BrasileirasPeloMundo.com
Curiosidades Pelo Mundo Líbano

Dez curiosidades sobre o Líbano

Segue uma lista com dez curiosidades sobre o Líbano, este país tão cheio de contrastes.

1 – “Baladas” sem fim:

No Líbano, se vive como se não houvesse amanhã. Apesar de eu já ter mencionado anteriormente, quais as melhores coisas para fazer em cada estação do ano, a balada no Líbano é garantida independente da estação. Você sempre encontrará algo pra curtir na “night”, seja em danceterias (fechadas, ou no topo de edifícios, a céu aberto) ou em pubs (também abertos, nos old souks, ou fechados). E durante o verão, ainda há as inúmeras festas em praias e resorts, a beira da piscina e do mar. A vida noturna no Líbano funciona os sete dias da semana, e quase que 24 horas, basta saber encontrar o seu “point” favorito, se produzir (porque no Líbano as pessoas não curtem andar mal vestidas), e cair na balada.

2 – Paraíso dos fumantes e amantes do arguilé:

Se você é um fumante compulsivo, e se sente perseguido pela proibição ao cigarro em seu país, você vai se sentir à vontade no Líbano. Apesar da existência da lei antitabaco aqui também, ela não é respeitada. Na maioria dos hotéis, restaurantes e outros locais públicos, haverá outros fumantes, como você. Além é claro, dos amantes do arguilé (a paixão nacional do libanês), dividindo o mesmo espaço com os fumantes tradicionais. No Líbano é comum você topar com pessoas fumando até mesmo dentro de elevadores, salões de beleza, bancos, lojas, taxis, ônibus… E acredite se quiser: até dentro de um hospital, eu já vi pessoas fumando.

3 – Vários contrastes num só lugar:

O país é claramente dividido por religiões, mas em todas as regiões do país esses contrastes são encontrados. Você encontrará construções antigas e milenares, ao lado de construções modernas e futuristas, carros antigos emparelhados no trânsito, com carros de ultima geração, catedrais cristãs ao lado de mesquitas islâmicas, e um misto das tradições orientais locais, mesclado com costumes e tradições ocidentais (tudo “andando de mãos dadas”, como eu costumo falar).

Até no idioma isso pode ser notado, pois o árabe libanês é diferente do árabe dos demais países árabes, devido à influência francesa, durante o tempo em que o país esteve sob o protetorado da França, e também do inglês.

4 – Taxímetro? Esquece…

No Líbano, você pode esquecer o conceito que você tem de tomar um táxi e ir acompanhando o taxímetro. Aqui não existem taxímetros, e você geralmente combina com o motorista antes o valor da corrida, ou deixa pra barganhar ao chegar ao seu destino. Geralmente, já existe um valor aproximado cobrado e em alguns hotéis, os funcionários já podem dar uma média de quanto você vai gastar.

5 – Exercício do senso de Geografia:

A maioria das ruas do Líbano não possuem nomes, em Beirute isso já vem mudando há alguns anos, e é possível encontrar várias ruas e avenidas com nomes, e até encontrá-las em mapas normalmente, mas fora de Beirute, quando você encontrar uma rua ou avenida com nome, agradeça à Allah (Deus em árabe).

Os libaneses costumam se orientar por pontos de referência; encontrar endereços certinhos, com nomes, número, nome de edifício, bairro, é algo, praticamente, inexistente por aqui. Para você explicar onde você pretende chegar, você deve exercitar seu senso de geografia, e ter uma ótima memória fotográfica do local (caso já tenha estado lá antes), para poder explicar a alguém como chegar lá.

Leia também: a famosa gastronomia libanesa

6 – Tornar-se trilingue (ou poliglota) por hábito:

No Líbano existem três idiomas oficiais: árabe, francês e inglês. E os três são comumente usados em todos os lugares, diariamente, e ao mesmo tempo. Por mais que você adote um único idioma, para sobrevivência, você acabará um pouco fluente nos outros dois idiomas também, querendo ou não.

Assim como no Brasil nós não falamos o português de Portugal (mas o português brasileiro), o árabe falado aqui é o árabe libanês, com influência francesa e inglesa. Os libaneses acabam falando os três idiomas numa mesma frase, e com o tempo, você se acostuma e pega esse vício também, sem perceber. Uma piadinha comum sobre isso, é que você reconhece um libanês em qualquer lugar do mundo, se ele te cumprimentar falando: “- Hi, kifak, ça vá?”.

7 – Turismo religioso:

Poucas pessoas sabem sobre isso, mas para quem buscar por espiritualidade, no Líbano existe a opção de fazer turismo religioso, por milhares de igrejas, conventos, mosteiros milenares, lugares históricos e sagrados (para cristãos, muçulmanos e drusos), sem necessariamente, seguir o padrão normal de turismo convencional.

Infelizmente, o governo libanês não vem dando a devida atenção e cuidado a esse segmento no país, e não investe ou incentiva também. Muitos lugares são negligenciados, e até abandonados, encontrando-se em muitos casos, em estado precário ou de difícil acesso. Algumas ONGs ou grupos individuais, às vezes formados por moradores locais, acabam cuidando e preservando como podem, esses lugares.

8 – Os cedros sagrados e Gibran Khalil Gibran:

Considerado Patrimônio Natural da Humanidade, os cedros do Líbano possuem uma importância indescritível. Famosos pelo seu valor histórico e cultural ao longo das diversas civilizações da História Antiga, os últimos cedros do Líbano encontram-se numa reserva protegida, com árvores muito antigas. Algumas remontam o período anterior a Jesus Cristo. A reserva abriga os últimos exemplares desses cedros sagrados, alguns com 35 m de altura, e 15 m de circunferência. Famosos e raros, os cedros do Líbano são o símbolo da bandeira do país, e o orgulho dos libaneses.

Além dos cedros sagrados, o Líbano é a cidade natal do famoso escritor Gibran Khalil Gibran. Sua antiga casa de infância, na cidade de Bcharre, abriga o museu do mais célebre filho do Líbano, com vários de seus pertences pessoais, e também é o local de sua morada eterna, onde o escritor encontra-se enterrado.

Leia também: crenças e superstições libanesas

9 – Acesso a sítios arqueológicos históricos:

Para quem não sabe, o Líbano passou por dominação de 11 distintas civilizações, e possui sítios arqueológicos de diversas épocas da antiguidade, tornando a sua história rica em cultura . Em Anjaar, por exemplo, há o sítio arqueológico de uma pequena cidade do tempo da Dinastia Omíada. Baalbeck possui as suas mais famosas ruínas da era romana. Em Bíblos encontra-se a milenar e mais famosa cidade bíblica do mundo, pertencente aos fenícios, onde se encontram ruínas e castelos do tempo das Cruzadas, e um porto de mais de 3 mil anos. E tem muito mais… Sídon, Tiro, Trípoli…

10 – A deliciosa gastronomia do Mediterrâneo:

Sim, eu não poderia deixar de mencionar a culinária libanesa, tão famosa quanto o próprio Líbano. Nem que eu descreva diversos pratos dessa culinária rica e saborosa, ainda não seria o suficiente para expressar a importância que a gastronomia do país representa para os libaneses, e também para quem visita o Líbano.

Impossível não experimentar o suco de romã, feito com as melhores romãs do mundo, o suco de tâmaras, o jellab (feito com uva passa), degustar os deliciosos vinhos libaneses, o azeite produzido a partir das famosas oliveiras do país, experimentar o arak (a cachaça libanesa), entre tantas outras delícias.

No Líbano, costuma-se dizer que os libaneses não comem para viver, mas vivem para comer. Tudo é motivo para reunir a família, os amigos, e todos desfrutarem juntos, a deliciosa gastronomia libanesa. Após o almoço ou o jantar, o café árabe, as frutas, doces libaneses, e até chocolatinhos são indispensáveis. O único inconveniente nisso tudo são as calorias extras… Rs

 

Related posts

O que é carne Halal?

Cristhiane Mutlu

Seattle, a terra da garoa

Ded Freixeira

Despedida de solteiro na Inglaterra

Nathália Braga Bannister

11 comentários

Aline Outubro 30, 2014 at 12:48 am

Nossa!Um lugar sem taxímetro e nome de rua??? Eu ia enlouquecer. Huahauhaa. Mal me viro memorizando o nome das ruas…. Muito legal o seu post Cláudia. Bjs.

Resposta
Claudia Rahme Novembro 8, 2014 at 5:13 pm

A ausência de taxímetro é até bacana, vc pode combinar antes qto vai dar a corrida, independente de vc ficar presa num transito caótico de 1 h ou mais. Mas ruas sem nomes é punk. Nunca mais desfrutei de serviços de Delivery, desde que vim pra cá. O stress pra explicar pra pessoa do lugar como chegar, e depois dar uma de GPS online pro entregador, é desgastante. Eu desisto do que for, e prefiro ir buscar do que pedir pra me entregarem qualquer coisa…. =P
Obrigada pelo feedback Aline =D
Bjssssssss

Resposta
Bárbara Chahar Nakhle Março 3, 2015 at 2:21 am

Ei Cláudia,
estou retornando ao Líbano no próximo dia 13 de março de 2015. Quem sabe você pode me ajudar em algumas coisas…
Eu não vou ficar na casa de nenhum familiar dessa vez e vou sozinha. Vou estar hospedada em um hotel em Hamra, Beirute.
Vou precisar alugar um carro com motorista para me levar até Zahlé, Saint Charbel, Jeita, Baabda, Furn El Chebak, Zarght (próximo a Tripoli). Você sabe me indicar uma empresa legal, de confiança e com preço bom? Eu não falo o árabe.
Quero trazer uns temperos árabes, tipo pimenta síria, hortelã seca, zaatar, entre outros e tem que ser lacrado para entrar no Brasil. Quero comprar uns doces árabes, tipo aqueles que vendem no aeroporto, eu esqueci o nome da fábrica… maravilhosos.
Pelo que lembro perfumes no Líbano são mais baratos que na Europa em função dos impostos.
E mais uma coisa, no Líbano eu acho iPhone para vender? Estou louca para comprar o 6, rsrsrsrs…
Quantas perguntas, né?
E quer algo daqui? Que saiba que dá para levar? Eu vou fazer uma viagem louca de uma semana.
Obrigadão pela ajuda!!!
Beijos,

Resposta
Cláudia Rahme Maio 7, 2015 at 2:06 pm

Oi Barbara, estou um tanto quanto atrasada para te responder, me desculpe.
Creio que voce ja veio, e ja retornou, e espero que tudo tenha dado certo com voce, que voce tenha tido uma otima estadia, e tenha encontrado tudo o que estava buscando. Beijossss

Resposta
izabel Agosto 11, 2015 at 4:33 am

Tem um mês que conheci um rapaz do libano agente só ser conhece pela internet eu estou amando essa cidade espero logo conhecelo

Resposta
Tamires Freitas Agosto 13, 2015 at 2:23 am

Oi, nossa ai parece ser lindo, desejo visitar uma dia, mas me ajude o que significa “- Hi, kifak, ça vá?”. Pois não achei a tradução. Bjs

Resposta
Claudia Fevereiro 12, 2016 at 11:26 pm

Oi, amei a matéria! Estou indo pra o Líbano esse mês, e estou mais ansiosa ainda depois que li sobre.
Ah… No Líbano vende Iphone ? Queria aproveitar e comprar um 6s
Obrigada!!! Beijooos

Resposta
Jailson Março 11, 2016 at 12:44 pm

Olá Cláudia meu nome e Jailson tem sim,eu estou no libano

Resposta
Simão Simão Março 20, 2016 at 3:45 pm

Oi Cláudia, eu e minha família temos raízes libanesas e estamos providenciando nossa cidadania árabe. É um processo um pouco demorado e para agilizar precisamos de um documento do cartório dai. O Consulado Libanês do Rio de Janeiro nos solicitou que alguém ai pegue esse documento e nos envie por e-mail. O documento é de emissão gratuita. Você pode me indicar alguém em Beirute que possa nos ajudar? Ficaremos muito gratos pela ajuda!

Resposta
Descubre el país para noviembre (12 meses, 12 países) Novembro 5, 2016 at 9:50 am

[…] : 1 – 2 – 3 – […]

Resposta
Jose Osvaldo Braga Maio 14, 2017 at 1:38 pm

Bom Dia! Como estarei em Beirute no período de 15 a 21 de setembro deste ano eu gostaria,se fosse possível, que você me informasse alguma agência de turismo local que efetuasse Tours na capital e no interior do país. OBRIGADO ! Seus comentários são muito valiosos!

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação