BrasileirasPeloMundo.com
China Custo de Vida Pelo Mundo

Custo de vida na China

Vamos começar esclarecendo um fato:

A China onde é tudo barato e de baixa qualidade está se extinguindo.

Hoje, mesmo ainda tendo muito que melhorar, os produtos chineses vem ganhando em qualidade, competividade e diversidade no mercado ocidental. E qualidade exige boa matéria prima, profissionais capacitados e controle de produção. Isso custa dinheiro e reflete no preço do produto final, claro!

Aí vocês podem pensar: ‘ah, mas ainda está cheio de produtos chinglings nas prateleiras do mundo’. Sim, está, mas frente à grandiosidade desse país, isso é uma porcentagem muito pequena do que é produzido aqui. E na minha opinião, as pessoas no ocidente (no Brasil em especial, que é o que conheço) ainda estão indo atrás daquele famoso ‘negócio da China’ com a mentalidade de 20 anos atrás, quando esse país começou a invadir o mercado ocidental e derrubar todos os setores com sua competitividade impossível de alcançar.

IMG_2563
‘Nihao’ – o nosso ‘Olá’, no cartaz para receber quem chega na imigração chinesa.

Só que quem não conhece esse país ‘in loco’ não tem noção de que 20 anos para a China representam algo em torno de 60 anos (ou mais) de desenvolvimento no resto do mundo. As coisas aqui acontecem de uma forma assustadoramente rápida. Quase que num piscar de olhos se levanta um arranha céu, um viaduto, uma nova linha de metrô. É algo que só quem está aqui consegue mensurar.

É fascinante e ao mesmo tempo assutador! Acreditem.

Mas os meios…

Quando vou ao Brasil e falo disso, a primeira argumentação que ouço é: mas eles usam trabalho escravo!

Sim, concordo que há 20, 30 anos isso estava muito mais perto da realidade do que poderíamos acreditar. Se bem que estavam saindo da revolução cultural e existe toda uma bagagem histórica que explica (porém não justifica) a história do trabalho na China. Então, conhecer isso é fundamental antes de atirar a primeira pedra.

1452331_590725280982620_1154972362_n
O antigo, tradicional e o novo se misturam nas paisagens desse país.

Mas hoje essa realidade vem mudando a passos largos e em tempo recorde, garanto que mais rápido do que no Brasil. As leis trabalhistas estão surgindo dia após dia. Hoje eles têm direitos inimagináveis nos anos de 1970. Licença gestante, auxilio moradia, alimentação e transporte já são realidade.

Tudo é uma maravilha? Não. Ainda tem muita coisa para se mudar, melhorar, rever. Mas estão caminhando… e rápido.

E o custo de vida, onde entra?

Quando falamos que a China está melhorando a qualidade de seus produtos, da matéria prima, criando leis que garantam os direitos dos seus trabalhadores, isso causa um  aumento de custo em tudo. Não tem matemática que faça conta diferente.

Juntamos a isso a valorização do Reminbie (Chinese Yuan) e temos o pacote perfeito para o aumento do custo de vida na China. Se está dificil para o chinês, para o estrangeiro, então… Para os brasileiros piorou muito nos últimos 3 meses.

Custo de vida de estrangeiro

Ser estrangeiro na China (caso você não seja descendente de asiáticos) é impossivel de esconder. Nossos olhos, nariz, cabelos, tons de pele etc. nos denunciam de cara! Um ‘laowai’ jamais passa despercebido no meio da multidão.

E aí existe a questão dos preços ‘diferenciados’ para esse seleto grupo, que há 20 anos resolveu desbravar a China com contratos milionários e pagando tudo o que pediam, pois ainda assim era barato. A fama e o estigma de que estrangeiro é rico se formou aqui. Só que hoje a moeda virou, mas não os hábitos.

No final dos anos 1990 e início dos 2000 as empresas, para enviar um funcionário, um executivo para a China, pagavam o que fosse necessário para tentar suprir a falta de estrutura ocidental. Condomínios foram construídos exclusivamente para estrangeiros, assim como escolas e bairros (pequenas bolhas) que dessem alguma infra estrutura de lazer. E claro, os preços astronômicos.

Rua dos estrangeiros SHANGHAI
Um dos redutos criados para o estrangeiro – ‘Laowai jie’, literalmente ‘rua dos estrangeiros’.

Só que quando cheguei na China, em 2004, o câmbio era 1 real para 4,80 reminbie, 1 dólar americano para 8,60 reminbie, se não me falha a memória. Então, mesmo  nossos preços sendo um absurdo para o consumidor chinês, para nós não era ruim.

Isso mudou, mas a questão dos valores diferenciados para estrangeiros ainda persiste e se a pessoa não se precaver vai sempre pagar muito mais caro por tudo que quiser consumir.

Tudo que é importado é mais caro. E como acabamos optando por comer em restaurantes internacionais, comprar em supermercados produtos importados e que atendem nosso paladar, faz com que a alimentação aqui seja o que pesa no orçamento, mais que no Brasil (levando em consideração que hoje o câmbio está R$ 1,00 = RMB 1,98).

Os aluguéis sempre foram absurdos, e agora quando convertemos para o real fica assustador. Para ter uma ideia, um apartamento de 100 metros quadrados, com 2 quartos, podem ir de 7 mil reminbies até 35 mil remenbies (de R$ 3.500,00 a 17.000,00) dependendo da localização e do tipo de condominio. E acreditem, tem épocas que não se acha apartamento para alugar.

As escolas internacionais, como já publiquei aqui, ficam na faixa de US$ 42.000,00/ano (quase R$ 130.000,00).

No que se refere a telefonia, água, gás a conta é mais barata. O que encarece esses serviços é a taxa de luz, que é bem cara, principalmente porque no inverno e no verão é impossível viver sem os aparelhos de ar condicionado e aquecimento ligados 24 horas por dia!

Eu vivo em Shanghai, a cidade mais cara da China Continental. Mas sinceramente sempre achei Shanghai mais barata que São Paulo, só que no último ano as coisas mudaram um pouco!!

E apesar da foto estar desfocada, vejam o preço de uma caixa de bombom Garoto num supermercado em Shanghai: RMB 118,00 = R$58,00.
Vejam o preço de uma caixa de bombom Garoto num supermercado em Shanghai: RMB 118,00 = R$58,00.

No site NUMBEO, tem uma relação de custos de produtos e serviços (do mundo inteiro), onde achei os preços bem próximos da realidade que vivo. E quem quiser, pode ter uma noção mais exata.

Só faço algumas colocações para as pessoas que me procuram perguntando se é fácil morar aqui:

– A China é diferente de qualquer outro lugar do mundo, principalmente do mundo ocidental.

– Se você não vier com o apoio de uma empresa (sendo com contrato de expatriado ou local) as coisas ficam bem mais complicadas, mas não impossíveis. Vai depender da sua capacidade de adaptação às circunstâncias.

– A língua é a maior barreira que existe. Não pense que porque a China ‘globalizou’, os chineses já nascem falando inglês. A porcentagem da população que fala ao menos o inglês básico é baixíssima.

– Viver na China não é simples, fácil e muito menos barato. Com exceção das cidades de interior… Mas aí todos os fatores de adaptação são multiplicados pela mesma proporção da queda do custo de vida.

– Se quiser vir, tenha em mente que seus conceitos terão que mudar e muito.

– E negócio da China só existe para chinês! Fato.

Isso não quer dizer que não gosto de viver aqui. Ou que a China é um horror, impossível de se adaptar. Muito pelo contrário: ainda não temos planos de voltar definitivamente para o Brasil. Só que cheguei com muitas facilidades que hoje não tenho. Mas quando as ‘perdi’, já tinha estrutura e conhecimento suficientes para me virar bem e tirar (quase) de letra as pedras do caminho.

O importante é que as pessoas venham antes, passem aqui mais do que 3 dias, entendam como funciona, saibam dos prós e contras, e então decidam.

Conheço os que se apaixonaram a primeira vista e os que, se pudessem, tinham voltado do aeroporto.

E o custo de vida é algo que impacta demais nessas escolhas. Já se foi o tempo, que qualquer salário para a China valeria a pena pela experiência! Pensem nisso!

Até a próxima!

Related posts

Halloween na China

Tati Klaus

Custo de vida em Seattle

Ded Freixeira

China – Ano Novo Chinês… Esse é o que vale por aqui!

Christine Marote

34 comentários

Lucila Abril 16, 2015 at 2:17 pm

Muito bom. Aprendemos bastante com seus posts

Resposta
Christine Marote Abril 17, 2015 at 4:14 pm

Obrigada Lucila! =]

Resposta
Aline Arruda Abril 17, 2015 at 11:14 am

Chris, muito legal seu texto. Acho que entro na vala comum das pessoas que veêm a China de 20 anos atrás. Fico ainda assustada em ver que tudo que compro aqui na AUS é ou Made in China ou Made in India ou Mande in Bangladesh. Isso, na minha cabeça, significa que mesmo com os direitos trabalhistas, ainda é mais barato produzir lá.
Certamente é muito gratificante e tranquilizador pensar que as coisas mudaram para os chineses e a qualidade de vida mudou.
Obrigada por compartilhar sua experiência :-).
Beijos
Aline

Resposta
Christine Marote Abril 17, 2015 at 4:19 pm

É Aline, as coisas aqui ainda estão mudando. Ainda temos uma mão de obra barata, se bem que não tanto como a da India. Mas a demanda é muito grande. E pagar pouco, mas garantir emprego para todos não é tão ruim assim, num país com a população do tamanho da China. O custo de vida para o chinês é muito baixo, principalmente no que se refere a alimentação. Além de que as fábricas que produzem esses produtos quase nunca estão em Shanghai. Ficam nas cidades de interior onde o custo de vida é mais baixo até para o estrangeiro. Mas esse é um assunto que rende… muito! =]
Abraço.

Resposta
Renan Abril 18, 2015 at 12:24 pm

Olá, Christine!
Gostei muito do texto. Parabéns.
Tenho uma dúvida: Eu sei que depende muito do “estilo de vida” de cada pessoa. No entanto, gostaria de saber sua opinião acerca de se viver em Pequim por 3.000,00 yuans por mês, sendo que teria minha acomodação (aluguel, agua, luz) já pagos também, assim como saúde. Explico: esse é o valor da bolsa de estudo que sou candidato para a China. Viveria no apto da própria faculdade e teria direito a usar o hospital da faculdade também. E bolsa integral.
Então, 3 mil yuans em Pequim… é possível viver?? rs..

Resposta
Christine Marote Abril 18, 2015 at 3:10 pm

Olá Renan,
Como você disse, vai depender do estilo de vida. Em Shanghai esse valor é suficiente para comer e se locomover. Sem compras, baladas, viagens.
Em Beijing, até onde eu sei, é mais barato do que Shanghai.
Você pode consultar o link que coloquei no final do texto e ter uma noção melhor dos custos em Beijing.
Claro que se você comer na universidade, ou somente comida chinesa, esse dinheiro é suficiente.
Resta saber se você irá se adaptar a isso. Conheço alguns estudantes do mesmo programa, em outras cidades, mas que vieram há um ano. O câmbio ajudava e eles tinham mais remimbie em mãos, ou seja, viviam melhor com o mesmo valor em reais!
Abraço.

Resposta
Renan Abril 18, 2015 at 3:49 pm

Muito obrigado pelo esclarecimento.
Realmente gostaria que o câmbio voltasse a nos ajudar. R$1 – 3 RMB já estaria ótimo..rs.
Vou pesquisar mais e usar aquele link recomendado.
grato.

Abraço

Resposta
Christine Marote Abril 18, 2015 at 4:25 pm

Por nada! E volte sempre. =]

Resposta
Samuel Gallo Abril 20, 2015 at 12:39 am

Muito bom o texto,gostei! parabéns!
Xiexie.

Resposta
Christine Marote Abril 20, 2015 at 12:48 pm

Obrigada Samuel! Bukèqì.

Resposta
Patrimônios da Humanidade na China em E-book | China na minha vida Abril 26, 2015 at 6:51 am

[…] China: quanto custa viver desse lado do mundo? […]

Resposta
túlio carvalho Junho 25, 2015 at 1:37 pm

olá, Cristine!
Gostei bastante do seu texto.
e se você puder me ajudar, eu gostaria de saber se um salário na faixa de 2 mil dólares é suficiente para sobreviver em Guangzhou.
Minha esposa recebeu algumas sondagens, para ensinar numa escola internacional e o salário de algumas propostas giravam em torno disso. mais os beneficios, que incluiam moradia e plano de saude.

Eu teria que me adaptar e buscar algum espaço no mercado chines..

Resposta
Luiz carlos Agosto 3, 2015 at 10:22 pm

Caixa de chocolate por 58 reais aqui em maceio eu compro por 6, 50 um dia eu vou aí na china e vou levar caixas de chocolate para dar para os amigos que eu conquistar, mais um dia eu irei pra china. Até logo.

Resposta
Christine Marote Agosto 4, 2015 at 1:55 am

Olá Luiz Carlos.
Obrigada pela visita!
Mas você tem que levar em conta que o bombom aqui é importado… por isso o preço absurdo! hehehe
E pode trazer sim, que todos vão amar… quando estamos longe de casa sentimos saudades de qualquer coisa simples, que nos leve aos sabores do Brasil.
Abraço.

Resposta
China – Graduação do outro lado do mundo? Setembro 29, 2015 at 8:18 pm

[…] na China, já dá para ter uma noção do custo total. Também recomendo que olhem o artigo sobre custo de vida que escrevi […]

Resposta
Endrio Outubro 10, 2015 at 8:17 am

Muito interessante. Sou estudante de engenharia e estou fazendo um planejamento de longo prazo para trabalhar na China quando me formar ^^ Muito informativo. <3
Ri muito quando vi o preço do Chocolate hahahahahahaha. Acho que por isso que alguns chineses ficam felizem com presentes estrangeiros, com esse preço também hahha.

Resposta
Christine Marote Outubro 11, 2015 at 2:56 am

Olá endrio.
Obrigada pela visita!
Sim, os chineses adoram um presente importado. Trago caixas de bobom Garoto e Nestlé para dar de presente aqui. Outra coisa: comida sempre é um presente bem vindo…rs
Abraço.

Resposta
Portugal – Custo de Vida Outubro 22, 2015 at 7:15 pm

[…] pessoa quando emigra é o custo de vida do país que escolheu para viver. A Christine escreveu um texto interessante sobre o tema, a Cintia Beatrice falou sobre o custo de vida na Holanda, a Allane já contou […]

Resposta
Sabrina soares Novembro 30, 2015 at 1:56 am

Olá , também sou mulher de piloto e tenho uma filha de 15 anos , estamos pensando em morar Kunming , mas fiquei meio assustada do valor escola internacional , é mais barato estudar USA . ( e da caixa chocolate !!!)

Resposta
Christine Marote Novembro 30, 2015 at 3:30 am

Olá Sabrina,
Obrigada pela visita e comentário.
A realidade que passsei de preços de escola internacional é a de Shanghai.
Mas sei que em cidades menores, mais afastadas desse centro, as mensalidades, bem como os aluguéis e custo de vida geral são bem mais baixos.
No corpo do texto tem um link que te leva num site de custo de vida em diversas cidades, você pode dar um olhada nele e ver se a cidade que você irá viver.
Abraço,

Resposta
Geraldo Pedrosa Julho 17, 2016 at 2:28 am

Muito bom seu blog, estou em estagio nos EUA esse ano e estou muito interessado em ir direto para China depois daqui para um outro intercambio, dessa vez para aprender a lingua. comecei a pesquisar sobre a China essa semana e depois que descobri seu blog foi muito esclarecedor pra mim.
A minha questão é a seguinte, penso em tentar um visto de trabalho e paralelamente fazer um bom curso de Mandarin, com a remuneração de um trabalho comum eu consigo pagar meus gastos(gastos gerais e tambem o curso)?? se me dedicar ao estudo e pocurar evitar o convivio excessivo com imigrantes(tentar praticar ao maximo o idioma nativo) em 8 meses qual provavelmente seria o nivel de mandarim alcançado?
Desde já mto obrigado pelo blog, muito bom e esclarecedor!!

Resposta
Christine Marote Julho 22, 2016 at 11:02 am

Olá Geraldo,
Obrigada pela visita e comentário ao blog.
Você poderá vir com um visto de trabalho, mas fazer o mandarim junto, em 8 meses, não sei se dará a fluência no idioma. O ritmo de trabalho aqui é puxado e você teria que se dedicar muito ao estudo do mandarim para sair falando em 8 meses. E se quiser mesmo fazer uma imersão, não recomendo Shanghai (Xangai), uma cidade muito internacional, em que há estrangeiros em cada esquina.
Abraço e boa sorte.

Resposta
Roberto Agosto 4, 2016 at 11:53 am

Opa!
É muito difícil, um brasileiro conseguir residência por aí sem ir com contrato de trabalho ou ser descendente?

Resposta
Christine Marote Agosto 5, 2016 at 12:36 am

Olá Roberto,
Visto de residente, sem contrato de trabalho é praticamente impossível. E a descendência também não garante o direito de viver aqui, sendo estrangeiro.
Abraço.

Resposta
Carlos Novembro 3, 2016 at 11:29 am

Bom dia!

Estou indo pra Pequim com visto de trabalho de 2 anos.
Gostaria de saber como funciona a compra e o aluguel de carro lá (o que vale mais a pena).
Não pretendo morar mais que este período, por isto avalio se compensa alugar ao invés de comprar um carro ou moto por exemplo.
Outra coisa é saber se vc pode detalhar como é a relação com os bancos, com nós estrangeiros. Eles tem linhas de créditos para compra de carros, cheque especial, cartão de crédito e essas coisas que temos como “normais” aqui no Brasil?
Obrigado desde já!

Resposta
Christine Marote Novembro 5, 2016 at 10:32 am

Olá Carlos,
Obrigada pelo contato.
Bom, sobre dirigir aqui, primeiro você terá que tirar sua carteira de habilitação chinesa. Depois você pode decidir por comprar um carro. As motos, se forem as scooters elétricas, não precisa de nada. Só comprar e sair dirigindo.
Motos grandes não são fáceis de comprar aqui e tem muitas restrições de tráfego. Uma opção é alugar o carro com motorista.
Tem um artigo aqui, que fala um pouco sobre isso:
http://www.brasileiraspelomundo.com/china-dirigir-ou-nao-dirigir-48114760

Quanto ao sistema bancário, é completamente diferente do nosso. Cartão de crédito é possível ter em alguns casos, mas quase não é aceito. E linhas de crédito para estrangeiros eu desconheço.
Cheque não ec=xiste aqui, o que dirá o especial. Uma das coisas mais interessantes que aprendi aqui, é gastar o que se tem e comprar o que nosso dinheiro (que já está na conta) pode pagar.
Uma maravilha. Sem dívidas, nem prestações.

Abraço.

Resposta
Caetano Silva Fevereiro 8, 2017 at 12:20 am

Ola Christine, estou com um proposta de trabalho para Shanghai sendo que nos primeiros 5 meses eu teria moradia “free e o salário seria de 5000 RMB e a partir do sexto mês 10000 RMB mas sem moradia, seria suficiente para viver sem muito aperto e talvez juntar alguma coisa pra viajar?
Obrigado!

Resposta
Christine Marote Fevereiro 8, 2017 at 11:48 am

Olá Caetano,
Obrigada pelo contato,
Shanghai é uma das cidades mais caras da Ásia, e a mais cara da China Continental.
O valor mencionado, se você é sozinho, pode dar para viver, mas apertado, sem muita chance de guardar dinheiro.
Você abriu o link que tem nesse artigo do site Numbeo? Ele dá um bom parâmetro. Os itens que mais pesam são aluguel e alimentação (se você quiser usar os produtos importados no seu dia a dia, com o paladar ocidental). A comida chinesa é muito barata.
Em relação ao aluguel, dá uma olhada no Smart Shanghai (smartshanghai.com), para ter uma ideia. Se colocar ‘Real Estate Shanghai’ no Google, também terá acesso a outras imobiliárias. Se for no centro da cidade, você conseguirá um quarto (apartamento compartilhado) por volta de 3 a 4 mil RMB.
Agora pondere, pois não deixa de ser uma experiência profissional no exterior. E também vai depender muito do seu estilo de vida. Só não venha com muita expectativa.
Abraço e boa sorte.

Resposta
Thiago Março 30, 2017 at 9:35 pm

Ola Christine, adorei as informaçoes.
Eu vou viajar dentro de dois meses para China e vou ficar la por 3 meses, vou ficar na cidade de Shenzhen e gostaria de saber se você teria um contato por que eu gostaria de tirar algumas duvidas ja que vou sozinho e estou um pouco perdido em como me virar la.

OBRIGADO.

Resposta
Christine Marote Abril 1, 2017 at 1:37 am

Olá Thiago,
Obrigada pelo contato.
Vivo em Shanghai, não conheço muito de Shenzhen, mas sei que há bastante brasileiros por lá. Há um grupo no Facebook – Brasileiros na China. Lá você poderá encontrar pessoas de todas as regiões.
Abraço e boa viagem.
Você verá que a vida aqui é mais complicada que no Brasil, mas mais simples do que imagina. =P

Resposta
Carlos Maio 2, 2017 at 1:56 pm

Olá Christine,

tenho certeza que seus posts já ajudaram centenas de pessoas e li todas as perguntas e respostas para esclarecer mais minhas dúvidas assim como entrei no site numbeo e até comparei com minha cidade atual Belo Horizonte para entender um pouco melhor. Peço desculpas pelas perguntas mas uma mudança na qual me proponho BH para Shanghai implica em muitas dúvidas e que só os brasileiros como você podem ajudar.
Sei que o custo de vida em Shanghai é muito alto mas o que me assustou mesmo foi o aluguel e escola para os filhos, existem cidades próximas que pode se reduzir os custos e mesmo assim ter uma boa qualidade de vida? Me preocupo muito na mudança para minha família então gostaria de um bom local mas um preço acessível.
Como disse acima, sua ajuda é muito valiosa pois está em Shanghai e pelo jeito conhece muito bem.

Novamente, muito obrigado e tenha um bom dia!!

Resposta
Christine Marote Maio 3, 2017 at 10:54 am

Olá Gutto,
Obrigada pelo contato.
E sim, Shanghai é uma cidade muito cara, os aluguéis são exorbitantes e as escolas internacionais caríssimas. Quanto mais velhos forem seus filhos, mais caras as mensalidades. Mas, dependendo da idade, fica muito difícil colocar numa escola local, por conta da alfabetização.
As cidades próximas, como Hangzhou e Suzhou, oferecem uma boa qualidade de vida, com custo bem menor.
Vale pesquisar, mas se você for trabalhar em Shanghai, tem o deslocamento que nem sempre é rápido.
Geralmente as empresas assumem os gastos de escola e moradia, por isso tantos estrangeiros estão na cidade.
No meu blog pessoal, chinanaminhavida.com , você irá encontrar algumas informações a mais.
Abraço e boa sorte.

Resposta
Carlos Maio 3, 2017 at 1:13 pm

Uma decisão difícil Christine pois para minha profissão a empresa não paga casa nem escola e fiquei em dúvidas se o valor cobriria todos os custos.
É muito dificil essa decisão mas apenas de curiosidade, com um valor próximo a U$ 12.000,00 você acha possível uma boa qualidade de vida em Shanghai? Escola para 2 filhos de 5 e 8, aluguel, despesas em geral e um estilo de vida sem exageros. O meu deslocamento seria apenas para o aeroporto e nada mais.
Christine, imagino as inúmeras mensagens que recebe. Eu e minha mulher estamos em dúvida e o seu blog é uma referência muito boa para nós, ficamos um bom tempo apenas lendo e acabou que criamos coragem para perguntar.
Sei que valores dependem de inúmeras variáveis mas gostaria de uma opinião em geral mesmo.
E mais uma vez me desculpa pelo exagero.
Abraço!

Resposta
FERNANDO FIRMINO Setembro 28, 2017 at 5:33 pm

Pretendo vistar a China no próximo ano sou evangélico aqui no Brasil qual cidade vc mim recomenda visitar adoro conhecer novas culturas! Christiane Marote

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação