brasil! Eu saio com o meu marido de mãos dadas e já ouvi até que era nojento. Sendo assim, o que podemos desejar é que esses jovens encontrem um par que eles amem – e que se encaixem em todos esses critérios – antes dos seus pais começarem a precisar procurar! E torcer para que eles consigam se libertar e aprendam logo que o amor, o respeito e a gentileza deveriam ser os primeiros tópicos da lista!

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.