BrasileirasPeloMundo.com
Austrália Empregos Pelo Mundo

Dicas sobre empregos na Austrália

Dicas sobre empregos na Austrália.

A Austrália é um país lindo, de natureza intocada e praias de babar, geralmente associado a férias. Certo? Mais ou menos. A realidade é que o país possui um custo de vida altíssimo, e com a vida tão cara é preciso trabalhar muito.

Um outro jeito de trabalhar:

Se compararmos com o Brasil, o jeito de trabalhar é bem diferente. Para começar, a maioria dos trabalhos será remunerado por hora, a exemplo de outros países como os EUA.

Então, se o empregador está pagando por hora de trabalho, ele vai esperar total dedicação e não irá tolerar atrasos, por exemplo. Aliás, chegar atrasado é uma das piores coisas que você pode fazer pela sua reputação por aqui…

E se você está recebendo por hora, não será para ficar checando facebook, certo?

Flexibilidade

As relações de trabalho são bastante reguladas, existem sim obrigações trabalhistas dos empregadores.

Contudo, a grande diferença está na flexibilidade que empregadores possuem ao contratar seu staff: casual, por exemplo, onde o salário por hora trabalhada será maior porque não existirá o direito a férias remuneradas ou pagamento do fundo de aposentadoria, entre outros.

CV e referências

A maneira como se escreve um CV possui em si um forte componente cultural. Por exemplo, nem pense em anexar uma foto! Aliás, por que os brasileiros sempre querem colocar uma foto no currículo? Dados como idade, nacionalidade e gênero devem ficar de fora, ao menos que sejam um critério fundamental na discrição da vaga. Você será avaliado pela sua qualificação e experiência. Sites de emprego contém dicas que podem ajudar.

Provavelmente você terá que apresentar nome de duas ou mais pessoas que serão suas referências, geralmente ex-chefes ou supervisores. Recomendações terão um peso grande e podem ser a diferença entre ser ou não contratado.

Antes que alguém pergunte: nem pense em mentir no seu currículo. O fato de ter trabalhado fora da Austrália não quer dizer que essas informações não serão checadas. Existem agências que fazem essas buscas e, vale lembrar, você não será o único imigrante por aqui.

Mercado qualificado e competitivo

O mercado de trabalho australiano é bastante qualificado e competitivo.

Em razão da crise mundial, milhares de imigrantes altamente qualificados chegaram na Austrália, principalmente vindos do Reino Unido. O mercado ficou mais exigente: as empresas seguem contratando, mas irão escolher os profissionais mais qualificados.

Existe praticamente um curso para cada tipo de trabalho: curso para aprender a fazer café (baristas, como queiram), curso (e licença) para limpar vidros de fachadas de edifícios, curso (e licença) para ser barman, e por aí vai. Faz sentido se pensarmos que cada equipe de trabalho é formada, chances são, por pessoas de diferentes backgrounds, idades, países, e tais “cursos” servirão como uma forma de igualar conhecimentos. Às vezes, vai ser preciso sim dizer para o recém-contratado auxiliar de cozinha que ele precisa lavar as mãos antes de tocar na comida. Resposta: no meu país não! Deu pra ter uma idéia?

Pagamento/semana

Muitos trabalhos serão pagos a cada semana, embora dependendo do cargo ou empresa o salário será pago no final/início de cada mês. E a maioria dos aluguéis também! Muito mais fácil não? Eu adorei, ótima forma de manter o orçamento sob controle.

Part-time

O conceito de part-time talvez seja o mais diferente para nós. Independente do tipo de trabalho, a pessoa é contratada para trabalhar ou alguns dias da semana, ou um turno apenas. Tudo isso tendo os direitos de um empregado full-time só que proporcional ao tempo trabalhado. Já enxergou a consequência? O paraíso dos estudantes e das mamães!

Cash-hand

Esse é o termo para trabalhos que pagam em dinheiro vivo e sem qualquer vínculo, ou seja, informais. Por que é bom? Bem, dependendo da sua necessidade, pode ser uma santa ajuda: é o caso por exemplo, de quem não tem autorização para trabalhar por restrição no visto de estadia na Austrália ou porque possui restrição no número de trabalho permitidas. Nessa categoria se encontram muitos estudantes internacionais. Exemplo: trabalho de babá, de faxina, de jardineiro… E tudo mais que a imaginação permitir.

Por que é ruim? Por várias razões, eu listo três: porque você não estará recebendo o pagamento do fundo de aposentadoria, que é uma despesa/obrigação do empregador. Segundo, porque você não terá qualquer tipo de proteção em caso de acidente, já que em tese você nem ali estava… Sei do caso de uma menina chinesa, trabalhando informalmente num restaurante, que sofreu uma queimadura grave na cozinha. Ela não só teve que pagar extra por seu tratamento médico como não teve direito a nenhuma compensação financeira por parte do restaurante. Acabou deixando o país em poucos dias. Por último, para alcançar um emprego melhor você vai precisar provar o emprego anterior e apresentar referências.

Quanto?

Na média, os salários na Austrália são bem altos sim. Um erro comum de quem olha de fora é comparar os salários australianos com os de outros países (todo mundo faz, eu também já fiz…). Por quê? Porque existe o princípio da proporcionalidade! O custo de vida é também muito, mas muito alto. Por uma conjunção de fatores, a Austrália é hoje o país com o custo de vida mais caro entre o grupo do G20, o que inclui Noruega, Suíça, Dinamarca, Suécia.

Onde você vai ganhar? Na tal qualidade de vida.

Horas

O horário padrão de trabalho é das 9 horas da manhã até as 5 horas da tarde. Mas dependendo do cargo, como em qualquer outro país, se trabalha horas a mais (e muitas) que nem sempre serão pagas.

Normalmente só se tem uma hora de almoço: nada comparado com os longos almoços da vida latina!

Trabalho é trabalho

Talvez pela própria história do país, ou pela cultura dos jovens buscarem um “student job”, qualquer trabalho será respeitado e bem remunerado.

Mesmo um trabalho menos qualificado proporcionará uma vida digna. É assim que deveria ser sempre, não?

É melhor deixar o preconceito em casa, abrir os olhos para habilidades e o “saber fazer”, porque muitas vezes isso valerá mais do que um diploma.

Para trabalhar na Austrália, vale lembrar, é preciso ter visto e autorização de trabalho.

Related posts

Dicas para conseguir um emprego na Dinamarca

Camila Vicenci Witt

Quais são os esportes populares na Austrália?

Aline Arruda

O que beber na Austrália

Juliana Letra

16 comentários

ackolb Junho 26, 2014 at 10:23 pm

Mariana otimo texto, acho muito importante o fator que você falou de comparar de forma absoluta o valor de salários, sem contar com o custo de vida. Se olharmos aqui na Suica por exemplo, os salários são altos, mas o custo de vida também. Por outro lado pensamos que as coisas são caras,mas quando vejo no Brasil, que você paga INPS e tem que pagar um seguro saúde particular, se não quiser morrer nos hospitais do SUS, você paga impostos, mas tem que pagar escolas particulares, pois as publicas tem problema de infra-estrutura, qualidade de professores, violência, greves, você paga impostos, mas tema que pagar condomínios caros com porteiro 2 horas ou mesmo segurança particular pra rua, devido a violência no pais, tem que ter carro, pois transporte publico é complicado. enfim tudo vc paga a mais, pois paga impostos altos, mas não tem os serviços que deveria ter. Otimas dicas! Namasté 🙂

Resposta
Mariana Camargo Junho 28, 2014 at 2:14 am

Oi Ana Cristina! Bom que vc gostou do texto! Fiquei pensando que o custo de vida na Suíça deve ser parecido com o nosso da Austrália. Concordo totalmente com o seu comentário: é muito triste compararmos os preços/custos/impostos do Brasil com o pouquíssimo retorno nos serviços. É uma realidade que todos nós conhecemos, mas fica tão mais chocante uma vez que a gente mora fora, não? Bj desde Sydney,

Resposta
Ana Carolina Junho 27, 2014 at 9:59 am

Excelente texto, Mariana! Muito esclarecedor e abrangente! Parabens! x

Resposta
Mariana Camargo Junho 28, 2014 at 2:05 am

Obrigada Ana! bj 🙂

Resposta
Cintia Junho 28, 2014 at 5:31 pm

Mariana, texto claro e objetivo. No fim no Brasil o custo de vid atambém é bem alto,mas com o agravante que a maioria dos salários não acompanha. Bjs

Resposta
Mariana Camargo Julho 13, 2014 at 5:48 am

Oi Cintia!
Obrigada, que bom que vc gostou do texto! Concordo com você, o custo de vida no Brasil também é muito alto. Na minha última visita ao Brasil fiquei impressionada com os (novos) preços dos serviços, supermercado, restaurantes…
O que eu sempre ressalto é que não dá para se iludir com o valor absoluto do salário sem considerar o custo (altíssimo) custo de vida. Por exemplo, o custo da moradia, especialmente em Sydney – onde nós moramos.
bj até o próximo post!

Resposta
Carol Z. Julho 12, 2014 at 11:14 pm

Mariana, adorei seu post!
Estou começando uma pesquisa sobre a Austrália e gostaria de conversar melhor com você sobre suas experiencias e vivências. Teria como me passar seu contato?
Obrigada!

Resposta
Mariana Camargo Julho 13, 2014 at 5:38 am

Oi Carol,
Que bom que você gostou do post!Pesquisar bastante sobre o país/local onde você pretende morar ou imigrar é o melhor caminho.
Me adiciona no fb que na medida do possível eu vou respondendo. Nesse meio tempo, segue acompanhando o blog BPM!:)

Resposta
Michele Setembro 8, 2014 at 9:27 pm

Boa noite, Mariana
Estou fazendo um trabalho da faculdade onde estou usando exemplos de saúde e educação de outros países, em comparação ao Brasil. Aqui pagamos plano de saúde e escolas particulares ou nos sujeitamos a saúde ruim e educação nem sempre positiva. Porém minhas filhas estão em escola pública em Brasília e acabamos dando sorte com está, é pequena e bem assessorada pela direção. Mas de qualquer forma como é ai? Pagasse hospital para tudo, ou tem centro de saúde como temos aqui?

Agradeço se puder responder.
Michele

Resposta
Mariana Camargo Setembro 9, 2014 at 2:13 am

Oi Michele,
O sistema público de saúde e educação na Austrália em geral é muito bom. As escolas públicas recebem os alunos que moram naquele bairro/área, a idéia é que as crianças atendam a escola mais perto de casa. Muitas vão para a escola caminhando. Uniforme (completo, incluindo sapatos, meias padronizados) é obrigatório, e ninguém acha ruim. Uma curiosidade: por causa do alto índice de câncer de pele no país (o maior do mundo), é obrigatório sair no pátio de chapéu (também faz parte do uniforme)! Todos usam, sem chapéu não podem ir brincar no pátio no recreio. Algumas escolas públicas são excelentes e se destacam das demais, mas todas são limpas, bem equipadas, com instalações adequadas e em ótimas condições de receber os alunos. Os pais são estimulados a participarem de perto da educação dos filhos, os professores recebem um salário digno para a função. Existem também, como em qualquer país, as escolas particulares. Mas elas são uma opção para famílias (geralmente ricas ou por questões religiosas), pois a escola pública fornecerá um bom ensino de primeiro e segundo grau.
Como já comentei nesse blog, aqui se pagam impostos altíssimos. Dependendo da renda familiar o imposto pode chegar a 48% do total de ganhos de uma família/profissional. A diferença é que o estado (o governo) dá muito em contra-partida: a educação pública é de qualidade, por exemplo. Mas não é totalmente gratuita: se paga uma pequena taxa por ela (o que no total faz diferença).
O mesmo pode se dizer em relação ao sistema de saúde. Se a família optar, pode fazer um plano de saúde privada como complementar. Mas a saúde pública (o SUS daqui) vai oferecer bom atendimento. O sistema não é totalmente gratuito, mas de uma maneira geral a população é muito bem atendida. O sistema é bastante diferente do brasileiro: primeiro se consulta um clínico geral, e se necessário, ele fará o encaminhamento para especialistas, irá solicitar exames, etc. Novamente, dependendo da zona e da cidade (assim como no Brasil), os centros de saúde são melhores ou piores. O mesmo vale para hospitais. E assim como as escolas, os moradores da região é que irão acessar esses centros/hospitais – não adianta eu resolver ser atendida no melhor deles do outro lado da cidade…
Espero ter respondido! 🙂

Resposta
Eluana Farias Novembro 9, 2014 at 1:18 am

Excelente texto! A Austrália é um lugar incrível e estou completamente apaixonada (há muito tempo haha). Mariana, desculpe o inconveniente, mas também sou formada em direito e estou doida pra ir praí.. sei que o reconhecimento do curso de direito na Austrália é trabalhoso e demorado, mas a minha maior dúvida é.. posso trabalhar enquanto faço as matérias para validar o curso? e pra que visto eu tenho que aplicar?
Agradeço desde já.
Abraços.

Resposta
Mariana Camargo Novembro 10, 2014 at 12:02 am

Oi Eluana,
que bom que você gostou do texto. Dá uma lida também no post Trabalhando na Austrália parte 1 e comentários. Quanto as condições e permissão de trabalho, vai depender sempre do tipo de visto que vc estiver. Um agente de imigração registrado será a pessoa qualificada para ajudar você nesse aspecto. Boa sorte 🙂

Resposta
chenaokevara Dezembro 6, 2014 at 5:22 pm

Oi!
Sabe com está a área da licenciatura?
Estou para me formar em história, será que é fácil conseguir?
Será que funciona como o Brasil na tal da ACT? Onde até da de dar aulas em disciplinas afim como geografia, filosofia e religião.
Ou senão português o/

Vlw

Resposta
Mariana Camargo Dezembro 8, 2014 at 9:41 am

Oi Marcos,
Realmente não tenho informação sobre licenciatura. Mas posso antecipar que qualquer validação, assim como o processo de imigração, não é fácil nem barato. Vai requerer no mínimo muita dedicação de sua parte, exames (no mínimo de inglês), extensa documentação, traduções, etc. Segue pesquisando e boa sorte 🙂

Resposta
leandro Batista Março 18, 2015 at 8:00 pm

Oi Mariana, obrigado pelo tempo desprendido para elaborar esse ótimo post! Tenho intensão em ir pra Australia, trabalhar (part-time) e estudar. Uma dúvida que me surgiu, é se indo sem emprego certo, consigo ser contratado na Austrália, e conforme for meu desempenho, fazer com que a empresa me contrate full-time e se torne minha partner, possibilitando que eu consiga meu VISA de Trabalho.

Você sabe se isso é possível, e se para eventualmente mudar de VISA Estudante, para de Trabalho, eu consigo alterar sem precisar voltar ao Brasil? Sabe de algum caso assim? Obrigadooo!!

Resposta
Mariana Camargo Março 20, 2015 at 12:10 pm

Oi Leandro,
Se vc conseguir que uma empresa te patrocine, o que é a meta de 10 entre 10 profissionais que querem entrar na Austrália, eles vão poder cuidar/encaminhar o seu visto. Cada visto vai ter condições e requisitos diferentes, então a sua resposta vai depender das peculiaridades do seu caso. Quem vai poder lhe ajudar é um agente de imigração. Boa sorte !

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação