BrasileirasPeloMundo.com
Ásia Curiosidades Pelo Mundo Japão

O legado das Olimpíadas de Tóquio

O legado das Olimpíadas de Tóquio.

As Olimpíadas realizadas no Japão, em 1964, mostraram ao mundo a recuperação de um país pós-guerra, o uso de novas tecnologias como o trem-bala, estádios de vanguarda e a transmissão ao vivo dos jogos para todo o planeta, pela primeira vez na história.

57 anos depois, o Japão retorna com as Olimpíadas de Tóquio 2020. Idealizado pelo governo como ‘‘Jogos da Recuperação e Reconstrução”, uma vez que seriam realizados quase uma década após o tsunami e o desastre nuclear de Fukushima, essa seria a oportunidade perfeita de mostrar ao mundo uma nova imagem do país.

As Olimpíadas 2020 tinha como principal objetivo mostrar uma nova face do Japão para o mundo e integrar a comunidade japonesa em um ambicioso e complexo plano de ação que envolvia cinco importantes pilares: Promoção do esporte e saúde; Planejamento urbano e sustentabilidade; Educação e cultura;  Economia e tecnologia; Reconstrução, benefícios para a nação e comunicação global.

Com o lema ”o esporte tem o poder de mudar o mundo e o futuro”, o comitê de organização dos jogos olímpicos se empenhou em promover inúmeros projetos e promover uma série de iniciativas baseadas nos objetivos de desenvolvimento sustentável promovidos pela Nações Unidas (ONU).

Apesar de todo o planejamento e afinco na produção de um evento perfeito, infelizmente as Olimpíadas de Tóquio não foram realizadas em 2020 como idealizadas, e sim, somente um ano depois, em 2021, durante o estado de emergência. 

Manter os quase 100.000 atletas, oficiais, imprensa, equipe de apoio e a população segura durante os jogos foi um grande desafio, mas não foi o único. Grande parte do projeto teve que ser refeito às pressas e foi preciso muito esforço, planejamento e um novo plano de contingência para se adequar ao novo normal e realizar com precisão os 339 eventos programados para as 33 modalidades de esportes.

Tóquio 2020 foi classificada como a Olimpíada mais cara e inusitada da história, pois elas foram realizadas, apesar da ausência de espectadores nas arquibancadas, diante do olhar de desaprovação de muitas pessoas e ainda custaram aos bolsos japoneses o valor estimado de 15,4 bilhões de dólares, o triplo do valor inicial estimado.

Leia também: 10 curiosidades sobre as Olimpíadas de Tóquio

40 milhões de turistas não tiveram a oportunidade de vislumbrar esse momento histórico, tão esperado, mas nem por isso os jogos olímpicos deixaram de brilhar. Conheça, abaixo, alguns dos legados desta edição:

Inovação

  • 5 novos esportes foram incluídos: beisebol, softbol, caratê, skate e surfe.
  • Alimentos na vila olímpica foram fornecidos pelos agricultores das áreas devastadas pelo tsunami.
  • Dos 11.500 atletas inscritos, as mulheres marcaram presença: 49% nas Olimpíadas e 40% nas Paraolimpíadas.

Acessibilidade

  • Todas as sedes foram remodeladas para promover a acessibilidade para as pessoas com deficiência, idosos e estrangeiros.
  • Criação dos pictogramas digitais – os pictogramas dos esportes olímpicos foram lançados nos jogos de 1964 pelo Japão para facilitar a comunicação global e foram remodelados nesta edição.

Tecnologia

  • Mais de dez tipos de robôs foram disponibilizados para auxiliar na recepção, segurança, vigilância, limpeza, monitoramento, suporte, entrega e transporte.
  • Controle de acesso biométrico permitiu o reconhecimento facial, monitoramento da temperatura, controle do uso de máscara e rastreamento.
  • Tecnologia esportiva possibilitou o uso de GPS nos atletas, radar para avaliar arremessos e uniformes impressos em 3D para facilitar o movimento.
  • Inteligência artificial (IA) combinada com câmeras de vídeo, técnicas avançadas de modelagem permitiu a captura 3D dos movimentos dos atletas nas provas.

Leia também: 7 motivos para apreciar o outono no Japão 

Sustentabilidade

  • 90%  dos 3700 veículos utilizados para os jogos eram elétricos e 100 eram micro-ônibus autônomos.
  • Pela primeira vez na história, a tocha olímpica foi de hidrogênio.
  • 18,000 camas feitas com papelão reciclado e colchões produzidos com redes de pescas foram disponibilizados para os jogos. 
  • Todas as medalhas, uniformes e pódios usados no evento foram produzidos com materiais reciclados.
  • Foram implementadas soluções renováveis de energia de alta eficiência.
  • Em 19 dias o evento deixou de emitir 280 mil toneladas de dióxido de carbono (CO2).

Nas Olimpíadas 2020 o Japão deu um show de resiliência e perseverança em um momento tão difícil. A edição de Tóquio 2020, realizada em 2021, ficará conhecida na história como a edição mais sustentável, tecnológica e inspiradora de todos os tempos.

Mais do que nunca, Tóquio 2020 provou ao mundo que é possível seguir em frente diante de um projeto com tantos desafios e barreiras: Arigatou Gozaimasu (muito obrigado), Japão!

Quer saber mais sobre o BPM? Siga-nos também no Instagram e no Facebook

Related posts

Medicina Chinesa para reduzir os cabelos brancos

Ana Clara Oliveira Garner

Hábitos islandeses que eu adquiri

Erika Martins Carneiro

Curiosidades sobre Malta

Marcela Bueno

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação