BrasileirasPeloMundo.com
Alemanha Empregos Pelo Mundo

Empregos em Berlim

Eu queria começar esse texto falando das oportunidades na Alemanha, mas a minha realidade é Berlim, e Berlim não é para todo o pais.

Três pontos discutidos recentemente em quase todos os jornais que leio. Me chama atenção:

1 – A Alemanha realmente precisa de mão de obra estrangeira?

2 – Quais são os pontos positivos e negativos de um país sem salário mínimo?

3 – Até que ponto uma economia consideravelmente forte na Europa é, realmente, sinônimo de qualidade de trabalho.

Eu vou tentar sintetizar tudo isso num só texto e, por isso, me concentrarei no que conheço do mercado criativo de Berlim, área da qual também faço parte.

Não quero tirar as esperanças de ninguém com o sonho de morar em Berlim, mas a realidade é que o mercado está saturado e a cada dia mais estrangeiros, tanto da EU como de fora, vem para a cidade para achar emprego em suas áreas.

É impossível arranjar trabalho em Berlim? Digo que nada nessa vida é impossível, mas fácil não é!

Essa conversa não é de hoje e sempre volta entre amigos, meme e gifs na internet, como no tumblr “da vez” entre os estrangeiros que moram por aqui.

Dizem por aí que pesquisadores e engenheiros tem mais sorte no mercado alemão, mas não posso confirmar essa afirmação porque, até mesmo os engenheiros que conheço em Berlim estão “pastando”. Por essas razões, fica difícil acreditar que Berlim precisa de mais mão de obra estrangeira. Quem tem um passaporte europeu, já vem com uma seguridade: o subsídio do governo caso não arranje trabalho. Porém, não é tão fácil assim entrar no sistema e manter-se nele. Conheço muitas pessoas que além de fazerem o dossiê necessário para ganhar o subsídio ainda sofrem com a enrrolação e dúvida permanente de suas intenções!

Já o estrangeiro que nem se quer tem um passaporte europeu, eu aconselho que venha com um emprego certo ou matriculado em um curso, com dinheiro para sobreviver durante o período de estadia. Diferente de outros países europeus, se jogar com a cara e a coragem na Alemanha é muito mais arriscado até porque, quem não fala alemão tem chances muito menores de arranjar um emprego bom em sua especialidade.

Aí vem também na cabeça a problemática do salário mínimo. A base salarial é decidida pelos sindicatos ou uma média dos salários do cargo no mercado atual. Isso quer dizer que, quanto mais pessoas aceitam um salário baixo, mais a média salarial cai e fica difícil viver de um só emprego. Quem tem coragem de enfrentar um tribunal, consegue por muitas vezes aumentar o salário, mas quem é que tem mesmo coragem de enfrentar um tribunal e recebe uma garantia de que o chefe não vai mandar mandar embora um tempo depois?

Na cidade dos novos projetos e start-ups, como é Berlim, o resultado é quase uma falta de educação com gente que investiu num curso superior. Por outro lado, esses mesmos projetos trazem idéias tão inovadoras que a volta para o Brasil com um currículo mais extenso e cargos que por lá nem se quer existem, é bem interessante.

Num mundo utópico, a falta de salário mínimo deveria aumentar a concorrência e incentivar as empresas a contratar mais trabalhadores.

E a realidade é que, nas estatísticas está tudo lindo! As contratações aparecem, mas a estabilidade numa empresa é baixa e a rotação de empregados faz o salário cair mais e mais pelo desespero de não ter dinheiro no próximo mês ou ficar muito tempo fora do mercado e sem chances de retornar.

Assim matamos a pergunta 2 e 3 do começo do texto. A qualidade de vida dos trabalhadores em Berlim anda caindo e muito. E eu prefiro deixar aqui um artigo português que fala sobre o tema com muitos exemplos da realidade na Alemanha.

Como disse, nada é impossível! É preciso enfrentar a realidade e vir preparado não só com o belo portfólio e capacidade, mas também psicologicamente para o acirrado mercado berlinense.

Em todos os outros temas, a cidade continua sendo um lugar incrível para quem quer aumentar sua bagagem cultural e criativa!

 

Related posts

Dicas para quem pretende morar na Alemanha

Allane Milliane

Refugiados em Munique

Allane Milliane

Emprego no Uruguai

Adriana Molha

33 comentários

Cristiane Leme Outubro 17, 2013 at 12:38 pm

A situação é bem parecida com o que se vive na Dinamarca: salário mínimo não existe – é uma convenção entre os sindicatos e os empresários; a preferência é para dinamarqueses ou pessoas que possuam diploma dinamarquês; sem falar o idioma local é quase impossível conseguir um emprego; também ocorreu aqui uma migração em massa de cidadãos EU de países em crise, além de ter os refugiados. Parabéns pela abordagem do tema.

Resposta
Barbara Poplade Schmalz Outubro 18, 2013 at 11:34 am

Obrigada Cristiane!
Realmente, todo mundo está tentando a sorte nos países mais ao norte pela estabilidade que eles parecem ter, mas é importante falarmos que nem tudo é tão fácil assim, para que eles venham preparados 😉

Um bjo e bom fim de semana!

Resposta
Tati Sato Outubro 18, 2013 at 2:46 am

Ahaza, gata! Adorei o texto. Acho muito importante comentar o que sentimos como realidade nos países onde vivemos. Assim como o texto da Mônica Bateman que fala sobre o sistema de saúde dos EUA de forma simples e direta (tapa na cara!), o seu dá dicas importantes sobre o mercado alemão, um dos únicos que, aparentemente, está bem na Europa. Achei bem legal!!!

Beijo outro tchau!

Resposta
Barbara Poplade Schmalz Outubro 18, 2013 at 11:37 am

hahahaha ai Tati vc me entende rs.
É isso mesmo, as vezes é um tapa na cara, mas é quase como um conselho de mãe rs. A gente mostra a realidade pensando no em ajudar e não desanimar! Acho super importante pq, muitos acreditam que vindo para cá, tudo vai ser um paraíso!
A qualidade de vida é um fator bem importante e se compararmos com o Brasil é claro que tem mtos pontos positivos, mas não quer dizer que a vida será sem problemas. O país muda e os problemas também né?
Que bom q gostou 😀

bjo outro tchau! hihihi

Resposta
Ana Cristina Kolb Outubro 18, 2013 at 10:55 am

Oi Barbara, o tema é muito abrangente, e com certeza muito interessante pra muitas pessoas que pensam em se mudar pra Alemanha. Eu queria te perguntar, pois segundo sei sobre a comunidade europeia, as pessoas podem escolher morar e trabalhar em todos os paises da comunidade, mas segundo eu saiba para receber ajuda social, voce teria que ja ter trabalhado pelo menos um tempo minimo de 1 ano no pais, pra entao ter direito a ajuda social. Afinal a Alemanha ja ajuda financeiramente varios paises em crises, com o objetivo de sair, superar a crise. e pagar ainda por ajuda social para as pessoas desses paises que se mudam pra Alemanha sem emprego, isto é novidade pra mim.
Nao compreendi bem também, a informaçao sobre “falta de educaçao com quem tem estudo superior”, no contexto de “start up”, uma start up em geral precisa de investimento, se as pessoas teem boas ideias, ainda assim os “angels” = investidores, querem ver pessoas competentes pra colocar a ideia em pratica. Estudo superior hoje em dia, ja é “comodidade” na Europa, e nos paises nordicos, mais ainda. Voce poderia me explicar um pouco mais sobre o assunto, pois me interessa muito, nao que eu queira me mudar pra Alemanha rsrsrsr mas como empresaria e muito ativa nesta cena de start up, o assunto me interessa muito. O mercado alemao é muito competitivo, por isto vejo dificuldades pra quem nao tem sequer qualificaçao em uma area de conseguir abrir um negocio ou achar trabalho nestes mercados, nao? Parabens pelo texto! Namasté!

Resposta
Barbara Poplade Schmalz Outubro 18, 2013 at 11:59 am

Oi Ana Cristina,
o tema é tão abrangente que dá para fazer um especial “empregos” rs.
Qto aos requisitos para o subsídio do governo, em teoria é isso mesmo que você comentou. Quem já trabalhou aqui, até mesmo por menos tempo, tem chances de ser incluído rapidamente. Só que na prática, quem luta por mais direitos consegue! Demora mais, é preciso paciência e muita papelada, mas consegue.
O Arbeitsagentur e o Jobcenter são as agências que cuidam dos desempregados. E essas agências não são governamentais, elas trabalham para o governo e para cada trabalhador incluído no mercado, eles ganham um bônus em dinheiro então, imagine como o problema é grande. Essas agências passam a aceitar com facilidade as pessoas que eles acreditam ter mais chances de arranjar um emprego como: recém formados, pessoas que já tem experiência no mercado, pessoas com especializações e pelo menos mais duas línguas, etc. Desses, eles cuidam com toda a atenção e procuram ajudar até quando a pessoa nem quer! Oferecem oportunidades de emprego, cursos e tudo que for necessário para te colocar de volta no mercado. Já aqueles que realmente precisam de ajuda por não terem nenhuma dessas qualidades, ficam jogados no limbo dos arquivos e excluídos da mesa dos funcionários dessas agências. Um problema sério e que é discutido sempre nos debates políticos!

“falta de educação” foi uma expressão que eu quis usar para o desrespeito com o qual os start ups tratam seus funcionários qualificados. Você falou algo muito importante! Sem diploma, tudo fica ainda mais difícil por aqui.
O que acontece é: os start ups precisam de gente qualificada porém, nem sempre valorizam o trabalho dessas pessoas. É muito comum entrar em um start up como estagiário e o dono ou o RH informar que como é uma empresa nova, eles não tem muito dinheiro e precisam ver o projeto dar certo para que aumentem o salário ou efetive seus funcionários. Até aí o ok, mas na verdade isso muitas vezes é só uma tática. O “estagiário” passa a trabalhar 8 horas como qualquer outro funcionário, são delegadas tarefas que qualquer outro efetivo faz. Não há apoio de um supervisor como deve acontecer com estagiários sem experiência e por salários na base de 400 euros (que não dá para sobreviver na cidade) eles exigem uma eficiência excepcional e horas extras não pagas além de uma falta de reconhecimento nas boas idéias ou na competência das atividades. Por fim, quando o funcionário está adaptado, experiente e o contrato acaba, a promessa de efetivação vai para o ralo pois, mais vale a pena pegar um novo estagiário e pagar de novo salários baixos e claro, menos impostos. Do que efetivar aquele que se dedicou e já mostrou que tem competência para realizar suas atividades e também a atividade de outras áreas na empresa (como é mto comum acontecer) e que acredita no sucesso do projeto.

Já aconteceu comigo, com meus amigos e existem muitos relatos em jornais. E fica a pergunta, até que ponto vale a pena correr esse risco…

O mesmo problema acontece com os funcionários terceirizados ou “Zeitarbeiter”. Meu marido já foi um, trabalhando para a mesma empresa que trabalha agora. O salário dele era a metade do que é hoje e ele fazia a mesma coisa que faz agora. Mas para as empresas vale mais a pena ter um Zeitarbeiter que podem mandar embora a hora que quiserem pois, não possuem um contrato com ele, do que contratar e depois pagar multa e outros benefícios se mandar embora. Então, virou moda contratar terceirizados principalmente na indústria metalúrgica e hoje, os sindicatos lutam para dificultar esse tipo de contratação enquanto os funcionários frustrados vivem fazendo protestos em frente das grandes multinacionais.

Caso apareçam mais dúvidas pode mandar! hehehe

Bjobjo e um ótimo final de semana!

Resposta
Ana Cristina Kolb Outubro 23, 2013 at 5:38 pm

Oi querida, super obrigada pela resposta e informaçao. Otimo texto!!!! Namasté!

Resposta
Ann Outubro 21, 2013 at 3:08 pm

Que pena que ate ai tenha chegado a crise..otimo texto Barb..mostrou Berlim, sem os oculos de turista, contando a realidade nua e crua 🙂 bj

Resposta
Alemanha – Me aqueça Nesse Inverno! Novembro 22, 2013 at 11:57 am

[…] Leia mais sobre a Alemanha! […]

Resposta
Laila Maio 5, 2014 at 1:14 am

Oi Barbara, tudo bem?
Estou pensando em ir para Berlim este ano, até setembro, trabalho no ramo de moda também! Sou formada em Negócios em moda e trabalho com marketing digital, gostaria de saber como está este setor aí e se você tem algum curso para indicar na área! Obrigada desde já!

Resposta
Barbara Poplade Schmalz Maio 17, 2014 at 6:29 am

Oi Laila!
Aqui está tudo ótimo! Espero que com você também 😉

Se você sabe alemão, tem boas oportunidades dentro de Marketing Digital. A internet é um mercado promisso aqui na Alemanha e comprar produtos de moda online é super comum então, sim! Você tem grandes chances de achar um trabalho aqui.
Eu recomendo um site de busca de empregos para profissões relacionadas à moda: fashionjobs.de
e fashionunited.de
Eu mesma, já arranjei trabalho por esse sites.
Cursos, me desculpe, mas não conheço muitos 🙁
O que você pode fazer é entrar no site do consulado da Alemanha em SP. Eles tem um link sobre bolsas e oportunidades para Brasileiros que querem vir para a Alemanha talvez você ache algo por lá.

Espero ter ajudado 😉

Gde abraço,

Bárbara

Resposta
Márcia Luíza Maio 7, 2014 at 10:53 am

Muito interessante esse artigo sobre Berlim, meu namorado mora na cidade e me convidou para morar com ele em 2015, ele é alemão no inicio fiquei contente mas não sei nada sobre o país, a cidade imaginava por exemplo que como falo inglês seria fácil arrumar um emprego mas vi que não é bem assim , não quero ir morar em Berlim e ficar a toa se for assim vou só pra passear , quanto a trabalho sou da área de turismo como é este mercado por ai? gostei muito do blog parabéns!!

Resposta
Barbara Poplade Schmalz Maio 17, 2014 at 6:39 am

Oi Márcia,

na área de turismo é um pouco mais fácil arranjar emprego só falando inglês. É claro que depende do cargo que você quer. Eu por exemplo, no primeiro ano vivendo em Berlim estava tendo um “piripaque”.
Não aguentava mais só ficar em casa e aprender alemão e não tinha chances nenhuma de conseguir um emprego na área de moda então, me candidatei para ser guia turística no Pub Crawl daqui. Fui aceita e eu e metade dos funcionários só falavam o básico do básico do alemão, mas eles estavam mais interessados no nosso inglês e na segunda ou terceira língua que sabíamos.
Então, acho que você teria um pouco mais de chances por aqui.
Se eu puder dar um conselho, venha passear, conhecer a cidade antes de decidir. Pense que você não vai chegar aqui e achar um emprego no dia seguinte. Como em qualquer lugar, leva um tempo e você precisa ser paciente e manter a força.
Eu cheguei com 23 aninhos achando que tudo ia ser muito fácil e rápido e tive que aprender a não ser tão apressada e ter paciência. A gente chega tão cheio de sonhos e vontade de conquistar que esquece de se preparar para a batalha então, você tem que sempre lembrar que começar uma vida nova do zero num outro país precisa de força de vontade e paciência 😉

Abçs Bárbara

Resposta
Isla Junho 15, 2014 at 5:28 am

Oi Barbara, tudo bem? Amei seu artigo sobre Berlim, mostrando realmente a realidade da vida de muitos estrangeiros quem tentam a sorte fora de seu país de origem. Já que vc é da área de moda, sou formada em designer de moda ,no Brasil, e já fiz um curso na Esmod em Paris e sei falar alemão e quero ir para a Alemanha exercer-la em Berlim. Eu queria saber se o diploma dessa área brasileiro não tem nenhum tipo de problema e se essa área por ai é acirrada em termos econômicos e competitivos, eu sei que em todas as áreas há disputa por espaço, mas se especificamente nessa área há uma profundidade? ansiosamente e atenciosamente espero respostas , fique com Deus …

Resposta
Barbara Poplade Schmalz Agosto 5, 2014 at 7:06 am

Oi Isla!

Me desculpe a demora, espero que possa ainda te ajudar 🙂

Primeiramente obrigada pelos elogios hehehe

Agora vamos falar de moda! (risos)

Eu não sei se você já conhece Berlim e se apaixonou por ela e por isso, não vê a possibilidade de ir para uma outra cidade, mas caso você esteja aberta à outras opções, eu sugiro Munique.
Em Berlim o mercado de moda está muito concorrido. Há poucas vagas e a maioria são voltadas para o Marketing online, vendas on line e tudo mais que tenha a ver com a Internet.

Munique tem muitas fábricas e ateliês de moda. Tando pequenas marcas como as grandes e famosas marcas alemãs então, suas chances seriam bem maiores.

Se você sabe falar alemão, já um grande passo para conseguir um emprego 😀

Aqui existe algumas diferenças nos cursos universitários, muita coisa que é considerada curso superior, aqui é só um técnico. Então, você precisa saber se o seu curso é reconhecido e depois se o seu diploma é reconhecido. Como eu já fiz a via sacra… Sim o curso de Design de Moda do Brasil é reconhecido na Alemanha, para saber se o diploma da sua universidade é reconhecido na Alemanha, existe um site de pesquisa: http://www.anerkennung-in-deutschland.de/tools/berater/de/berater

Já adianto uma coisa, você precisará traduzir seu diploma com um tradutor juramentado e cadastrado no consulado Alemão, depois você tem que levar o seu diploma ao consulado e pedir o carimbo confirmando a veracidade do seu diploma.

Outra coisa, se você tem um curso numa universidade európeia, isso ajuda muito aos olhos do empregador porque, um dos maiores medos de muitos empregadores que me entrevistaram era se eu tinha um olhar para o mercado europeu que funciona diferente do brasileiro.

Dicas extras (hihi): Prepare um currículo aos padrões alemães: a primeira folha tem que ser uma carta de apresentação dizendo para que cargo você se está se candidatando porque, você quer trabalhar nessa empresa, o que você tem de experiência de vida, hobbys, trabalhos e etc que te qualificam como um ótimo candidato (vender o peixe é a alma do negócio). E de preferência, não pode ser tão grande pois, eles recebem muitos currículos e dão mais atenção para as cartas resumidas.

A segunda folha são suas infos técnicas – nome, idade, endereço, cursos, línguas, atividades extras e uma foto 3×4. Muita gente aqui vai estúdio profissional para tirar essa foto. Pode ser sorrindo, com pose e tudo mais. 3×4 de máquina automática nem pensar!

As outras folhas são anexos do seus diplomas traduzidos e um portfólio se você já tem.

Com um currículo no padrão alemão, você pelo menos não será descartada por falta de “decoro”.

Não sei a ênfase que deram no seu curso superior, mas se você quiser um emprego na área de criação suas chances são maiores caso saiba usar bem:Word, Photoshop, Illustrator e ter noções intermediárias à avançadas de costura. Carta de motorista internacional também é um requisito de algumas empresas.

Com tudo isso certinho eu não vou dizer que você vai achar o emprego em 5 min. pq realmente há muita competitividade, mas pelo menos você se igualará aos candidatos alemães o que aumenta e muito suas chances.

Boa sorte e um abraço!

Bárbara

Resposta
Isla Agosto 29, 2014 at 9:40 pm

Oi ,OBRIGADA por responder minha dúvida e esclarece-la.E outra pequena dúvida que surgiu-me e esqueci de colocar, sobre o mercado em que quero atuar no ramo de designer de moda, pois quero atuar com uma moda sustentável e com qualidade rígida em termos de confecção como utilizar produtos e matéria -prima ecologicamente e ambientalmente saudável a todos nós. A minha dúvida relativa a esses aspectos,se o mercado ou a demanda de consumidores por produtos sustentáveis é em massa ou está em expansão e basicamente se Munique como vc mesma sugeriu está adepta a esta neomoda ou ate Berlim ou outra capital. Pois um dos aspectos que me encanta são as políticas sustentáveis na Alemanha-DEUTSCHLAND, assim como em outros países europeus.ENCARECIDAMENTE espero respostas e UM GRANDE ABRAÇO, fique com Deus….;D

Resposta
Barbara Poplade Schmalz Setembro 4, 2014 at 4:34 pm

Olá!

Que bom que consegui já te dar uma luz 🙂

Adorei saber que você pretende trabalhar com moda sustentável porque, eu também sou a favor de novas formas de consumo que sejam conscientes 🙂
Andei pesquisando muito sobre o assunto. A sustentabilidade na moda é um tema em expansão. Já existem muitos consumidores de produtos sustentáveis, mas ainda não chegou a virar um consumo em massa. A primeira feira “Ethical Fashion” com produtos conscientes foi aqui em Berlim resultado, aqui é o lugar da moda sustentável.
Sustentabilidade está se tornando algo “cool”, dá um certo status ao consumidor não só pelo preço, mas porque os jovens alemães da classe média procuram por produtos que são exclusivos por serem em pequenas produções ou de marcas que quase ninguém conhece e não pelo preço do produto como a elite faz. Há cada vez mais investimento na área e como disse, está crescendo bem! Por exemplo, estava pesquisando tecidos orgânicos, reciclados e fair trade no Brasil e na Alemanha. Aqui eu encontrei tudo que você possa imaginar e sempre aparecem novas composições enquanto no Brasil eu só achei lona ou material para artesanato.

Realmente você vai ter que vir para Berlim rs. Munique ainda é a capital da moda tradicional enquanto Berlim é a capital da moda experimental.

Esses dias estava olhando vagas de trabalho em um site e tinha uma vaga para assistente de designer numa marca de produtos vegan. Esse site é muito utilizado por aqui para procurar empregos na área de moda em toda a Alemanha e até em outros países: http://fashionunited.de

Boa sorte nas suas conquistas 😉

Abraços,

Resposta
Antonio Mario Bazo Junho 23, 2014 at 10:48 am

Oi, tudo bem? Amei teu texto
Antonio Bazo

Resposta
Barbara Poplade Schmalz Agosto 5, 2014 at 7:07 am

Oi Antonio, comigo está tudo ótimo, espero que contigo também 😀
Muito obrigada pelo elogio! Fico feliz por saber que gostou do meu texto.

Uma ótima semana e um abraço,

Bárbara

Resposta
mario benedito da costa Agosto 10, 2014 at 11:12 pm

Oi Barbara …adorei seu poste suas dicas falando a realidade de como é a vida ae.eu estou fazendo facudade de engenharia mecanica e pretendo morar por ae nas priximas ferias quero passer em berlim para conhecer melhor….gostaria de saber quais as dicas que voce mim daria para eu nao quebrar a cara risris desde ja agradeso por tudo

Resposta
Barbara Poplade Schmalz Setembro 1, 2014 at 11:15 am

Olá Mario,

não sei se entendi direito, mas a sua intenção é passar só o período das suas férias aqui certo?

Bom, se essa for a intenção, não tem muito segredo. Como turista você tem direito de ficar no país por 90 dias. Você pode alugar um apartamento para temporada ou ficar em um hotel (vai precisar do comprovante de reserva nos dois casos para passar pela alfândega). Caso conheça alguém que mora aqui e vá te receber, você precisa de uma carta convite da pessoa, existem vários modelos na internet.

Se quiser ficar um período maior do que esse, só pegando um visto de estudante. Ou seja, você vai precisar se matricular num curso de alemão ou outra coisa e entrar no processo do visto, lembrando que você deve ter uma quantia exata de dinheiro para sustentar todo o período dos seus estudos, no site da embaixada alemã tem mais infos.

Se for só como turista mesmo, não tem muito segredo. Brasileiros não precisam de visto, mas como qualquer outro país da europa, eles podem pedir para verificar se você tem seguro viagem que cobre acordo de Schenegen. Os sites dos seguros viagem mais famosos tem tudo explicado.

Sinceramente eu nunca vi um brasileiro passando pelo bombardeio de perguntas e verificação de documentos para entrar na Alemanha, mas é aquela velha regra “melhor prevenir do que remediar”.

Pra vc não quebrar a cara o melhor é procurar acomodação nos sites mais conhecidos, já que você não tem como comprovar se o lugar existe mesmo, a não ser quando chegar.

Se for passar um mês ou mais, provavelmente você vai usar bastante o transporte público então, compre um ticket de transporte para o mês que sai mais em conta. Você pode usar por 30 qualquer tipo de transporte público, durante todo o período de funcionamento. Em alemão chama Monatskarte, mas se souber inglês ou espanhol, nas máquinas dentro do metrô também tem essas opções de línguas.

É bom saber também algumas regrinhas da boa convivência para não arranjar confusão com os alemães. Temos culturas diferentes então, nem sempre uma coisa normal no Braisl aqui é ok.

Por exemplo, muitos brasileiros comentam sobre a ditadura do Hitler em tom de deboche ou faz o sinal nazita no meio da rua e isso aqui é um assunto muito delicado. Nós não passamos por algo desse tipo então, alguns não entendem o quanto isso é mal visto aqui, por isso não custa avisar que uma pessoa que acena em público como os nazistas faziam pode até ser presa.

No centro de Berlim é bem provável que você consiga se virar bem usando ou tras línguas e mímicas, mas fora do centro não Então, pasciência ou aprender alemão é um requisito rs.

Acho que não tem como quebrar a cara hehe. Alemães são em sua maioria bem responsáveis e organizados, se você estiver com todos os seus documentos e mapa da cidade na mão, tudo vai fluir muito bem.

Se precisar de infos mais precisas, só avisar.

Uma ótima semana para você também.

Abçs,

Bárbara

Resposta
mário benedito da costa Setembro 26, 2014 at 1:06 am

Brigado Barbara pela as dicas.

Eu vou primeiro passar um período de férias conhecer melhor a cultura do pais te um pouco de

conhecimento da língua porque eu não mim vejo construindo uma vida aqui no Brasil já estive em vários

estado e sempre vejo a mesma historia ..q nem preciso nem te falar do q se trata ..A insegurança q

vivemos, já fui assaltado perdi amigos vitima de latrocínio e por ai vai, a realidade q todos nos

vivemos aqui ..Te agradeço muito pelas as dicas q você mim passou creio q vai mim ser útil.

Eu só gostaria de te pedir um favor se não for muito incomodo mim passar. seite aonde posso

encontrar apartamentos para alugar por temporada q seja próximo do centro de Berlim e q seja

mais em conta . Peço

desculpa pela inconveniência .Desde já lhe sou grato por tudo

Abçs

Mário

Resposta
Julia Zarth Outubro 9, 2014 at 8:18 pm

Oi Bárbara, tudo bem?
Sou estudante de Direito aqui no Brasil, faço curso de alemão e tenho intenção de ir à Alemanha para cursar mestrado e, possivelmente, tentar morar ai (não necessariamente em Berlim). Sabe dizer alguma coisa com relação a esse ramo?? Tenho corrido mt atrás desde já, apesar de ainda faltarem 2 anos de faculdade, pois é realmente um sonho meu…
Agradeço desde já.
Beijoss

Resposta
Barbara Poplade Schmalz Junho 7, 2015 at 5:48 pm

Oi Julia,

eu sei que aqui em Berlim tem um curso da faculdade Humbolt (de curto período) especializado em direito brasileiro.
A questão é, seu curso é aceito aqui? Pois, normalmente medicina, direito entre outros, não são aceitos aqui. Ou seja, você precisa voltar para uma universidade para fazer alguns semestres adicionais ou fazer o curso todo de novo para pegar um diploma alemão. Eu não tenho muitas infos sobre isso, mas com certeza no site da embaixada alemã você achará algo sobre isso.
Existem muitas bolsas de estudo e programas de estágio, de repente esse pode ser um caminho para você.
Boa sorte no seu sonho 😉

Beijos

Resposta
Julia Janeiro 14, 2015 at 2:43 pm

Olá Barbara, tudo bem?
Então, eu li a sua postagem sobre empregos na Alemanha. Gostei bastante, parabéns!
Vou fazer faculdade de Engenharia Civil, gosto bastante. Estudo a língua Inglesa e Alemã, quero fazer a faculdade e já me formar em Berlim. Mais não sei como é esse mercado de trabalho por lá, você poderia me tirar esse dúvida? Muito obrigada, sucesso! 🙂

Resposta
Barbara Poplade Schmalz Junho 7, 2015 at 5:50 pm

Julia, o mercado de Engenharia Civil está ótimo! Eles precisam de muitos engenheiros por aqui. Talvez você ache mais infos interessantes nesse site: http://www.make-it-in-germany.com/en

Resposta
gilmara Março 29, 2015 at 4:13 pm

Olá, Barbara! Você está bem?

Gostaria muito de morar e trabalhar em Berlin. Vc saberia me dizer como é a área de arquitetura por ai? tem campo? quais as outras áreas que poderia atuar? Ah! a principio irei p/ aprender alemão, e após, conseguir algum trabalho na área. O que vc me sugere?

agradeço.

Um abraço
Gilmara

Resposta
Barbara Poplade Schmalz Junho 7, 2015 at 5:52 pm

Oi Gilmara,

ihhh arquitetura tá russo aqui rs. Mas existem muitas outras possibilidades. Principalmente se você já tem em mente primeiro estudar o alemão por aqui. Com certeza vai pintar alguma oportunidade legal, basta ser flexível. Acredito que esse site vai te ajudar: http://www.make-it-in-germany.com/en

Bjs

Resposta
Débora Regina da Silva Junho 8, 2015 at 8:33 pm

Olá Bárbara, tudo bem?
Muito bom seu texto!!
Meu noivo, de 35 anos, morou no sul da Alemanha nos anos 99 e 2000, fazia curso técnico agrícola e estagiava em uma fazenda particular. Voltou para o Brasil e formou-se em Administração, atualmente trabalha no ramo financeiro de uma distribuidora da Coca Cola… (Será que para ele nesta área administrativa está bom?)
E eu um pouco mais nova (23) tenho muita vontade de ir embora e tentar a vida na Alemanha… Estou cursando Engenharia Civil e tenho muitas duvidas: devo terminar aqui e tentar validar o diploma OU tentar terminar a graduação aí e já engatar um estágio para que eles aceitem mais facilmente ???

E que região seria melhor, sul ou norte?

Se você puder me ajudar a esclarecer essas duvidas ficaria muito grata!

Resposta
Thiago Agosto 14, 2015 at 1:51 pm

Olá Barbara, estou em Berlin pela segunda vez e dessa vez por mais tempo. Você acha que é possível conseguir algum trabalho mesmo ainda não falando Alemão? Quero muito aprender e sei que sera dificil mas nao impossivel. Tem alguma ideia que possa sugerir?

Thiago

Resposta
Alandre Setembro 23, 2015 at 8:02 pm

Olá Barbara, tudo bem? Legal você estar ajudando quem pretende sair do Brasil com essas dicas e orientações, legal mesmo. Trabalho aqui no ramo de Segurança, Medicina e Engenharia do Trabalho, não posso me queixar sobre finanças, mercado de trabalho, clientes, porém sou o tipo de pessoa que não se apega em dinheiro e bens materiais, claro a gente precisa do básico, e é nessa ideia somado com a situação politica do Brasil que estou determinado sair daqui. Não tenho interesse em trabalhar na minha área na Alemanha, mas sim em funções mais simples sem a necessidade de formação superior. Em restaurantes, bares, tudo resumindo, rs. Esse tipo de emprego, como anda por ai, muitas vagas sempre?
Abraço!

Obrigado

Att, Alandre;

Resposta
Marcelo L. S. Araujo Março 14, 2016 at 4:27 am

OI Bárbara, tudo bem?
Adorei a sua matéria sobre trabalho na Alemanha. Pretendo em breve me mudar para a Alemanha, pois sou brasileiro e tenho passaporte português. Estou com 46 anos, formado em Turismo e Hotelaria e, trabalho na área de turismo há 28 anos como agente de viagens, tenho vários certificados na minha área, falo inglês e o meu alemão é do básico para o intermediário, pois já morei em München por 6 meses e, fiz um curso intensivo de alemão na Volkshoschule, pois era o mais em conta naquele momento, mas muito bom curso.
Acho um país incrível e sou apaixonado pela Alemanha. Será que ainda tenho chances de trabalho, mesmo não sendo na minha área de atuação no momento?
P.S. Cansei dessa política do Brasil e dessa recessão econômica, infelizmente, pois amo a minha terra, mas está muito complicado tudo por aqui.
Abraços
Marcelo
Vielen Dank!

Resposta
Ann Moeller Março 15, 2016 at 10:46 am

Ola Marcelo, a Bárbara não colabora mais com o BPM. Boa sorte!

Resposta

Deixe um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site ou suas ferramentas de terceiros usam cookies Aceitar Consulte Mais Informação