BrasileirasPeloMundo.com
Grécia

Como são os gregos no cotidiano

Você já parou para pensar no quanto, mesmo nos dias atuais, temos os gregos como referência? Seja na arquitetura, arte, esporte, ciência, filosofia, vocabulário, moda, enfim, há milhares de anos que os éllines (nome original) continuam “causando”. Expressivos desde a beleza natural até as reações, são do tipo que não passam despercebidos. Mas como são os gregos no cotidiano?

Família

Bastante família, do tipo de preservar nos porta-retratos da sala as fotos dos ascendentes, guardar por várias gerações objetos de valores simbólicos. Também consideram que é indispensável ficarem juntos, principalmente nas datas comemorativas da Páscoa e do Natal. Tudo isso, sem falar nas festas de casamentos, motivo célebre para os reencontros. E mesmo com a tendência das famílias modernas – principalmente  as que vivem nos centros urbanos – de terem uma quantidade reduzida de filhos, em média dois, quando se reúnem todos os parentes, ainda que com parentescos de graus distantes, a impressão é de que formam única e grande família, de tanta empatia e cordialidade.

Tradicionalismo

Uma forma notória do quanto são clássicos, é na hora da escolha dos nomes dos filhos. Geralmente a nomeação do primogênito é conforme o nome dos avôs paternos, se menino, igual ao do avô e, menina, o mesmo da avó. São raras as exceções que não utilizam esse costume. Sendo assim, é frequente a chance de encontrarmos nomes repetidos e para não confundir, utilizam bastante o sobrenome. Nomeações modernas e americanizadas não são comuns por aqui. Quando falo que me chamo Amanda, já percebem logo que sou estrangeira. Quanto ao sobrenome, costumeiramente utilizam apenas um e de preferência o paterno, determinado junto às certidões do casamento.

Patriotismo

O amor que eles demonstram pelo país é tão intenso que até quem não é grego, vivencia a emoção. Bandeiras penduradas nos carros, em frente das casas ou empresas, é algo que facilmente você encontrará quando estiver passando férias aqui. Para se ter uma noção, do quanto o nacionalismo é estimulado desde cedo, este é o primeiro ano estudantil da minha filha, e lá, eles já compartilham os fatos históricos de forma pedagógica, seja em hinos ou em encenações. Ela não pode ver o mapa do país e logo pergunta de forma orgulhosa: é a nossa Grécia?!

Atletas carregando a bandeira da Grécia, no Campeonato Europeu de Atletismo, em Heraklion
Atletas carregando a bandeira da Grécia, no Campeonato Europeu de Atletismo, em Heraklion

O hábito de frequentar cafeterias

Seja para relaxar, enquanto observa o movimento da rua ou apenas para encontrar os amigos e colocar os assuntos em dia, sempre haverá um grego em uma cafeteria (preferência dos mais jovens) ou Kafeneío (frequentado principalmente por homens mais velhos). Essa que é a programação básica deles, acontece em qualquer horário e dia. E durante o verão, a escolha é pelo café frappé. Essa bebida popular, principalmente entre os mais jovens, é uma junção de café instatâneo, açúcar, água, leite e cubos de gelo. Servido com um copo com água. Já o elliniko café (café grego), é predileto entre as pessoas mais idosas. Feito em um briki (pequeno pote feito de cobre ou bronze), não é coado, tem variação entre doce e puro, sem açúcar.

Fazer refeições fora de casa

Boêmios, apreciadores da gastronomia local e de um bom vinho, faz parte da cultura grega a prática de sair para almoçar ou jantar, ao menos uma vez durante a semana. E como eles fazem para manter esse costume em tempos de crise econômica? Alguns reduzem a quantidade de saídas, enquanto outros intercalam os estilos dos restaurantes, acrescentando opções com pratos mais simples. E pelo fato de o horário comercial iniciar após às 14h, costumeiramente, almoçam tarde. Nos finais de semana e feriado, esse horário pode exceder às 15h. Então, ao chegar a frequentar algum restaurante antes das 14h, é bem provável que não encontre muitos moradores e, sim, turistas.

Beleza e estética

Donos de um padrão de beleza referencial e que mexe com o imaginário de muitas pessoas – pois afinal, o conceito de beleza surgiu na Grécia -, é quando encontramos alguns gregos ou algumas gregas, que facilmente entendemos o significado da expressão deus (a) grego (a). Claro que não me refiro ao corpo escultural, e sim aos traços do rosto. Com olhos amendoados – predominantemente castanhos, lábios carnudos, pele clara, bochechas rosadas e cabelos castanhos (perfil da maioria), formam um conjunto harmonicamente expressivo, que faz jus ao estereótipo idealizado. Ressaltando que existem as exceções. (Risos). Homens com o visual de barba mal feita, enquanto as mulheres bem maquiadas, cabelos arrumados ou desarrumados (penteados no estilo delas), de todos os tamanhos e cores, e salto alto em plena manhã, por algumas vezes, tenho a impressão de que estão prontas para qualquer festa ou Happy Hour. Sim, são bastante vaidosas, e uma prova disso é  a quantidade de salões beleza, com clientela de todas as idades.

Então, uma das melhores formas para você conhecer essa diversidade grega, será passando férias aqui ou, quem sabe, morando e dividindo o cotidiano com eles. Não tenha dúvida, de que, em algum momento, identificará várias semelhanças em relação ao nosso jeito brasileiro, uma delas é a animação, nisso, eles são especialistas.

Related posts

5 hábitos gregos curiosos

Marina Lemgruber

Moradia em Atenas

Clarissa Gaiarsa

Dicas de turismo na Grécia

Carla Werder

9 comentários

Brenda Reis Julho 4, 2016 at 12:30 pm

Ótimo texto amanda! Grécia está na minha lista de desejos <3

Resposta
Dora Sarmento Julho 4, 2016 at 4:35 pm

Gosto muito da maneira que você escreve.Percebo grande interesse e estima pelas coisas da Grécia.Quem sabe um dia a gente se encontra por ai.Ate…..

Resposta
Meyre Julho 4, 2016 at 6:42 pm

Texto belíssimo e bem escrito. Me senti na Grécia. Parabéns Amanda!

Resposta
Leonardo Cavalcante Julho 6, 2016 at 12:39 pm

Oi, Amanda. Muito interessante seu texto! Uma curiosidade: como os gregos lidam hoje com o fato de terem desenvolvido uma filosofia tão rica? Isto é importante ou já se tornou coisa do passado? Abração!

Resposta
Christos Setembro 25, 2016 at 5:21 pm

Vou te responder pois conheco bem a Grecia. Esse e’ um dos grandes problemas da crise na Grecia. Todo grego e’ um pouco filosofo e tem muito mais filosofo do que engenheiro e empresario. Moral da historia, a filosofia e’ capaz de encher a mente , porem nao enche o bolso.

Resposta
Curiosidades sobre o cotidiano dos gregos | A Grécia do seu jeito Março 4, 2017 at 3:41 pm

[…] Texto original publicado no blog Brasileiras Pelo Mundo […]

Resposta
Luciana Alves de Sousa Março 24, 2017 at 12:36 pm

Amanda, tambem sou cearense e sou contabilista, surgiu em mim desejo enorme e repentino pela Grécia, pfv entre em contato comigo pra podermos trocar algumas idéias.

Resposta
Adriane Novembro 24, 2017 at 11:55 pm

Boa Noite Amanda ,sou mineira e estou muito curiosa pela cultura pela forma de viver dos gregos e se eles são sinceros com Brasileiras.

Resposta
Liliane Oliveira Novembro 25, 2017 at 3:40 pm

Olá Adriane,
A Amanda Fontenele parou de colaborar conosco e, infelizmente, não temos outra colunista morando no país.
Obrigada,
Edição BPM

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação