BrasileirasPeloMundo.com
China Turismo Pelo Mundo

De onde vem a porcelana chinesa

De onde vem a porcelana chinesa.

Uma das minhas maiores paixões na China, são as porcelanas. Não tem como não se apaixonar por tantos detalhes, pinturas e cores.

Se bem que geralmente caio nas azuis e brancas – são maravilhosas! E assim minha casa é uma repetição de várias formas azuis e brancas, claro. Alguns toques vermelhos, um vaso e uma bandeja e deu.

Dentro dessa loucura que são os mercados de porcelana em Shanghai, cidade onde vivo, descobri que havia uma cidade onde todas essas preciosidades de beleza infinita eram feitas. Que Disney que nada… quero ir para a capital da porcelana chinesa!

E assim, lá fomos nós para Jingdezhen!

Jingdezhen, uma cidade com aproximadamente 300.000 habitantes, fica na província de Jiangxi e está imortalizada na história como o ponto de partida da ‘Longa Marcha’, além de ser famosa pela produção de porcelana para as famílias imperiais. Até hoje é considerada a capital da porcelana chinesa, mais por tradição do que de fato ser a maior produtora de porcelana.

A porcelana na China existe desde a dinastia Han, mas o que levou Jingdezhen ter esse título, foi a descoberta da verdadeira porcelana durante o período de 907 a 979, baseada na argila rica em feldspato, encontrada no local. Mais tarde, durante a dinastia Ming e a capital ser fixada em Nanjing (próximo a Jingdezhen), a fama da cidade ficou ainda maior. O seu produto mais apreciado era a porcelana azul e branca (realmente eu tenho o faro…).

A cidade em si não é cartão-postal, na realidade eu me decepcionei um pouco ao deparar com um lugar, que é tido como ponto turístico e estar com uma aparência abandonada, até um pouco sujo.

Leia também: Novas regras para visto de trabalho na China

Mas queria muito conhecer, então fizemos um passeio de um dia e meio. O suficiente para conhecer os museus e a aldeia de artesãos. Na realidade se não estivéssemos no verão escaldante chinês, seria possível estender um dia a mais e passear nos parques e aldeias que estão situados ao redor da cidade.

Só fomos em um desses locais, e sinceramente, poderíamos ter aproveitado melhor a beleza e paz do local se não fosse o calor. Mas mesmo assim valeu.

Fica a dica: viajar pela China entre junho e agosto é altamente desgastante, já que o calor é para forno nenhum botar defeito! Final de julho e agosto são os piores períodos, com temperaturas chegando aos 45 graus fácil, fácil.

O que fazer em Jingdezhen

Começamos visitando o Museu da PorcelanaJingdezhen Porcelain Museum –  um prédio antigo, e bem vazio. Praticamente abriram as salas para que visitássemos; só quando estávamos deixando o local que chegou um grupo de chineses para visitar.

O museu mostra a história da porcelana desde a dinastia Song, passando pela Ming e Qing. E o acervo de peças produzidas após a criação da República Popular da China.

O interessante é perceber como foram mudando/evoluindo os utensílios, a pintura e o estilo da porcelana. Peças maravilhosas, algumas com milênios de história.

Imperial Kiln National Park

Um parque tranquilo com vários pequenos espaços de exposição e, diferente do primeiro museu, com uma aparência mais bem cuidada. A paisagem é linda e existe uma grande maquete no final do parque que mostra como era a vila de artesãos antigamente. Muito legal.

Jingdezhen Ancient Kiln & Folk-Custom

Além do jardim cheio de porcelanas espalhadas. Aqui, até os cacos de vasos formam um lindo muro, uma calçada…

O mais legal dessa visita foi poder ver, passo a passo, como são feitas as peças. Também há alguns artesãos já idosos, mas de um talento ímpar, que pintam e se pode comprar as peças feitas por eles com certificado de autenticidade e tudo mais… Bem no estilo chinês de ser.

Também há opções de fazer sua própria peça, em oficinas. Mas não nos arriscamos a mostrar nossos dotes artísticos.

Fábrica de Porcelana

Apesar de parecer meio ‘para turista’, um cenário montado, foi interessante porque pudemos ver os passos da fabricação da porcelana hoje em dia. E uma coisa é certa: apesar dos desenhos serem quase sempre os mesmos, o trabalho é artesanal, um a um.

Ver a destreza daqueles artesãos com o pincel e o lápis, com que precisão eles desenham nas peças… é hipnotizante. Não dá vontade de sair de perto deles.

E claro que no final da visita tinha uma LOJA! Mas as coisas eram absurdamente caras. Em contrapartida, vimos as porcelanas que hoje são difíceis de encontrar no mercado: aquelas quase transparentes… MARAVILHOSAS!

Compras

Resumindo tem de tudo um pouco. Das maravilhosas peças que conhecemos no ocidente, passando pela linha mais contemporânea que está ganhando força na China, até aquelas coisas, como poderia descrever…, de gosto duvidoso…

E no final…

O interessante na cidade é que realmente incorporou esse negócio da porcelana e tudo, desde de postes de luz até as lixeiras de rua, imitam as porcelanas que dão o status à cidade.

Acho que o governo poderia investir mais nessa cidade, pois teria um potencial turístico muito grande. Ao menos para os amantes da porcelana Chinesa!

Mesmo com o calor e a falta de estrutura, adoramos a visita e fiquei ainda mais apaixonada por esses objetos de desejo no ocidente.

Até a próxima!

Related posts

Passeios para aproveitar o verão no Porto

Tamyris Almeida

Dicas para viajar de motorhome pelos EUA

Jenny Rosén

Turismo na região de Halkidiki na Grécia

Aimée Bardella Aihst

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação