BrasileirasPeloMundo.com
Ásia COVID-19 Índia

Covid-19 na Índia em 2020

Covid-19, Índia

Covid-19 na Índia em 2020.

Aqui será feito um breve relato sobre como foi a evolução da Covid-19 na Índia e quais medidas o governo indiano impôs no começo da pandemia e como está a situação até agora.

A pandemia da Covid-19 na Índia faz parte da pandemia mundial de doença coronavírus. O primeiro caso da Covid-19 na Índia foi relatado a 30 de janeiro de 2020 em Kerala. Em 3 de fevereiro, o número subiu para 3. Todos eram estudantes que retornavam de Wuhan.

Além destes, não foi observado qualquer aumento nas transmissões em fevereiro. Em 4 de março, foram relatados 22 novos casos, incluindo 14 membros infectados de um grupo turístico italiano.

Leia também: Tipos de visto na Índia

A 22 de março, a Índia fez um toque de recolher obrigatório de 14 horas, por exigência do primeiro-ministro Narendra Modi. Seguiram-se os bloqueios obrigatórios nas zonas vermelhas da Covid-19 e em todas as grandes cidades.

Além disso, a 24 de março, o primeiro-ministro ordenou um bloqueio nacional durante 21 dias, afetando toda a população de 1,3 bilhão de pessoas da Índia.

A 14 de abril, a Índia prolongou o encerramento a nível nacional até 3 de maio, seguido de prolongamentos de duas semanas a partir de 3 e 17 de maio, com relaxações substanciais.

Em meados de maio de 2020, seis cidades apresentavam cerca de metade de todos os casos notificados no país – Mumbai, Delhi, Ahmedabad, Chennai, Pune e Calcutá.

Leia também: Sistema de transporte na Índia

A partir de 1 de junho, o governo começou a “desbloquear” o país, exceto nas zonas vermelhas, em cinco fases (até agora) de desbloqueio.

Em 10 de setembro de 2020, Lakshadweep era a única região que não tinha notificado nenhum caso.

Em 17 de setembro, a Índia tinha o recorde de um dia para o maior aumento de casos estabelecidos, com 97.894 casos adicionais.

Atualmente, a Índia tem o maior número de casos confirmados na Ásia; e o segundo maior número de casos confirmados no mundo, depois dos Estados Unidos.

Uma retrospectiva da primeira fase

Em março, após a imposição do encerramento, as Nações Unidas (ONU) e a Organização Mundial de Saúde (OMS) elogiaram a resposta da Índia à pandemia como “abrangente e forte”.

Os órgãos internacionais  qualificaram as restrições como “agressivas, mas vitais” para conter a propagação e construir as infraestruturas de saúde necessárias.

O bloqueio foi justificado pelo governo e outras agências por ser preventivo para evitar que a Índia entrasse numa fase mais elevada, o que poderia tornar o tratamento muito difícil e causar ainda mais perdas posteriormente.

Ainda em março, as transmissões cresceram após várias pessoas com históricos de viagens aos países infectados, e os seus contatos, terem sido positivos.

A 12 de março, um homem de 76 anos, com um histórico de viagens à Arábia Saudita, tornou-se a primeira vítima mortal da Covid-19 na Índia.

Índia, segundo país do mundo com mais casos de Covid-19

A Índia é o segundo país do mundo com mais de casos da Covid-19. Já ultrapassou mais de 10 milhões de infectados, pois o número de pessoas que são infectadas por dia na Índia é alto. Por isso a emergência do governo indiano em aprovar a vacina para a população o quanto antes.

Mas, mesmo aprovando essa vacina, isso não ajudará a população deixar de sofrer com a crise econômica gerada com a pandemia no país.

Por mais que tenham preucações, e mesmo que os festivais realizados na Índia, entre os meses de agosto  e dezembro, tenham sido esvaziados devido a crise causada pelo Covid-19, o número de infectados ainda é grande.

Nas cidades como Mumbai, Nova Delhi e Pune, falam-se da terceira onda de coronavírus na Índia.

Imunização e volta à normalidade

Os estados indianos estão planejando fazer uma imunização em massa, mas o governo indiano ainda não decidiu com que vacina começará a imunizar a população, mesmo sabendo que o país é o segundo no ranking de infectados pelo mundo. O governo ainda está receoso e espera por suas vacinas nacionais para começar a vacinar a população.

Porém, mesmo que ainda não haja uma previsão para o começo da vacinação e a volta à normalidade, a economia indiana está voltando aos poucos. Os trens pelo país estão funcionando, sendo que todos retornarão em janeiro de 2021.

Muitas pessoas que trabalham em casa já estão com uma previsão de retornar aos escritórios. Há pessoas viajando dentro país, portanto, um sinal de que pode tudo retornar como antes em breve.

Só as fronteiras internacionais continuam fechadas por enquanto. Só entram no país aqueles que são cidadãos ou familiares de indianos podem sair e retornar ao país.

Contudo, a previsão de reabertura das fronteiras ainda não está decidido.

Related posts

As mulheres indianas são felizes?

Rachel Tardin

Cheguei na Índia

Simone Dias Moreno

Covid-19 na Polônia

Raisa Rechter

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação