BrasileirasPeloMundo.com
EUA Texas

Costumes americanos estranhos para os brasileiros

Costumes americanos estranhos para os brasileiros.

Quantas vezes você se pegou num lugar turístico ou no aeroporto reparando o jeito ou a roupa de um desconhecido? Pois é, isto acontece muito quando somos recém chegados a outro países. É uma ação involuntária. Eu reconheço que isto soa clichê mas quando ainda não conhecemos muito bem os costumes locais ou mal sabemos o idioma, tudo é destaque aos nossos olhos mas nem tudo entendemos.

Nunca vou me esquecer do dia que compareci a um escritório de uma empresa de commodities de algodão para ensinar português e a minha aluna veio me receber na sala de visitas. Eu não esperava que ela, uma americana tão profissional, tivesse um momento brasileiro ao tentar me recepcionar com um beijinho no rosto mas eu me inclinei para abraça-la. Na confusão ela terminou dando um beijo na minha orelha.

Costumes, tradições, culturas carregam características únicas que estão associadas a história e economia de uma nação. Isto se reflete no comportamento e até na forma de pensar dos cidadãos e isto não vem com um rótulo ou legenda porque ocorre de maneira inconsciente e mecanizada.

Leia também: vistos para morar nos EUA

O que vou listar abaixo pode ajudar alguém que pretende passear ou morar aqui nos Estados Unidos.

Antes, quero ressaltar que, quando ensinamos o idioma português para estrangeiros, ensinamos também os nossos costumes e a cultura brasileira embutida como parte do todo. Isto deixa o aprendizado mais interessante e divertido pois não há nada mais autêntico que ser brasileiro. Há americanos que precisam aprender português por motivos profissionais e outros por razões pessoais. Dentro deste contexto, uma de minhas alunas americanas um dia me contou que seu namorado brasileiro achou estranho vê-la comendo um pedaço de pizza sem garfo, faca nem guardanapo. Pois é, isto porque o americano não come pizza com garfo e faca, tampouco usa guardanapo para segurar seu pedaço.

Costumes americanos estranhos para os brasileiros

  1. Abrir a geladeira do anfitrião: sim, isto é comum. Se você convidar um americano ou for convidado por ele, saiba que não tem problema abrir a geladeira do anfitrião. Pode fazer isso sem vergonha nenhuma.
  2. Ouvir alguém dizer para um desconhecido thank you for your services (obrigado/a por seus serviços): se você está num local público e ouve alguém agradecendo outra pessoa, isto significa que esta pessoa é um veterano de guerra, ou seja, um soldado militar. É demonstração de admiração e solidariedade.
  3. Levar a quentinha: isto é muito comum aqui. Normalmente, os restaurantes exageram na quantidade de comida servida. É comum as pessoas não comerem. Por isso, todos os restaurantes, até os mais finos, têm pratos e são equipados com marmitas descartáveis e sacolas para que os clientes possam levar a sobra para casa. Só não vale para o serviço tipo buffet. Para quem gosta de comida sempre fresca e feita na hora, eu sugiro compartilhar um prato com o acompanhante ou pedir um appetizer (entrada).
  4. Lavar a roupa do visitante: caso você fique alguns dias na casa de um americano, é comum o anfitrião oferecer sua lavanderia (máquinas de lavar e secar) para lavar suas roupas. Isto é uma cortesia do anfitrião e não custa nada.
  5. Chamar uma pessoa pelo sobrenome: isto não funciona para todas as ocasiões. Mas, num primeiro encontro com seu futuro chefe, sogra, desconhecido, adicione o sobrenome da pessoa. Por exemplo: Joe Doe, Mr. Doe.
  6. Cheio ou satisfeito: quando alguém está satisfeito com a refeição, a pessoa deve dizer I am full (estou cheio/a).
  7. E o guardanapo, na mesa ou no colo? Por aqui, seja guardanapo de papel ou pano sempre são colocados no colo, deixá-lo a mesa cai mal.
  8. Segurar o sanduíche sem guardanapo: sim, segurar o sanduíche ou a pizza sem um guardanapo não é um problema de higiene, é praticidade.
  9. Pontualidade: a clássica pontualidade não é só britânica. Não chegar no horário, é visto como falta de consideração para com a pessoa que espera. Se não puder chegar no horário, é preciso entrar em contato com a outra parte antes do horário marcado e avisar sobre o seu atraso.
  10. Sinal de STOP no trânsito: isto significa que o motorista deve fazer uma parada completa mesmo que não haja outro carro ou pedestre circulando. Conheço motoristas que foram multadas por não parar.
  11. Vestir-se: a informalidade ou casual faz parte do cotidiano americano até mesmo quando se trata de ir ao teatro. Fui a várias peças e musicais em diferentes cidades e se vê de tubinho preto, terno e gravata a jeans e chapéu de cowboy. Para esses que decidiram assistir um musical em seu blue jeans e camiseta, é impossível se sentir inadequado porque o americano não repara nisso. É uma escolha pessoal. Nada como ter a sua individualidade respeitada.

Quando moramos em outro país, os costumes e as tradições do outro saltam aos nossos olhos. Depois de muitas gafes e pequenos vexames, as comparações caem em desuso. Não há certo ou errado, há costumes. Pouco a pouco, aprendemos a entender e respeitar a cultura local sem julgamentos.

Related posts

Quanto custa fazer supermercado nos EUA

Liliane Oliveira

As belezas do Colorado

Danielle Mello

3 dicas para ajudar a adaptação no exterior

Siglia Diniz

9 comentários

Regina Oki Junho 25, 2017 at 10:58 pm

Muito instrutivo seu texto. É bem interessante, mesmo, constatar essas diferenças. Meu filho está cursando universidade nos Estados Unidos e estava de férias aqui em casa. Estávamos todos comendo pizza (Brazilian style ??), quando ele comentou: “meus amigos tiram sarro porque sou o único que come pizza com garfo e faca”… Na hora, eu achei um barato essa observação. Por mais que a gente veja nos filmes e nas ruas, não para para pensar que é um hábito cultural. Acho isso muito lindo: não existir “certo” ou “errado”, e sim, convenções. Agora, chegar atrasado é falta de consideração e é um hábito que, infelizmente, a grande maioria dos brasileiros precisa superar! Adorei a coletânea de hábitos! Vou Compartilhar. Grande abraço!

Resposta
Alessandra Ferreira Junho 25, 2017 at 11:19 pm

Oi Regina! Que bom que você gostou do texto. É só vivendo e aprendendo, o que seu filho tem passado é parte desta experiência de viver com a “cultura do outro”.
Obrigada pelo seu comentário.
Um grande abraço para você também.

Resposta
Karla Junho 26, 2017 at 8:16 am

Bacana! Muito legal saber destes costumes. Tenho muita curiosidade como é trabalhar na sua profissão ai nos EUA e em outros países. Se puder fazer posts sobre seria muito bom. Abração!

Resposta
Alessandra Ferreira Junho 26, 2017 at 12:14 pm

Oi Karla! Obrigada pela dica. Eu trabalhei em outras seguimentos e escrevi um texto aqui sobre a cultura americana no escritório de trabalho. O texto se chama Trabalhando no escritório nos EUA. Abração!

Resposta
Claudia Julho 5, 2017 at 6:53 am

Conhecer um pouco de outras culturas nos faz mais ricos.
Adorei o pist e com certeza lerei os próximos.
Obrigado por compartilhar suas experiências.
Abraços ?

Resposta
Alessandra Ferreira Julho 5, 2017 at 3:26 pm

Oi Claudia,
Que bom que você gostou!
Obrigada pelo comentario.
Abraços

Resposta
Vicente Junho 4, 2018 at 11:51 am

Os restaurantes não exageram na quantidade de comida servida.
Eu como entrada e prato principal e não fico cheio.
Eu vi num canal do YouTube que eu assisto( oi foram em dois) isso também, mas eu discordo.

Resposta
Vicente Junho 5, 2018 at 11:52 am

Eles não exageram na quantidade de comida.
Eu estou morando em Nova Iorque.
Eu como enredada e prato principal sozinho e eu não fico cheio.
Eu nunca guardo comida.

Resposta
Alessandra Ferreira Junho 5, 2018 at 4:45 pm

Olá Vicente e obrigada pelo seu comentário. Tradicionalmente os restaurantes americanos servem porções mais fartas comparados a outras culturas. Quanto a saciedade, isto é algo muito relativo. Tem pessoas que se satisfazem com uma porção pequena enquanto outros precisam de mais comida. Abraços, Alessandra.

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação