BrasileirasPeloMundo.com
Curiosidades Pelo Mundo Rússia

10 curiosidades sobre a Rússia

Curiosidades sobre a Rússia.

1. Os russos são muito supersticiosos

Tudo que eles fazem no dia a dia é regido pelas crenças sobre o que traz sorte ou azar. Minha faxineira não recebe o dinheiro do pagamento da minha mão, eu preciso colocá-lo em uma mesa e, só então, ela pega. Outro dia, uma amiga me disse que tomou um pouco de chuva porque, quando saiu de casa, percebeu que tinha esquecido o guarda-chuva, mas não voltou para buscar já que, segundo ela, “nunca devemos voltar em casa para buscar algo que esquecemos”. 

Um dos locais mais interessantes para vivenciar a superstição dos russos é a estação de metrô Ploshchad Revolyutsii (Пло́щадь Револю́ции). A estação é toda decorada com estátuas, que vão desde mães com bebês até soldados. Uma das estátuas é a de um soldado com um cachorro. Os russos acreditam que passar a mão no focinho do cachorro dá sorte. Abaixo, um vídeo feito pela minha amiga Camila Veloso durante nossa visita à estação:

2. Os russos não sorriem à toa

Eles são bem conhecidos por serem muito sérios e desconfiados. Acredito que isso seja uma questão histórica, pois em tempos passados era um pouco complicado ser aberto e confiar nas pessoas à primeira vista. Além disso, eles levam muito a sério as demonstrações de carinho, amizade ou afeição. O sorriso, para eles, é uma demonstração de carinho e não deve ser dado para qualquer pessoa. Se eles não sorriem à toa não é por serem mal humorados, mas por considerarem o sorriso algo valioso e íntimo.

Leia também:  custo de vida na Rússia

3. Eles são muito solícitos, mas do “jeitinho” deles

Apesar da aparência fechada, os russos são muito solícitos, principalmente com mulheres e pessoas de idade. Ao menor sinal de dificuldade, eles estão prontos para ajudar (mesmo que não falem sua língua). Mas eles ajudam do “jeitinho” deles. Eles tomam sacolas, malas e qualquer coisa que pareça pesado da sua mão e carregam para você, sem sequer te dirigir a palavra. Aconteceu com minha mãe logo após nos mudarmos: ela estava levando um carrinho de feira na rua e, quando ia descer a escada de um perekhod (passagem subterrânea utilizada para atravessar avenidas largas), uma pessoa tirou o carrinho da mão dela e desceu com ele, deixando-o no final da escada. A pessoa largou o carrinho ali e seguiu seu caminho, sem nem falar com minha mãe. Ela achou aquilo muito estranho, continuou pelo perekhod e, quando ia subir a escada do outro lado, aconteceu a mesma coisa: alguém passou, tirou o carrinho dela, subiu as escadas com ele, largou no topo e seguiu em frente.
Além dessas situações, quando um russo vê alguém com cara de “perdido”na rua, ele sempre procura ajudar. Se você não entende o que a pessoa está falando, ela faz mímica, aponta e, muitas vezes, te pega pelo braço e vai com você até onde você precisa ir, não importa se não é o trajeto dela.

4. As “babushkas” são criaturas peculiares

“Babushka” é “avó”, em russo, e é como chamamos todas as senhorinhas russas que encontramos por aqui. Elas são criaturas bem interessantes. Com relação ao item anterior, é complicado ajudar uma babushka na rua. Isso me faz pensar se não é por isso que os russos não conversam com a pessoa que eles querem ajudar. Certa vez, estava chovendo muito e eu estava de carro, parada em um sinal. Uma senhorinha veio andando com dificuldade, carregando sacolas de supermercado. Eu mudei meu caminho, parei o carro, saí na chuva e, quando ofereci carona e perguntei se queria ajuda com as sacolas, ela me respondeu brava que não e não quis mais conversa.
Em compensação, elas adoram “aconselhar”os mais jovens, principalmente no inverno. Nem pense em passar por uma babushka sem estar aquecido o suficiente no frio. Ela vai te dar uma bronca porque não está usando roupa suficiente. Quatro senhorinhas trabalham na portaria do meu prédio, já perdi as contas de quantas vezes entrei e saí correndo de casa para me livrar da bronca por causa da roupa de frio.

5. Eles não entendem muito bem o conceito da ordem de pratos nas refeições

Um conselho valioso que eu posso dar a qualquer pessoa que acaba de chegar a Moscou: nunca peça todos os pratos da sua refeição de uma vez. Se você pedir entrada e prato principal de uma vez, é bem provável que sua entrada chegue junto ou até depois do seu prato principal. A dica vale principalmente para a sobremesa. Há relatos de amigos que tiveram que comer o sorvete antes do prato principal. Peça sempre coisa por coisa: quando chegar a entrada, faça o pedido do prato principal e, só depois de comer tudo, peça a sobremesa.

6. É possível saber o nome do pai de uma pessoa apenas sabendo o nome completo dela

Os nomes russos são formados por nome + patronímico + sobrenome. O patronímico é o nome do pai da pessoa + o sufixo “ich, “vich” ou “evich”, para homens; e “ovna”, “evna” ou “ichna”, para mulheres. Por exemplo: Tatiana Vladimirovna = filha de Vladimir, Alexander Viktorovich = filho de Viktor, e assim por diante.

7. O Ano Novo é a principal data do calendário e o Natal é comemorado apenas em janeiro

Quando chega o inverno na Rússia, chegam também as luzes de Ano Novo. As ruas se enchem de enfeites, luzes, esculturas, que brasileiros diriam ser de Natal, mas na verdade são de Ano Novo. O Natal russo (ortodoxo) é em janeiro e não é o feriado mais importante. É interessante notar que eles têm até uma espécie de Papai Noel de Ano Novo, o Ded Moroz, que se veste de azul e trabalha com a sua neta chamada Snegurochka

8. A Rússia está cheia de milionários, mas alguns têm gosto duvidoso

Eu costumo dizer que quanto mais dinheiro um russo tem, mais duvidoso é o gosto dele. Já percebemos isso pelos apartamentos: quanto mais alto o valor do aluguel, mais decorações egocêntricas e bizarras encontramos. Mas o que mais me chama a atenção a respeito do “gosto” russo são os carros. Eles adoram comprar carrões caríssimos e depois “personalizá-los”. Já vi Porsche com desenhos de cavalos, Mercedes com marcas de beijinhos… A criatividade vai longe e andar pelas ruas e ver essas belezinhas é um diversão à parte.

Um BMW branco não tem a menos graça! Vamos dar uma enfeitada nela! (fonte: arquivo pessoal)
Um BMW branco não tem a menor graça! Vamos dar uma enfeitada nele! (fonte: arquivo pessoal)

9. Qualquer carro pode servir de táxi nas ruas da Rússia

Em Moscou, temos a facilidade de vários aplicativos de táxi, além do Uber, mas ainda é possível ver muitos “táxis” não oficiais levando pessoas para todos os lados. É comum que, quando alguém acene na rua pedindo um táxi, qualquer carro pare para levá-la. O preço é negociado rapidamente e o motorista leva a pessoa até onde ela precisa ir e tudo isso é absolutamente seguro.

10. A Rússia tem muito mais mulheres que homens

Mas muito mais! O país tem cerca de 9 milhões de mulheres a mais que homens. Isso torna os relacionamentos interpessoais bem diferentes no país, coisa que nós, estrangeiras, às vezes não entendemos muito bem.

Esses são apenas alguns pontos peculiares desse que é o maior país do mundo. Há muitos outros para serem descobertos e vivenciados todos os dias. É sempre uma aventura viver entre os russos e seus costumes.

Related posts

Hábitos islandeses que eu adquiri

Erika Martins Carneiro

O que são Brocantes?

Lilian Moritz

O que a Suíça mudou na minha vida

Mel Barbieri

6 comentários

Karin de Andrade Novembro 21, 2016 at 7:48 pm

Me senti passeando com vc por Moscou.

Resposta
Renata Rossi Dezembro 20, 2016 at 7:08 am

Que delícia, Karin!!! Estamos esperando por vocês aqui de novo! Saudade! Beijos!

Resposta
Waléria Dantas Novembro 24, 2016 at 12:49 am

Amei as curiosidades sobre a Rússia. Muito bom conhecer as diferenças existentes em outros lugares.

Resposta
Renata Rossi Dezembro 20, 2016 at 7:09 am

Que bom que gostou, Waléria!!!
Realmente é muito interessante conhecer as diferenças culturais do mundo, a gente fica muito mais rico e, principalmente, tolerante!
Abraços!

Resposta
Leyna Dezembro 11, 2016 at 2:48 pm

Renata adoro todos os seu artigos! Leio e releio todos. Contém muitas informações valiosas!
Estou fazendo um projeto pessoal de ir para Russia em meados de março de 2017, Sou encantada pela cultura deste imenso país, e gostaria de poder pegar mais algumas dicas com você se possível.

Resposta
Renata Rossi Dezembro 20, 2016 at 7:11 am

Oi, Leyna!
Que bom, fico super feliz em saber que gosta tanto dos meus artigos! Isso só me dá mais ânimo para buscar cada vez mais coisas interessantes para contar para vocês!
Vem nos visitar? Maravilha! Tenho certeza que você vai adorar!
Pode pegar dicas sim, claro!
Se quiser me escrever: [email protected]
Abraços!

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação