BrasileirasPeloMundo.com
Alemanha

Curso de Integração na Alemanha ­- Parte 2

No texto do mês passado eu já mostrei como se preparar antes do curso começar.  Agora, vamos para algumas coisas que podem ser decisivas na hora de aprender alemão.

Os níveis de alemão segundo a regulamentação da União Européia e minha tradução são:

  •  A1 ­ Básico do Básico
  • A2 ­ Básico
  •  B1 ­ Pré ­Intermediário
  •  B2 ­ Intermediário
  •  C1 ­ Avançado
  •  C2­ Pode pular de alegria porque, você sabe tudo!

 Primeiro dia de aula

Se você já está na Alemanha, com certeza ouviu falar sobre a pontualidade, ou em alemão, Pünktlichkeit!

Apesar de todo mundo se referir à pontualidade inglesa, sinceramente, a alemã pode ser bem mais irritante.

E como a primeira impressão é a que fica, chegue na primeira aula pelo menos com cinco minutos de antecedência. Já vi professor parar a aula para fazer um sermão de vinte minutos sobre pontualidade e fiquei bem irritada pois, não estamos no primário não é mesmo? Eu ainda tenho na cabeça que cada um sabe a conseqüência de seus atos e se chegar atrasado porém, quietinho, está tudo bem. Pois é, isso não funciona por aqui e temos que levar em conta que o transporte público é super pontual em comparação com as terras brasileiras então, não tem como dar uma desculpa esfarrapada para a falta de atenção no horário.

Se você estudar a tarde ou a noite talvez não sofra tanto com esse fator porque, é o horário de quem sai do trabalho e enfrenta o metrô cheio, etc. Mas vale a pena dar atenção para o horário, ­ você conquista seu professor que já tem como trauma o atraso dos brasileiros e aumenta suas chances de aprender a língua.

 Pausa

Se o curso for de oito horas como o meu, você terá uma pausa de quinze minutos no período da manhã e mais 30 minutos no almoço. É muito comum tanto em cursos, quanto no trabalho, que a pausa seja de apenas 30 minutos para comer.

Eu, até hoje, não me acostumei com a idéia de ter que engolir a comida pensando no tempinho que vai sobrar para esfriar a cabeça, mas esta é realidade por aqui. Está na lei e não tem como fugir.

Eu aconselho levar um lanche na bolsa, assim você salva alguns minutos andando até o restaurante e fazendo o seu pedido para depois perceber que precisa voltar para a sala com fome e uma marmita para depois porque o tempo livre acabou…

 Condicionando a cabeça

Não vou mentir para vocês…Alemão é sim uma língua difícil, principalmente para latinos.

Primeiramente, há uma outra lógica na hora de montar as frases, tão diferentes do português que precisamos mesmo nos acostumar a pensar como um alemão.

Segundo, ­ os sons na língua alemã vem da garganta e não do nariz como na nossa lingua, o que dificulta na hora de pronunciar as sílabas. Não se assuste se nos primeiros meses você ficar com um pouco de dor na garganta, na verdade isso é um sinal de que você está treinando partes da que são necessárias para pronunciar as palavras de forma correta.

Terceiro, ­ não há uma regra exata para descobrir se uma palavra é feminina, masculina ou neutra então, muita gente se embaralha na hora de colocar os artigos e fazer plurais.

Quarto, ­ a gramática tem regras bem estranhas em comparação com a nossa. Dependendo da frase o verbo deve entrar apenas no fim, os adjetivos devem ser conjugados e todo mundo quer chorar na hora de descobrir as diferenças entre Dativ, Akkusativ e Genitv.

Como disse, alemão não é fácil mesmo e se você está a pouco tempo no país, vai sentir aquela frustração de querer se expressar e não conseguir; de ter muito o que falar ou de responder uma “patada” típica berlinense e não conseguir.

Realmente quem quer aprender alemão precisa se dedicar mais e mais dependendo do grau de dificuldade que você tem.

Eu sempre tive facilidade para aprender línguas e mesmo assim, mergulhei em livros, revistas, músicas e filmes!

Muita gente em Berlim percebe que há ofertas de empregos e bairros onde o inglês ou outras línguas podem ser usadas e simplesmente desistem logo no começo do curso. É uma pena, as chances de arranjar um emprego bom por aqui sem saber falar a língua ficam limitadas e até hoje, mesmo sendo bem compreendida por 90% dos alemães, eu tenho dificuldades na hora de procurar emprego ou passar pela burocracia, por não ter conhecimento PERFEITO da língua.

E qual é o meu segredo para condicionar a cabeça?

Ouvir alemão mesmo que você não entenda nada, mesmo que depois de 30 minutos numa festa só com alemães você tenha dor de cabeça. Isso é um fato comprovado! Quanto mais você ouve as palavras e ações em torno dela, mais rapidamente você começa a distinguir uma da outra e absorver.

Pense que quando você era um bebezinho, ninguém te deu um dicionário de “gugu dádá” para aprender a falar a língua dos seus pais. Você aprendeu por repetição e associação e essa é a forma correta de aprender. Procure corrigir logo no começo a sua pronuncia. Depois que aprendemos a falar algo de forma abrasileirada é muito complicado tirar. Aí bate aquele sentimento de frustração dos primeiros meses e você não sabe o que fazer.

Em casa aproveite para soltar as lágrimas, xingar se quiser, quebrar um vaso, o que seja! Na escola, use aquele pouquinho de alemão que você sabe para se comunicar com os colegas da aula.

Eles estão na mesma situação e conforme as suas frases ficam mais extensas, você descobre que eles também estão frustrados e tem dificuldades assim como você. Além de um ombro amigo nos assuntos da língua, você pode aprender novas técnicas e ganhar amigos de verdade.

Repita o mantra: alemão é fácil e eu já aprendi muito! Tem gente que pode não acreditar, mas repetindo isso nos momentos de maior dificuldade, pode ser a força que faltava para o seu subconsciente se ativar na hora em que ele quer ignorar tudo que a professora escreve na lousa.

Falando dos colegas de sala e do mantra eu me lembrei agora de um fato…Eu estava no nível A2 (básico) e obviamente não conseguia me comunicar nada bem. Uma colega de sala convidou algumas pessoas para um jantar típico Russo (seu país de origem) para que nós conhecêssemos um pouco da cultura dela, o marido, o apartamento novo que ela sempre comentava, enfim, para nos integrarmos uns com os outros.

Todo mundo aceitou, mas ficamos aflitos pois, só eu sabia falar inglês e o nosso alemão era muito básico. Todos foram mesmo assim, com a cara e a coragem pois, ninguém queria fazer desfeita para o convite tão empolgado dela. E hoje eu agradeço aos deuses da Vodka!

Logo que chegamos ela nos mostrou a casa já rindo envergonhada por não saber como é o artigo de badezimmer (banheiro) até que alguém gritou o correto! Nos sentamos e ela disse a única coisa que sabia em inglês “today it’s on russian way!” Isso significava que deveríamos virar um shot de vodka pura, comer uma das tantas saladas de maionese, pão e frutas e ir para o segundo shot, depois terceiro shot com a mão esquerda pelo amor… O “joker” na história era um suco de laranja para driblar o gosto da vodka.

Não preciso nem dizer que depois de fazer o “russian way” quatro vezes, todos  nós falávamos em alemão como nunca, nos entendíamos mesmo sem ter completado a frase e nos divertimos em volta da mesa por exatamente DEZ horas!

Por isso, eu acho importante a interatividade com pessoas que estão na mesma situação. Fujam dos colegas brasileiros, espanhóis ou portugueses pelo bem do seu alemão!

Mas se a saudade do português for tanta, combine horários para só falar alemão com eles e cumpra por favor!

Por último, nunca deixe de reclamar das coisas que não funcionam no curso. Os professores sempre estão prontos para ouvir o que os alunos tem a dizer. Eu era a “chata” da sala e já tinha gente que vinha cochichar no meu ouvido “Bárbara, fala para a professora que eu não gosto das reuniões que fazemos no AWO, não faz sentido!” Passei a ser sem querer uma representante dos envergonhados. Ah! E só não explico o que era o tal do AWO pois, ele foi retirado do curso de integração depois de tantas cartas de reclamações.

Espero ter dado uma coragem extra para vocês 😉

No próximo texto eu vou falar sobre casar na Alemanha entre outras coisas relacionadas!

Bis dann! (Até lá)

 

Related posts

Fiquei desempregada na Alemanha. E agora?

Patrícia Souza

Da cerveja ao Lassi : Alemanha e Índia

Marcela Vieira

Fórum Carlotas para mulheres brasileiras na Alemanha

Larissa Da Costa

27 comentários

Rita Dorneles Julho 22, 2013 at 10:43 am

kkk boas sugestoes… Fico imaginando: eu tenho o maior problema do mundo pra “falar” ingles, Deus me livre ter que aprender Alemao rs!
As suas dicas sao fantasticas e realmente mergulhar na “lingua” eh sem duvida o melhor caminho para se aprender, MAS e quando voce se muda para um pais que nao fala a sua lingua, com familia (grande) marido, 3 filhos em idades quase adulta (18, 17 e 13 anos)… seu aprendiado da lingua escrita eh bem razoavel mas voce nunca precisou usar esta lingua antes (portanto nao fala) … ai a coisa complica neh? Eh assim comigo 🙁 Falo portugues o tempo todo… tempo todo mesmo! Em casa com a familia, no trabalho (dou aulas de portugues como lingua de heranca, logo um dos pais eh fluente em portugues e normalmente eh com quem falo)… sinto muita dificuldade em me comunicar oralmente, mas escrevo bem 🙂
Me de dicas do que fazer? hahaha Proibir o portugues em casa? Estou mesmo a ver que sera o unico caminho rs rs rs
Beijos, adorei o seu jeitao divertido e bem humorado de tratar o assunto 🙂
Rita

Resposta
Tati Sato Julho 23, 2013 at 6:21 am

Oi Rita! Embora a pergunta tenha sido para a Barbara, eu vou me intrometer e falar a minha opinião…

A única forma de aprender um idioma é com a prática. Para que você fale, você precisa perder o medo de que vá cometer algum erro (porque, quando escrevemos, temos tempo de reler e ver o que está errado. Em uma conversa, esse tempo não existe, por exemplo). Existe algum clube do livro ou alguma outra associação com os moradores locais que você se interesse em participar? Isso ajudaria muito!

Eu aprendi a falar o inglês nas aulas de teatro que fazia. =)

@Bá, amei seu texto! Continuo afirmando: TODOS os países deveriam oferecer cursos de integração. Isso é muito importante! Aprender um pouco sobre como o país funciona, sobre suas regras e leis e como se portar é muito importante para qualquer pessoa que decida morar no exterior.

Acho mesmo que para se falar um idioma, temos que ter vontade e não ter medo de errar. Lembro-me que me colocaram para trabalhar em um departamento contábil na Espanha com o espanhol básico que eu tinha… E eu dizia “yo hazo” (porque era lógico para mim… Se a conjugação para o verbo “comer” é yo como, o lógico seria yo hazo)… Até que minha chefe disse: é hago! YO HAGO! Nunca me esqueci! A velhinha era dura, mas aprendi muito com ela! 😉

Um beijo para todas!

Resposta
Bárbara Poplade Schmalz Julho 25, 2013 at 7:43 am

hahahaha Tati,

Concordo contigo! Perder o medo de falar é bem importante!
E morri de rir com teu caso na Espanha rs…
Realmente é importante saber, se no nosso país a gente já passa uns apuros por não saber muito sobre leis nossa, fora é pior ainda.
E tá vendo, ou vc aprende no amor ou na dor! hauahuahua No seu caso, foi no grito, mas entrou na cachola 😀

Bjo pra ti tbm.

Resposta
Bárbara Poplade Schmalz Julho 23, 2013 at 7:48 am

Oi Rita!

Quem bom que gostou das minhas dicas hehehehe
Eu te entendo viu? Atualmente eu falo bem mais em português do que deveria.
Hahahaha meu lado radical está aqui gritando “Proíbe o português em casa sim!!”.
Mas não vou ouvir ele hehehe. Eu aconselharia que você escolha um dia da semana onde só se pode falar na língua do país. Um dia não vai doer tanto quanto a semana toda e pode te ajudar.

Por aqui, existe também o chamado “Tandem partner” que são alunos universitários ou já formados em alguma língua, que procuram nativos para treinar. Talvez seria uma boa opção para você.
Se houver alguma escola de línguas ou universidade próxima de você, deixe um anúncio dizendo que gostaria de treinar com alguém e em troca, treina o português com a pessoa, nem que seja só o tempo de um café na semana com a pessoa.

E outra coisa bem prática que eu aproveito, são os idosos no supermercado. Muitos deles são tão sozinhos que procuram sempre alguém para puxar papo durante as compras. O assunto vai de “por que vc veio morar aqui?” à ” “essa marca de sabão desbota muito a roupa, eu aconselharia essa outra”.
No Brasil eu nunca conversaria com um desconhecido no supermercado, mas aqui eu faço. Não consigo ver uma senhorinha sorridente me dando dicas e simplesmente sair de perto sem falar nada.
(acho que estou ficando com coração mole…rs).

Não se preocupe de saber escrever mais do que fala, isso não quer dizer que você não sabe a língua, não é? Apenas, que você precisa treinar um pouco. Todo mundo aprende primeiro “passivamente” ou seja, lemos, escrevemos e ouvimos melhor do que falamos. Com um tempo isso vai mudando a partir da sua coragem de soltar o verbo mesmo que saia alguns erros no meio do caminho 😉

Obrigada pelos elogios e humor é a chave do negócio! 😀

Beijos e uma ótima semana,

Bárbara

Resposta
Ana Julho 22, 2013 at 10:43 am

Maravilhoso, tenho dois amigos alemães, quando eles começam a falar perto de mim, sempre tenho a impressão que estão, em algum momento, ou falando palavrão, ou brigando….Rssss

Resposta
Bárbara Poplade Schmalz Julho 23, 2013 at 7:51 am

Hahahaha isso é verdade Ana. Alemão é uma língua bem forte!
As pessoas tem mania de suavizar, falando baixinho ou afinando o tom da voz, mas para quem não compreende a língua, continua parecendo que todo mundo está brigando! rs

Eu achei esses em uma fan page do Facebook um vídeo bem humorado sobre isso: http://www.youtube.com/watch?v=-_xUIDRxdmc

Beijos,

Bárbara

Resposta
Angela Oliveira Julho 22, 2013 at 10:46 am

Adorei as dicas Barbara. Aqui no Brasil, estou no nivel. A.1.3, apanhando bastante ainda, mas consigo entender um pouco e escrever tbm.

Aguardando ansiosamente o próximo post.

Beijos

Resposta
Bárbara Poplade Schmalz Julho 25, 2013 at 7:33 am

Oi Ana,

mantenha-se firme nos estudos que com certeza você logo estará soltando as suas primeiras frases. o A.1.3 é realmente o começo ainda, mas aproveite para ouvir algumas músicas de olho fechado e procurar palavras que você conheça. Essa é a hora perfeita para isso.

Digo, pq eu fiz o A1 completo no Brasil e quando cheguei aqui, percebi que algumas coisas eu não havia absorvido pelo simples de fato de ouvir a língua só dentro da sala de aula. Então, eu acho bem importante para quem ainda está no Brasil, procurar mergulhar dentro da língua em momentos fora do curso, isso aumenta suas chances de em pouco tempo já soltar belas respostas 😉

Boa sorte e se surgir alguma coisa que gostaria de saber, solte o verbo aqui! Quem sabe sua dúvida não vira um texto 😉

Beijos

Bárbara

Resposta
Bárbara Poplade Schmalz Julho 25, 2013 at 7:34 am

Desculpe, são tantas mulheres que se chamam Ana por aqui, me confundi… OLÁ ANGELA!!!

Resposta
Ana Cristina Kolb Julho 22, 2013 at 12:53 pm

Otimo texto Barbara, adorei a noite in the russian way! é isto i Importante nao nos sentirmos isolados nas nossas dificuldades, o sentimento de conexao ajuda e muito! Quanto a pontualidade é uma questao de respeito, e embora continue apos 22 anos de Europa tendo minhas dificuldades pra ser pontual, faço de tudo pra manter pois hoje compreendo a noçao de se engajar e levar as coias a serio, de planejar, e noa ser espontaneo o tempo todo e com tudo, Podemos ser flexiveis em atividades de lazer, mas hoje como profissional, e professora, compreendo também a noçao de respeito e responsabilidade, afinal mesmo chegando atrasada e de fininho, as pessoas acabam pedendo o fio da meada, fazendo perguntas sobre coisas que ja foram explicadas ou informadas, e ainda existem aqueles que teem dificuldade de concentraçao e se desconcentram com a chegada de alguem atrasado, depois existe o caso que se deixarmos um, temos que deixar os outros e ai vira casa da mae Joana! A atitude de fazer as pessoas se tornarem “accountable” é muito importante e uma das maiores liçoes que aprendi, se deixamos passar batido, vira “usucapiao” rsrsrsr! Bis dann…Danke sehr! Und viel Spass beim Deustch lernen!

Resposta
Bárbara Poplade Schmalz Julho 23, 2013 at 7:56 am

Olá!!!
Quem bom que gostou 😀
Realmente, para eles é uma questão de respeito, eu entendo.
Mas ainda me irrito hihihi.
Faço o mesmo que você: em encontros casuais estou 80% das vezes atrasada, mas em tudo que tem a ver com trabalho, documentação ou aprendizado eu sempre estou adiantada.
Assim como eles aceitam muito do nosso jeito, temos que aceitar o deles e é isso que faço. Quando vejo que é algo muito importante para eles, eu faço também.

Obrigada pelo seu comentário! 😀

Beijos e uma semana maravilhosa, com muito sol para nós,

Bárbara

Resposta
Noelma Maranhao Rocha Julho 22, 2013 at 5:37 pm

Bárbara, amei seu texto, ri até sair lágrimas, hoje tenho uma certeza: Aprender alemão demanda coragem,
acabo de decidir que minha segunda língua será o francês.

Resposta
Bárbara Poplade Schmalz Julho 23, 2013 at 7:58 am

Poxa, eu queria incentivar mais pessoas a aprender a língua e não fazer alguém desistir hahahaha

Muitas palavras do alemão são parecidas com o francês, aprenda os dois então! 😀
Seu genro vai amar dona Noelma! hauahuahauha

Beijo, beijo

Resposta
Ana CArina Julho 23, 2013 at 10:18 am

To contigo NOELMA!!!

Resposta
Bárbara Poplade Schmalz Julho 25, 2013 at 7:35 am

Ana Carina,

não apoia essa decisão pelo amor do guarda! rs

Aliás, estou pensando em aprender francês também em alguns anos, você topa treinar comigo? hihihi

Beijos!

Resposta
Fernanda Franco Julho 23, 2013 at 10:53 pm

Oi Barbara, muito bacana o seu texto e super dicas em relacao a aprender a lingua. Muito valido mesmo para quem pensa em investir em uma segunda lingua. Me lembro de quando frequentava as escolas de ingles aqui e ficava fugindo dos brasileiros nas salas de aula, senao, nao tinha concentracao mesmo. Tambem acho que seria otimo se todos os paises pudessem oferecer o curso de integracao. Aqui em UK temos que correr atras dos cursos e aprender as regrinhas da cultura.

Eu adoraria aprender o Alemao, mas, como disse a Ann, soa como se estivessem discutindo ou brigando, sei la, da medo. Rs!

Bjs Fernanda

Resposta
Bárbara Poplade Schmalz Julho 25, 2013 at 7:41 am

Oi Fernanda,

que bom que gostou 😀

Olha, eu tbm acho que deveria existir esse curso em qualquer lugar do mundo! É essencial não só saber a língua, mas os sinais de comunicação dentro de cada cultura. Quem sabe um dia o UK se inspira nos outros países da EU 😉

hahahahaha Alemão dá medo no começo, mas pode ter certeza que é uma língua muito interessante de aprender! Eu acho incrível as coisas que descubro sobre a língua.

Por exemplo, esses dias descobri que o nome dos dias da semana são baseados na mitologia nórdica e sou uma fã de mitologias então, para mim foi um momento muito legal e eu caí em cima dos livros sobre Thor, Odin e outros deuses nórdicos 😀

Se um dia se animar de aprender alemão, treino com você! hheehehe

Bjo bjo

Bárbara

Resposta
Cristiane Leme Høg Julho 25, 2013 at 1:37 pm

Texto divertidíssimo! Agora vou confessar um problema que ando tendo. Sempre que estou na Sprogskole (escola de dinamarquês) eu me pego pensando em alemão. Há muitas palavras parecidas, com a diferença de que o dinamarquês é como se fosse um alemão falado com uma batata super quente na boca, quase no meio da garganta! Ainda bem que depois que a gente aprende dá pra dar risada, mas é um sufoco no começo. O segredo pra aprender uma língua é esse mesmo: ouvir bastante, falar (o que souber na língua) pelos cotovelos, repetir, ter paciência e bom humor.

Bis bald, küsschen!

Resposta
Ann Julho 29, 2013 at 8:51 am

Realmente alemao da a volta a cabeca. Lembro quando tinha aulas na escola no Brasil, eu adorava, tanto que fui morar em Dusseldorf para aprimorar, mas, desisti logo depois por varios motivos, na epoca, em 97, depois de estar morando 1 ano em Londres, fiz varias comparacoes com a Inglaterra e nao gostei da maneira “complicada” do alemao resolver as pendencias, tudo era dificil enquanto Londres era simples, me desmotivou…e a escola..ah a escola hahahah, na minha classe, tinha um grupo de brasileiras, infelizmente com a unica intencao de aprender alemao para arrumar marido, achei o fim, as aulas eram interrompidas com perguntas desnecessarias e sem fundamento, que acabei nao indo mais. Juntei o “nao estar gostando” de tudo junto e voltei para Londres. Hoje em dia, se pudesse, voltava hahaha. O marido fala um pouco, o filho esta aprendendo na escola e eu e so comecar de novo hahaha, watch this space 😉 bj

Resposta
Suellen Julho 29, 2013 at 5:19 pm

hahahahahah Adorei Barbara!!!! Parabens pelo artigo!! Eu passei por essas situaçoes aqui na Irlanda, onde estou estudando o ingles a dez meses e me preparando psicologiacamente para o ano que vem na Suiça pra aprender o alemao!!! Foi super util seu artigo, estou pensando de fazer uma festinha assim em casa quando estiver la hehehehhehe

Resposta
Alexandra Abril 26, 2014 at 2:42 pm

Eu lembro do soco no meu ego durante a minha primeira semana na BSI; depois dos trinta, voltando para a escolinha para aprender a contar até dez em alemão. O professor fazia as perguntas mais básicas como “qual é o seu nome, como é o nome dele, aonde você mora, aonde você foi” e eu lembro que ficava desesperada, sem entender uma palavra e sem conseguir responder. Sim, nesse sentido já aprendi muita coisa e esse é um bom mantra para repetir — mesmo depois de ser B2 comprovada por diploma, por ainda me sentir a prima burrinha que vem do Brasil que não sabe falar esse alemão *perfeito* que muitas situações sociais e trabalhos exigem… Mesmo alemão sendo a minha 3a língua e eu sendo Bacharel em Letras (EN-PT). Não me acostumo com essa sensação… Sair com o namorado que ama teatro e encontrar com pessoas que ele conhece e ter que escutar as discussões sobre peças teatrais e autores com um sorriso no rosto, insegura de falar tudo errado.

Resposta
Thais Julho 19, 2014 at 7:05 pm

Adorei Barbara! Muito obrigada!!!

Resposta
Integrationskurs – O Curso de Integração de imigrantes na Alemanha - Alemanha para Brasileiros Março 20, 2016 at 10:58 am

[…] Alemanha – Como Sobreviver ao Curso de Integração ­- Parte 2 […]

Resposta
Adriana Maio 15, 2016 at 5:01 pm

Olá gostaria da tua ajuda … Como procuro esses cursos subsidiados pelo governo ??

Resposta
Cristiane Leme Maio 22, 2016 at 6:42 pm

Adriana, a Barbara parou de colaborar conosco mas há outros textos e colunistas da Alemanha no blogue. Deixe um recado em um deles.
Caso esteja na Alemanha, recomendamos procurar o serviço de imigração para responder a essa dúvida. Caso esteja no Brasil, consulte o consulado ou embaixada da Alemanha mais próximo de você.

Edição BPM

Resposta
Bruna Fevereiro 1, 2017 at 8:43 pm

Oi Bárbara. O curso de integração é no inicio ou no fim do curso de alemão? O curso de integração é dado em inglês?

Adorei o texto,
Beijos.

Resposta
Bárbara Poplade Schmalz Fevereiro 7, 2017 at 6:44 pm

Olá Bruna tudo bom?

Na verdade o curso de integração é um curso de alemão desde o início. Só nó final do curso que tem um período de história, cultura, etc. Qe se chama curso de orientação, mas é impossível fazer um sem o outro já que tudo faz parte do curso de integração.
O curso é todo dado em alemão. Nenhum curso de alemão dado na Alemanha, seja ele o curso de integração ou não, é dado em inglês ou qualquer outra língua, justamente para que o aluno não traduza palavras, mas sim aprenda a pensar em alemão.

Obrigada pelo elogio e um beijo 😉

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação