Do fofo ao exótico: 9 costumes russos interessantes

0
277
Fonte: Pixabay
Advertisement

Do fofo ao exótico: 9 costumes russos interessantes.

A Rússia é um país cheio de particularidades. O maior país do mundo, que já teve um dos maiores impérios do mundo só pode ter uma cultura riquíssima e hábitos peculiares e interessantes. Neste post, vou listar alguns hábitos russos fofos, diferentes e engraçados. Alguns deles eu mesma já incorporei e vou levar comigo para onde quer que eu vá.

1 – Tirar os sapatos quando entram em casa ou na casa dos outros. Todo russo tira os sapatos ao entrar em casa. Esse costume se deve, principalmente, ao inverno, já que as botas trazem neve da rua e o chão vira uma meleca de lama quando a neve derrete. Mas esse costumo é em qualquer estação. Eles não trazem qualquer sujeira da rua para dentro de casa ou da casa das pessoas. Muitos já carregam um sapatinho ou chinelo na bolsa para usar dentro de casa. E muitas casas já têm os chinelinhos de pano para oferecer às visitas. Esse é um dos hábitos que já incorporei à minha rotina. Até mesmo durante o verão, a primeira coisa que faço ao chegar em casa é tirar os sapatos e colocar um par de chinelinhos.

2 – Sempre dar lembrancinhas de aniversário. Os russos adoram comemorar aniversários. Eles sempre lembram as datas de aniversários dos amigos e sempre dão, pelo menos, uma lembrancinha. Todo ano no meu aniversário eu volto do trabalho para casa cheia de mimos: flores, chocolates, produtinhos de beleza, bijuterias, todo tipo de fofurinhas.

Leia também: Sistema de saúde russo

3 – Oferecer chocolates e doces aos colegas de trabalho no dia do próprio aniversário (ou em datas pessoalmente importantes): na Rússia, o aniversariante sempre traz algo para oferecer aos colegas no trabalho. Eu sempre achei isso muito interessante. O aniversariante normalmente traz uma caixa de chocolate e oferece para todos. Toda vez que a senhora da copa me traz chocolates ela já avisa aniversário de quem estamos comemorando.

4 – Oferecer flores a artistas. Os russos sempre levam flores para os artistas quando eles vão à concertos, balés e teatros. Quando o espetáculo acaba, eles vão até a beirada do palco e oferecem as homenagens aos artistas. O mais interessante é que eles oferecem flores para qualquer artista mesmo! Quantas vezes fui à shows de rock e vi as pessoas levando flores. Aerosmith, Scorpions, Ozzy Osbourne, Guns n’ Roses… Todos foram agraciados com as flores e o carinho russo.

5 – Nunca chegar na casa de outra pessoa de “mão abanando”. Quando convidamos um russo para nossa casa, já sabemos que ele irá trazer ou um vinho, ou uma sobremesa ou flores. Eles nunca chegam sem nada nas mãos. Toda vez que fazemos almoço em casa para muitos russos, acabamos com o triplo de comida que fizemos e um grande estoque de vinhos. Além disso, as comidas que eles trazem, eles fazem questão de fazer e não comprar pronto. O que é mais uma atenção e carinho com o dono da casa e os colegas.

6 – Prestar homenagens de todo tipo: os russos são muito carinhosos e empáticos com o outro. Eles estão sempre prontos a prestar homenagens, seja a uma personalidade que já se foi, seja por algum acontecimento trágico ou triste. Podemos sempre ver flores depositadas em monumentos a grandes personalidades por aqui. É raro o monumento que não tenha sempre, pelo menos, uma florzinha. Outro exemplo, na segunda-feira após o terrível incêndio no Museu Nacional no Rio de Janeiro, alguém colocou um ramalhete de flores com um bilhete (em português, o que indica mais uma delicadeza) no qual se lia “Luto Museu Nacional” na porta da Embaixada do Brasil. Mas a demonstração de carinho que mais me emociona todo ano é a homenagem que os russos prestam ao Ayrton Senna, todo 1º de maio. Todo ano, a embaixada amanhece com a porta de entrada lotada de flores, bilhetes, fotos do Ayrton, velas, tudo que se possa imaginar. Mesmo depois de quase 25 anos da morte do nosso herói da Fórmula 1, os russos ainda se lembram dele e tiram um minuto do seu feriado para demonstrar seu carinho por ele.

7 – No inverno, tirar o casaco em lugares fechados como se sua vida dependesse disso: a maior agonia dos russos é permanecer de casaco em lugares fechados, e isso é levado a sério ao extremo. Absolutamente todo lugar tem um bengaleiro para que as pessoas, antes de qualquer coisa, depositem seus casacos. Se entramos em um lugar fechado e tentamos passar direto pelo bengaleiro, somos chamados de volta, já que só podemos permanecer no lugar após tirar o casaco. Em aulas nas universidades, por exemplo, é considerado um enorme desrespeito permanecer de casaco em sala de aula.

8 – Epifania: o costume de celebrar a epifania é, na verdade, um ritual religioso. A epifania é a celebração do batizado de Jesus, no dia 19 de janeiro, em pleno inverno. Para comemorar, os russos abrem buracos em lagos congelados, um padre benze a água e as pessoas vão mergulhar nessa água, para receber as bênçãos. Isso tudo é feito em temperaturas médias de -10ºC (em Moscou, muito mais frio em outras regiões). O fiel deve entrar na água e mergulhar 3 vezes. Depois disso, claro, ele ganha um roupão quentinho e uma dose de vodka para esquentar.

9 – Comemorar dois “anos novos”: desde a época soviética, a festa de Ano Novo é a principal celebração de fim de ano, não o Natal. Mas, para os ortodoxos, o calendário é diferente, então o Natal acontece no dia 7 de janeiro (eles seguem o calendário juliano) e o ano novo, dia 14 de janeiro. Sendo assim, os russos acabam por comemorar dois anos-novos: o da maioria do mundo (calendário gregoriano) e o ano novo velho (calendário juliano). É comum chegarmos ao trabalho no dia 14 e ganharmos presentinho de “ano novo velho”. O bom disso é que, por aqui, as festas de fim de ano duram quase um mês!

Deixe um comentário

Por favor inclua o seu comentário
Por favor escreve o seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.