BrasileirasPeloMundo.com
Estudando Pelo Mundo EUA

Educação Não-Escolar em Santa Cruz – Balanço Geral

arquivo pessoal

Já faz algum tempo que venho escrevendo sobre a minha experiência com a educação não-escolar (Homeschooling) de minha filha mais nova, uma prática que, confesso, me cativa mais a cada dia.

Escrevi bastante sobre esse assunto na saudosa plataforma Brasileirinhos pelo Mundo (atual Mães Mundo Afora) e recentemente iniciei um Blog próprio – Homeschooling em Português — para compartilhar, de forma mais direta e descontraída, minhas aventuras e também as decepções que surgem especialmente quando tenho que conviver, mesmo que minimamente — já que vivemos em sociedade — com os inúmeros problemas e má-interpretações irrompidos pelo sistema público de escolarização americano de nossa região e seus patentes equívocos, certamente um assunto para um outro post.

Pois é, minha gente, o final do ano chegou e com ele a necessidade de examinarmos nossa trajetória em 2019 a fim de brindarmos mais e melhor os nossos acertos, como também buscarmos aprender com as nossas experiências desagradáveis, que sempre nos levam adiante para um outro nível de conhecimento de mundo, não é mesmo? Venho, assim, compartilhar com vocês como tem sido minha experiência com Homeschooling/Unschooling aqui em Santa Cruz e já projetar meus melhores votos para 2020 a todas nós, brasileiras diferenciadas!

Evidenciando Algumas Diferenças

A prática de educação não-escolar é extremamente comum aqui na Califórnia, especialmente em Santa Cruz.
No entanto, ainda existe alguma confusão que precisa ser esclarecida no que tange o uso e os conceitos atrelados a alguns termos.
O termo Homeschooling refere-se à pratica não-escolar de educação de crianças e adolescentes.

Ao contrário do que se pensa, Homeschooling, apesar do que o nome diz, não subentende automaticamente a educação domiciliar unicamente, posto que a prática de educação se dá empiricamente em vários outros lugares, como clubes, bibliotecas, espaços especiais para aprendizagem, acampamentos, empresas, oficinas, igrejas e etc.
Essa prática educacional pode ser implementada pelos pais e/ou por tutores de forma presencial e via internet, combinadamente, opção que cresce cada vez mais por conta do progressivo número de casos de bullying que estão ocorrendo no sistema escolar público americano.

Por sua vez, Unschooling seria uma modalidade de Homeschooling, ou de Educação Não-Escolar, mas cuja diferença seria a flexibilidade dos modos de alcançar a aprendizagem por parte do aprendente.
A criança/adolescente aprende de acordo com o seus interesses, explorando o mundo e seus recursos, sem precisar seguir um currículo específico ou programa escolar.

Muitos outros termos são empregados para descrever a prática do Unschooling. Além de compreender o sentido de “não-escolarização”, em que o indivíduo elege seus interesses de aprendizagem e age em busca de satisfazê-los — algo como um autodidatismo assistido— ao pé da letra Unschooling poderia também significar a “desescolarização”, ou o ato de remover a escolarização do indivíduo já embotado por ela.

Neste ponto, é importante compreendermos a diferença entre escolarização e educação.

Não Deixe a Que a Escola Atrapalhe a Educação de Seus Filhos

Essa notória frase foi inicialmente atribuída a Mark Twain, célebre escritor americano, mas já aparecia previamente em 1894 — um ano antes do nascimento de Twain — na literatura do novelista Grant Allen, em seu livro Post-Prandial Philosophy, cujo trecho traduzo a seguir:

“Um ano na Itália, com os olhos abertos, vale muito mais do que três na Universidade de Oxford; e seis meses de vivência nos campos com uma lente platyscópica [com um amplo campo de visão] lhes ensinariam coisas diferentes sobre o mundo ao seu redor, mais do que aprenderiam em todos os períodos passados nas Escolas de Harrow e Winchester. Mas isso acarretaria vários problemas para os professores.
Que desgraça é o fato de termos que ser compelidos a deixar que a escola de nossos meninos interfira em sua educação!” (grifo meu)

Fomos ensinados a pensar que o nosso sucesso na vida está irremediavelmente atrelado à nossa escolaridade, mas a história nos mostra que isso não é verdade, nem nos sentidos intelectual ou no financeiro.
Atualmente, muitas pessoas em todo o mundo encontram formas de educar a si e aos seus filhos sem recorrerem ao sistema de escolarização, que muito se assemelha ao regime das prisões. Essa semelhança foi largamente explorada pelo filósofo francês Michel Foucault em sua obra Vigiar e Punir.

Homeschooling e Unschooling em Santa Cruz

Foto e edição de nossa filha Isa Tatai

Nossa filha com então 8 anos sofreu bullying feio nos primeiro anos do sistema escolar público americano (segundo e terceiro anos) e por conta da Síndrome de Pós-Trauma que desenvolveu devido aos abusos, optamos por sua desescolarização completa antes de começarmos com o Homeschooling.

Aqui em Santa Cruz, pertencemos a uma Charter School (O que é isso? Leia aqui) chamada Ocean Alternative, onde realizamos, com toda a infraestrutura e apoio dessa comunidade,  a modalidade Unschooling dentro do Homeschooling.

Acontece assim: nossa filha escolhe os temas pelos quais se interessa aprender — ela já se encontra desescolarizada, no sentido de ter praticamente perdido grande parte dos vícios dos treinamentos escolares — enquanto a escola cuida da parte burocrática junto ao Departamento de Educação do Estado da Califórnia.

Sua educação inclui muita leitura e pesquisa sobre tudo o que lhe interessa, além das experiências empíricas que fazem parte da aprendizagem.

Por exemplo, seu interesse da vez são os dinossauros. Assim, estamos lendo inúmeros livros sobre eles sob vários pontos de vista, visitando diversas bibliotecas especializadas, esticando o assunto para a idade da pedra, o surgimento da raça humana, sua evolução, as características do planeta nas eras passadas, a forma de subsistência das espécies e por aí vai.

Ela escreve sobre o assunto, faz estórias em quadrinhos, atlas, desenhos e diagramas, além de contarmos com visitas a museus de história natural, que têm apresentação destinada aos praticantes do Homeschooling, em que pesquisadores das universidades vão dar palestras sobre os assuntos.

A culminação desse nosso Projeto Dinossauro se dará com a nossa visita ao Dinousaur Provincial Park em Calgary, no Canadá, no ano que vem.

Podemos perceber que Unschooling não se trata de um trabalho fácil, não é mesmo?
Mas depois que entendemos a lógica por trás do sistema público americano de escolarização, fica mais fácil evitar suas armadilhas.

A escola treina as crianças para se tornarem funcionários e consumidores; a educação não-escolar auto-dirigida os convida a serem líderes e abraçarem os riscos de suas ousadias.
A escola treina as crianças para obedecerem irrefletidamente; a educação não-escolar auto-dirigida as faz pensar de forma crítica e mais independente.
Segundo o escritor e pesquisador John Taylor Gatto, crianças bem-educadas não se entediam com facilidade, e nós, enquanto pais, podemos ajudá-las a desenvolverem uma vida interior para que não sejam presa fácil do tédio.
Uma vez não cegos pelo currículo escolar, podemos Incentivar esses mini-indivíduos a explorarem os clássicos da história, da literatura, da filosofia, da música, arte, economia, teologia, enfim, todas os assuntos que os professores são treinados para evitar ou simplesmente os tratam de forma superficial e descontextualizada.

Uma vez donos de nossos próprios saberes, podemos brindar nossos rebentos com tempo para que eles possam aprender a desfrutar de sua própria companhia e travarem seus diálogos internos.

Indivíduos muito bem escolarizados são condicionadas a terem medo da solidão e a procurarem companhia constante através da TV, do computador, do celular e de amizades superficiais rapidamente adquiridas e abandonadas.

E assim, despeço-me de vocês, voltando no ano que vem!

Feliz Ano Novo!

Related posts

Diferenças na criação de cachorros no Brasil e os EUA

Gabriela Albuquerque

Dicas de compras em Virginia Beach e região (EUA)

Mari Proença

Virando poliglota: onde estudar na Bélgica?

Tábata Senna

2 comentários

Rose Fevereiro 18, 2020 at 4:10 pm

Oi Flavia, parabéns pelos artigos! Li todos e amei as ricas informações que compartilhas !!

moro atualmente em SF e estou planejando minha mudança para Santa Cruz (what a coincidence!) com minha filha de 9 anos.
Gostaria de adotar unschooling e homeschooling. Ela esta concluindo 3rd grade aqui em SF neste Junho próx.
…seria de enorme valor poder bater um papo contigo! Por favor, me manda um alô via IG @roseyeap ou +13233607379.

Resposta
Flávia Criss Fevereiro 20, 2020 at 8:12 pm

Oi Rose! Que legal saber que você será minha “conterrânea”aqui na Califórnia! Muito obrigada por ter me lido! Essa aventura com homeschooling tem muito o que dar e o que viver…vai dar uma reviravolta na vida de vocês.
Anotei o seu número e vou te dar um alozinho via zap zap, ok?Será um prazer enorme poder ajudar.
Um beijo grande!

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação